Entre Ervas E Poções escrita por Potterhead Narniana


Capítulo 23
Capítulo 23 - Uma quase despedida


Notas iniciais do capítulo

Oii meus amores! Demorei, né? Bom, foi por três motivos:
1 - deu alguns probleminhas no meu pc e eu tive que mandar para formatar, o que demorou um pouco.
2- semana passada foi a semana de provas diagnósticas e trabalhos, então eu fiquei bem ocupada.
3- esse é o último capítulo e eu tinha que caprichar, né? :)
Bom, este o último capítulo, fiz com todo o carinho, espero que gostem. Ah, leiam as notas finais :)



Os meses de maio e junho passaram-se rapidamente. O ano passara tão rápido que era difícil acreditar que aquele era o último dia em Hogwarts. Os alunos corriam por todos os lados, entretendo-se com jogos, brincadeiras, aproveitando aquele dia antes da chegada das férias de verão.

Todos os mistérios e perigos foram desvendados e varridos para longe graças à ação do trio de ouro, Harry Potter principalmente. O basilisco fora eliminado, a vida de Gina fora salva e o diário de Tom Riddle, uma horcrux, fora destruído pelo menino que sobreviveu. A paz reinava novamente em Hogwarts. O ano estava acabando, e isso significava despedida.

Snape e Lara sabiam que aquele era o último dia dela na escola. No outro ano, a professora Sprout voltaria a lecionar as aulas novamente. Por isso, tentaram passar aquele dia mais próximos quanto possível. Por trás de toda a calma e aparente alegria ambos escondiam a tristeza da despedida. Mas curiosamente, naquele dia estavam mais tímidos do que quando se conheceram pela primeira vez.

– Então... o que vai fazer agora? - perguntava Severo timidamente.

– Bem, vou tentar arrumar um emprego em outra escola, ou então ajudar meu pai na farmácia dele. - ela disse tentando esconder a decepção em sua voz. - Mas de qualquer modo, foi uma experiência única a que eu vivi esse ano. Valeu a pena... - finalizou com um breve sorriso.

Snape não disse nada, apenas refletiu sobre o que ela acabara de dizer. É engraçado o modo como uma pessoa entra na sua vida, e, de repente, passa a fazer toda a diferença. E você que antes não dava a mínima, não sabe agora como viver sem ela. É algo que vai acontecendo aos poucos, lentamente. Seu coração começa a se acostumar com a presença do outro e, por fim, estão ligados, como imãs. É tudo uma questão de convivência, de conhecimento. De descobrimento. É a fase em que você passa a se descobrir também e ver que o que você achava que era, não é. E o que você acha que nunca seria, começa a ser. É confuso, mas só quem sente entende. Ou não. Nesse caso, era isso o que acontecia com os dois jovens.

– É engraçado pensar que a primeira vez em que cheguei aqui eu não tinha ideia do que me aguardava. Eu realmente, não esperava que minha vida fosse mudar tanto assim. - dizia Lara com um olhar pensativo. - Não esperava passar por todas essas experiências que tive, nas quais pude amadurecer bastante. E principalmente, não esperava conhecer alguém e me afeiçoar dessa forma.

Snape sorriu de leve.

– Eu também não esperava por isso. Quando você chegou, acompanhada pelo Hagrid, tímida, corada, os olhos brilhando por trás daqueles óculos, cheios de expectativa. Era de certa forma, uma visão agradável de se olhar. Eu pensava que seria somente uma colega de trabalho, ou talvez até menos que isso. Mas enquanto você passava cumprimentando os professores, não pude deixar ficar nervoso, quando apertou minha mão. Uma sensação estranha. Foi um toque suave, mas capaz de provocar arrepio. O que consegui disfaçar, creio eu, que muito bem. Quando andamos pela primeira vez por este jardim, conversando por longas horas. Quando fui lhe devolver o livro, e você se assustou, confesso que achei graça, mas gostei desse jeito espontâneo.

– Eu e meu jeito sempre desastrado de ser... - disse ela sorrindo.

– Mas eu gostava disso, aliás, ainda gosto. Quando se atrapalhava e acabava derrubando alguma coisa, não faz ideia de como isso era lindo.

– Por quê?

– Porque mostra que você é uma pessoa normal, com imperfeições como qualquer outra. Detesto pessoas que tentam parecer perfeitas, como se fossem superiores aos demais.

Lara sorriu de leve.

– Lembra daquele episódio no Lago Negro? - perguntou ela rindo. Snape assentiu. - Aquilo podia ter custado a minha vida, mas pensando bem agora, foi até engraçado.

E caminhando por ali, continuaram a conversar, fazendo uma retrospectiva de tudo que haviam vivido naquele ano.

Não demorou muito, anoiteceu. Estavam todos reunidos no salão principal para a festa de despedida. Haviam quatro bandeiras correspondentes a cada casa, com seus respectivos brasões. E, ao fundo, atrás da mesa dos professores, a maior bandeira de todas, com o brasão de Hogwarts.

Os alunos estavam muito excitados. Não se calavam nenhum minuto sequer, o que obrigou a professora McGonagall a chamar-lhes atenção para pedir silêncio.

– Silêncio, por favor. O professor Dumbledore gostaria de dizer algumas palavras. - disse ela.

Dumbledore se levantou calmamente, os olhos azuis brilhando por trás dos óclinhos de meia-lua.

