The Girl Of Cutting escrita por Fafa Moraes


Capítulo 49
Game Over, baby!


Notas iniciais do capítulo

Penultimo capítulo da primeira temporada de The Girl of Cutting, e vocês saberão quem são os assassinos misteriosos! estou emocionada *-* Espero que gostem, e boa leitura!
Link do blog oficial: http://thegirlofcutting.blogspot.com




Mais um dia em minha doce e totalmente macabra vida de assassina...Como é bom estar em todos os jornais e canais de TV, não é mesmo? Realmente, é  uma ótima sensação ser temida por todos, estar em todos os lugares e ao mesmo tempo ter liberdade para fazer só Lúcifer sabe o que - vocês sabem, não sou uma pessoa nem de longe qualificada para dizer o nome "Deus" -

Me levantei da cama- pois é, eu dormi uma hora e alguns minutos essa noite, é mais do que o suficiente pra mim...Até mesmo porque não há coisa mais chata do que dormir - fui até o banheiro e fiz minha higiene matinal, colocando uma roupa bem típica quando se trata de minha pessoa: um short de couro hiper curto que geralmente eu só uso para a noite, se é que me entendem, mas, foda-se eu estava com vontade de colocar ele e coloquei, uma camisa branca dos The Ramones que quase cobria o short todo e uma tênis all star cano médio,  tem pessoa mais foda em questão de sapatos do que o inventor do All Star? Com certeza não.

Desci as escadas mais do que correndo, quase deixando minha mochila cair no chão, eu sou desastrada, embora não pareça nem um pouco....

Quando cheguei na cozinha eu ví que tinha um buquê de rosas em cima da mesa, não, com certeza não eram do Mike, além de estar totalmente puto comigo ele sabia que eu não gosto dessas coisas totalmente melosas, então, a única coisa que me restou a fazer foi ver de quem eram...Havia um cartão nas rosas:

"Rosas são belas e delicadas, mas, tem espinhos que podem ser mortais assim como você Alicia...Mas, há mais semelhanças entre você e rosas...Ambas são totalmente fáceis de ser destruídas...Ainda não acabou, querida rosa da morte...

Assassino Misterioso"

Eu revirei os olhos, até que era um bilhetinho um tanto fofo, e eu gostei do apelido rosa da morte...Mas, o assassino misterioso está enganando a sí mesmo, eu nunca, já mais, em hipótese alguma sou fácil de ser destruída, na verdade é impossível me destruir, e, o meu querido remetente das rosas vai perceber isso, querendo ou não...

Mesmo eu não esperando esse bilhetinho e as rosas nada poderia estragar o meu maravilhoso dia hoje, porque a noite ontem havia sido totalmente maravilhosa e eu estava feliz de mais pra me importar com idiotices de um filho da puta...Então eu peguei as rosas e joguei no lixo, mas, antes disso eu me furei propositalmente com um espinho, na verdade eu nem sei porque eu fiz isso, mas foi boa a sensação do espinho espetando a minha pele e logo o sangue começando a cair...Aquele foi o primeiro e provavelmente único bilhete do assassino misterioso que fez um pouco de sentido...Bela e delicada como uma rosa, porém assim como elas mortal, uma ótima definição para mim, rosa da morte.

Mas, é claro que eu não iria ficar ali filosofando sobre aquele bilhete, sim, havia sido uma bela mensagem, fora a parte ''fácil de ser destruída'' que é uma mentira é claro, mas, isso não faz meu ódio sobre o assassino misterioso diminuir, ele ainda é meu principal alvo de morte, que pelo visto desafiou a própria frase...Delicada, bela e M-O-R-T-A-L, parece que alguém por aí esqueceu de decifrar o significado da própria frase, triste, não? Para ele sim, pra mim? Nem um pouco.

Escola, um lugar pior do que o inferno...Mas, divertido quando todos ficam comentando sobre coisas que você faz, mas, não sabem que é exatamente você que faz...

