My Dear Nerd escrita por Monaliza


Capítulo 49
Rei e Rainha


Notas iniciais do capítulo

Olá povo bonito que eu amo de paixão ♥♥ Não me matem, não me odeiem, por favor. Eu sei que prometi que voltaria rápido, mas acho que vocês já perceberam que eu não sou a melhor em cumprir promessas, kksks - eu me envergonho disso, tá gente? Podem crer. - Por isso que a partir de agora eu não vou prometer mais nada :v Mas enfim, tamo aí na atividade e o que importa é que eu voltei!

Um enoooorme obrigado para o Guilherme, que deixou uma linda recomendação *-* Suas palavras deixaram essa escritora aqui feliz!

Amo vocês; boa leitura ♥



— Eu sabia que isso ia acontecer.

— Somos duas, Tiff. — concordei com minha amiga.

— Foi por isso que eu pulei fora. Eu não queria perder meu tempo em função de nada e eu sabia que ela não ia aceitar conselho ou sugestão de ninguém. Ia querer mudar tudo o que você já tinha planejado, e venhamos e convenhamos: ela pode ser boa na execução, mas na criação, ela é um completo horror.

— Sinceramente? No fundo eu estou contente com a desclassificação da nossa escola. Só tô sentindo pena do restante das garotas, mas fora isso, adorei o que aconteceu. Talvez assim a Brianna perceba que ela não é tão boa quanto se acha. — nós duas conversávamos enquanto nos dirigíamos à saída do ginásio municipal.

Hoje foi a classificação da semifinal da Batalha de Torcidas. Mas como era de se esperar, já que desde as quartas nossa equipe vinha caindo em relação às outras, não fomos classificados. Não foi algo tão surpreendente. Desde que a notícia da minha saída e da Tiffany se espalhou, muita gente já achava que isso aconteceria. A Brianna, claro, ficou puta da vida e tentou a todo custo mostrar serviço. Ela alterou toda a tática que a equipe vinha praticando: mudou animadoras de posições e até de categorias; não seguiu o planejamento de estrutura que fizemos no início; até alterações no uniforme aquela maluca fez. Tudo em cima da hora e tudo pra mostrar uma competência que nunca existiu. Sua desculpa para estar fazendo tudo isso era que o mérito da vitória que viria tinha que ser apenas dela. Uma pena que ela se afogou na própria ilusão e acabou destruindo o sonho de todas as outras garotas. Agora a única esperança de vencer ainda restante era a dos garotos, no campeonato de futebol.

Avistei uma parte da equipe no estacionamento. Elas pareciam discutir quando eu e a Tiffany nos aproximamos.

— A culpa é toda sua! — a maluca da Brianna gritou comigo, quando me percebeu presente.

Junto a ela estavam a Katrina, Sharon, Karin e mais duas meninas que não me recordava os nomes.

— Pirou? Foi você quem achou que merecia a vaga. Agora por ter perdido a competição, quer me responsabilizar? — perguntei incrédula. — Eu não tenho culpa se sou melhor que você e se você não é boa o suficiente pra vencer sem mim! — cuspi as palavras com desdém.

Ela me olhou cheia de ódio.

— Cala essa sua boca, sua vagabunda! — gritou e desferiu um tapa no meu rosto.

Pude até ouvir exclamações de choque da parte das meninas. Eu também me choquei, e quando levantei o meu braço para revidar, ela o segurou.

— Nem tenta, porque você sabe que eu posso te destruir em questão de minutos. — seu rosto continha uma expressão assustadora. Era ódio puro.

Engoli em seco e abaixei o meu braço. Minha mão estava coçando para dar na cara dela, mas meu coração doeu ao lembrar-me do que ela podia fazer comigo e com o Logan.

— Retira o que disse e fala que eu sou melhor que você. — ela ordenou, com a voz contida, mas a raiva era perceptível.

— Qual a necessidade disso?

— Retira. AGORA! — ela gritou a última parte, totalmente descontrolada.

