Back to Start (em hiatus) escrita por asthenia


Capítulo 10
IX — Causas e consequências


Notas iniciais do capítulo

Olá gente!
Me desculpem o pequeno atraso novamente. Minha vida voltou a correria de trabalho e faculdade. Não posso mais garantir minhas postagens semanais, mas em hipótese alguma vou abandonar a fic. :)
Não respondi os reviews ainda, e acho que depois estarei sem tempo... Mas assim que eu puder eu respondo todas! De qualquer forma eu já as li, e agradeço de coração a todas elas! Vocês são uns amores! ♥
Espero que gostem do capítulo!



All this time and everything's changed but I still feel the same

All good things eventually end and get washed down the drain

What a disaster it would be if you discovered that I cared

A little too much for friends but not enough to share.”

Esse tempo todo e tudo mudou, mas eu continuo o mesmo

Todas as coisas boas acabam eventualmente e são levadas pelo ralo

Que desastre seria se você descobrisse que eu me importava

Um pouco demais para serem amigos, mas não o suficiente para compartilhar.”

( It Had To Be You – Motion City Soundtrack )

.

Os dedos batucavam um som sem ritmo sobre a mesa, nervosamente. Estava distraído demais para pode se concentrar em alguma coisa, ainda mais assuntos extremamente burocráticos sobre seu trabalho como Hokage. Colocou os cotovelos sobre a mesa e depois de um longo suspiro, apoiou sobre as mãos a cabeça que parecia pesar. Os minutos passavam tão devagar que a concentração se esvaziava pelos poros de seu corpo.

E como podia se concentrar?

Um sorriso nostálgico e melancólico surgiu nos lábios de Naruto com a lembrança da noite anterior. Sentia como se tivesse a deixado partir, fugir de seu controle, levando seu coração nas mãos. Ultimamente, era o que sentia que estava acontecendo com a sua própria vida.

— Flashback -

As mãos sobre a cintura dela só lhe causavam mais arrepios ao corpo, e um incômodo terrível por apenas poder fazer isso. Nas noites em que eles tinham acesso irrestrito ao corpo um do outro, o toque só era causa e consequência do que viria pela frente. Porque eles se pertenciam. Sorriu com a lembrança e com os lábios ternos dela sobre os dele. Sentiu algo úmido em seu rosto e se afastou de Hinata. Era o rosto dela que estava úmido devido às lágrimas.

Ela mantinha os olhos fechados e os lábios inchados e entreabertos, devido aos beijos de desespero de Naruto. Soltou um suspiro enquanto ele encostava a sua testa na dela, de forma terna. Abraçou mais a cintura de Hinata, colando-a em seu corpo. Estava tensa. Tensa e relaxada – seria possível? – como se pudesse ficar ali, para sempre, mas se a qualquer momento pudesse fugir. Um sorriso melancólico surgiu nos lábios dela, que mantinha seus olhos fechados, enquanto uma das mãos puxava levemente, de forma carinhosa, os cabelos loiros da nuca de Naruto.

— Você não devia dizer essas coisas.

A voz dela era baixa e triste. Seus olhos abriram um pouco e ela passou a encarar qualquer detalhe no peito do Hokage, em vez dos olhos azuis do mesmo.

— Não é nenhuma mentira. A minha vida é sua Hinata... – ele disse baixo e ela passou a encará-lo – você é minha.

Os orbes pérolas logo sumiram quando Hinata fechou novamente os olhos. Voltou a abrir rapidamente, espalmando uma das mãos sobre o peito de Naruto, afastando-o. O sorriso dele sumiu e um olhar intrigado surgiu na face. Ele pode observar o sorriso irônico e curto que desenhava sobre o rosto Hinata. A Hyuuga limpou as lágrimas rapidamente, arrumou seu kimono, e encarou novamente o loiro a sua frente.

— N-Nós não temos mais 17 anos. – respirou fundo. Aquilo não seria fácil. Nada era fácil quando os olhos azuis dos quais ela amava tanto estavam a encarando – Sua vida agora pertence à mãe do seu filho, e não a mim.

