The Girl Of Cutting escrita por Fafa Moraes


Capítulo 6
Save-me From The Hell!


Notas iniciais do capítulo

Mais um capítulo para vocês, boa leitura!




– E-eu não posso fazer isso, Alicia.

– Porque?

– Porque eu te amo.

- Isso é verdade?

- Nunca disse palavras mais sinceras em toda a minha vida.

- Isso é sério?

- Claro...

- Porque eu?

- Agente não escolhe essas coisas, Ali...

- Isso é até engraçado, entre tantas pessoas, justo eu...a estranha do colégio.

- Você é apenas diferente, Ali, melhor, melhor do que elas...

Ele me beijou, mas, eu não pude corresponder:

- Alicia, o que houve?

- O segurança...minha mãe contratou um segurança...não posso fazer isso, se ele ver, estaremos mortos.

- Você tem razão, agora você deve ir para aula...

- Ok...

Eu sai do ginásio, estava chorando, era impossivel não chorar, o que estava acontecendo comigo? Simplesmente não sei, essa é a única resposta, porque a minha vida é simplesmente um desastre?

Fui para sala de aula, era impressionante, todos estavam me olhando, com medo, com raiva, com pena...me sentia totalmente inutil, fui para o fundo da sala, onde felizmente eu sento, odeio ser observada, é a pior coisa do mundo quando você tem um segredo.

O professor de matemática entrou na sala, arrgh, odeio matemática, até ele estava olhando pra mim, até ele tinha medo de mim!

Felizmente as aulas passaram rápido, com o fone de ouvido e o meu caderno, rabiscando e desenhando coisas era muito melhor suportar as aulas, muito mais fácil.

O intervalo chegou, fui a primeira a sair da sala, correndo, mas, adivinha com quem eu acabei me encontrando? Sim, a Ashley! Parece que aquela garota me persegue:

- Hm, quatro olhos, você por aqui..vamos ver se você enxerga algo sem isso.. - ela tirou meus óculos, jogou no chão e pisou em cima, ainda não acredito que aquela idiota fez isso! -

- ASHLEY, VOCÊ FICOU LOUCA?! PORQUE FEZ ISSO?

- Porque você é uma idiota, por isso... o que vai fazer? Me cortar? hahahah

Ela saiu, com o nariz empinado.

Sim, eu enxergo sem os óculos, e bem, mas, já que eles não me deixam parcialmente sega eu prefiro usá-los, e como uma proteção, ninguém olha diretamente nos meus olhos, olham para os óculos, é como uma auto-proteção, ninguém me conhece de verdade, é como se os óculos me protegessem, protegessem meus segredos...mas, adivinhem? O maior deles já foi revelado, e acho que eu nunca vou confiar na minha mãe de novo...

Pelo menos nem ela nem ninguém sabe que eu tenho bulimia...pelo menos até agora.

Sentei em um banco e fiquei ouvindo música, simplesmente esperando o sinal tocar para voltarmos para a aula ou como eu diria, para a pior parte do inferno, adivinha quem foi no meu lado? O segurança! GRRR!

 - Porque você insiste em ficar na minha cola?

- Esse é o meu trabalho.

- Hm, se me dar vontade de me suicidar também é o seu trabalho também está dando super certo.

- Porque você age assim, porque faz isso?

- Que eu saiba, o seu trabalho é me vigiar, não conversar comigo ou me pedir satisfações, certo?

-.... - ele ficou calado, ainda bem, porque se não levaria mais do que um fora -

O sinal tocou, fui para a sala...minutos depois da aula começar a diretora entrou na sala:

- Alicia Montgomery, acompanhe-me até a diretoria, precisamos conversar...

Ótimo, agora aquela velha com cara de sapo quer conversar comigo... - pensei -

Fui até a sala da diretora...

- Bom, Alicia, sua mãe me ligou ontem, e disse tudo que estava acontecendo...

- Hm....eee?

- O que está acontecendo com você? Sempre foi boa aluna, sempre tão comportada...

Eu dei um sorriso sínico...

- Porque isso? Porque isso agora?

- É apenas a realidade batendo a porta, minha cara diretora...

- Hã? Vou ser bem direta, Alicia, não machuque nenhum dos alunos, ok?

- Machucar eles é o que eu mais quero.

- Porque?

- Você é sega mesmo ou só está fingindo?

Sim, poderia ter levado uma suspensão por isso, mas, sai correndo da sala antes que ela pudesse dizer algo.

Voltei para a sala, estava com raiva, muita, muita, muita raiva, o que eu faria em uma hora dessas? Cortes, mas, olha que interessante... o segurança do lado de fora da minha sala! Sinceramente, isso é uma vida ou uma prisão?