A Brianna era completamente louca, isso estava sendo provado agora. Eu realmente não entendia no que aquilo mudaria ou melhoraria alguma coisa, mas a mente dessa menina é tão confusa e doentia que eu resolvi não questionar e fazer o que ela mandava. Não por que ela estava mandando, e sim por medo do que ela poderia fazer nesse estado de nervos.

— Eu retiro o que disse. E sim, você é melhor do que eu!

Um sorrisinho de vitória surgiu em seus lábios.

— Finalmente você reconheceu. — e com essa, ela deixou o local.

Um silêncio tomou conta de nós, até a dúvida das meninas o romper:

— O que foi isso? — era a Katrina.

— Por que você deixou ela te bater e gritar com você Mellany? — a Sharon estava bem confusa.

— E por que fez o que ela mandou? — a Karin estava do mesmo jeito. Arrisco até dizer que elas estavam um pouco indignadas.

— A Brianna é doente. Eu sei lá o que é mais que ela poderia fazer. Só queria que ela me deixasse em paz.

— Eu esperava que você pelo menos revidasse. — a Karin novamente se pronunciou. Ela entenderia minha passividade se soubesse o que realmente estava acontecendo.

— Não estava com paciência pra brigar com a Brianna. Muito menos pra sujar minhas mãos ao bater nela. Ela já teve a pior derrota da vida dela hoje. — dei de ombros. — Aliás, falando nisso... Desculpa tá, gente? Sem querer ser egocêntrica, mas eu sei que se eu não tivesse abandonado vocês, nada disso estaria acontecendo.

— Você não teve culpa, amiga. Você só quis fazer o bem àquela mal reconhecida. Ela que é maluca e surtada! — a Kat falava como se não soubesse o real motivo da troca, mas ela sabia. De acordo com suas palavras, ela só ficou na equipe porque, mesmo perdendo, queria matar as saudades de animar.

— Tem razão, Katrina. A Brianna surtou totalmente. Acho que foi a sede de poder que subiu para a cabeça dela. - Sharon comentou.

— Enfim garotas... O papo tá bom, mas agora temos que ir. Os meninos já devem estar na casa do Logan nos esperando. — eu, Tiff e Kat nos despedimos delas e entramos no meu carro, indo em direção à casa do meu namorado.

Ao chegarmos, eles estavam na área da piscina conversando animadamente sobre algo. Provavelmente o andamento do campeonato de futebol.

— Oi amor. — cumprimentei o Logan com um selinho.

Ele correspondeu e me puxou para sentar em seu colo. Tiffany e Katrina fizeram o mesmo. No nosso grupo mais seleto, estava tudo em perfeito estado. David, finalmente e por intermédio da Katrina, voltou a falar normalmente com todos nós. Inclusive com a Tiffany e o Brian. Parecia que nunca houve nenhum desentendimento entre nós. De acordo com o que a Kat nos contou, durante uma festa que teve em comemoração à classificação do time como semifinalista, ela teve uma conversa com o David depois de terem ficado. Ela disse que relembrou a ele o quanto eles dois se gostavam no passado e que o Brian apenas aceitou a relação deles, pois colocava a amizade com o David acima de qualquer coisa, inclusive o que ele ainda sentia por ela. Disse que citou também a falta de cumplicidade deles dentro do campo e que isso poderia afetar o desempenho do time nas partidas decisivas. Foi o bastante para ele refletir. E dias depois, foi o Brian quem nos contou que o David o procurou para pedir desculpas por estar sendo imaturo e desleal. Ficamos bastantes surpresas. Não esperávamos que ele fosse ceder assim tão rápido. Mas também ficamos bastante felizes, afinal, nada melhor do que voltar a ter um dos seus melhores amigos do seu lado.

E para completar a total harmonia do nosso grupo, a Kat e o David resolveram fazer um flashback mais longo do rolo que eles tiveram lá atrás, e agora, conforme as palavras dos próprios, eles estão se curtindo. Eu estava torcendo pra dar tudo certo, porque assim, todo mundo sairia feliz e ganhando.

