Childhood escrita por NocturnalVacant


Capítulo 1
Capítulo único


Notas iniciais do capítulo

Haha, eu já havia desistido desse concurso quando caí no sono e acabei sonhando com esses dois. Quando acordei, BAM, lá estava a história pronta para ser escrita. Não que eu tenha esperanças de ganhar, mas é sempre bom participar.



Sentados em pólos opostos da cama de solteiro, as duas crianças mantinham a mesma posição, refletindo a expressão indecifrável um do outro. No relógio em formato de corvo sobre a cômoda já havia decorrido 15 minutos desde que aquela situação se iniciara. Por que havia um relógio de corvo no quarto de uma criança de doze anos? Pelo mesmo motivo que diversas pessoas ao redor do mundo idolatram cães, cavalos e até mesmo Box jellyfishes: Itachi simplesmente gostava deles.

Por fim o moreno soltou um suspiro exasperado, apoiando a cabeça sobre a palma da mão esquerda. Ele era uma pessoa madura (mesmo que sua voz desafinasse às vezes), um homem feito (ainda que nem tivesse barba) e não podia ser visto por aí brincando com outras crianças (ou era o que achava desde que seus hormônios começaram a dar sinal de vida).

Ele não tinha obrigação nenhuma de ser babá de uma menina qualquer, embora, na visão de Mikoto, Itachi ainda era o bebezinho da mamãe e poderia muito bem brincar com a coleguinha do irmão enquanto ele estava na escolinha de futebol (e, mesmo sendo muito adulto, Itachi não era homem o suficiente para desobedecer à própria mãe).

— Qual a graça? — a pergunta saiu dos lábios masculinos quando um tímido sorriso arrancou-o de seus devaneios.

— Você perdeu. Você desviou o olhar, então perdeu. — a menina respondeu, ainda sorridente.

Em resposta o moreno apenas franziu o cenho, não se lembrava quando aquilo havia se tornado um jogo. Considerando a situação muito “infantil”, ele apenas desviou os olhos negros em desagrado, pousando-os novamente sobre o relógio — os ponteiros mal haviam saído do lugar.

— Nee, Itachi-san, do que vamos brincar agora?

O mais velho bufou, removendo alguns fios rebeldes que insistiam em limitar sua visão. Ele não queria jogar (pois o termo “brincar” estava fora de questão) com uma criança com metade da sua idade, mas aqueles grandes olhos perolados continuaram fixos em seu rosto. “Mulheres são todas iguais” — ele se lembrou de algo que um garoto mais velho disse certa vez — “e você, meu amigo, tem uma grande vantagem com o público feminino”.

“Certo, vamos testar essa teoria” — ele pensou consigo mesmo.

O garoto atravessou a distância entre os dois, aproximando-se da criança de fios índigo e unindo os lábios infantis aos seus. Através dos olhos semicerrados ele continuou a observar o rosto da pequena Hyuuga e o leve rubor que tomou seu rosto durante os minutos que se passaram. Vários parágrafos melosos e desnecessários poderiam ser usados para descrever esse momento especial entre os dois... Se não tivesse sido um completo desastre.

— Hey, pirralha — o moreno afastou-se, pousando a mão com força desnecessária sobre a cabeça da mais nova — Se não vai fechar os olhos ou abrir a boca, não é essa a hora de gritar ou sair correndo?

— Eu deveria? Faz parte da brincadeira? — Hinata limpou os lábios rosados com a manga do vestido — Itachi-san, isso foi nojento!

Qualquer garoto normal na mesma situação teria se sentido humilhado ou ofendido. Talvez o herdeiro Uchiha também devesse ter se sentido desse modo, mas diferente de outros garotos, ele apenas riu. Riu até começar a doer sua barriga e sair lágrimas de seus olhos, riu como não fazia desde que decidira se tornar uma pessoa “séria”, sem se importar com o olhar confuso da menina a sua frente.

Hinata era apenas uma criança e pela primeira vez o moreno percebeu que gostava de ser criança também. Ele gostava de conversar com os rapazes do ensino médio, sempre aprendia algo com eles, mas admitia que andar com os meninos de sua série era ainda mais divertido. Ser campeão invicto dos torneios de bolinha de gude parecia mais interessante que as toneladas de cartas que recebia das outras meninas. Após acalmar-se e recuperar o fôlego, olhou mais uma vez para o relógio — ainda tinham tempo antes de Sasuke chegar do treino.

— Hey, quer brincar de pega-pega? — Hinata apenas respondeu com um aceno de cabeça e olhos esperançosos — Certo... Você começa! — O moreno cutucou levemente a testa da menor, correndo logo depois, sendo seguido pela garota de olhos perolados. Apesar de tudo ele não precisava se apressar, pois tinha todo o tempo pela frente.

Childhood
By Kelen Yoru
06/06/2013