The Girl Of Cutting escrita por Fafa Moraes


Capítulo 15
The Wickedness is in the blood


Notas iniciais do capítulo

Boa Leitura!
Sigam o blog oficial da história!
Link: http://thegirlofcutting.blogspot.com




Olhei diretamente nos olhos dele, ele também não parava de olhar para mim...Aqueles olhos verdes me encaravam quase me deixando tonta...Eu sabia que os conhecia. 

De repente, veio um flashback na minha cabeça...

Thunderbolt, Geórgia a 12 anos atrás; uma menina de aparentemente 5 anos correndo pelo jardim de uma casa... 

- Mamãe, mamãe, brinca comigo e com a Lyla. - dizia a garota, correndo atrás de uma cadelinha branca - 

- Alicia, pare de correr, você vai ficar toda suja e se machucar... - dizia Mellaine, a mãe da garota - 

- Mellaine, pare de impedir a garota de se divertir... - um homem apareceu na frente de Mellaine, os mesmos olhos, as mesmas feições, era ele, era seu pai... - Alicia, eu posso brincar com você?

- Sim, papai, pode!

E eles passaram praticamente a tarde inteira brincando, quando pararam para descansar, Alicia o fez uma pergunta:

- Papai, porque a mamãe não brinca comigo? Ela não gosta de mim? -  disse a garota, com os olhos verdes-azulados brilhantes cheios de lágrimas - 

- Não pense isso, Alicia, ela apenas...apenas está um pouco cansada. 

Me despertei do tranze causado pela lembrança.

Meu Deus, meu Deus, meu Deus, aquele homem é meu pai...que eu não vejo a 9 anos.

A maioria das pessoas se emocionaria e o abraçaria correndo, mas, é claro que eu não fiz isso, afinal, sentimentos é o que eu menos tenho.

Logo voltei a raciocinar logicamente, provavelmente já haviam chamado a ambulância e a policia...eu estava dirigindo bêbada, policia não era um bom sinal, eu poderia me meter em graves problemas, e, com certeza, uma das suspeitas do assassinato da minha mãe quando encontrassem o corpo também seria eu; então, saí correndo no meio de todos, o mais rápido que pude,  sou bem rápida, tenho que admitir. Todos ficaram meio assustados "Ela acaba de sofrer um acidente e sai correndo desse jeito?" mas, dane-se, eu  nunca me importei com o que os outros pensam, não é agora que vou passar a me importar...

Depois de me afastar bastante do local do acidente sentei-me perto de uma árvore...Não costumo fazer isso, mas, eu precisava pensar, precisava de um plano...Jhon ligaria para a policia pelo desaparecimento de Mellaine, a policia investigaria até achar o corpo e procuraria suspeitos...Eu seria um deles, por já ter sido acusada de um crime e brigar frequentemente com a minha mãe,. seria uma boa suspeita... na verdade a correta, mas, eles não precisam saber disso...Droga de acidente! Porque eu não me machuquei? Sei lá, arranhões... quebrar um braço...pessoas machucadas sempre parecem mais inocentes... Ah, quer saber? Que se dane, já matei um, matar todos os policiais que me acham suspeita não vai ser difícil, e, como Jhon é um idiota e eu sou uma ótima atriz ele vai me defender, tenho certeza...quanto ao acidente eu posso....

 - Oi, Alicia.... - fui tirada dos meus pensamentos...Quem me interrompeu? Meu pai. - 

- Oi, Nolan...  - falei, seca - 

- Se lembra de mim? - ele disse, sentando ao meu lado - 

- Se lembra de como se respira? 

- Porque não me chamou de pai?

- Porque não me chamou de filha?

- Quando vai parar de responder perguntas com outras perguntas?

- Quando seu coração vai parar de pulsar sangue?

- Ótimo, você aprendeu a ser tão fria quanto eu....

- Você aprende muita coisa quando sua mãe e seu padrasto são dois idiotas que te tratam como se gritassem "eu te odeio"...

- Hm...saudades de mim?

- Acho que saudade não é a palavra certa...

- Raiva então?

- Também não...

- O que então?

- Você é meu pai que eu não vejo a 9 anos ou um psicólogo?

- Ok, entendi o recado...Mas, então, como andam as coisas, Ali?

- Dizer que eu preferia ter morrido no acidente serve como resposta?

- Saquei...muita pressão da sua mãe?

- Não mais...mas, provavelmente Lúcifer deve estar sofrendo bastante com ela no inferno...

- Você está dizendo que sua mãe...hm, morreu?

- Sim... 

- Jhon e Lucas já sabem disso?

- Não...Ei, como você sabe o nome deles?

- Sou bem informado... Se eles não sabe, como você sabe?