— Mas então, como foi lá na competição das torcidas? Vocês não disseram nada sobre... — Brian perguntou.

— Foi um completo desastre. Como já tínhamos previsto. — eu respondi.

— E a Brianna surtou e bateu na Mellany. — Tiffany completou.

— O quê?? — os três perguntaram em uníssono.

— Como assim ela te bateu? — era o Logan, e um mix de confusão e revolta estava estampado no rosto dele.

— Ela me deu um tapa no rosto, porque eu joguei na cara dela que a responsável pela derrota da nossa equipe foi ela.

— Daí ela obrigou a Mel a retirar o que tinha dito, e dizer que ela era a melhor. - Kat completou.

— Eu sempre achei ela meio fraca das ideais, mas ela tá passando dos limites.

— Verdade, Davie. — Kat concordou com o David. — Uma vez eu ouvi ela falando sozinha no vestiário que tudo o que a Mellany tem, deveria ser dela. Foi sinistro.

— Ela é ridícula. — declarei com nojo.

Era isso que eu sentia pela Brianna: nojo. Um pouco de pena também, porque ela era medíocre e totalmente invejosa. Não conseguia nada do que queria nem do que achava que merecia, e quando conseguia, era na base da chantagem ou algum tipo de joguinho sujo. Isso a tornava digna de pena.

Mas pelo menos ela era boa em cumprir acordos. Era isso que ela vinha demonstrando ao longo do tempo em que vinha me chantageando. Eu só preciso fazê-la vencer como rainha do baile e meu namoro estará completamente salvo e livre de qualquer ameaça. O único problema é que eu não faço ideia de como fazer isso.

(...)

O tempo foi passando mais rápido do que esperávamos e quando vimos, já estávamos no último mês de aulas. Como o esperado, mesmo com a desclassificação na Batalha de Torcidas, o povo estava nervoso e eufórico. Pelas provas conclusivas e o resultado final, a final do Campeonato de Futebol, e o baile.

Ah, o baile... Um dos meus momentos escolares favoritos. Tem toda aquela aura de noite mágica, onde tudo pode acontecer, onde tudo é possível. A expectativa de ser convidada pelo par dos seus sonhos é encantador e aterrorizante ao mesmo tempo. Engraçado para quem tá de fora. Eu, inclusive, já destruí o sonho de muitas, porque durante anos, o meu par foi o Brian. Por ser o capitão do time, bonito e popular, ele era o número 1 das opções entre as garotas. E por isso, antes, ele era o único o qual eu achava capacitado para ir ao baile comigo. Uma baita arrogância da minha parte, eu sei. Mas a verdade é que a maioria dos caras que chegavam ao menos a me convidar, só estavam ali na esperança de que eu aceitasse e pudesse me ter como um troféu. Era algo como "eu levei Mellany Flacksman ao baile, me invejem, eu sou foda". E como o Brian era um dos meus melhores amigos e era algo meio óbvio que nós dois seríamos o rei e a rainha do baile, nós juntávamos o útil ao agradável e sempre íamos juntos. Até boatos de namoro entre nós dois já rolou por causa disso, uma vez.

Mas esse ano seria diferente. Não da parte de destruir o sonho das garotas da escola, já que isso aconteceria do mesmo jeito. Apenas não seria feito por mim, e sim pela Tiff. Já eu, iria muito bem acompanhada por alguém que antes sequer pisava os pés no baile de fim de ano. Que ironia. Mas eu estava super feliz. Justamente por esse motivo, porque eu sabia que o Logan nunca foi o maior fã dessas coisas, mas agora, por minha causa, ele está se esforçando para desgostar um pouco menos. Por mim vale a pena, foi o que ele me disse logo após me convidar para acompanhá-lo no baile. Foi um momento muito engraçado.

— Sabe, você tem tantos vestidos e sapatos bonitos... — Logan soltou do nada, enquanto saia do meu closet, no qual eu nem me recordava que ele tinha entrado.

