Daughter Of Evil - A Filha Do Mal escrita por Bia Nyah


Capítulo 5
Capítulo 5 - O fim do reinado do mal


Notas iniciais do capítulo

Gomene pela demora...eu sempre demoro né? Mas a culpa é da escola e dos trabalhos e provas que estão tendo direto. Espero que gostem ^^




   Ele voltou para cima,com os olhos vermelhos,ainda não acreditava no que acabara de fazer...matar a Miku. Em sua cabeça passavam flashes de memória dos momentos que passaram juntos,o que o deixava com mais vontade ainda de chorar...ela havia partido para sempre. O engraçado da morte é que ela se torna tão irreal como a vida que a pessoa teve,é como se mesmo depois da morte,a pessoa pudesse aparecer a qualquer momento com aquele mesmo jeito que ela sempre teve...como se a morte não existisse. E ao mesmo tempo é como se aquela pessoa nunca houvesse existido,como se ela fosse fruto da sua imaginação ou um mero sonho. Era assim que Len se sentia. Foi ao banheiro,lavou o rosto e tentou parecer o mais frio possível para encontrar Rin.

    - Onii-chan,matou aquela infeliz? - Ela estava alegre,o que era sádico,mas ele achava perfeito.

    - Claro,o que eu não faço pela minha amada irmãzinha? Eu faço tudo por você...poderia até mesmo matar alguém que amo - o olho do pequeno servo do mal ficou vermelho,segurando uma lágrima que insistia em querer sair.

    - Len? O que houve? Por que ficou assim de repente? Você já a conhecia?

    - Não...não...são aqueles meus pensamentos idiotas que voltaram a minha mente. Não precisa se preocupar - Ele soltou um sorriso forçado,pois não sentia vontade de voltar a sorrir,mas ao mesmo tempo sincero,por ver sua irmã feliz. - Eu vou descansar um pouco,essa semana,foi um tanto cansativa para mim.

    - Vá la...vencemos,agora podemos viver em paz.

   Mas do outro lado da cidade algo se formava,algo que prometia mudar o rumo dessa história.

   Uma semana se passou,o reino estava deserto. As pessoas com maiores condições ou parentes em reinos distantes fugiam e as demais se isolavam em casa,saindo apenas quando realmente necessário. Estavam apavorados, “se ela pode matar milhares por ciúmes,ela pode fazer o que quiser conosco sem nenhum motivo” era o que pensavam. Mas havia alguém,alguém que não tinha medo,que queria vingança,que queria que a rainha pagasse por todos os erros que cometeu. Era Meiko,uma jovem de 21 anos bonita,com cabelos curtos e escuros, que perdera sua família no massacre à Green Town. Ela estava realizando uma revolta,uma guerra se preciso para tirar a rainha do poder.De início,todos zombaram dela por essa ideia por ela ser mulher,mas quando viram sua determinação acreditaram no que parecia ser uma ideia suicida. Praticamente todos os homens da cidade se reuniam durante a semana para criar táticas,conseguirem armamentos,roupas e divulgar o movimento. Quando alguém desacreditava,dizia que era impossível vencer os guardas da rainha ou que o psicopatismo da rainha era tanto que tornava qualquer mudança impossível,Meiko simplesmente dizia: “A revolução não está na mão da rainha,a revolução está em sua mente,a revolução está aqui!” essas palavras animavam eles,os faziam querer lutar.

    Naquela semana,todos estavam ansiosos,pois no dia seguinte seria o grande dia,o dia da batalha final,do tudo ou nada. Eles finalmente enfrentariam a rainha,e agora tinham certeza que ganhariam,pois conseguiram ajuda até mesmo dos soldados da rainha...apenas um dia e talvez tudo mudaria pra melhor..

   - Uaaaarrgh...que noite boa - Rin espreguiçava-se,havia dormido bem durante a semana inteira,ao contrário do pobre Len - Cadê meu onii-chan que ainda não trouxe meu café? LEEEEEEN!

   Len surgiu pela porta do quarto,com o cabelo bagunçado,provavelmente acabara de acordar:

   - Sim?

   - E meu café?

   - Hm? Café? Que horas são?

   - Nove da manhã! Len...o que está acontecendo com você? Desde que você matou Miku você anda diferente,não consigo mais ver felicidade em seus olhos,você não sorri mais como antes,parece que não gosta mais de ficar comigo,está aéreo e distante.

