Shut Up, Stiles! escrita por Kori Hime


Capítulo 1
O blá blá blá de Stiles


Notas iniciais do capítulo

Surto de Sterek :D




— Derek... – as palavras seguintes foram reprimidas por um gemido mais rouco, que escapou dos lábios de Stiles; ele sentia seu corpo inteiro se arrepiar com os beijos que recebia. – Caramba. Espera um pouco. – Ele respirou fundo, sacudindo as mãos na frente do corpo, para ventilar. Tirou de maneira desastrada a camiseta que vestia, e a atirou no chão. – Assim é melhor. Estava me sentindo sufocado com a gola da camisa. Apertada demais, e eu não sei por que comprei...

— Hmm. – Derek Hale moveu os lábios, mas decidiu não fazer daquilo um motivo para conversas desnecessárias. O moreno voltou a beijar o pescoço de Stilinski, deslizando suas mãos grandes pelas costas do rapaz, apertando os dedos nas costelas e em seguida, abriu os botões da calça que ele vestia. Puxou o cós da calça para baixo, mesmo que ainda não fosse a hora para retirá-la, pois seus lábios estavam ocupados na pele quente do mais jovem. Ele foi beijando até o peito, e, excitado com o momento, mordeu ligeiramente.

— Opa!!! – Stiles afastou Derek com as duas mãos no ombro dele. – Tempo! Tempo!

— O que foi agora? – Hale perguntou, massageando as têmporas.

— Você me mordeu. – Ele disse, movendo os braços, enquanto observava Derek o olhar sem entender onde ele queria chegar. – Lembra o que combinamos? Nada de mordidas, nada de homicídios. Sem garras ou dentes pontudos. – Ele mexeu os dedos na frente da boca, imitando os caninos de Derek.

Derek largou as costas no sofá, aspirou o ar com força, fazendo o peito mover.

— Isso nem foi uma mordida. Tá mais para um chupão.

— Então você reconhece que queria deixar sua marca no meu corpo?! O que vai fazer depois? Urinar em mim para marcar território?

— Não. Eu urinei em volta da sua casa para marcar o território.

— Sério? – Stiles esboçou um sorriso maluco. – Nossa, não achei que eu fosse assim tão importante para você.

Derek segurou Stilinski pela cintura e jogou-o para o lado, como se fosse um saco de batatas. Após isso, o moreno levantou-se, buscando sua camisa no chão, vestindo-a em seguida. Stiles ainda abandonado no sofá, tamborilava os dedos sobre as coxas.

— Certo! Eu admito que sou um idiota. – Por fim ele disse, ficando de pé.

— Não precisa admitir algo óbvio para mim. – Disse Hale, vestindo a jaqueta.

— Qual é. – Stilinski socou o ombro de Derek, que lhe lançou um olhar fulminante. – Ok! Tive um déjà vu aqui. – Ele alisou a mão no ombro de Derek. – Enfim. O que eu quero dizer é que não precisa fazer tanto alvoroço por isso. Eu meio que pirei com essa coisa de mordida. Se estivesse no meu lugar, o que faria? – Stiles tagarelou, como sabia fazer muito bem. E gostando ou não, as vezes ele acaba sendo convincente.

— Eu vou embora. – Ou não.

— Tudo bem! Eu respeito sua decisão. Pode ir. Vai lá para aquele buraco que você mora, cheio de coisas velhas e sujas. Cuidado com o tétano. Sugiro que tome vacinas periodicamente. Nunca se sabe que tipo de doença pode ser fatal para um Lobisomem. Hoje você esta aqui forte e saudável, mas amanhã pode descobrir que sua Kriptonita é uma barra de ferro enferrujada. Já vi casos sobre isso...

— Stiles! – Derek exclamou, vencido pelo falatório.

— Não precisa ficar bravo, estou preocupado com o seu bem estar, você deveria arrumar um esconderijo secreto mais limpo e confortável. Já viu Batman?

— Não vou me mudar. – Derek cruzou os braços, encarando o rapaz sem camisa, a marca no peito dele estava ficando roxa.

Stiles girou os calcanhares e buscou a camisa para vestir.

— Foi bom ter essa conversa. – disse, com a cabeça presa na gola da camisa, ela era mesmo apertada. – Estamos nos conhecendo melhor. Acho que essa foi nossa primeira discussão.

— Não, não foi.

— É, não foi. Mas... veja pelo lado bom. Estamos ficando bons nisso. – Stilinski deu uma olhada no relógio, esfregando as mãos na frente do corpo, apesar do aquecedor estar ligado, aquela noite de inverno estava bem fria. – Nesse caso, nós já fizemos as pazes? Porque dizem que depois de uma briga, a reconciliação é melhor.

— Me diga você. – Derek deu um passo à frente.

— Vamos fazer uma votação. Quem está de acordo que a briga acabou, e agora podemos voltar ao que estávamos fazendo? – Ele ergueu a mão, esperando Derek fazer o mesmo. Coisa que não aconteceu. – Tudo bem. E quem não concorda que a briga acabou e vai manter o silêncio mortal e constrangedor?

Derek ainda mantinha os braços cruzados. Ele tinha uma dúvida muito grande, sobre como aquilo estava se desenrolando. Mas que se dane, seus instintos falavam mais alto agora. Usou sua velocidade para segurar Stiles, que caiu no sofá novamente.

— Eu preciso me preocupar com essa fúria repentina?

— Você pediu por ela.

— Concordo. – Ele tentou soltar as mãos presas pelas de Derek. Mas foi uma tentativa inútil. – Eu só queria repassar as regras e...

Shut up, Stiles! — rosnou.

É, como ele poderia não ficar quieto agora?



Notas finais do capítulo

Sterek é vida?
Sim!

O que acharam?