Coletânea Harry X Draco escrita por Kaline Bogard


Capítulo 20
Inesperado


Notas iniciais do capítulo

Título: Inesperado
Autor: Kaline Bogard
Bebida escolhida: Manhattan
Bônus escolhido: Beijo no escuro. Meio que na penumbra na verdade.



Maravilha.

Draco Malfoy se perguntava como tinha ido parar naquela situação...

Há minutos atrás estava junto com os outros colegas da empresa, comemorando a chegada das férias coletivas. No outro todos tinham sumido para algum canto e ele estava sozinho com Harry Potter, o idiota do departamento de Marketing.

O bar estava prestes a fechar e Potter desmaiando de bêbado sobre a mesa não parecia em condições de ir embora sozinho.

– Onde estão seus amiguinhos do Departamento Pessoal e do setor de Relações Públicas? – perguntou referindo-se a Granger e a Weasley. – Ah, claro. Devem estar se pegando em algum lugar.

Draco coçou a cabeça. Não podia deixar o outro tão embriagado sozinho. Não tinha opção: ia ajudá-lo a chegar na rua e chamar um táxi.

– Vamos lá, Potter. Hora de ir embora.

– Nããããão quero.

– Quer sim.

Impaciente ajudou o moreno a ficar em pé. O maldito apoiou todo o peso do seu corpo sobre o loiro e Draco não era nenhum Az do esporte: quase foram ao chão.

– Potter, colabora!

Com sacrifício chegaram a rua. Malfoy tinha esperança que algum táxi passasse àquela hora da madrugada. Não passou. Desanimado olhou em volta, se tivesse algum papelão por ali podia deixar Potter acomodado na rua, pelo menos ele ficaria aquecido e... ok, fora de questão. Não era tão sacana assim.

– Merda.

A única solução era levá-lo pra casa. Sabia que ele não tinha carro, que viera de carona com Granger e Weasley.

Praticamente arrastando o colega desceu pela porta lateral da boate e seguiu para o estacionamento do Pub, que era dividido com outras casas comerciais dos arredores.

Estava deserto e escuro por conta de duas lâmpadas queimadas. Seu carro era o único que ainda sobrara. O silêncio absoluto lhe deu arrepios. Por um segundo ficou feliz que Potter estivesse ali com ele. O alívio logo passou: bêbado daquele jeito seria inútil em caso de assalto.

Desligou o alarme e teve um trabalho desgraçado para acomodar o moreno no banco do carona.

– Porra, colabora aí, Potter – já estava sem fôlego e descabelado. Teve que debruçar-se sobre ele para prender o cinto de segurança. Assim que fechou a trava e endireitou-se, sentiu dois braços fortes passarem por seu pescoço e o puxarem para baixo.

– Fofo – a voz bêbada de Harry soou um tanto gentil demais antes que os lábios dele dominassem os de Malfoy. A correspondência foi automática. Draco se deixou levar pela sensação forte que o acometeu.

Quando se separaram o coração do loiro estava disparado.

Meio sem jeito deu a volta e sentou-se ao volante.

Ninguém precisava saber daquele beijo. Talvez nem Potter, que estava bêbado demais pra se lembrar de algo.

Ninguém precisava saber, tampouco, que ele tinha gostado.

Gostado muito na verdade.

Fim.



Notas finais do capítulo

Feito para o projeto "Confessions on a dance floor" do Forum 6V