Infelizmente, graças a um filho de uma pobre e inocente mãe que presta serviços sexuais a troco de dinheiro os meus amigos, ou melhor, uma-garota-que-eu-acho-que-é-minha-amiga, meu talvez-ainda-namorado e uma filha da puta falsa estavam brigados comigo, não por muito tempo, se depender da minha vontade de destruir o assassino misterioso, mas, estavam...Pelo menos eu ainda tenho a Ashley, certo? Exato.

Na primeira aula  o professor idiota de inglês faltou, e eu fiquei com a Ashley, em paz? Bom, em paz pelo menos por um tempo...

- Ali, porque até o Mike está brigado com você? - a Ashley parecia realmente meio confusa, que milaaagre (sintam a ironia muahahah) -

- Agora até ele acha que eu fiz aquelas coisas com a Jess, a Belly e outra coisa com ele...O assassino misterioso ainda me paga por isso...

- Hmm, não liga pra eles, eu sei que você não fez nada, o assassino misterioso realmente é um idiota, Ali..

- Ashley, me diz uma coisa: você é burra ou você é uma assassina burra?

- Hã?

- Todos os meus outros amigos estão totalmente contra mim, menos você, que agora está dizendo pra eu não ligar pra eles, não seria meio suspeito você fazer isso com todos eles, pra sei lá, ficarem fora do seu caminho e deixarem a assassina premiada aqui ensinar algumas coisinhas apenas pra você?

- A-Ali, você acha mesmo que eu fiz isso? Alô-ou, o assassino misterioso matou meu pai! Você sabe que eu não tenho coragem nem de matar um inseto, quanto mais, por Deus, o meu pai! - eu comecei a rir -

- É claro que eu sei que você não fez isso, sua idiota, é só o que querem que eu pense, de alguma forma o assassino misterioso também não gosta de você...

- Uau, você é muito boa nisso...E, até que o assassino misterioso fez uma boa jogada criando essa história...

- É, tenho que admitir que foi uma jogada bem dada no começo, mas, ele esqueceu a parte de que você não é corajosa o bastante pra fazer isso, não dá pra tentar brincar comigo quando se é um amador...

- Eu nunca pensei que fosse te dizer isso, Alicia...Mas, eu sou sua fã! - Eu comecei a rir..era no mínimo inusitado a Ashley dizer aquilo... -

- Obrigada, obrigada, eu sei que meus... assassinatos - abaixei o tom de voz na ultima palavra - são total e completamente históricos...

Estava e iria ficar tudo bem, se as amiguinhas ou, sei lá, ex-amiguinhas da Ashley não tivessem chegado para acabar totalmente com o nosso assunto secreto e ficarem me perguntando mil coisas sobre porque e como eu consegui sair na capa e em várias páginas da revista ELLE...Na verdade, a revista já tinha saído a um bom tempo, mas, eu esqueci de que eu quase não parei na escola nos últimos dias, por isso mesmo elas não tinham me perturbado antes...Eram diversas perguntas chatas e totalmente fúteis, mas, que eu soube responder, graças a minha facilidade em enganar as pessoas, mas, eu confesso, acabei me estressando um pouco, se eu não estivesse na escola naquela hora e se não fosse de dia eu já teria dado um jeito de acabar com aquelas garotas, por Lúcifer, se elas não são inteligentes ou bonitas o suficiente para chamar a atenção de fotógrafos e editores de uma revista famosa, o problema é delas, além do que eu realmente não ligo pra isso, como eu já disse eu fiz aquilo somente para parecer uma boa garota e pra não ficar parecendo uma completa estranha, não que eu ligue, sou uma assassina, pra que ligaria para o que pensam? Mas, me digam...Qual é a porcentagem das garotas que não aceitariam fotografar para sair em uma revista super conhecida? Sim, muito baixa...E, minha reputação falsa de boa garota necessita de divulgação...