Eu saí mais cedo hoje, teria minha primeira consulta com o psicólogo, minha mãe veio me buscar na escola, acho que ela ta pensando que eu tenho tipo...cinco anos apenas porque descobriu o meu pequeno e não tão inofencivo segredinho.

- Oi, filha, como foi a escola?

- Horrrivel, infernal, péssima, detestável...escolha a que você prefere entre essas opções...

- Alicia, seja um pouco mais positiva!

- Respire sem oxigênio.

Chegamos até a clinica, eu nem estava mais acreditando que isso era verdade...psicólogo? Ótimo, mais gente sabendo dos meus problemas.

A consulta foi totalmente completamente infinitamente chata:

- Então, Alicia, como você se sente quando se corta?

- Me sinto bem, eu acho...

- Porque você se corta?

- Porque você respira?

- Sério, Alicia, me responda, estou tentando te ajudar...Porque você faz isso?

- Por vários motivos...

- Alguma vez você tentou se suicidar?

- Talvez...

- Como assim talvez?

- Como assim você vai continuar me fazendo perguntas?

- Cansada?

- Sim...

- Ok, então pode ir, até semana que vem.

- Espero que não..

Sai da sala, poderia ficar pior? É, acho que não.

- Como foi, filha?

- Como é levar um tiro?

- Porque você responde minhas perguntas sempre com outras perguntas?

 - Vai que você destorce o que eu disse que nem fez na noite do jantar? Porque claro, meu pai te estuprou, e nos bateu, não é, dona Mellaine?

 Ela simplesmente me olhou com raiva.

Chegando em casa eu corri para o quarto e tranquei a porta, desabei na cama e comecei a chorar:

INFERNO, INFERNO, INFERNO, INFERNO! - pensava -

Que merda eu fiz pra merecer isso, em?!!

O meu primeiro estinto foi pegar a lâmina, e foi isso que eu fiz, hahaha minha mãe não sabe onde eu escondo então...Mas, justamente na hora que eu peguei o Jhon entrou no meu quarto e me viu com a lâmina:

- Alicia, larga isso agora.

- Jhon, pare de respirar agora.

- Alicia, não faz isso de novo! Me da isso, agora!

- Porque Jhon? Porque você finge que se importa? Por você, eu já deveria ter morrido, não é?  Você não se importa...

- Alicia, não fale isso...

 - PORQUE? VOCÊ NÃO QUER QUE EU SAIBA A VERDADE, QUE EU TENHO CERTEZA QUE É ESSA?!! É ISSO? É CLARO QUE, É, NÃO?!!

- ALICIA, PARE COM ISSO AGORA!  - ele segurou meu braço tentando tirar a lâmina da minha mão, mas, eu sou forte, então ele não conseguiu, e quando ele me soltou, eu fiz um corte no meu braço, sim, bem na frente dele, esse foi grande, com uns 5 centimetros, e um pouco acima do pulso, estava sangrando, e muito - ALICIA, PORQUE FEZ ISSO? ME DÊ ESSA LÂMINA AGORA!

- NÃO, NÃO JHON! EU NÃO VOU TE DAR MERDA NENHUMA, AGORA, SAIA DAQUI, AGORA, AGORA, AGORA, AGORA! EU NEM SEI PORQUE DIABOS A MINHA MÃE TE DEU A CHAVE DO MEU QUARTO, MAS, VÁ EM BORA, AGORA!

Ele obedeceu, eu lavei  o corte, enfaixei meu braço e comecei a chorar, chorar, e chorar... O que eu precisava? Falar com o professor Fox, mas, não poderia...

Eu não dormi nada na ultima noite, acordei e fui para a escola, o professor Fox estava me esperando nos portões:

- Oi, Ali.

- Oi...

- Como foi ontem?

- Um desastre! Pelo menos eu convenci minha mãe a demitir o segurança...

- Milagre! Como você fez isso?

- Atuação. Peguei uma faca, apontei pra ela e disse que se ela não demitisse ele eu passaria de suicida pra assassina.

- Nossa...funcionou bem, em!

- É, ela me trata como uma delinquente, então, com ela eu ajo como uma delinquente, nada mais correto.

- Bom argumento.

- Você não acha meio arriscado, eu e você, andando juntos, na frente de todo mundo, tipo professor e aluna?

- Por você eu faço tudo, Ali, tudo...e, depois a gente inventa uma desculpa.

- Ok, agora eu tenho que ir para a aula.

- Ok, e Ali, nunca esqueça, você é muito especial pra mim...



Notas finais do capítulo

Reviews?



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "The Girl Of Cutting" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.