Soltou um suspiro pesado e de repente, algo dentro de seu coração parecia alertá-la a sair de lá. Estar perto de Naruto não só complicava seus sentidos, como também a deixava mais vulnerável a ele. Olhou pela última vez para o rosto do rapaz que a olhava curioso, e passou por ele, indo em direção à escadaria, saindo do coreto. O coração estava em pulos, suas mãos tremiam, e sentia que podia desabar a qualquer instante. Mas, antes de chegar até a escadaria, sentiu seu braço sendo apertado fortemente. Ao se virar viu os olhos dele sobre ela, sem piscar. Ele olhava de forma tão penetrante, que era impossível não se assustar a aquilo. antes que pudesse forçar seu braço para que ele a soltasse, a voz dele saiu de forma determinada dos lábios do loiro.

— Eu nunca vou desistir de você Hinata! Da mesma forma que você nunca desistiu de mim!

Ela olhou para o rosto do Hokage, e foi inevitável não se sentir emocionada – e também, angustiada – pelas palavras dele. O que acontecia com ele afinal? Estava de casamento marcado com outra mulher. Já havia desistido dela. Então, por que dizia aquilo a ela? Antes que pudesse se ferir ainda mais pela situação e pelos próprios pensamentos, desvencilhou do aperto forte de Naruto, e saiu de lá, as pressas, sem olhar para trás, enquanto ele a observava ir embora, mais uma vez.

—/-

A lembrança se esvaiu de sua mente quando ouviu o barulho da maçaneta. Segurou o ar e soltou ao ver a Hyuuga, quando a mesma abriu a porta. Tentou sorrir, amenizar a tensão e o desconforto do local, mas foi inútil. Ela estava ali, parada, com as mãos juntas, uma apertando a outra, com o olhar vazio o olhando. Aquilo seria mais difícil do que podia imaginar.

Ele enrijeceu sobre a cadeira e pensou em dizer alguma coisa, mas logo foi interrompido quando Hinata abriu a boca. Ela tinha uma postura diferente, mais viva e decidida. O corpo estava reto, e o olhar determinado. Naruto não tinha lembranças que o agradavam todas as vezes em que a vira daquela forma. Ele se lembrava do olhar determinado dela quando estava prestes a afastá-lo.

— N-nós não devemos tratar de outros assuntos que não sejam sobre a segurança de Konoha, Hokage-sama.

O Hokage não esperava alguma reação daquele porte de Hinata. Mas, ao ver toda a determinação que ela forçava, ele sorriu de canto. Sorriu, pois aquela era a Hinata que havia se declarado um dia a ele, e ao mesmo tempo, a que havia o rejeitado em nome de seu clã. O que Naruto não notava era o nervosismo em que ela se encontrava. O modo como foi difícil tomar uma postura daquela, na frente, evitar os gaguejos e os olhares tímidos. Mas camuflar o rubor nas bochechas era impossível. Outro motivo pelo qual o pequeno sorriso escapou pelos lábios do Uzumaki.

— Eu entendo, Hyuuga-sama – sorriu triste – não se preocupe.

Eles fugiriam daquela situação em nome da segurança de Konoha, mas cedo ou tarde voltariam ao mesmo ponto. A presença dela já o acalmava, e aquilo era suficiente por hora. O compromisso com Sakura não diminuía só por causa daquele amor que Naruto sentia por Hinata, e ele sabia disso. Escolheu salvar a amiga e faria isso, mas Hinata não deixaria de ser menos importante para ele, ou perderia o privilégio do lugar que tomava, do amor que sentia. O compromisso com Sakura incomodava a Hyuuga como ele próprio pode observar, mas queria que ela soubesse o que havia por trás disso. Escolheu não contar a verdade a ela, pois isso poderia ameaçar o seu posto no clã Hyuuga, e quanto mais gente nessa história, mas perigoso ficava.