 Depois de alguns chatos minutos, finalmente eu consegui fazer as garotas se satisfazerem com as respostas que eu havia dado e se mandarem...Eu não sou paciente, minha paciência se resume a pegar uma arma e apertar um gatilho, então aquelas vacas filhas de satã  - é tão legal chamá-las assim, embora a única garota que realmente deve ter algum tipo de parentesco com Lúcifer seja eu - finalmente foram embora.

- Ashley...Eu preciso te fazer uma pergunta: Como você agüentava essas idiotas sem querer dar um tiro na cabeça delas ou algo parecido? - Eu encarava Ashley com uma expressão fria, mas, meu tom era bem brincalhão, mesmo sendo verdade a minha vontade de fazer aquilo -

- É uma boa pergunta, mas, a assassina aqui é você, não é? Mas, eu confesso, as vezes me dá vontade de jogá-las em baixo de um trator...

- Também é uma idéia excelente, Ashley...Será que você me concede a honra de colocá-la em prática?

- Você que sabe....Agora, acho melhor irmos para a sala, acho que o sinal vai tocar...  - Dei de ombros e fui até a metade do caminho com a Ashley, mas, depois percebi que tinha que pegar um livro no meu armário e fui até lá, numa boa, ou, quase...

- Alicia, soube que seus amiguinhos se separaram de você, perceberam que você é uma idiota sem noção finalmente, não é?  Sozinha de novo...Esse é o seu destino, gótica estranha... - Brian, me irritando mais uma vez...Mas, lembram quando eu disse que nada estragaria o meu bom humor hoje? Estava falando sério, então, aproveitei para brincar um pouquinho...

Me virei para encará-lo e fui dando passos vagarosos e sensuais até mais perto dele, fazendo-o recuar até ficar encurralado, entre mim e a parede, e, quando eu ativei o meu veneno, falando de forma sexy quase em um sussurro:

- É, Brian, eu estou sozinha, você ainda gosta de mim, não é?  - ele fez que sim com a cabeça, parecia meio assustado e ao mesmo tempo hipnotizado e seduzido - E que tal, se ao invés de ficar sozinha eu fosse todinha sua?  - cheguei mais perto ainda, falando a ultima parte com meus lábios bem colados ao ouvido dele -

 - V-você t-tá falando sério? - Ah, Brian, você é tão tolo...Já caiu na minha armadilha para a minha toca sangrenta...Isso se eu estivesse a fim de matá-lo, mas, ele não merece nem isso de mim...

- É claro que não, idiota... - disse agora com convicção, sorrindo maliciosamente e dando um tapa bem forte no rosto dele, que foi seguido de arranhões pelas minhas unhas talvez mortais...E, saiu sangue...Hahaha, eu simplesmente saí andando, de forma sensual e provocativa, deixando-o alí, meio confuso e babando....Eu sou tão malvada e provocativa, não é? É por isso que eu tenho fãs...

XXX

As aulas foram chatas e tediosas como sempre são, eu não esperava nada de diferente...O que se pode esperar da escola? Eu acho que se quisessem realmente castigar as almas ruins após a morte deveriam mandá-las para a escola, não para o inferno, então que bom que é para o inferno, eu não vou pro céu mesmo...

Durante todas as aulas e o Mike ficamos trocando alguns olhares enigmáticos...E, eu poderia ter certeza que pelo menos metade deles queriam dizer "Ali, eu tô muito puto com você, eu realmente acho que você fez isso, mas, por favor, vadia, eu preciso muito, muito, muito transar com você..."

Mesmo assim não trocamos nenhuma palavra, eu também estava com saudade dele...Mas, eu não iria fazer nada até poder jogar na cara da Jess que ela estava errada o tempo todo e que não fui eu que fiz nada daquilo, vingativa, eu? Imagina, é apenas justiça, porque se eu resolvesse me vingar mesmo ela já estaria morta, esquartejada, estripada e degolada a muito tempo...

