Amor Sem Fronteiras escrita por Julia Carvalho, Ana Tiemi


Capítulo 6
Capítulo 6 "A Despedida"


Notas iniciais do capítulo

Desculpem pelo tempããão que demoramos para postar, mas estamos com pouquissimos leitores portanto falta incentivo, mas por causa dos nossos queridos leitores que comentam a fic, decidimos continuar a escrever e não vamos desistir apenas por causa de vocês!
Esse capítulo é bem dramático e cheio de emoções, com foco nos dois casais.



Artur não foi atrás dela. Percebeu que não poderia pedir a Helena que decidisse seu próprio futuro. Achou melhor deixá-la sozinha. Voltou para casa a passos lentos, tentando escolher o melhor a fazer. Pensei que ela ia me pedir para ficar... tudo indicava que os sentimentos dela em relação a mim eram diferentes, mas agora vejo que na verdade ela nunca me viu como mais do que um amigo. Como pude me enganar assim? Sempre consegui perceber exatamente quando alguém estava a fim de mim...

Quando chegou em casa, Guilherme veio lhe contar que ele e Laura tinham decidido ir a um parque de diversões naquela noite, para poderem conversar. Artur tentou fingir para o amigo que ficara muito contente com a notícia, mas não teve muito sucesso. Guilherme tentou perguntar o que havia acontecido, mas Artur nem sequer reparou que o amigo havia lhe chamado e subiu as escadas. Aproveitou para fazer os preparativos da viagem de volta à sua cidade.

Não vou mais tocar nesse assunto com Helena. Vou tratá-la como sempre, como um bom amigo. Tenho que me concentrar na viagem agora, tem muitas pessoas lá que precisam da minha ajuda. Isso é muito mais importante. Ele ouviu quando Helena chegou da aula. Ele desceu as escadas e a cumprimentou como se nada tivesse acontecido, e ela fez o mesmo. Eles não voltariam a conversar antes que ele fosse embora.

Laura e Guilherme estavam se arrumando para sair, o que era sempre um escarcéu pela casa. Todos acabavam tendo que participar. Laura ficava o tempo todo pedindo conselhos de vestimenta para Helena, e ela não estava conseguindo pensar. Sugeriu que a irmã vestisse uma blusa verde-água, que combinava com seu cabelo vermelho.

A dica foi certeira. Quando Guilherme viu a moça, não conseguiu disfarçar seu encantamento. Tudo o que conseguiu dizer foi:

– V-v-você está linda... – e abriu a porta para ela, que passou com um sorriso enorme.

A noite estava fresca, com uma leve brisa. Era possível ver as estrelas brilhando. Eles decidiram caminhar até o parque, para aproveitar aquela noite amena. Durante os minutos iniciais, nenhum dos dois conseguiu falar muito. Nem pareciam eles mesmos, e nem que se conheciam há mais de vinte anos. Foi Laura quem começou um assunto.

– Está ansioso para viajar amanhã para sua cidade? E depois, para outro país? Quantas horas vocês vão ficar dentro do avião?

– Estou um pouco... não lembro quanto tempo a viagem dura, depois tenho que perguntar para o Artur, ele que sempre lembra dessas coisas...

– Hm, sei, acho que você não vai sentir muita falta daqui mesmo né...

– Olha, do lugar eu não vou sentir falta nenhuma mesmo, só de algumas pessoas.. – falou, piscando para a moça, que começou a rir.

– Não tem como ficar triste com você. Mas não sei como vou aguentar, vou morrer de saudade! Acho que vou passar o dia todo chorando, ninguém lá em casa vai me suportar. E você não tem data certa para voltar... Como vou fazer para viver normalmente até lá? – exclamou Laura, exagerando seus sentimentos como sempre.

– Não vai morrer não... você vai ficar com saudade, e daí quando eu voltar você vai gostar mais ainda de mim. – respondeu Guilherme, brincando. Mas viu que Laura estava falando sério. Decidiu falar a verdade para ela. Puxou a moça para se sentarem em um banco próximo. Estavam em uma praça cheia de árvores e um belíssimo lago à sua frente. A água escura refletia a luz da lua, que iluminava o casal. Guilherme pegou a mão de Laura, e suas mãos estavam frias, quase trêmulas. Ele quis confortá-la.

– Eu tenho que ir. Não posso desistir agora... Mas saiba que eu vou voltar, e será mais rápido do que você pensa. Só peço que você entenda que tenho que cumprir meu compromisso, e não desista de me esperar...

Ele viu que os olhos da moça se encheram de lágrimas, mas ela estava sorrindo.

– É claro que eu vou te esperar! Não pense que você vai escapar de mim... – falou com sua risada característica.

Eles continuaram sua caminhada até o parque. O passeio foi muito divertido, ótimo. Tentaram não pensar no dia seguinte, mas ele chegou. Os rapazes se levantaram cedo, e tentaram não fazer barulho para acordar os outros. Mas antes que eles fossem, as garotas levantaram para se despedir. Prometeram que iriam ao aeroporto em três dias.

Tudo correu como planejado. Três dias depois eles todos se encontraram no aeroporto. Ninguém conseguiu disfarçar a tristeza. Guilherme e Laura se retiraram para conversar a sós. Ele prometeu que lhe escreveria sempre que possível e que não deixaria de pensar nela um dia sequer. Ela não pode conter as lágrimas, mas se esqueceu de tudo quando o rapaz a beijou.

Artur e Helena não conversaram muito. Ele tentava tratá-la como sempre e ela agia como se não percebesse nada de estranho.

– Espero que lá não seja muito quente...

– Acho que você vai se adaptar fácil com o lugar. – a moça respondeu, tentando parecer indiferente. Ficaram em silêncio um tempo, quando Artur falou.

– Vou te escrever sempre que puder, como prometi.

– Sim, estou curiosa para saber como é o país e como vão ser suas aventuras.

– Tente me escrever de volta. Não quero que fiquemos distantes novamente. – e abraçou a moça, que retribuiu o abraço.

Chegou a hora de irem. Guilherme chamou o amigo e se despediu de Helena. Artur se despediu de Laura e lhe deu os parabéns. Os dois rapazes começaram a andar em direção ao portão de embarque, e as moças também se voltaram para ir embora. Helena começou a sentir aquele mesmo frio no estômago que às vezes lhe acometia, bem como uma leve pontada de arrependimento pelo que falara para Artur. Ela queria gritar com todas as forças: “Fique!” Sentiu os olhos se encherem de lágrimas, parou e olhou para trás. Tudo o que conseguia pensar era se Artur também olharia.

Mas não. Guilherme acenava para se despedir de Laura, porém Artur continuava em seu caminho, parecendo mais decidido do que nunca. 



Notas finais do capítulo

Essa na foto é a Laura, no próximo capítulo postaremos uma da Helena. Por favor comentem!