Não entendi o motivo de ele estar dizendo aquilo, o que me fez rir. Por que raios Logan estaria reparando na beleza dos meus vestidos e sapatos?

— E daí? — perguntei divertida.

— E daí que eu estava pensando... Eles são tantos, não é? E às vezes pode acabar faltando ocasiões para que você os use.

— Como assim? — ri. — Por que você tá falando essas coisas?

— Continuando o meu raciocínio, já que seus sapatos e vestidos existem em tanta quantidade, e as ocasiões para que você os use não são tantas assim, temos que aproveitar as que aparecem. — eu não estava entendendo nada e estava achando aquilo engraçado e estranho. Jamais imaginei ver o Logan comentando sobre as minhas roupas. — Então, para te fazer um favor e a essas belas coisas que você guarda em seu enorme closet, eu pensei em te levar ao baile da escola. O que acha? — ele completou na maior despretensão.

Sorri de orelha a orelha e assenti várias e várias vezes. Ele era simplesmente inacreditável!

Ri lembrando-me do acontecido.

— O que tem de engraçado nas leis de Mendel? — Kat perguntou confusa.

Acabei pondo a cabeça no lugar e recordando que nesse momento estávamos eu, Logan, Tiff, Kat, Brian e David estudando para as provas.

— Aposto qualquer coisa que ela estava brisando e pensando em outra coisa que não tem nada haver com o que estávamos falando. — Logan disse. — Você ouviu alguma coisa do que eu disse, Mel? — ele perguntou risonho.

— Você sabe que história não é minha matéria favorita.

— Viram? — ele riu, falando com o restante do povo. Não entendi o motivo. — Estamos estudando biologia Mellany!

— Ah. — foi só o que eu disse.

Que vergonha.

— Sabe que são as últimas provas do ano, não é? E se for ruim nelas, pode repetir.

— Nem pensa nisso! — exclamei. — Agora eu vou prestar atenção de verdade.

Fiz o máximo de esforço que pude para começar a prestar atenção e depois de uma hora e alguns minutos, já podia me dar ao luxo de dizer que já entendia algo sobre as leis de Mendel. Esse era o lado bom de ter um namorado nerd: suas boas notas estão garantidas se for por questão de ter alguém pra estudar contigo e tirar suas dúvidas. Ou até, praticamente ensinar o conteúdo inteiro, já que eu também não tinha biologia como uma das minhas matérias favoritas e não vinha sendo tão aplicada nas aulas. Mas com o Logan era fácil aprender qualquer coisa se você se esforçasse, pelo menos, um pouco. Ele era paciente e por incrível que pareça, nem a burrice e desinteresse coletivos de cinco adolescentes estavam tirando sua paciência e calma na hora da explicação e da repetição da mesma, para que pudéssemos entender.

Estudamos todas as matéria da nossa grade de disciplinas. Foi complicado. Perdemos muito tempo, praticamente um dia inteiro só estudando. Nunca fizemos isso. Nunca mesmo. Mas como estamos desesperados e assombrados com a possibilidade de estar quase com os dois pés fora da escola, e depois perder nas últimas provas, não conseguir a média anual e ter que repetir o que deveria ser o último ano, resolvemos fazer um intensivo de estudos com o Logan. Pra ele isso era normal, afinal, ele fazia em todas as unidades — isso explica o boletim sempre e somente com A's e B's. Mas eu e nem os outros nunca tínhamos parados para fazer algo do tipo. Na verdade, o que nos mantinha com notas razoáveis eram a vontade de continuar praticando nossas atividades extracurriculares: a torcida e o futebol. Mas tudo bem. Agora só somos motivados pelo livramento que iremos ter.

(...)