Fui pra casa o mais rápido que pude, a cada dia mais as pessoas me dão nojo...Por isso eu as mato, pode parecer ridículo ao ponto de vista de algumas pessoas, mas, eu realmente estou fazendo um favor a sociedade, eu mato pessoas que ficam por aí se drogando, fumando e bebendo, provavelmente metade deles são prostitutas, cafetões e estupradores, eles não deveriam se importar tanto...Na verdade eu deveria matar outro lado da população, o lado totalmente são, o lado que não tem coragem o suficiente para provar algo realmente perigoso e louco, mas, não teria graça, não teria tanta repercussão, e, eu realmente pouco me importo com quem estou matando, desde que seja cruel e torturante...

Ah, que lindo, mais um belo recado do assassino misterioso no meu quarto, já tá começando a ficar chato e muito consecutivo, não acham?

"Vai vestir a fantasia de menina má hoje, Alicia?  Digo fantasia, porque, mesmo que você não reconheça é apenas uma garotinha fraca...

Assassino X"

Oh, céus! Um cara idiota me chamou de garotinha fraca, estou sendo insultada,  eu vou morrer por isso...Puta que pariu, que diabos essa pessoa tem na cabeça ou andou fumando pra achar que eu vou me sentir ofendida com algo tão patético desse tipo? Volta pro jardim de infância, assassino misterioso, amadores, sem nada realmente interessante ou original...

Larguei aquela droga de bilhete em qualquer canto, coloquei um DVD do Guns n' Roses, peguei minha vodka é tirei um cigarro Lucky Strike de dentro do maço, dei uma tragada, peguei um comprimido de metanfetamina e engoli, com ajuda da vodka, simplesmente fiquei alí, no meu paraíso de vícios, confesso que o sexo me fazia um pouco de falta, mas, nada que não pudesse ser suprido...Se matar não fosse tão fascinante, perfeito e totalmente encantador eu poderia ficar alí fumando, bebendo, me drogando e ouvindo música pro resto da vida...Se eu iria me divertir um pouquinho matando assim como ontem a noite? Não. Não gosto de cometer assassinatos por duas noites seguidas...Prefiro deixar um de meus crimes criar bastante repercussão até fazer outra coisa tão grandiosa o quanto, até mesmo porque os policiais ficam ocupados de mais procurando algum vestígio de um crime - é, também não sei porque eles ainda fazem isso... - para dar atenção para o outro, e, sem provocação direta deixando-os automaticamente maluquinhos não é tão divertido assim. Como uma garota provocativa e uma profissional eu tenho que saber esperar o momento certo para atacar e fazer algo realmente grandioso.

No dia seguinte eu não estava nem um pouco com vontade de ir para a escola, porque, por favor...Foda-se a escola, eu sou uma assassina em série, quem precisa de escola quando se pode matar? Ninguém, certo? 

Fiquei meio que sem nada pra fazer, então fui andar um pouco na floresta...É um tanto estranho e confuso, aquele lugar me acalma...Meio escuro, com lugares secretos que provavelmente só eu sei como chegar por já ter passado tanto tempo lá, com animais estranhos e alguns consideravelmente perigosos como cobras....Um assassino não precisa ter medo, então eu simplesmente não ligo, é um bom lugar, e bem fresco em dias de calor, um lugar onde eu posso praticar tiros - com o silenciador na arma, é claro - seja em árvores ou até mesmo animais, um lugar onde eu posso simplesmente desaparecer e fingir não existir, ou, como eu prefiro, ser o pesadelo macabro que eu sou, sem ter que fingir algo durante o dia...Eu gosto de lugares perigosos, a floresta pode ser um deles se você for burro o bastante pra se arriscar em certos pontos mas, eu não sou uma dessas pessoas, pra ser um serial killer organizado é necessário ter inteligência suficiente para se tornar um gênio da ciência se você quisesse, mas, a coragem de mil leoas ferozes defendendo seus filhotes e, em alguns casos o jeito traiçoeiro de uma raposa, o reino animal está cheio de qualidades que usadas pelos humanos seriam vistas como  defeitos, eu sou a junção de todos eles com um pouquinho de sensualidade...

