Meu Príncipe Às Avessas escrita por Puella


Capítulo 9
Capítulo 9 - Um dia atípico (parte 2)


Notas iniciais do capítulo

Oi meus amados e amadas (se bem são todas leitoras mulheres, mas vai que tem um homi por aí kkkk) mais um capítulo a lá dia dos namorados atrasado. Fiz algumas mudanças na ideia original da história
Espero que gostem dele....

Uma coisa que eu posso adiantar é que a partir de agora a história vai contar com três narradores!
a Sigyn
euzinha (obviamente, afinal funciono como uma especie de deus onisciente nessa história)
O terceiro, bem vocês vão sacar quando lerem....

Boa leitura





De onde veio isto?

Até certo tempo atrás eu nunca tinha parecido me importar. Até então, nada havia acontecido. Até pouco tempo... Este estranho sentimento sequer existia dentro de mim. Tal sentimento inquieto que me incomoda e me tira para longe da minha “zona de conforto”.

Sinto-me surpreso, nunca imaginei que esse sentimento pudesse existir dentro de mim. Isso até conhecer você. Por que será que me importo tanto? Por que será que me sinto tão atraído? Cada momento que me sinto mais atraído por você mais eu sinto que me torno outra pessoa.

Será algo bom?

Será algo ruim?

Ou é algo que não deveria acontecer...


Oslo, depois do meio dia.

– Posso saber para onde você está me levando? – Sigyn deu uma freada com o corpo fazendo com que seu chefe recuasse um pouco para trás.

Loki virou para ela que o encara com o cenho franzido.

– Eu queria entender o que está acontecendo aqui? – falou a garota, confusa – Primeiro você almoça comigo em um restaurante a quilo, e depois subitamente me leva pelo braço dizendo que vamos passear – a jovem dá uma rápida pausa e continua – Loki, você está bem?

Ele a fitou como uma criança inocente que acaba de se decepcionar com alguma coisa (http://media.tumblr.com/tumblr_md8pusqqCY1rpaaug.gif).

– Você não quer passear comigo? – ele perguntou para a jovem.

– Hã? – a garota o olhou, incrédula – Isso é algum tipo de piada?

– Não – ele respondeu com ar sério.

– Então por que isso de repente? – ela perguntou.

Loki virou o rosto para o lado.

– É tão difícil responder a minha pergunta? – Sigyn falou com um meio riso.

– Como você é impertinente Srta. Narvik!

A jovem riu chamando a atenção do jovem executivo.

– Você quer espairecer um pouco, está irritado e não quer voltar para a empresa, não é?

Loki corou levemente e Sigyn não pode deixar de notar e ao mesmo tempo, se sentir satisfeita por perceber que de certa forma mexia com ele.

– E quer que eu fique com você não é? – ela falou sorrindo.

Loki soltou um pigarro.

– Não precisa me acompanhar se não quiser – ele disse evitando encará-la.

– Quem disse? – Sigyn falou divertida – Eu já tinha adiantada verias coisas por hoje, é claro que eu quero!

Ela se enlaçou no braço dele.

– O que estamos esperando hein? – ela falou por fim, um pouco corada.

Os dois tornaram a andar Sigyn não percebia mais Loki a fitava de esguelha, notando a forma como o vento frio do outono brincava sutilmente com os fios loiros do rabo de cavalo dela.

Não sei dizer exatamente o que estou fazendo, não sei no que minhas ações estão se desencadeando ou em como vão resultar, só sei que a culpa é toda sua.

Minha mente antes tão racional agora se encontra entretida com desejo de estar em sua companhia. Isso é ridículo. Sinto-me um tolo, logo eu que tenho sempre controle de tudo em minhas mãos me vejo assim. E quando digo que não quero a frase fica do lado do avesso. Totalmente desajustado, totalmente irracional, totalmente instintivo, curioso por saber o que você pensa sobre mim. Se pensa sobre mim. Quem de nós controla isso? Eu não sei perto de você eu mudo completamente, como alguém que anseia por algo a mais.

Se antes eu era um homem que tinha a solidão como amante, agora esta parece não me satisfazer mais.


Loki e eu ficamos por horas passeando por vários pontos da cidade entre a estação central e palácio do governo. Confesso que fazia um bom tempo que eu não passeava em Oslo daquela forma. Embora fosse uma cidade que não chamava muita a atenção, Oslo sempre foi uma cidade linda e cheia de detalhes minuciosos passam despercebidos.

Embora conversássemos um momento ou outro eu notei que ele parecia pensativo, como se estivesse inquieto ou travando uma luta interna. Não disse nada a respeito afinal Loki era daquele jeito mesmo. Pergunto-me ás vezes se a noite a mente dele sossega em algum momento.

– Onde vamos agora? – enquanto terminava de tomar meu sorvete.

– Eu pensei no castelo de Arkeshus (http://www.eurail.com/files/all/photos/tourism/countries/norway/akershus-fortress-shutterstock_51588658-600.jpg) – ele falou tomando seu sorvete de chocolate.

– Lá em bem bonito.

– É o meu lugar favorito – ele disse por fim olhando para mim – seu nariz esta sujo de sorvete Srta. Narvik.

– Mentira – eu falei contrariando – eu não sujei meu nariz.

– Acabou de sujar – Loki disse agora colocando sorvete no meu nariz.

– Você me paga! – eu falei correndo atrás dele que ria de mim, travesso.