Ela o olhou enquanto se sentava e pode reconhecer o sorriso em seu rosto. Algo que acalentava e agitava em seu peito. Ele não desistiria tão fácil dela.

—/-

A sala era branca, e estava bem iluminada. Sakura conhecia aquele local muito bem, melhor do que ninguém, na verdade. Estava sentada sobre a maca, esperando a chegada de Tsunade. Cada dia mais o seu temperamento mudava, devido à gravidez. Todos em Konoha já sabiam que o Hokage seria pai, e Sakura se sentia incomodada com isso, no entanto feliz, por saber que Naruto seria um excelente pai. Observou atentamente a vista lá fora, pela pequena janela que ficava na sala.

O medo ainda a assombrava de uma forma que mexia com todo o seu corpo. Aquela consulta com Tsunade seria definitiva em relação a seu bebê. Estava chegando aos seis meses e pronta para alguns resultados de exames. Mesmo estando aparentemente diferente, o corpo magro de Sakura não se modificara tanto, mas isso não era desculpa para que não tomasse os devidos cuidados na sua gravidez.

— Hm, já chegou! – Tsunade entrou na sala, com cuidado – já trouxe seus exames.

— Faz apenas alguns minutos que estou aqui.

Com o sinal que Tsunade deu, Sakura logo se sentou em frente à mesa da qual Tsunade se encontrava do outro lado. Os olhos de mel acompanhavam o movimento das próprias mãos, retirando alguns papéis que se encontravam dentro de um grande envelope. No entanto, os olhos dela haviam mudado, mostrando um tom mais preocupado. Sakura a acompanhava com seus olhos, e não deixou de notar a postura séria que a sua ex-sensei acabava de adquirir.

— Não vou mentir pra você, Sakura. – com um suspiro, começou a longa conversa da qual precisava estabelecer e atualizar Sakura sobre a situação de sua gravidez – Tudo está delicado. Não falo de sua saúde, ou a do bebê, você é forte. Estou falando do futuro de vocês.

Os olhos verdes se chocaram com o mel dos olhos de Tsunade. Algo em Sakura parecia se agitar, o que não estranhava, pois nos últimos acontecimentos dificilmente alguma sensação nela se acalmava.

— Eu sei que tudo é complicado...

— Com esses últimos exames, analisei a amostra de sangue que você me deu. Não só descobri o sexo da criança, como também outro fato que é ainda mais preocupante.

— O que é, Tsunade-sama? – seus olhos arregalaram.

— Eu olhei algumas fichas médicas de Sasuke – o olhar de Sakura se assustou ainda mais com a menção do Uchiha – e alguns outros Uchihas. Sempre que um ninja possui com kekkei genkai como o que eles possuem, há uma influência muito forte, tanto nas características físicas como habilidades ninjas, quando o outro progenitor é recessivo, o que é o seu caso.

— Você está dizendo então que... Essa criança... – os lábios de Sakura tentavam sibilar a informação que a loira a sua frente lhe fornecia. Não podia acreditar. As mãos sobre a própria barriga trazia uma necessidade de proteção a seu filho, e saber que ele seria um Uchiha a assustava.

— Ele terá características de Sasuke... Essa criança, Sakura – disse, com o máximo cuidado – terá tudo o que Uchiha possui. Não que isso iniba as suas características, como pele ou caráter, mas em questões ninjas, ele será um Uchiha.

Ela olhou para Tsunade, que tentava ao máximo ser delicada ao dar aquela notícia. Aquela criança sendo Uchiha complicava não somente as questões burocráticas de Konoha, como também as pessoais de Sakura, Sasuke e Naruto. Sendo um Uchiha, não passaria despercebido por nada ou ninguém.

Fechou os olhos e tentou se lembrar da frase que Naruto mais repetia a ela “Vai dar tudo certo”, mesmo que sentisse que talvez, tudo a sua volta, parecia mais difícil de aguentar do que aparentava.