Depois de já estar um tempo caminhando no meio da floresta eu parei um pouco simplesmente para observar onde eu estava, e, eu poderia jurar que ouvi algumas vozes, no começo, pensei ser imaginação, mas, depois, assim que elas foram se tornando mais altas e freqüentes eu pude perceber que não era um delírio, e, se eu estivesse certa as pessoas que estavam conversando estavam vindo na minha direção, mas, provavelmente não sabiam que eu estava lá, dei alguns passos, me escondendo atrás de uma árvore e fiquei lá, até as pessoas chegarem perto o suficiente para que eu pudesse entender algo do que falavam, foi aí que eu percebi, quem estava lá na floresta era o Nolan e o Brian...E, eu achei isso muito suspeito, depois que eu ouvi um trecho da conversa é que eu tinha certeza de que eu estava certa:

"Eu já fiz o que você mandou, Nolan! Eu já acabei com as amiguinhas e o namorado dela, deixando a burra da Ashley como suspeita principal, o que você quer que eu faça?!" - Brian parecia com medo de estar na floresta, talvez até com um pouco de medo do Nolan-

" O que for preciso, Brian, eu não estou te pagando a toa, eu quero ver a Alicia totalmente acabada entendeu? Nem que isso signifique matar ela, você tem que dar um jeito, não importa como, mas, temos que acabar com ela, você entendeu?" - Nolan falava com o tom autoritário de sempre, não me assustava nem um pouco, já ao Brian eu não posso afirmar a mesma coisa..-

" Eu sei, eu sei, a gente tem que acabar com ela....Mas, Nolan, você já viu a coragem daquela garota? Ela não desiste por nada! Já tentamos acabar com ela de todas as formas indiretas possíveis, ela é invencível!"

"Ninguém é invencível, Brian, e, exato: Tentamos acabar com ela de todas as formas indiretas possíveis, mas, ainda não tentamos nenhuma forma direta sem ser na floresta naquele dia, ela pode ter conseguido escapar de você daquela vez, mas, dessa vez não vai conseguir, não com nós dois juntos, Brian..."

" O que você quer dizer com isso, Nolan?" - Brian estava cada vez mais apreensivo -

" Não se faça de tolo, Brian, você entendeu perfeitamente o que eu quis dizer, vamos matá-la hoje mesmo."

"M-Matá-la?"

"Exato, vai me dizer que você ainda gosta dela?"

"Não"  - Brian respondeu de imediato, quase me fazendo rir, imagina, ele não gosta mais de mim...Só ficou todo derretidinho quando eu cheguei bem perto dele sensualmente ontem, quase me jogando chão e tirando minha roupa, se tivesse coragem o suficiente pra isso...Se ele não gosta de mim, o que é então? -

"Ótimo, melhor assim. Eu já tenho tudo planejado, iremos cercá-la na casa dela, ela está na escola agora mantendo a imagem de garota certinha, iremos até lá antes dela sair da escola, trancamos tudo, tiramos qualquer arma do alcance dela, e, assim que ela entrar você tranca a porta e eu mato ela imediatamente sem nenhum mas, ok? "

"T-tudo bem..."

O que eu senti a partir daquele momento? Raiva, raiva e nojo...Minhas suspeitas estavam certas, eu sempre soube de alguma forma que o Nolan estava envolvido naquilo, tenho que admitir que ele é até um bom criminoso, dá pro gasto como assassino, mas, é péssimo mentiroso, sempre sendo honesto de forma fria estava cavando sua própria cova com isso, como diria William Shakespeare, as pequenas mentiras fazem o grande mentiroso, e, deixando só pra mentir em ocasiões extremas é totalmente fácil descobrir quando ele está mentindo, o que sempre me fez desconfiar que ele era o assassino misterioso, quanto ao Brian...Também bem suspeito, a forma com que ele sempre me abordava de forma um tanto ardilosa sempre relacionada de alguma forma pela menor que fosse aos danos que o assassino misterioso me causava...Totalmente previsível...

