Westover Hall escrita por Fe Valdez


Capítulo 19
Coisas que PRECISAMOS fazer até o você-sabe-o-quê


Notas iniciais do capítulo

Desculpem meeesmo a demora / e tbm por assustarem vcs UHSAUHS trollei vcs, leiam ai o começo do cap

ok, aqui no Nyah é onde mais fico feliz ao ler algo, tipo a recomendação da Juh McLean!!!!
MUUUUUITO OBRIGADA LINDEUSA DO MEU CORAÇÃO E DA FOTO TOOOOP o/ AMEI sua recomendação *0* ♥



Senti de novo aquela pontada no peito, ao mesmo tempo que curvava um pouco os ombros, completamente boquiaberta e sem nem lembrar de como se falava.
– Hum... Hã ga - foi o que consegui dizer primeiramente - U... UTI? - perguntei com uma voz meio esganiçada.
Thalia começou a sorrir, o que eu achei totalmente fora do contexto, e começou a dizer:
– Desculpe, eu estou...
Então um travesseiro acerta sua cara e Jason simplesmente aparece atrás dela.
– Thalia está exagerando - ele revirou os olhos - eu só esdou gribado - ele disse com voz que pessoa gripada tem.
Thalia riu um pouco e se virou para ele:
– Você disse que ia acabar parando na UTI
– Era um eufemismo, gribe ingoboda bacas. (N/A tradução: "incomoda pacas")
Eu só fiquei olhando para ele indecisa se suspirava aliviada, ou se batia na Thalia ou se estava com raiva dele. Percebi que a presença dos 3 sentimentos era tão forte que resolvi abandonar ambos.
– Deixa eu sair daqui antes que a Piper me mate - Thalia disse e saiu correndo.
Ela foi embora e esqueceu de levar o silencio constrangedor.
Balancei o corpo para frente e para trás nas pontas do pés e resolvi falar:
– Hum... Você deve estar se perguntando por que estou aqui, depois que te disse adeus ontem.
– Dão - Jason falou com aquela voz - só esdou be sentindo feliz por poder te ver de novo.
– Jason, não me arrependo de muita coisa que falei, mas largo tudo para trás pra poder estar com você de novo. Posso não estar preparada para te perder no final dessa semana, mas estou muito menos preparada para te perder agora - encolhi os ombros meio envergonhada e me encostei na batente da porta - Me desculpe, por ter dito coisas... que nunca senti de verdade.
Parei de falar e fiquei sem graça, olhando para o lado, para uma manchinha preta na porta, sem encarar Jason, esperando ele absorver minhas palavras.
– Eu disse coisas também que realmente dão queria, princibalmente sobre terminar com você - ele mordeu o lábio - mas o que fez você...?
– Tive um sonho com vovô Tom - expliquei rapidamente à Jason fazendo aquele gesto de banalidade que ele sempre faz.
– Ah certo - Jason assentiu entendendo.
– Mais uma coisa que quero deixar claro... mesmo tendo dito, nem por um momento me arrependi de ter me apaixonado por você ok?
– Eu te amo Piper - Jason disse por fim avançando até mim e me beijando.
***
Estávamos eu e Jason sentados em banquinhos na escrivaninha de Percy, que é mais legal que a de Jason. Ele estava segurando uma caneta e tinha uma folha de papel em branco na sua frente. Nós dois nos inclinamos sobre a folha e Jason escreveu o título e sublinhou:
"Coisas que PRECISAMOS fazer até o você-sabe-o-quê"
– Agora você vai apelidar sua partida como o Voldermort? - eu ri.
– Em HP falavam você-sabe-quem por causa de sua crueldade e por causa do medo... isso é tão cruel e medonho quanto - Jason fechou o punho fazendo uma cara dramática.
Eu o olhei balançando a cabeça incrédula e tirei a caneta de suas mãos.
– Sua letra é horrível - eu disse o afastando de lado a cutuveladas.
Então sem pensar muito comecei a escrever:
1 - Visitar novamente o Flip-Flip
2-
Me virei para Jason pedindo ajuda, mas ele verificava minha letra.
– Ooooh perdoe-me por minha letra, rainha da caligrafia - Jason fez uma reverencia para mim levantando e abaixando os braços.
Revirei os olhos.
– Cala boca Jason, já não bastava Leo.
– Escreve ai: Muitos beijos - ele disse com um sorriso torto me cortando.
– Mas isso já é óbvio - sorri abertamente para ele me inclinando em sua direção.
E maaais uma vez quando eu já estava perto o suficiente de Jason, prestes a o beijar ainda sorrindo, uma pessoa abre a porta com tudo. Adivinha quem é? Leo é claro.
– EEEEI JASON! Corre lá para a ala oeste do campus! Cory Thompson e o Erick estão brigando feio, ta todo o colégio lá - Leo pulou animado para dentro do quarto e então percebeu minha presença.
Ele olhou por um momento para nós depois abriu de novo seu sorriso.
– Oi rainha da beleza!
– Viu? Falando da mania da assombração, as duas coisas aparecem - murmurei.
Jason se levantou e expulsou Leo do quarto a pontapés, depois voltou ao seu lugar.
Não sei quanto tempo levou para terminarmos a lista, o tempo a tarde estava bom, mesmo com o frio do inverno, a luz do sol entrava pela janela e deixava nossa mesa luminosa. A tarde parecia tão calma e nós dois ficavamos ali rindo e escrevendo na folha.
Escrevemos a frente e parte do verso do papel
Eis uma parte de nossa lista:
1- Visitar novamente o Flip-Flip
2- Muitos beijos
3- Pregar uma peça no treinador Hedge
4- Faltar alguma aula para fazer qualquer coisa
5- Piqueniqueee
6- Fazer aquela receita que achamos na tv
7- Vasculhar todo o internato a noite
8- Pregar peça contra os irmãos Stoll como vingança
9- Bater na Thalia
10- Mais beijos
11- E também "amassos" é claro (esse foi Jason roubando minha caneta)
12- Fugir da escola para ir no cinema
13- Levar advertência
14- Fugir por alguma besteira que fizermos
15- Ver como o Erick ficou, porque certamente ele que apanhou.
Assim numeramos nossa lista até aproximadamente o 56. As vezes Jason roubava a caneta de mim para acrescentar algo, então quando acabou a caneta estava com ele.
Jason olhou para a folha a analisando, depois olhou para mim e ficou vermelhinho, desviando o rosto rápido.
– O que foi? - perguntei para ele sorrindo por causa de seu rosto corado.
– Nada - ele disse indiferente tentando disfarçar.
– Fale, Jason - eu continuei, sabia que ele queria dizer algo.
– Bem... eu só estava aqui pensando que talvez, hãm... - Jason continuou me olhando - para fechar a lista, pudessemos acrescentar algo a mais para se fazer na última noite.
Ele levantou a sobrancelha de uma maneira sutil, mas que eu compreendi na mesma hora do que ele estava falando.
Soltei um "Ah" com um ar constrangido que pairou no ar e ambos olhamos distraídos para qualquer ponto aleatório do quarto, Jason pigarreou.
– Não sei se seria, hãm, não sei se seria certo - murmurei.
– Tudo bem, te respeito - Jason falou normal, pousando a caneta na mesa - Terminamos a lista no 56, agora é só colocar em ação - ele sorriu.
Sorri de volta e levantei meus dois polegares para ele.
O clima constrangedor acabou tão rápido como começou, então Jason só dobrou o papel, colocando-o no bolso, nos levantamos espreguiçando, pegamos nossos casacos e saímos do quarto, para aproveitar todo o resto da nossa tarde.