Acordei consideravelmente tarde. A festa de ontem em comemoração ao título dos garotos, como vencedores do Campeonato de Futebol me cansou bastante. Já fazia algum tempinho que eu não frequentava festas, ainda mais festas tão animadas como aquela de ontem à noite. O jogo foi um pouco difícil, pois a Kardest não deu moleza. Mas o nosso time foi com tudo pra cima deles, e vencemos por 5x3. E como sempre foi de nosso costume, tudo acabou em festa, música e bebida. Era pra ser uma social simples, mas acabou se tornando uma tremenda festa. A pré-comemoração do título, do nosso sucesso nos resultados finais e das nossas férias até que fossemos para a universidade, já que a comemoração de verdade seria no baile. E o baile seria hoje.

Ao lembrar disso, uma sensação de nervosismo enorme tomou conta de mim. E isso poderia ser por conta de vários motivos: roupa, sapato, maquiagem, cabelo... O que normalmente era a minha preocupação habitual todos os anos. Mas dessa vez não. Infelizmente, dessa vez, o motivo do meu nervosismo era só a cumprimento do meu acordo com a Brianna. Sinceramente, eu estava pouco me lixando pra tudo isso que citei acima. Eu só estava preocupada em como eu a faria ser coroada como rainha do baile. Na verdade, eu já tinha uma solução pra esse problema: durante o tempo livre, eu repliquei vários dos papeizinhos usados na votação, e neles, escrevi o nome da Brianna. Contando com o fato de que quase ninguém votaria nela, por conta da recente derrota, tive que pegar pesado na quantidade. Foram cerca de trezentas réplicas de votos. E o plano já estava todo repassado na minha mente: durante a votação, Tiff distrairia a garota que fica supervisionando as urnas, enquanto eu subtrairia grande maioria dos votos que estivessem na minha e colocaria os votos falsos na da Brianna. Contanto que ninguém me pegasse durante esse meio tempo, era a solução perfeita. Ela ganharia, meu namoro estaria salvo, e todos sairiam felizes.

Era uma estratégia praticamente infalível, mas ainda assim eu estava nervosa pra caramba. E se desse errado? Apesar da porcentagem da possibilidade ser bastante pequena, se acontecesse, eu estaria muito ferrada.

Acabei ficando praticamente a tarde inteira enfurnada no meu closet, ponderando sobre qual combinação de roupas usar hoje à noite. Quem visse a situação de fora, acharia toda a minha indecisão uma merda e me chamaria de fútil por me preocupar demais com roupas. Mas no fundo, meu eu patricinha ainda existia. E mesmo que dessa vez eu não fosse para o baile para vencer ou ser coroada, eu tinha que ir deslumbrante. Ainda mais que seria a última vez. Definitivamente, eu sentiria saudades da escola.

Me dei ao luxo de tirar um cochilo antes de anoitecer completamente. Quando acordei, a noite já tinha caído e passavam das 19h. Corri para tomar um banho e lavei meus cabelos. Escolhi deixa-los secar naturalmente — ou quase — e fui me vestir. Modéstia a parte, meu vestido desta noite estava deslumbrante. Ele tinha gola alta e detalhes em pedras em todo o busto até parte da cintura, e depois, no restante de sua saia, ele era em um verde água liso e tinha um generosa fenda lateral, mas nada muito vulgar. Lembro-me de tê-lo comprado para ir num casamento de uma prima, mas foi tudo cancelado por conta de uma traição de seu noivo, então não tive oportunidade de usar o meu vestido. Uma pena.

Nos pés usei uma sandália prateada com algumas pedras na correia e nas tiras. Uma bolsa carteira apenas com o meu celular, batom e, claro, os papéis com as replicas dos votos. Maquiei-me com uma sombra clara e delineador nos olhos e um batom vermelho rubi nos lábios. Passei um rápido babyliss nos cabelos e fiz um semi-preso simples. Borrifei um pouco do meu perfume preferido e coloquei meus brincos de esmeralda. Estava pronta.