Eu realmente poderia atacá-los alí, mas, não deveria, no meio de uma floresta quando se tem experiência é bem fácil encurralar alguém, o Nolan tem essa experiência, eu também tenho...Com o Brian alí se algo contra mim acontecesse eu realmente seria pega, e eu sei quando não é a hora de fazer algo, e aquela não me parecia a hora certa, além de que se as nossas armas descarregassem rápido e nossa única opção fosse sair da floresta começaria uma grande perseguição, e eu odeio coisas muito longas e chatas, prefiro algo mais rápido e emocionante...

Outra das minhas opções era deixar aquilo passar e não voltar pra casa, eles achariam aquilo muito suspeito, e, depois sabendo que eu não havia ido a escola com certeza saberiam que eu estava na floresta e sabia de tudo, o que ocasionaria mais uma vez perseguição e uma longa história chata, como eu gosto de surpreender eu bolei imediatamente um plano, o feitiço viraria contra o feiticeiro...Eu iria antes deles para casa, deixando toda uma situação pronta para encurralá-los e matá-los torturantemente alí mesmo, já sabendo o planinho sujo deles aquilo seria bem fácil, e, realmente mais uma forma de provar que eu dito as regras e eles jogam, que eu sou a profissional e eles os amadores.

Fui para casa o mais rápido que eu pude, vesti uma roupa bem provocante, o "show", mesmo de dia seria grandioso assim como tudo que eu faço...Um sutiã preto com spikes dourados, um lindíssimo short jeans escuro super curto e bem rasgadinho propositalmente e, também manchado de sangue, meia arrastão e uma bota cheia de alfinetes com o salto agulha mais alto que eu já vi em toda a minha vida.

Peguei duas armas totalmente carregadas e coloquei ao meu alcance, é claro eu estava com dois canivetes bem grudadinhos em mim...Um dentro da minha bota e outro preso na lateral da minha calcinha, e um isqueiro dentro do bolso do short, material de segurança básica quando você é um assassino, eu diria...

É claro que eu montei uma cena bem bonitinha...Deixei as armas pertinho de mim, deitei no sofá com as minhas lindas perninhas cruzadas e peguei um cigarro, logo o logo tudo iria começar...

Poucos minutos depois eu ouvi um barulho, meus convidados de honra haviam chegado...O Brian assim que me viu ficou totalmente apavorado, o que eu fiz? Eu simplesmente sorri, meu tipo sorriso de assassina...

- Olá, Brian, ou devo dizer...Assassino misterioso, como vai?

- A-Alicia, o que você está fazendo aqui?

- Não sou eu que deveria fazer essa pergunta, Brian? Essa é a minha casa...

- M-Mas...

- Eu sei, eu sei...Eu ainda deveria estar na escola, fazendo meu papel de garota boazinha, mas, você e o meu querido papai, que por sinal também deve estar aqui se esqueceram de que eu dito as regras, não é? Eu estava cansada daquele inferno, então simplesmente não fui pra lá, vocês deveriam saber disso, deveriam ter outro informante na escola, sabiam? Mas, são mesmo amadores...- levantei vagarosamente do sofá e fiquei andando em volta do Brian de forma até meio sexy... - Eu gosto de florestas, e vocês deveriam saber disso...Eu ouvi tudinho, e, o que eu posso dizer? O feitiço vai virar contra os feiticeiros, queridinho...Ou devo dizer, queridinhos? Pode aparecer logo, Nolan, eu não mordo...Só mato. - sorri, de forma macabra e maliciosa -

- Eu estou aqui Alicia, e, você não estará mais nesse mundo por muito tempo, parece que alguém por aqui não é tão profissional assim o quanto diz...- Nolan estava atrás de mim, eu poderia sentir isso, e, quer saber? Eu resolvi deixar ele brincar um pouquinho... -

Ele agarrou meus braços, colocando-os atrás das minhas costas e me segurando, com força, muita força...

- Brian, atire logo nela, vamos acabar com isso... - Nolan foi tão frio como sempre, Brian pegou a arma, e a destravou, apontando diretamente pra mim, se eu estava com medo? Nem um pouco, eu sempre estou perfeitamente sob o controle da situação...

