The Girl Of Cutting escrita por Fafa Moraes


Capítulo 34
An Old Custom Never Changes


Notas iniciais do capítulo

Olá mortos-vivos! Mais um capítulo para vocês! Já vou adiantando que o de amanhã vai ser completamente louco, misterioso e fodastico, se preparem!
Boa Leitura!
Link do blog oficial: http://thegirlofcutting.blogspot.com




Acordei de um sono suave e belo, onde eu matava o chefe da policia de Los Angeles, boa idéia para um próximo assassinato, não acham? Mas, vamos deixar os meus sonhos de morte para depois..Tenho muito o que fazer...Desarrumar um pouco a casa, tirar a minha roupinha de trabalho, bagunçar o cabelo e fazer uma carinha bem triste...Os policiais logo, logo virão me interrogar, e, eu tenho que me fazer de vítima nessa história toda....Quem sabe fingir mais um delírio com um assassino, é uma boa maneira de encerrar um chato interrogatório onde todas as respostas são falsas...

Escondi todo o tipo de arma que eu encontrei, menos as facas da cozinha, é claro, policiais não são tão paranóicos nesse ponto, azar o deles, porque, comigo deveriam sim...Se com minhas unhas eu já sou mortalmente perigosa, com uma faca eu consigo ser pior do que Lúcifer...

Me vesti como uma adolescente normal e ajuizada, fiz uma maquiagem e borrei ela inteirinha como se estivesse chorando por horas, coloquei a carta de emancipação e o bilhete do Jhon em cima da mesa, contei a até dez e entrei no meu personagem: Alicia triste porque o padrasto e seu filho foram cruelmente assassinados, que dó...

Poucos minutos depois a campainha tocou...Luz, câmera e ação, eu pensei...

Atendi a porta, eram 3 policiais, Max o chefe do "bando" e outros que eu não conhecia...

- Senhorita Montgomery, creio que já saiba sobre o assassinato de Jhon e seu filho Lucas... - disse Max, sério e tão frio quanto eu... -

- Sim, e-eu sei e, a-a-o mesmo tempo n-não acredito.. - eu disse, com lágrimas começando a escorrer pelos olhos, falsas, é claro... - Entrem e sentem-se...

Eles entraram e se sentaram no sofá, eu me sentei em uma poltrona na frente deles, não posso me dar ao luxo de ficar tão perto de quem eu gostaria de ver em um caixão, eu posso simplesmente enlouquecer, matar é algo inacreditavelmente viciante...

- Bom, Alicia, gostaríamos de interrogá-la sobre o caso... - Só a voz de Max me dava nojo...Eu mataria aquele cretino um dia, seja como fosse... -

- V-vocês estão insinuando que eu m-matei eles dois? - eu fiz uma cara de assustada, ainda chorando... -

- Não leve por esse lado, senhorita...Apenas queremos informações que nós levem até a resolução do caso... - concordei com a cabeça, aparentando estar mais calma - Continuando...Você tinha uma boa relação com seu padrasto?

-  S-sim, s-sempre nos demos muito bem...A-a gente sempre conversava, e, assistia tv j-juntos...

- E com o filho dele, o Lucas?

- T-também, realmente nos t-t-tratavamos como se fossemos irmãos de verdade...

- Ótimo...Conte-nos, Alicia...Jhon estava apresentando algum comportamento estranho nos ultimos dias...

-Não muito.A-as v-vezes ele p-preferia ficar sozinho, c-coisa que ele s-s-sempre odiou....E, ele m-me deixou um bilhete..

- Um bilhete? Mostre-nos.... - fui até a mesa, peguei o bilhete e a carta de emancipação e mostrei ao policial, que leu atentamente, pensou por um tempo e disse - Ele te deixou isso?

-S-sim...

- O que exatamente você estava fazendo ontem, Alicia?