- Sei lá... talvez eu tenha cometido um assassinato, talvez não...

- Hm, entendo... - eu dei uma risada meio sarcástica - O que foi ?

- Eu acabo de dizer que matei a minha mãe e você diz "entendo"...

- Alicia, você me conhece tão bem quanto eu te conheço...ou seja, não sabe nada sobre mim.

- Isso é verdade...

- Vem comigo, eu vou te levar até a minha casa....

- Que feio, Nolan... acabou de me reencontrar e já está me sequestrando?

- Você é muito sorrateira, Alicia...

- É o que dizem...

Como nossos carros ficaram totalmente destruidos por causa do acidente ele arrombou e roubou um carro, é, acho que eu já sei da onde tirei tanta maldade...

- Nolan, roubando um carro....

- Cala a boca, Alicia, você acabou de matar a sua mãe... 

- Que era uma idiota...

- Ok, está perdoada...

- Então...quer dizer que além de beber, fumar e se drogar você entrou para o mundo dos crimes, papai... - disse, sarcásticamente - Ei, ei, ei... da onde você tirou que eu sou droga...Mellaine, certo?

- Uhu! Eu não fui a única vitima das doideiras da Mellaine...Eu acho que a vadia achava que toda pessoa que bebe e fuma é drogada, sinceramente...

- Você bebe  e fuma, Alicia?

- Opa, opa. opa! Direitos iguais, certo?

- Ok, não está mais aqui quem falou...

- Então, como você entrou para esse ramo ilegal? - perguntei, fazendo a minha melhor pose de garota má - 

- Digamos que sua tia foi assassinada e eu gosto de vingança...e você?

Contei tudo pra ele, incluindo sobre o incêndio da escola, o que foi a parte que mais o surpreendeu...

- Foi você que provocou o incêndio?

- Não esperava, sei lá, que tivesse sido a Tinker Bell, né? - ele riu - 

 - Alicia, eu nunca tive tanto orgulho de alguém na minh vida! - eu tive um ataque de risos enorme, uma pessoa ter orgulho da outra por matar pessoas é algo, bom, diferente... - 

Fomos até a casa dele e ficamos conversando...Eu tinha me esquecido o quanto meu pai era legal... Mas, um momento preocupante tirou por um tempo a minha alegria... Jhon já tinha ligado para a policia para comunicar sobre o desaparecimento de Mellaine, e, como o carro que eu estava dirindo era dela, fortes suspeitas ligavam as duas coisas, e, algum filho da puta que estava no local na hora do acidente descreveu quem estava dirigndo, ou seja, eu... mas, a descrição não foi tão bem feita assim... 

Meu pai olhou para mim quando vimos a noticia, assustado..

- E agora, o que você vai fazer, Ali?

- Simples... fingir que estou totalmente abalada... chorar rios d'água...E outras coisinhas que uma filha normal e desesperada deveria fazer... Jhon já mais vai suspeitar que eu fiz isso... e, a descrição não foi tão bem feita assim, como todo criminoso tem um plano B: ameaçar policiais é uma boa saída caso isso não dê certo...

- Essa é a minha filha... - nesse momento o meu celular tocou, era Jhon... - 

- Falando no diabo... - atendi o telefone - 

- Alô, Jhon? - disse, já fingindo uma voz triste, de choro... - 

- Alicia... - disse ele, também abalado, só que verdadeiramente - Acho que a essa altura você já sabe o que aconteceu...

- Sim, sei...Eu e-eu estou em pânico, não sei o que fazer...eu, eu estou com medo! - disse, fingindo mais ainda estar chorando - 

- Acalme-se Alicia, iremos achar a sua mãe...Onde você está?

- Na casa de uma amiga...

- Volte para casa, a noite eu estarei de volta... daqui a mais ou menos três horas Lucas chegará da escola, acha que pode cuidar dele pra mim?

 - P-posso...

- Obrigada. - ele desligou o telefone, e eu sorri para o meu pai - 

- Viu? Eu sou uma ótima atriz...e não, ele não sabe que eu não tenho amigos...

- Você tem um futuro promissor, Alicia....

- Puxei ao meu pai... 

- Alicia, se quizer, pode ir com o carro que roubamos... Tenho vários de onde esse veio.

- Ok, obrigada...

Sai da casa dele e fui direto para a minha, precisava desarrumar algumas coisas e parecer abalada, um pouco de maquiagem borrada e roupas amassadas cuidaria do recado... É, é muito bom não jogar limpo.                        



Notas finais do capítulo

Acho melhor termos reviews... eu posso me mostrar uma boa substituta da Alicia provocando incêndios, fazendo assassinatos, causando acidentes...
Reviews ou não?



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "The Girl Of Cutting" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.