Depois de uma longa perseguição resultando em duas pessoas ofegantes eu finalmente eu consegui revidar esfregando o que havia sobrado do meu sorvete de flocos no nariz dele. Quando dei por mim percebi que não havia mais ali o chefe ou a assistente, eu só via ali dois jovens de vinte e poucos anos numa situação atípica e informal.

Pegamos a linha de metro que levava para perto da fortaleza do Arkeshus, durante o trajeto conversamos sobre mais algumas coisas.

– Meus parabéns, - ele disse – Balder me disse que vai casar com a sua irmã.

– O-obrigada – eu respondi.

– Mas quer saber no que eu estava pensando – ele disse mirando a janela – esse casório nos deixa mais próximos um do outro...

– Próximos? – perguntei sem entender.

– Não percebe – ele falou mostrando os dentes brancos – seremos parentes, cunhados.

– E o que tem isso?

– Vou poder comer a comida da sua mãe sempre que puder – ele disse alargando o sorriso.

– Que ousado – respondi deboche – você é um desavergonhado, sabia?

– Não. Desavergonhado não. Sou apreciador da boa comida, e sua estimada mãe Srta. Narvik é uma deusa da cozinha.

– É de fato ela – eu disse – mas não posso dizer o mesmo de mim, sou um desastre.

– Isso lamentável, nem mesmo uma boa qualidade da sua mãe você puxa – ele disse fazendo uma expressão de falsa frustração.

– O que está insinuando?

– Nada. Veja chegamos – ele mudou de assunto estrategicamente.

Saímos do Metrô e fomos para lá. A paisagem era linda e embora estivéssemos no meio do outono, com aquela paisagem alaranjada nem por isso o castelo perdia o seu charme, andamos por todo o arvoredo até ficar na beirada onde ia de encontro com o mar. Um vento gelado soprava ali, senti um frio por todo o meu corpo franzino. O sol já dava seus indícios estar se pondo. Tremi toda e encolhi os ombros porem senti algo quente sobre mim, Loki havia botado o seu sobretudo sobre meus ombros.

– Obrigada – respondi ao mesmo tempo em que sentia o perfume dele que impregnava o casaco.

Ele sentou na grama e eu resolvi fazer o mesmo, ficamos os dois sentados.

– Faz mais de um ano que não venho aqui – ele disse chamando a minha atenção.

– Por quê? – eu perguntei, meio que automaticamente.

Loki olhava para frente, seu olhar parecia perdido no céu.

– Não sei – ele disse – eu estava muito zangado.

– Voce sempre está zangado – eu falei rindo.

Ele me fitou serio.

– Brincadeira – eu falei levantando minhas mãos em sinal de defesa.

– Eu estava zangado por outras coisas. Há mais de um ano que eu saí da casa de meus pais.

– Loki, eu sei que não é da minha conta, mas minha irmã já me disse algumas coisas sobre a família de vocês – eu falei meio hesitante – mas por que você saiu de casa?

Ele olhou para mim com uma expressão gélida.

– Se eu lhe revelasse, teria que mata-la.

Eu olhei visivelmente assustada. Loki então numa fração de segundos gargalhou.

– Qual a graça? – perguntei indignada – Não é legal ouvir que alguém pode te matar.

– Não seja boba – ele retrucou – acha mesmo que eu mataria você?

– Não sei, mais comparado a forma como você me explora no trabalho, não descarto essa possibilidade.

– Você me acha tão cruel assim? – ele perguntou com um sorriso provocante.

– A-acho sim – respondi corada.

Ele parou de rir e me segurou pelos braços fazendo com que eu ficasse com meu rosto perto do dele.

– Talvez um dia eu lhe conte – ele falou, seus olhos verdes faiscavam em cima dos meus.

Eu corei e minha respiração começou a ficar pesada.

– O que está fazendo? – perguntei com certa dificuldade, ouvindo os batimentos acelerados do meu coração.

– Não é obvio, Srta. Narvik? – ele disse chegando mais perto – Estou querendo terminar aquilo que havíamos começado na cozinha da sua casa...


Não sei onde isso vai dar, eu também não tenho certeza disso. Só sei que quero tê-la, sentí-la. Não consigo mais fugir a isso, já não posso mais ignorar o que está se passando.

E quer saber mais?

O resto que dane.


E sem dar tempo para eu raciocinar, Loki selou meus lábios com os seus. Eu enrijeci ao primeiro momento, mas aos poucos fui amolecendo e cedendo e deixando ser moldada pelo seu beijo, nos afastamos brevemente por falta de ar.

– Eu não sei... se isso é certo Loki – eu falei ainda embriagada pelo beijo dele, porem ele ainda me segura, delicadamente porem firme.

Mas ele olhava com os olhos semicerrados.

– E que liga para isso – ele disse acariciando meu rosto – ninguém precisa saber por enquanto, pelo menos por enquanto...

E então nos beijamos de novo.

Eu não sei bem o que está havendo, mas ao mesmo tempo eu não quero saber, a única coisa que quero é que ele me beije. Até então eu não sabia o que era estar apaixonada, não queria estar. Sempre tive medo de sofrer, de me machucar. Mas quando se senti algo especial por alguém você tem que estar ciente de corre o risco de se machucar. Então eu vou ouvir os meus sentimentos e pular fundo. Pode ser que eu não consiga, pode se que não de certo. porem se for para me magoar, que o primeiro seja o Loki.


E foi então nesse dia que os dois atravessaram o limite do chefe e a assistente, e começaram a se enxergar como algo a mais....




Notas finais do capítulo

Quero cometários e se possível algumas recomendações, acho que mereço neh? (Se gabando kkkk)

Bjs! e até o próximo!