- Bom...e-eu acordei, tomei café com o Jhon, o lucas estava brincando...l-logo depois d-disso ele foi tr-trabalhar, eu fiquei mais um t-tempo em casa, e depois sai com umas am-amigas...Eu voltei pouco antes das 19:00 e e-esses papeis estavam em c-cima do balcão...N-não levei muito a sério, fui para o m-meu quarto, fiquei vendo televisão, depois eu dormi e quando acordei, b-bom, os noticiários não falavam em outro assunto...

- Então você simplesmente achou esse papel quando voltou?

- Sim...

- Com certeza Jhon já sabia de algo...Talvez o assassino o estivesse ameaçando... - Ou talvez o grande e poderoso assassino x, seja essa doce e inocente menina que vos fala e que está na sua frente, e, ela também manipulou tudo isso para que você pense desse jeito e se confunda mais ainda na sua busca inacabável pelo assassino x, awn, que fofa eu sou... -

- O-O QUE V-VOCÊ QUER DIZER? Q-QUE A M-MORTE DA MINHA MÃE FOI UM AVISO AO J-JHON? Q-QUE ELE JÁ SABIA DE TUDO? QUE O AS-ASSASSINO PODE ESTAR ATRÁS DE M-MIM? - disse isso fingindo arfar, colocando as mãos na boca e chorando... -

- Acalme-se, Alicia...É apenas uma suposição, nada sério...E, você vai ficar segura, iremos te proteger e faremos de tudo para prender esse assassino...

- M-mas, E SE ELE ESTIVER ATRÁS DE M-MIM? E-ELE ESTÁ ME PERSEGUINDO EM TODOS OS L-LUGARES ELE ESTÁ... ATRÁS DE VOCÊ! E-ELE VAI ME MATAR! - Fiquei gritando isso e apontando para a parede, chorando e com uma mão tapando a boca, que normal eu sou....Ou, a frase seria como eu finjo bem? É, a segunda venceu...

- Alicia, fique calma, não tem nada alí.. - Embora sejam uns idiotas na hora de resolver os crimes, policiais são bem informados, por isso já sabiam sobre o psicólogo e o jeito que eu pirei tendo uma ilusão com um assassino naquele dia, é legal fingir ser meio-louca, porque, eu acabo parecendo bem normal comparada a falsa Alicia...e, bom, o remédio que o psicólogo me deu é realmente viciante...-

Bom, depois disso os policiais foram embora totalmente convencidos de que eu era inocente, e, culpada? Quem disse que eu sou culpada de algo?  Hahaha, e, eu ainda convenci eles a aceitarem a emancipação, agora, eu estou sendo protegida por policiais, e, protegida de mim mesma! Eles me procuram e me protegem, tudo não poderia estar melhor....

Passei o resto do domingo com o Mike, você sabe, bebendo, fumando, transando...Contei pra ele tudo que os policiais tinham dito, e ele caiu na gargalhada quando eu interpretei a parte em que eu disse ter visto um assassino, na verdade, até eu riria de mim mesma se não tivesse que manter o personagem...

Também falei com o Mike que eu queria matar o policial Max...Ele me deu umas idéias, e uma delas foi bem prestativa, o que era? Ah, vocês saberão em breve... Mas, agora, eu tinha outra prioridade, por um tempo me policiaria a crimes menores...Precisava resolver coisas sobre a Alicia fingida, e, também tentar descobrir algo sobre o assassino misterioso, que, continua agindo todas as noites, sempre matando uma pessoa, mas, como meus crimes são maiores isso não da tanta repercussão...Mesmo tentando focar a minha vida em uma coisa só, será meio difícil conseguir, não quero que os policiais pensem que o Assassino X cansou de crimes grandes, não quero que eles tenham tempo para investigar melhor os casos por não ter um número grande de mortos...É realmente complicado ser um assassino, você precisa de muita inteligência e sagacidade, e, no meu caso, sensualidade também... Eu posso tentar focar um pouco em outra coisa, mas, a verdade é que minha vida não é nada sem um pouco de sangue escorrendo no canivete, nada...

