Os Homens De Nossas Vidas escrita por Sansan


Capítulo 6
Reencontrando o passado


Notas iniciais do capítulo

Galera, obrigada por terem lido o último capítulo, e me perdoem por não postar na última semana, mas estou atoladissíma de coisas, meus professores realmente acham que meu dia tem 48 horas, mas não, em hipótese alguma abandonarei a fic, e se não postar na quarta ou na quinta sempre vou dar o motivo, causa, etc.
Hoje a confusão de Nina continua, nessa fase da fic ela estará de frente a diferentes caminhos. Quero passar a dificuldade que nós, garotas, passamos quando temos que escolher um garoto, uma faculdade, resumidamente, tomar uma decisão.
Boa leitura!



São Paulo, 07 de março de 2013

Caras leitoras,

Estou tão chateada, tão chateada. Odeio quando a minha vida desvia do caminho que deveria seguir. Vocês podem pensar "Ah, mas é desse jeito, não podemos controlar a vida, tudo acontece por um motivo.." e blábláblá. Como sempre, eu fico reclamando de modo sem-sentido e acabo por não explicar o que me deixa aos nervos.

Estava feliz, na faculdade, ajeitando os tais documentos, que me geraram dois encontros inusitados. Infelizmente não encontrei o cara do jaleco. Entretanto, essa não foi a parte do dia que estragou o meu bom-humor. 

Eu precisava esperar alguns documentos serem carimbados, então me dirigi à cantina para tomar algum suco. Sentei-me sobre um muro, quando um cara esbarrou em mim. Já estava um tanto irritada por ter que esperar, não resisti e xinguei: 

- Ei, seu babaca, cuidado por onde anda! Deixe de ser desatento!

Eis que o tal cara vira para minha direção e surpresa! Era meu ex-namorado. Aquele, que disse que tenho falhas emocionais. Mas a situação era que ele não ligava pra mim, preferia sempre estar com outras pessoas. E não, eu não sou grudenta, mesmo tendo todos esses ideais emocionais que possuo. 

- Olá, gatinha. - ele  riu.

Puta merda - com perdão da expressão - quis matá-lo. Já devo ter mencionado que odeio que me chamem de gata, gatinha. Sinto-me como um animal. Respondi:

- Sai, Bernardo. O que você está fazendo aqui.

- Estudando, faculdade, como você.

- Como sabe que eu estou na faculdade para estudar?

- Facebook, amorzinho. 

Droga! Eu deveria ter bloqueado esse... esse viado! Voltei a tomar meu suco, dando um tchau, com objetivo de empurrá-lo para longe dali. Não funcionou. Ele se aproximou ainda mais, dizendo:

- Olha, eu sei que você tá solteira, eu também estou. Que tal curtir a vida?

Senti tanta raiva que meti uma tapa na cara dele, e sai rebolando, como uma patricinha. Joguei o queixo pra cima, todavia, quando dei por mim, ele havia agarrado meu braço, puxando-me para um beijo. Foi algo tão rápido que nem pude pensar, o que deixou-me completamente furiosa.

Como ele foi capaz de fazer isso? O maior problema foi a pertubação que eu fiquei. É muito difícil olhar para alguém que você já esteve junto, compartilhou diversas emoções e viveu bons momentos. Se eu dia eu estive com ele, é porque realmente gostava dele, e isso me mata, porque depois daquele beijo, me lembrei como tudo era, como sinto falta. 

Isso só ferrou com o meu cérebro, meu coração, meu pâncreas! Quero estar com alguém que me ame, e que eu ame também, mas no momento isso parece impossível.

Beijos quebrantados,

Nina



Notas finais do capítulo

Espero que tenham gostado, e ei, comentem, deixem um review. Não vou cometer o absurdo de dizer que só posto com reviews, mas sempre é bom, vivifica a alma da história UASHDUASHDUASHDUAHSDUASHD
Quero palpites de vocês, acham que o namorado dela vai exercer um papel grande na história?
E os tamanhos dos capítulos, o que estão achando?
Respondam minhas perguntas, please.
Beijos da San.