Me olhei no espelho e sorri. Eu estava magnífica. Um pouco nervosa, é claro. Mas nada que fosse muito perceptível. E eu estava feliz. Muito feliz, pra ser sincera. Nem parecia que hoje eu teria a primeira derrota como rainha do bale. E para uma das pessoas que eu mais detestava. Porém, eu não estava nem aí. Minha única preocupação para com a Brianna na noite de hoje, era que ela desse algum tipo de ataque histérico e tentasse estragar tudo falando ou fazendo o que não devia. Mas fora isso, era como se ela realmente não existisse. Só o fato de ir ao baile acompanhada do garoto que eu amo e saber que ele estava fazendo aquilo simplesmente e penas porque me amava também, me passava uma sensação de alegria que não estava cabendo em mim.

A noite tinha tudo pra ser perfeita. Era só seguir o meu plano e fazê-lo dar certo. Apesar de que minhas experiências com planos não eram das melhores. Prova disso é essa enrascada à qual eu estou metida agora.

Fiquei perdida em meus devaneios, até ouvir uma buzina desconhecida lá em baixo. Olhei rápido pela janela do meu quarto e quase não acreditei no que vi lá em baixo. Era uma limousine branca e ao lado dela o Logan. Ele parecia um príncipe. O que ele parece sempre, é claro. Mas com aquele smoking, ele estava simplesmente divino. Sua gravata borboleta, pelo menos daqui de cima, parecia ter o mesmo tom do meu vestido, e eu quase ri com a coincidência. Eu já tinha andando algumas vezes numa limousine, mas nunca antes com ele. Nunca tinha ido ao baile com uma. Ah, não importa nada. Apenas o fato de que tudo, mesmo os mínimos detalhes, estavam contribuindo para que a noite parecesse magica. E talvez isso esteja sendo muito brega da minha parte, mas eu não tô nem aí. Acenei e em troca recebi um sorriso. Juro que poderia ter desmaiado ali mesmo com a carinha linda que ele fez. Resolvi descer para não me atrasar.

Ao chegar lá em baixo, a primeira coisa que fiz foi abraça-lo e dar-lhe um selinho nos lábios. Em resposta, ouvi um “eu te amo” dito com ele olhando bem no fundo dos meus olhos. Valeu mais que qualquer boa noite.

Nos acomodamos no carro e fomos o caminho inteiro sem trocarmos nem uma palavra. Mas quem precisa conversar quando se tem um namorado maravilhoso para usar a boca com outras atividades?

Ao chegarmos, a entrada da escola parecia outra: tinham refletores de luz branca por toda a parte e eram a única iluminação presente. Parecia a entrada de uma casa noturna. Uma faixa escrita “Baile de Formatura” com letras garrafais e “Bem vindos à melhor festa do ano!” em baixo com letras menores, estava no lugar onde costumava ficar o nome da escola. Vasos grandes com flores diversas formavam um corredor, junto com um tapete vermelho que provavelmente se estendia até o fim do corredor.

— Uau! Nem parece o lugar que a gente entrava todo dia de manhã. — Logan comentou.

— Ás vezes eu chego a pensar que o comitê de festas faz magia negra. — eles eram muito habilidosos para conseguir embelezar a escola daquele jeito.

Perto da porta de entrada, havia um painel liso e branco, e uma garota com uma câmera perto. Presumi que fosse para fazer a foto oficial dos casais. E acertei. Eu e Logan nos posicionamos lado a lado e nos abraçamos. Olhei em seu rosto e percebi sinceridade e felicidade em seu sorriso. Ele era simplesmente lindo. E eu era muito sortuda em poder ter esse garoto ao meu lado. Nem percebi quando a foto foi tirada, apenas senti o flash em nossa direção. Provavelmente eu saí com cara de apaixonada olhando para o Logan. Então a foto deve ter ficado maravilhosa. A garota prometeu nos entregar o retrato na saída.

Caminhamos pelo longo corredor da escola e a música alta já se fazia ouvir. Ao chegarmos até a entrada do ginásio, constatei que o tapete vermelho se estendia até ali. Empurramos a porta para adentrarmos o local da festa, e demos de cara com uma decoração maravilhosa.