—/-

As facas estavam sendo devidamente afiadas pelas mãos de Hideo lentamente. Ela apreciava afiar as suas facas – elas eram como seus filhos – e assistir depois ao horror que era possível causar sobre a pele humana. Sorriu, mostrando os dentes amarelados enquanto repetia aquele ato. Um sorriso que daria medo a qualquer uma que observasse a cena bizarra.

Hideo era um homem de garra, todas afiadas. Era alto e robusto, da cabeça raspada e o do olhar penetrante. Mesmo sendo um homem mais parecido com um armário, ele tinha gestos delicados, com todo o cuidado, como se pudesse passar os dedos sobre uma pétala de rosa, sem machucá-las, mas que a qualquer momento poderia destruí-las sob o mesmo toque. Era um ninja excepcional.

O local do qual se encontrava era mais escuro que o normal, o que não o impedia de observar outro ninja entrar. Os dois tinham o mesmo olhar bizarro, o segundo era um pouco mais doce que o de Hideo. Minoru era um homem mais doce, afinal, o que explicava o seu olhar. O corpo era magro e pequeno, diferente de Hideo, quem o olhasse não poderia sequer cogitar a força que o corpo esguio dele possuía. Seria um ninja até mais potente que o próprio Hideo. Minoru tinha os olhos claros, cor de mel. Seus cabelos eram curtos e lisos, deixando os fios baixos dos lados da cabeça. Ele se vestia de roupas comuns, coladas ao corpo esguio, mas nada que chamasse atenção, diferente de Hideo, que usava um kimono cor creme, deixando os músculos à mostra.

— Já está se preparando? - Minoru disse, friamente, observando seu colega afiar as facas.

— Sempre estou preparado, Minoru. - um sorriso estranho e irônico surgiu no seu rosto - Isso não será nenhum sacrifício.

— É uma bobagem, isso sim. E visivelmente estúpida.

— Não está afim de um pouco de aventura? Se acalme, Minoru, logo a festa de verdade vai começar!

Minoru pode observar o sorriso de Hideo aumentar, junto com uma de suas risadas sinistras, sem graça alguma. Revirou os olhos e caminhou até uma das janelas em que a vista era vasta, porém escura. Observou lá fora por alguns segundos, antes que sua voz ressoasse nos ouvidos de Hideo.

— Se não fosse pela incapacidade de Shinji, nós não teríamos que perder tempo com essa bobagem. Todas as invasões foram bem sucedidas em busca dos pergaminhos necessários - continuou com o olhar fixo sobre qualquer coisa através da janela - até que esse idiota precise bolar um sequestro para pegarmos o pergaminho que ele não conseguiu alcançar. Inútil.

— Ele está indo aos poucos, mas já está no covil dos Hyuuga. A partir do sequestro vamos poder agir... De verdade.

As últimas palavras foram mencionadas com o tom de malícia e maldade por Hideo, o que não passou despercebido por Minoru. Mas ele não se espantou, pois estava acostumado com aquele jeito sinistro de seu colega. Continou pensando e repassando todo o plano em sua própria cabeça, para que não houvesse nenhuma falha. Afinal, eles precisavam tirar o Hokage de Konoha, distraindo-o de alguma maneira - não só a ele, mas toda a vila - para que pudessem ter acesso a um pergaminho específico, do qual era muito bem protegido. Nada melhor do que o sequestro da própria noiva do Hokage.

Apertou os olhos e um sorriso mínimo brotou em seus lábios. Estava quase tudo pronto para colocarem todo o plano em prática.



Notas finais do capítulo

P.S.: Não me odeiem pelo desfecho que teve o Naruto e Hinata, por favor, haha. Esses dois ainda vão ter o que conversar, mas antes tem que por as obrigações em dia, principalmente da segurança de Konoha! Isso vai fazer parte do que vai rolar com o casal. Hideo e Minoru são os novos "probleminhas" que vão surgir na vida dos nossos quatro protagonistas, e não virão sozinhos!
Beeijos, e até o próximo!