The Girl Of Cutting escrita por Fafa Moraes


Capítulo 13
The killer inside me


Notas iniciais do capítulo

Olá, olá! Boa Leitura!
P.S: Não deixem de seguir o blog oficial da fic!
Link: http://thegirlofcutting.blogspot.com




Quando cheguei no apartamento do Fox ele estava me esperando totalmente aflito:

- Alicia! Ainda bem que você chegou! Quase pensei que você estivesse sido presa... - eu dei uma risada debochada - 

- Eu, presa? Eu só serei presa quando o universo parar de crescer, a Terra parar de girar e todas as estrelas do universo se apagarem, e, mesmo se eu for presa, uma coisa eu garanto...Não estou disposta a ficar lá por muito tempo, afinal, comigo não se brinca...

- Hm, ficando mais perigosa a cada dia... Como foi? O que te disseram?

- Perigosa, eu? Você ainda não viu nada...  A louca da diretora estava lá, me acusou como se tivesse toda a certeza que fui eu a culpada, eu dei uma de coitadinha, chorando mil lágrimas, e como o policial ouviu uma falsa briga minha com a minha mãe, ele acreditou...O video que eu editei foi assistido por nós, e bom, eu provei minha inocência...Mesmo ela sendo falsa. Ainda não sei como esses bandidos que anunciam na TV são pegos com anos de experiência...

- Uau, tem certeza que você não foi, sei lá, treinada pra isso?

- Absoluta, mas, alguma noticia de se ou quando o inferno na terra vai reabrir? Porque, eu quero fazer uma visitinha a uma filha de satã chamada Ashley...Sabe, ela pode trazer muito perigo para os meus planos.

- Planos... Que planos?

- Muitos...Não ser presa, me vingar de algumas pessoas, entre outras pequenas coisinhas...

- Hm, e esses planos me incluem?

- Sim...e muito.

- Ah, é, é... e como?

Nesse momento algo estranho aconteceu, eu não conseguia mais ouvir nada, era estranho...uma lembrança veio a minha mente...

O homem, o homem da festa de sexta-feira, aqueles olhos verdes me encarando...Realmente não sei porque essa lembrança veio na minha mente justo nesse momento...

- Alô-ou? Tem alguém aí dentro? Alicia? - o Fox me fez despertar do meu tranze, ele estava me olhando, meio assustado -

- O-oi... desculpe, eu, estava pensando em uma coisa...

- No que?

- Aquele cara, lembra, de sexta a noite, que ficava olhando pra mim?  Ele me lembra alguém, não sei exatamente quem e nem porque me lembrei disso agora... É, confuso...

- Hm, você se lembra de te-lo visto em algum lugar antes?

- Não sei...Mas, agora chega disso! Tenho que ir, hm, fazer umas coisas...

- Coisas...posso saber que coisas?

- Logo, logo você vai saber...

Ele ficou me encarando com uma cara estranha, eu saí de lá sem dar satisfações.

O que vou fazer? Dar uma passadinha em casa... Preciso acertas as contas com a minha mãe...

                Entrei em "casa" minha mãe estava na cozinha, provavelmente sozinha em casa, o otário do Jhon deveria estar trabalhando e Lucas com certeza na escola, entrei, sorrateiramente e disse...

- Oi, mamãe, saudades de mim?

- Alicia?!

-Não, não... sou a Barbie, não está vendo?

- Você me assustou!

- Essa foi a intenção...

- O que você veio fazer aqui, Alicia? - ela disse, séria - 

 - Como assim, mãe? Aqui não é a minha linda casinha onde eu moro com minha linda e carinhosa mãe, meu padrasto e meu meio-irmão?

- Se você foi embora porque voltou?

- Hmm, me expulsando, que lindo... Não vai ficar barato, Mellaine, não vai. Você arruinou a minha vida, porque vir pra cá? Porque nos mudar para Los Angeles? Você me tirou tudo, tudo, tudo o que eu queria, tudo o que eu gostava, tudo que eu tinha, porque? Por causa de um cara idiota! VOCÊ DESTRUIU A MINHA VIDA! EU TE ODEIO, EU TE ODEIO! TÁ VENDO ISSO AQUI? - levantei a manga da blusa, mostrando diversas marcas de cortes, algumas recentes - É CULPA SUA, S-U-A! 

Eu comecei a chorar, não sei muito bem o porque de ter ido até lá, mas, queria vingança, vingança a cima de tudo, alguma voz dentro de mim me dizia que deveria ir até lá, é realmente culpa dela, da minha mãe...É a única coisa que eu tenho certeza...

- Minha culpa? Agora você ser uma psicopata é minha culpa?

- PSICOPATA? NUNCA MAIS ME CHAME ASSIM.