As arquibancadas tinham sido retiradas, e nos locais os quais as mesmas costumavam ficar, havia mesas. Várias delas. As paredes estavam com uma espécie de cortina branca as cobrindo do teto até o chão e à frente delas, também havia refletores, porém menores que os da entrada e variando da cor roxa para a branca. Passando o olho pelo salão inteiro, percebi que formavam uma espécie de contorno da pista de dança, que por sinal era enorme. Havia um globo pendurado bem no centro. Também tinha um palco montado ao fundo com os instrumentos da banda que tocaria esta noite. Numa lateral dele tinha o bar, e na outra, estava a bancada de votação. Ao vê-la me lembrei do meu principal objetivo da noite e a ansiedade me atingiu. Mas tentei manter a expressão de calma e fingir que nada estava acontecendo.

Caminhamos mais um pouco pelo ginásio, até que avistamos a mesa onde estavam Tiffany, Brian, Katrina e David. Fomos até lá. Cumprimentamos a todos, e começamos a conversar amenidades como sempre. A festa estava bem morna, porque o pessoal deixava para se soltar mais e ficar louco depois do anuncio de rei e rainha do baile, quando a maioria do corpo docente da escola se retira. Aliás, eu não via a hora de me livrar desse peso.

— Meninos, porque vocês não fingem serem cavalheiros e vão buscar umas bebidas para a gente? — pedi. Na verdade, só estava com a intenção de que eles saíssem da mesa mesmo.

Apesar de relutarem um pouco, concordaram, e então os três se levantaram e foram em direção ao bar.

— Vocês estão preparadas? — perguntei, me referindo ao meu plano de sabotagem.

— Aham! Eu fico aqui distraindo eles, enquanto a Tiffany distrai a garota da urna, e você pões os votos falsos na Brianna e retira os seus votos. — Kat repassou toda a nossa estratégia.

— Isso! — exclamei. Não tinha como dar errado, era só fazermos tudo com discrição.

Os garotos voltaram, bebemos, e continuamos conversando. Percebi que o fluxo na bancada da votação estava bem fraco, então decidi que essa era a hora exata para por meu plano em pratica.

— Tiff, vamos ali cumprimentar a Ellen. — chamei-a. Essa Ellen nem existia. Foi o primeiro nome que me veio à cabeça e essa era a desculpa que tínhamos combinado que usaríamos.

— Claro! Quanto tempo a gente não se fala, não é? — minha amiga concordou. A essa altura do campeonato, a Kat já tinha percebido o que eu estava tentando fazer, então provavelmente já estava bolando alguma maneira de deixar os garotos entretidos.

Nós duas nos levantamos e fomos, discretamente, em direção à bancada de votação. Chegando lá, só tinham duas garotas na fila, então esperamos um pouco batendo um papo sobre as cores dos nossos esmaltes, e assim que elas saíram, a Tiff engatou uma outra conversa com a garota das urnas enquanto nós votávamos. Eu escrevi meu nome numa das fichas, enquanto a Tiff fingia escrever e continuava puxando papo com a garota. Estavam falando sobre a cor estranha dos vestidos de duas garotas na mesa próxima dali. Ela parecia bem distraída.

Para evitar desconfianças, derrubei, intencionalmente, mas como se fosse sem querer, as urnas com o nome da Brianna e com o meu do outro lado da mesa.

— Nossa! Como eu sou desastrada! — falei para o nada, já que acho que ninguém escutou.

Arrodeei e abaixei-me. Por conta da única iluminação que tinha ali vir do palco, a parte traseira da bancada estava meio escura, então aproveitei. A minha urna já tinha uma quantidade considerável de votos, então tirei a maioria deles, e as coloquei na minha bolsa, aproveitando para tirar os votos falsos da Brianna e coloca-los na urna dela. Lacrei a minha, e depois coloquei todas as duas em cima da mesa, como se nada tivesse acontecido. Votei, oficialmente, na Brianna e ao acabar, chamei a Tiff e saímos de lá na maior naturalidade.

— Como foi com a Ellen, meninas? — a Kat perguntou. Ela queria saber se tinha dado certo.

— Ah, ela está ótima! — pisquei para ela, e ela entendeu o recado.