– Bem, mais um ano se passou, e mais uma história para contar. Tenham certeza de que tudo o que viveram aqui não foi em vão. Servírá como aprendizado futuramente. Mais uma vez, foi um enorme prazer receber todos vocês aqui este ano, tanto os novatos como os veteranos. Assim como os professores. - ele indicou Lara e a cadeira vazia de Lockhart - Quero que saibam, que a coragem e o empenho de vocês não será menosprezado. Vocês realmente demonstraram muita coragem e determinação, o que me deixou muito orgulhoso, de ter alunos e professores tão especiais assim como vocês. Tudo o que tenho a dizer é muito obrigado.

O salão inteiro irrompeu em palmas eufóricas, exceto por alguns alunos da Sonserina como Malfoy, Crabbe, Goyle e Parkinson. Dumbledore levantou as mãos ao ar, num sugestivo gesto que pedia silêncio.

– Bem, agora está na hora de saber qual a casa campeã deste ano. - um silêncio total predominou por todo o salão, todos os olhos cheios de expectativa. - Em quarto lugar, Corvinal, com 345 pontos. - palmas desanimadas - Em terceiro lugar, Lufa-lufa, com 360 pontos - palmas um pouco mais acaloradas - Em segundo, Sonserina, com 390 pontos. - palmas desanimadas na mesa da Sonserina e agitadíssimas na mesa da Grifinória, a qual Dumbledore nem precisara mencionar que era a campeã.

Na mesa dos professores, Minerva tinha no rosto um sorriso radiante e vitorioso, enquanto Snape, num aperto de mão, a cumprimentava educamente com um sorriso amarelo. A alegria dos grifinórios atingiu seu ápice quando viram ressurgir pela porta da frente, Hagrid, o guarda-caças, que outrora estivera encarcerado na terrível prisão dos bruxos, Azkaban.

Aquela foi uma noite de muitas emoções, mas a despedida, uma hora chega. Na manhã seguinte, muito cedo, todos os alunos estavam com suas malas prontas para embarcar no Expresso de Hogwarts, de volta para casa. Lara estava a um canto do castelo conversando com Severo.

– Odeio despedidas, mas uma hora elas chegam, não é? - dizia ela com os olhos marejados. - Foi muito bom te conhecer.

Snape assentiu:

– Digo o mesmo.

– Obrigada por tudo e me desculpe por qualquer coisa.

– Imagine, não tem do que agradecer nem se desculpar.

Lara assentiu.

– Bem, então... adeus. Espero reencontrá-lo novamente. Mandarei cartas.

– Conte com as minhas também.

E num gesto de despedida, trocaram um último beijo antes de saírem. Lara se aproximou de Dumbledore, acompanhada de Snape, para se despedir.

– Obrigada mesmo pela oportunidade. Sempre tive vontade de conhecer essa escola, será uma lembrança que eu vou levar para sempre. - dizia ela dando um abraço em Dumbledore. O diretor rapidamente percebeu seu ombro ficar molhado e percebeu também a expressão abatida no rosto de Severo.

– Não tem do que agradecer minha querida, mas acho que você não deixará Hogwarts tão cedo...

– Como disse? - perguntou Lara desfazendo o abraço com os olhos marejados.

– A professora Sprout trabalha demais e creio que seria um grande alívio para ela ter alguém para dividir o cargo.

– Está falando sério?

– Ah, com certeza estou minha querida. - disse Dumbledore num grande sorriso.

Lara teve uma reação inesperada. Imediatamente jogou-se num abraço a Dumbledore, enchendo seu rosto de beijos e não parava de murmurar "Obrigada". Dumbledore riu com essa reação e percebeu que até Snape sorria. Um sorriso bem leve, mas ainda assim um sorriso que não escondia sua satisfação.

E foi assim que Lara Haleythorn e Severo Snape se conheceram, se apaixonaram e firmaram um laço de compromisso, que duraria por todo o sempre. Muitas coisas ocorreram depois, mas isso já é uma outra história.

"Paz e amor

é o que eu quero pra nós

e que nada nesse mundo cale a nossa voz

Céu e Mar e alguém para amar

e o arrepio toda vez que a gente se encontrar

nunca vai passar,

mesmo quando o Sol chegar... " (Paz e amor - Jorge e Matheus)

Continua...



Notas finais do capítulo

Bom, é isso. Espero que tenham gostado. Eu realmente fiquei bem satisfeita com os resultados dessa fic, ainda mais que é a minha primeira rsrsrsr. Bem eu gostaria muito de agradecer a quem acompanhou até o fim, quem acompanhou só pela metade, quem não tem conta no Nyah mas leu mesmo assim, os leitores fantasminhas, enfim, a todos que , de alguma forma, acompanharam essa fic. Gostaria também de agradecer por todos os reviews, recomendações e favoritos, vocês me fizeram muito feliz! E agradecer também, em especial, à Snapette e à Srta. Snape minhas divas!!
Tem algumas músicas que eu achei que tinha bem a ver com o casal SS/LH~, vou deixá-las aqui caso queiram ouvir:
AÍ JÁ ERA (JORGE E MATHEUS)
DUAS METADES(JORGE E MATHEUS)
NADA NORMAL (VICTOR E LÉO)
WHEREVER YOU WILL GO ( THE CALLING)
A fic terá continuação, só não garanto que seja rápido...
Bom, é isso aí. Espero que tenham gostado, a gente se encontra em outras fics
bjss :)