- Awn, papai, que fofo você ensinou o garotinho idiota a atirar! - Eu fiz uma voz de garotinha boazinha e infantil, eu não sou fofa? Não, eu sou perigosa e totalmente perversa. -

- Essas são suas ultimas palavras, Alicia? Que inusitado... - Nolan riu, maleficamente - Brian, não me faça matá-lo antes dela e ter que cuidar disso sozinho, atire logo. - Brian estava meio confuso e apreensivo, ele ainda gostava de mim, que idiota...Completamente, inutilmente idiota... -

- Hahaha, ele irá morrer hoje de qualquer forma, papai...Eu vou matá-lo, assim como você...Chega de brincar, vamos a tortura... - Chutei com o salto as partes intimas do meu pai, fazendo-o me largar automaticamente e se contorcer de dor, é tão legal fazer isso, experimentem, meninas, é uma ótima sensação...

- E agora, papai? Quem é o amador, mesmo?  Ah, é, sempre foi você... - Infelizmente, ou, sei lá, felizmente, pra mim deu na mesma o Nolan se recuperou rápido do chute, ou, pelo menos começou a ignorar a dor... -

- Não, Alicia, eu vim aqui com um propósito e não vou ser vencido, você vai morrer hoje, querendo ou não...

- Realmente seria um prazer encontrar Lúcifer hoje, mas, não, eu prefiro que você dê lembranças a ele pessoalmente... - Nolan não esperou eu ter outra reação, pegou a arma e apontou pra mim, apertando o gatilho, foi aí que Brian me empurrou, entrando na frente da bala e levando o tiro, que, felizmente pra mim não foi mortal, o tiro o acertou na coxa pela forma como ele se jogou na frente...O que eu fiz? Tive um ataque de riso e disse:

- Brian, você é tão estúpido...Eu não esperava outra coisa de você, mas, nunca pensei que fosse tão idiota a esse ponto, você achou o que? Que eu ficaria alí parada esperando o tiro me atingir? É claro que eu desviaria, seu filho da puta, mas, mesmo assim, obrigada...Ah, mas, saiba que eu ainda te odeio e você não vai se livrar da minha tortura, ok? Agora,uma pequena lição para sua próxima vida, aprenda: Nunca se meta com assassinos, nunca tente se meter comigo a não ser que queira morrer bem antes do que o necessário...Você acha que está sentido dor? Ainda não é nada perto do que eu vou fazer, ok? - Joguei um beijo para o Brian, como pura forma de provocação e sedução... -

O Nolan em um movimento rápido me empurrou no chão, apontando a arma diretamente pra mim mais uma vez, eu chutei a arma da mão dele e o derrubei, com uma rasteira, segurando-o fortemente para que ele não escapasse:

- E agora, papai, vamos a tortura... - Peguei uma das minhas armas e atirei na perna dele, para que também não conseguisse se levantar, assim como o Brian - Ah, vai ser muito legal torturar e depois matar vocês, sabia? Sintam-se honrados em serem mortos por mim!

- Talvez, Alicia, mas, ainda é dia, as pessoas devem ter ouvido os tiros e estão ligando para a policia, você deixou várias impressões digitais em nós, não dará tempo de escapar dessa vez, filhinha... - Nolan disse, com uma voz meio fraca por causa da dor que sentia -

- Você está certo, papai, mas, mesmo assim isso vale a pena, eu jurei, prometi a mim mesma que os mataria, custando o que custasse, e, vou cumprir não importando as conseqüências...

- Já que você insiste, Alicia...

