Coletânea Harry X Draco escrita por Kaline Bogard


Capítulo 13
Pegadinha


Notas iniciais do capítulo

Título: Pegadinha
Autor: Kaline Bogard
Bebida escolhida: Sake
Bônus escolhido: Declarar seu amor



– Eu não posso acreditar!

Ronald olhou de um lado para o outro pra ter certeza que tudo estava saindo como o planejado. Estava.

– Esses caras são muito fracos para tomar sake! – o ruivo comentou com seu parceiro de pegadinha.

O moreno observou os três colegas de trabalho da firma. Goyle, Crabble e Malfoy. Os caras que infernizavam a vida dos outros funcionários e dos pobres estagiários. Ali estavam eles, quase caindo de tão bêbados. A empresa estava dando uma festa para comemorar os altos lucros da temporada.

Entre as bebidas estava o exótico sake japonês, mais fraco que o chinês, mas que fazia um senhor estrago.

Bastou desafiar os três idiotas pra que caíssem como patinhos na provocação: embebedá-los e levá-los para a sala das máquinas de xérox.

Harry olhou para Malfoy. O bastardo não lembrava nem de longe o filhinho de papai que pegava no pé de todo mundo. Os cabelos platinados caiam em desalinho pelo rosto fino, a gravata fora desafroxada e ele balançava mais que os outros, como se embalado pelo vento.

O plano era pegar o uniforme do pessoal da limpeza, vestir nos três e levá-los para desfilar entre os outros funcionários que permaneciam no salão principal sem saber da pegadinha.

Uma vingancinha pelas maldades que os três aprontavam.

– Vamos logo, Harry. Antes que um deles desmaie de tão bêbado. Ou vomite nos nossos sapatos. – Ron completou fazendo uma careta.

Potter riu e olhou para Draco Malfoy. Ia começar com ele, o pior na sua opinião... deu dois passos com o uniforme nas mãos, mas o loiro abriu aquele sorriso que apenas bêbados conseguem exibir e dependurou-se no pescoço de Harry:

– Ei! – Ron exclamou.

– Malfoy... – o moreno segurou na cintura do colega pra evitar que ele deslizasse pro chão.

– Ei, Pottyn... – Draco sussurrou em seu ouvido, causando um estranho e delicioso arrepio – Finalmente me noutou...?

– Que? – Harry ficou confuso.

– Tou a fim de você, idiotha. Nã-o noto ain-n-da...? – apesar de enrolada a voz não deixava de ter algo de sedução. – Nã-o sabii-a mais oque fazer parra chamar sua aten-en-çã-o.

– O que que ele ta resmungando aí? – Ron perguntou querendo ouvir também.

– Nada! – Harry respondeu surpreso demais para reagir diferente. A vontade de aprontar com o loiro sumiu por completo. Só ficou o desejo de esclarecer aquilo quando ele estivesse sóbrio. Ah, ia colocar tudo em pratos limpos. – Cuida desses dois aí, Ron. Eu dou um jeito no Malfoy.

O ruivo concordou com um aceno de cabeça, sem reclamar quando Harry puxou o loiro consigo pra fora da sala. Aprontar com os dois "capangas" já seria divertido. Ele tinha um pequeno estojo de maquiagem no bolso. Pegara emprestado da namorada...

E Harry resolveu levar Draco em segurança pra casa. Ele estava bêbado demais pra dirigir, parte daquele porre era sua culpa. Depois daquela declaração sentiu-se estranhamente culpado e responsável pelo loiro.

E no dia seguinte, quando o efeito do sake passasse, ia arrancar toda a verdade sobre aquela declaração regada a álcool.

Fim.



Notas finais do capítulo

Feito para o projeto "Confessions on a dance floor" do Forum 6V