    - Me desculpe pequena rainha,apenas me sinto culpado de matar tanta gente,sabe que não consigo ser como você...ainda posso ouvir as vozes angustiadas,os pedidos de socorro...não gosto de pensar nisso. - Ainda pensou consigo mesmo “e Miku...ainda posso sentir o sangue e as lágrimas dela,ainda posso sentir o amor e o ódio juntos,caminhando lado a lado”.

   - Bem...entendo,nem todos conseguem ter um auto controle como o meu,então vou lhe dar o tempo que você precisar de folga!

   - Muito obrigado Rin...e acho que vou aproveitar o primeiro dia da minha folga pra ficar com você! Vamos,vou pedir pra prepararem nosso café!

   Ela pulou da cama para se arrumar,enquanto ele pedia que fosse feito um café especial para eles,em cinco minutos estavam juntos tomando café,rindo,se divertindo,dando risada. Enquanto ficava com Len,Rin era apenas umas menina de 14 anos normal,com sonhos,pesadelos e um coração e enquanto estava com Rin,Len era apenas um garoto de 14 anos,sem ter matado ninguém,sem ter passado sua vida inteira protegendo o mal,ele apenas se divertia com sua irmã. Assim foi durante o dia inteiro,sorrisos,amor...quem via aquela cena se esqueciam de quem era Rin,passavam a imaginar ela como a garota doce que há cinco anos perdera a mãe. Também se esqueciam da obsessão do garoto de proteger a irmã,mesmo que para isso tivesse que sacrificar sua personalidade doce e agradável. Mas então aconteceu,algo chamou a atenção de Len enquanto brincavam no andar de cima...uma mulitdão,a maioria eram homens,mas tinham algumas mulheres...aliás,uma mulher os liderava. Ele olhava,um pouco espantado,sabia que esse dia chegaria,sabia que queriam matar Rin e a ideia de perder sua irmã o assustava. Ele cumpriria sua promessa,ele protegeria sua irmã,mesmo que isso levasse ao seu fim. Ele gritou:

   - RIIIIN,VOU AO BANHEIRO E JÁ VOLTO PARA CONTINUAARMOS,NÃO SAIA DAÍ,JAJÁ VOU TE PROCURAR! - Ela não respondeu,como o esperado.

   O pequeno servo desceu as escadas e viu os escravos fugindo,indo em direção à multidão,já que não haviam mais guardas,pois também se juntaram aos guerreiros. Uma das escravas avisou a ele o que havia acontecendo,e aconselhou que ele fugisse,mas ele apenas ajudou todos eles a sairem do castelo e assim que ficou sozinho,com sua pequena rainha má escondida,foi ao quarto dela e pegou suas roupas,penteou seu cabelo como o da irmã,se maqueou...qualquer um que o visse pensaria estar vendo Rin. Ele pegou algumas roupas dele e subiu para ver a irmã,que ele sabia exatamente aonde estava,mas quando chegou ao fim das escadas,teve uma surpresa...ao invés de estar atrás de um dos armários,estava na frente da janela,olhando assustada a multidão que já estava muito maior do que antes. Len,de maneira protetora abraçou-a por trás e quando ela virou-se,se assustou com o que vira...era como olhar para um espelho.

   - Len? O que está acontecendo? Por que você está assim?

   - Não se preocupe minha pequena,eu vou te proteger,não importa o que isso custe,toma,vista minhas roupas - ele estendeu as roupas que trazia - A partir de agora eu sou a princesa e você o fugitivo.

   - Não! Você não pode fazer isso! Eu sou má,você não...Len,viver sem você é o mesmo que não viver,prefiro me entregar agora a deixar-te fazer isso! - Rin chorava,o choro mais sincero de sua vida...ela perdera tudo,sua mãe,sua bondade,sua família,o amor...a única coisa que restava era seu irmão e agora perderia ele também? Não queria aceitar isso...não podia aceitar isso.

   - Lembra o que prometi? Vou te proteger mesmo que contra sua vontade - Lágrimas escorriam pelo rosto dele também - Se você realmente me ama,só peço que faça esse favor para mim: Sobreviva!

   - NÃO LEN! NÃO SEM VOCÊ! - Ela estava soluçando,abraçando o irmão,desperada.

   Ele apenas respondeu calmamente,para passar confiança à irmã:

   - Vai ficar tudo bem,certamente nós vamos nos encontrar novamente. Vai ficar tudo bem...por isso não chore mais...se eu renascer,eu vou definitivamente ir para o seu lado. Eu definitivamente irei ver o seu sorriso. Me deixe ir Rin,eles estão chegando,só vista isso e fuja,não torne as coisas mais difíceis do que já são para nós.