- POR QUÊ? VOCÊ NÃO QUER ADMITIR? NÃO QUER ADMITIR QUE É UMA PSICOPATA ASSIM COMO SEU PAI? 

- JÁ DISSE QUE VOCÊ PRECISA NASCER DE NOVO PARA FALAR DO MEU PAI!

- Você realmente é igual a ele, Alicia... uma total destruidora...Foi você que provocou o incêndio na escola, não foi? Porque os policiais não te prenderam? Você deveria estar em uma prisão, em um reformatório, onde é o seu lugar! Deveria apodrecer na cadeia junto ao seu pai.

- EU NÃO TENHO NADA A VER COM INCÊNDIO NENHUM! ENTÃO É ISSO? É ISSO?! ME PRENDA, VÁ ME PRENDA LOGO! QUALQUER COISA É MELHOR DO QUE FICAR AQUI COM VOCÊ!

  - E O QUE VOCÊ VAI FAZER, ALICIA? ME DIGA! SAIR DAQUI, ARRUMAR UM EMPREGO? VOCÊ NEM AO MENOS TERMINOU O ENSINO MÉDO! O QUE VAI FAZER? SER UMA PROSTITUTA DANÇARINA DE BOATES?

- EU JÁ DISSE QUE QUALQUER COISA É MELHOR DO QUE MORAR COM VOCÊ, SUA VADIA! 

- NÃO ME CHAME ASSIM, ALICIA, EU SOU SUA MÃE!

- MÃE? VOCÊ NEM AO MENOS SABE O QUE É SER MÃE!

Nesse momento ela se irritou profundamente, pegou uma faca que estava em cima do balcão da cozinha e me cortou... Sim, ela fez um corte em meu braço esquerdo, era grande e profundo, tinha ao menos 10 centímetros, mas, eu já estava acostumada com a dor.   

- PORQUE VOCÊ FEZ ISSO? - gritei, furiosa - 

- FIZ O QUE VOCÊ FEZ COMIGO, SUA PSICOPATA, VOCÊ ME CORTOU NA ESCOLA NAQUELE DIA! VOCÊ NÃO É MINHA FILHA, É UMA TOTAL PSICOPATA!

- Você não deveria ter feito isso, Mellaine, não deveria me provocar... Brincar com Alicia Montgomery é brincar com a morte... - tirei um canivete de dentro do bolso - Você não é a única que sabe fazer cortes, aliás, eu faço isso melhor do que qualquer um...

Fui me aproximando dela, estava tomada pela raiva.

- O que você vai fazer, Alicia? A-Alicia?

- Agora você está com medo, não é? Hahaha, tarde, tarde de mais...

Primeiro cortes nas pernas, ela já não conseguia mais andar...estava sangrando, muito sangue sendo jorrado, não importava mais se eu ia me sujar ou não, meu braço já estava sangrando mesmo... no chão ela implorava pela vida...

- Alicia! Filha, não faça isso!

- Filha? Então agora eu sou sua filha...Não, não mais...

Fiz dois cortes em formato de X no pescoço da minha mãe, ela estava agonizando no chão, muitos depois..ela parou de respirar.

Foi assim que eu matei a minha mãe... 

No começo fiquei em estado de choque... deixei o canivete cair no chão e fiquei olhando para o corpo ensanguentado sem vida...

Eu estava realmente assustada, tinha acabado de cometer meu primeiro assassinato... tinha matado a minha mãe.

Não parava de repetir, em sussurros:

- Eu matei minha mãe...

Mas, eu não sou burra... peguei o corpo dela esquartejei e joguei em um riacho que passava perto da minha casa... Estava extremamente exausta e ainda em choque.. Eu matei a minha mãe.

Olhei para o meu braço, ainda estava sangrando, estava começando a me sentir fraca, antes de qualquer coisa acontecer eu peguei o carro de minha mãe e fui até o apartamento do Fox, estava toda ensanguentada, mas, acho que ninguém notou.

Quando abri a porta vi que ele estava sentado no sofá, vendo televisão, ao me ver, toda suja de sangue veio direto em minha direção.

- Alicia, o-o que houve? Você está toda ensanguentada, o que aconteceu? Está se sentindo bem? O que houve?     

Eu não conseguia falar, o máximo que saiu da minha garganta foi:

- E-eu ma-m-ma... 

- O que houve? Você o que..

Antes que pudesse falar qualquer coisa eu desmaiei, o corte que minha mãe havia feito em mim era muito profundo, já havia perdido muito sangue, estava fraca...

Acabei desmaiando alí, ensanguentada, nos braços no Fox.          



Notas finais do capítulo

Reviews? Ou eu terei que bancar a Serial Killer também?...



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "The Girl Of Cutting" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.