Respirei fundo ao sentar. Tudo tinha saído exatamente do jeito que eu queria, e agora eu já podia ficar tranquila. Estava feito. A Brianna sairia feliz, e eu também. Finalmente tinha me livrado dessa pilantra.

— Ansiosa para o anuncio, amor? — Logan perguntou enquanto me fazia um carinho nos cabelos.

Eu estava com a cabeça deitada em seu ombro e agora o assunto entre nós tinha acabado.

— Não muito. Eu já sei o que vai acontecer mesmo.

— Na real, todo mundo já sabe! — ele riu de leve.

Ri também. Seria meio que engraçado ver a cara de espanto de todos quando a grande vencedora da noite fosse a Brianna.

— Você é, de longe, a garota mais linda e magnífica dessa festa. E as pessoas gostam mais de você do que das outras duas. — ele continuou. As outras duas eram a Brianna e Dakota alguma coisa, uma garota do segundo ano que eu pouco me recordava.

— Ei! — Tiffany protestou indignada depois do ouvir o que o Logan disse.

Nós rimos. E continuamos a beber e tentar achar algum assunto para conversar. Na pista de dança já tinham alguns animadinhos. A maioria eram garotos que já estavam mais para lá do que para cá e provavelmente suas acompanhantes. Eu estava tentada a ir para lá também, afinal, a banda estava tocando umas músicas super legais e eu já estava cansada de toda essa monotonia de ficar sentada aqui na mesa. Mas mesmo que fosse pra perder, eu tinha que perder com dignidade. E eu garanto que se fosse dançar agora, na hora da revelação de quem seria a vencedora do posto de rainha, eu estaria no lixo. Então me contive.

O tédio foi tanto que chegamos até a falar sobre arroz. E quando a conversa estava prestes a atingir o fundo do poço — os meninos iriam engatar uma animada conversa sobre molho shoyu —, a diretora subiu ao palco com dois envelopes na mão e pediu atenção.

— Finalmente! — eu comemorei baixinho.

Todos se levantaram e se dirigiram para a pista de dança. Era agora.

— Bom, caros e queridos alunos. Acredito que estejam todos ansiosos pelo anúncio de quem serão o rei e rainha do baile, não é mesmo? — ela perguntou retoricamente. — Bom, talvez nem tanto. Afinal, o resultado é um pouco previsível, como em todos os outros anos. — ri baixinho. Por incrível que pareça, eu estava bem tranquila. Claro, uma parte de mim, mesmo que pequena, ainda gostaria de ouvir meu nome e poder subir lá naquele palco. Afinal, velhos costumes nunca morrem, não é?! Apesar de isso ser uma coisa totalmente fútil, se você for analisar bem. Mas eu estava feliz em perder, se isso significasse ganhar tranquilidade no meu namoro. Tendo o Logan como prêmio de consolação, eu não preciso de mais nada. — Mas neste ano, por pouco, quase que o resultado seria algo surpreendente. Por pouco não, por causa de uma tentativa de sabotagem para ser mais exata. O fato é que, haviam votos falsos na urna da candidata Brianna Morgan. Mas como sempre, nosso comitê de festas foi competente e para evitar transtornos, usaram fichas de votação com selos oficiais atrás, impedindo assim que o resultado fosse injusto ou viesse por meio de trapaça. — nem tive tempo de ficar aterrorizada ou me punir por não ter pensando nisso, pois ela foi logo completando: — Bom, sem mais delongas, o rei e a rainha do baile são, como a maioria já esperava, Brian Harrington e Mellany Flacksman!

Eu estava ferrada.



Notas finais do capítulo

Desculpem - ou me amem - pelo capítulo enorme e meio que entrecortado. Mas é que se eu fosse dividir e fazer um por um, ia ficar uma coisa muito sem emoção, e como eu não sou a maior fã de coisas sem graças - a não ser que seja o meu irmão - eu resolvi fazer tudo num só *-*

Digam o que acharam nos reviews e até o próximo, com muitas emoções ♥