   - Len...eu te amo,amo mais do que tudo,você é tudo que tenho...eu...eu não quero te perder… - Ele não a deixou terminar a frase,apenas disse:

   - Eu sempre quis te deixar feliz,eu sacrifiquei minha vida,minha personalidade...eu fui mal pra te proteger e te deixar feliz. Meu último desejo é que ao menos uma vez,você se esforce para garantir minha felicidade...se eu for,serei o cara mais feliz do mundo,senão,me culparei o resto da minha vida por não ter cumprido minha missão.

   - Seu baka! Não devia ter me tratado como uma criança mimada todo esse tempo...não quero te perder e sei que você não está sendo sincero...fique..vamos dar um jeito juntos. - O garoto loiro a interrompeu de novo,dessa vez sério,ele pegou em suas mãos e as puxou pra junto dele,abraçando-a e disse:

   - Não importa o que você diga dessa vez,vou ir quer você queira,quer não...adeus onee-chan,me diverti muito com você. - Ao dizer essas palavras,ele saiu andando em direção a sacada e por mais que Rin corresse atrás dele,ele não olhava para trás.

   Ela decidiu seguir a vontade de seu irmão,saiu chorando e fugindo do castelo,em prantos,sabia o que aconteceria depois que saísse…

   24 horas...24 horas foi o tempo que estipularam para que Len fosse executado. Alguns minutos depois que Rin saiu,encontraram Len e o prenderam. Realmente acreditaram que ele fosse a rainha tirana,não havia qualquer diferença entre ele e a irmã enquanto se encontrava daquela maneira. Ele se deixou prender facilmente,de maneira indiferente para parecer ainda mais com sua pequena onee-chan...e deu certo,foi pego,preso no calabouço e condenado à morte na guilhotina em praça pública no dia seguinte. Enquanto preso se sentia calmo,a morte não parecia tão cruel quanto a vida para ele...só se sentia mal por ter que abandonar sua irmã,mas pelo menos não sentiria mais a culpa que estava o consumindo nos últimos dias...simplesmente deitou e esperou seu momento chegar...apenas isso.

   Enquando isso,Rin ainda não havia sido descoberta e vagava por lugares escuros da cidade,estava mal por tudo aquilo,sabia que era a culpada e agora se desculpar não adiantaria...por sua culpa,seu querido onii-chan iria morrer...apenas deitou em um canto escuro da cidade e esperou...esperou que algo de bom pudesse acontecer a alguém tão má quanto ela.

   - Acabou o tempo princesa,chegou sua hora! - Meiko dizia isso sarcáticamente...Len podia ver no olhar dela algo parecido com o que via no olhar da Rin...a vingança...ódio.

   Ele se levantou lentamente...estava um pouco angustiado sentindo a morte tão de perto,mas sabia que merecia,pois fez várias pessoas se sentirem assim sem motivo algum...a morte o faria pagar por seus pecados. Algemado,o pequeno servo vestido de rainha seguia pelo caminho da morte,seguido por Meiko e Kaito,para que não fugisse. Ele viu a luz...havia chego na praça,tudo estava preparado. Não parecia que alguém morreria ali,parecia que haveria uma festa...todos estavam felizes com a morte da provável rainha. Ele andou lentamente em direção à guilhotina,faltavam 3 minutos para as três horas,horário de sua execução...ao olhar para multidão encontrou ela,Rin,sua irmã,escondida por panos. Mesmo com tantos tecidos para cobrir o rosto,Len podia enxergar seus olhos tristes,arrependidos. Ele sorriu para ela,ainda queria fazê-la feliz e as lágrimas que ele viam o machucavam mais do que a angústia da morte...faltavam apenas 30 segundos e quando ele estava se posicionando para a morte,ouviu da multidão uma voz conhecida dizer para ele:

    - Ninguém faz você rir como eu,sabia? Me perdoe por tudo que fiz,prometo que agora vou me esforçar pra tornar-me uma pessoa melhor...por você.

    Ao ouvir isso lágrimas cairam dos olhos dele...fora a última coisa que ele ouviu antes que a lâmina afiada atravessasse seu pescoço. O reinado do mal havia acabado...Len havia acabado,mas enquanto todos comemoravam,havia alguém no canto que chorava...alguém que acabara de perder uma pessoa que amava.



Notas finais do capítulo

O que acharam? Mereço reviews? Por mais que pareça,esse não é o fim de nossa história...