Faltei a aula na segunda, tinha assuntos a resolver...Que tipo de assuntos? Coisas de negócios....Comprei armas, facas, canivetes, bebidas...Tudo com dinheiro roubado, e, também tinha que planejar mais crimes grandes...Mesmo tendo outras coisas a resolver um assassino nunca para, e, eu não poderia parar, por isso, já tenho dois crimes incrivelmente perfeitos ou, horrivelmente cruéis, sanguinários e desumanos como um cidadão normal, chato e nojento diria...Faltar aula não seria nada, que tipo de atriz seria eu se deixasse a minha linda personagem inocente, boazinha e querida por todos ir a aula depois que seu padrasto e seu irmão de consideração morressem assassinados cruelmente? É, com certeza, eu seria uma atriz ruim, uma assassina pior ainda...Coisa que eu não sou....

Ainda era de tarde, eu tinha bastante tempo para fazer o que eu quizesse sozinha em casa..E, não iria deixar os quartos do Jhon e do Lucas daquele jeito...O que eu fiz? Uma transformação...O quarto do Jhon eu deixei intacto,  os policiais poderiam querer investigar algo lá...Com o quarto do Lucas? hahaha.. Transformei em um lugar perfeito...Como um escritório para um assassino....Armas, bebidas, registros de outros crimes e dos passos que os policiais dão tentando fracassadamente me pegar...Pôsteres das minhas bandas favoritas, meus "figurinos" para assassinatos, meus rascunhos de planos, em fim, essas coisas...Como eu consegui deixar isso tudo desse jeito em tão pouco tempo?  Quando você tem quase um milhão de dólares roubados é muito fácil, vocês deveriam experimentar, ou não...

Na terça feira acordei no meu lindo escritório..Ah, a vida de assassina me traz muitas coisas boas, não acham? É, com certeza...

Me arrumei para ir a escola...Bom, quando cheguei todos estavam olhando para mim com pena....A garota que teve o padrasto e o irmão assassinados, que triste...Meu rosto mostrava o mesmo tom desafiador e enigmático de sempre, e, quando eles notaram logo pararam de me encarar, como eu disse..Apenas tenho que fingir para adultos, apenas a opinião deles importa no mundo dos negócios, a não ser que você seja um assassino, como eu....

Quando eu estava no corredor um garoto me empurrou na parede e disse, em tom de deboche:

- Se não é a estranha que perdeu o padrasto...Mudou de escola, mas, não mudou de jeito, continua ridicula como sempre... - Era Brian Williams, um dos garotos que mais me provocava naquela antiga escola...-  Depois de fazer isso ele simplesmente saiu...Melhor para ele, com certeza..

A Ashley estava vendo a cena toda, se espantou, chegou perto de mim e disse:

- O que foi aquilo, Alicia? Porque você não revidou? Sei lá, machucou ele ou até... - ela diminuiu o tom de voz - matou? Porque você deixou ele fazer isso?

- Pela mesma razão que eu deixava antes, se eu fizer isso aqui irá chamar atenção...Ele é apenas mais um idiota, não sabe com quem está mexendo...Eu já cheguei bem perto de matar ele uma vez, ano passado, quando meio-mundo fazia isso comigo, e com bem perto, eu quero dizer que eu tinha uma faca comigo, mas, pensei duas vezes e apenas respirei fundo, eu não posso deixar que ninguém desconfie, e, antes que você me pergunte, não, eu nunca cheguei perto de te matar ou de querer isso...Com você é diferente, é apenas hierarquia escolar...A popular xingando a excluída, eu entendo...Já com eles, é questão de, sei lá, problemas de idiotice extrema para me provocar.... - Ela ficou boquiaberta com a minha resposta, eu simplesmente a ignorei e fui para  a aula... -



Notas finais do capítulo

Reviews ou eu terei que usar uma das armas do meu enorme arsenal contra a linda cabecinha de vocês?
♥ Lady Suicide ♥



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "The Girl Of Cutting" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.