- Primeiro deixem-me entender, você, Nolan estava com um tanto de inveja de mim, porque meus assassinatos são totalmente perfeitas, deixando seus crimes de quinta categoria sem destaque nenhum, você queria e, talvez até precisava se livrar de mim, por isso precisava de outra pessoa que me odiasse para te ajudar com isso descobrindo mais informações sobre minha linda e perfeita vidinha, o idiota do Brian é claro foi uma escolha até boa em termos de ódio por mim, mas, não em termos de inteligência, agilidade e estratégia...O Brian me odeia porque ele me ama, confuso, não? Mas, como eu nunca dei bola pra ele o babaca achou que te ajudar fosse uma ótima forma de se vingar de mim, juntos vocês dois ficaram contra mim como o assassino misterioso, destruindo minhas poucas amizades e não totalmente eu espero o meu namoro com o Mike, deixando ainda a Ashley como minha amiga e uma suspeita bem obvia para mim como o assassino misterioso por sugestão do Brian já que ela já o prejudicou, certo?

- É, basicamente é isso.. - Brian falou, quase em um sussurro -

- Vocês só esqueceram que não se brinca com fogo, só esqueceram que eu não jogo para perder, esqueceram de que a Ashley não teria coragem e nem capacidade para pensar nisso tudo, esqueceram que eu nunca perco, esqueceram que é muito perigoso brincar com a morte...Agora, eu cansei de brincar, vamos, finalmente começar... - Tirei um dos meus canivetes da bota, peguei o isqueiro e o esquentei até ficar vermelho de tão quente, me abaixei, chegando perto inicialmente do Brian e disse, em alto e bom som... - Como eu disse quem brinca com fogo se queima, que tal queimaduras e cortes? - Comecei a fazer cortes com o canivete fervente nele e também no Nolan, diversos e não muito profundos, sempre em formato de X, eles gritavam e agonizavam de dor - Acham que está doendo? Acha que já estão sofrendo muito? Pois eu não, isso não é nem o começo... - Se eu parece para contar aposto que teriam mais de 50 cortes em cada um deles, todos com a pele totalmente queimada, aquilo deveria doer muito, mas, quem disse que eu ligo? Peguei o canivete, e fiz eles colocarem a língua para fora, cortando mais da metade de cada uma, é divertido fazer isso...Eu poderia continuar por muito tempo, mas, eu sabia que os vizinhos tinham ouvido o barulho dos tiros e que eu não poderia demorar muito se não quisesse ser pega, não ao menos hoje...Então fui tratando de terminar, levantei a blusa deles e fiz um grande corte também em formato de X e bem profundo e depois estripei-os tirando os órgãos de dentro deles, sem nem me preocupar com luvas, minhas impressões digitais já estariam bem evidentes alí de qualquer forma sem tempo para desfazê-las, fiz um circulo em volta deles com os órgãos e peguei o sangue, não poderia faltar um recadinho, não é? Mesmo dessa vez sendo ele muito, muito, muito mais sério: "Dessa vez o recado é pessoal, policiais..." e fiz uma seta apontando para uma mesa, onde eu deixei um papel, escrito com caneta mesmo "Olá, queridos policiais, como vão? Não precisam nem investigar, dessa vez eu deixei impressões digitais, não queria terminar com isso tão cedo, mas, eu tive, sou uma pessoa honesta - ou nem tanto... - cumpro minhas promessas, e, fazer isso que eu fiz hoje era uma questão de honra, e nem precisam investigar, eu já digo quem sou...Alicia Montgomery, surpresos? Mas, por favor, não me procurem de forma totalmente enlouquecida por aí, gosto de crimes grandiosos, certo? Quero que o grande final também seja grandioso...Amanhã vai acontecer um baile de primavera na minha escola, até lá não quero ninguém sabendo da minha identidade, entenderam? A não ser que queiram que aconteça uma tragédia pior, muito pior que pode abalar grande parte de Los Angeles, de uma forma bem trágica, se eu realmente vou estar nesse baile? Vocês vão ter que confiar em mim...Nos vemos amanhã a noite...

Beijos sangrentos,

Assassino X, ou melhor...Assassina X"

Deixei uma marca de beijo com o meu batom vermelho no papel e sai dali imediatamente.



Notas finais do capítulo

Reviews ou eu terei que torturá-los como a Alicia fez com o Brian e o Nolan?
♥ Lady Suicide ♥