Entre Ervas E Poções escrita por Potterhead Narniana


Capítulo 22
Capítulo 22 - O presente de aniversário


Notas iniciais do capítulo

Olá, tudo bem?

Gostaria de dedicar esse capítulo ao nosso divo Alan Rickman, que interpretou magnificamente nosso querido Severo Snape,e completa hoje 67 anos de idade. Parabéns Alan, que essa data se repita por muitos anos e você continue nos encantando com seus trabalhos maravilhosos!!



Os meses de março e abril passaram voando por cima da cabeça, levando embora consigo todo o frio e a neve do inverno. Snape já havia se recuperado dos seus ferimentos e voltado a dar suas aulas. Os campos de Hogwarts agora ganhavam uma coloração muito verde e ressurgia também uma grande variabilidade de flores nunca vistas antes. A primavera estava chegando. Os alunos agora estavam bem mais aliviados, depois de toda a tensão dos exames finais e dos N.O.M.s. Era o começo do mês de maio.

Enquanto a maioria dos professores se encontravam em suas salas terminando as últimas correções dos exames, os alunos gostavam de andar pelas propriedades da escola. Levavam consigo grandes litros com suco de abóbora gelado e muitos doces, como sapos de chocolate, tortinhas de abóbora, bombas de creme e feijõezinhos de todos os sabores. Passavam a maior do tempo livre caminhando pelos campos ou visitando a lula gigante no Lago Negro. Havia também quem gostasse de jogar xadrez de bruxo ou snaps explosivos, os que gostavam de umas boas travessuras ( como Fred e Jorge) e os que gostavam de se entreter com um bom livro (Hermione e Neville).

Era uma manhã do dia 4 de maio. Lara havia acordado muito bem disposta, pois aquele era um dia muito especial para ela. Depois do café da manhã, ela se encontrava em sua sala, corrigindo as últimas provas. Os resultados estavam deixando-a muito satisfeita, pois a maioria dos alunos havia tirado uma nota bem acima da média. Neville e Hermione (como sempre) tiraram notas máximas. Estava tão absorta em suas ocupações que nem percebeu a entrada de uma coruja castanha de olhos muito amarelos entrar pela janela e pousar sobre a sua mesa. A ave trazia um pedaço de pergaminho preso à pata, dando uma leve bicada sobre o braço da professora para avisá-la de sua presença.

– Olá, Artemis! - disse ela acariciando as penas da coruja. A ave piou alto, esticando a perna direita para que Lara retirasse a mensagem. Era uma carta muito pequena, parecia-se mais com um bilhete:

" Olá, Lara! Nossa, quanto tempo! Estou com muitas saudades suas, faz tempo que não a vejo. Hoje eu tenho um tempo livre, por isso vou dar uma passada aí em Hogwarts para te ver. Esperando que esteja bem, J.H."

Lara conhecia muito bem aquela caligrafia, os garranchos miúdos e espaçados. Não se conteve de tanta alegria ao ler a mensagem.

– Ele vem! - dizia ela com um sorriso enorme em seu rosto. Releu a carta várias e várias vezes, como se isso a ajudasse a matar a saudade que sentia.

A coruja deu um pio alto, como se quisesse mostrar que ela ainda estava ali. Lara desviou o olhar do papel e o direcionou à ave.

– Oh, Artemis, me desculpe. Acabei me esquecendo de você - Lara se dirigiu a uma jarra que tinha ali e retirou um pouco de água, oferencendo à coruja. Artemis bebeu e piou em agradecimento, levantando voo e saindo pela janela.

O dia passou rápido. Lara agora levava uma grande pilha de livros para seu quarto. Estava andando pelos corredores, quando uma voz conhecida a chamou. Olhando por trás dos livros para olhar quem a chamava, não acreditava no que seus olhos estavam vendo. " Ele veio mesmo!" pensava ela deixando cair todos os livros no chão.

– Eu não acredito!! Você está mesmo aqui!! - disse ela correndo em direção ao dono da voz e lhe dando um abraço muito apertado.

– É muito bom te ver também, Larinha!! - dizia o rapaz lhe retribuindo o abraço - E então, como andam as aulas? Gostando mesmo de Hogwarts?

– As aulas estão muito bem. Sim, estou gostando muito daqui. É exatamente como o pai contava. E você, o que me conta? Ficou tanto tempo sumido...

– Bom, os trabalhos na Romênia não estão nada mal. Tive alguns problemas com um Rabo-Córneo húngaro, que me deixou isso aqui. - disse ele levantando a manga da camisa e mostrando uma grande cicatriz no braço. - Mas fora isso, está tudo muito bem.

Severo ia passando por um corredor próximo dali, quando ouviu o som de vozes. Apressou os passos para ver de quem se tratava e acabou se surpreendendo com a cena que viu. Lara estava aos risos e conversas com um rapaz jovem, que aparentava ter máximo uns 19 anos de idade. Era alto, pele clara, cabelos negros e olhos muito azuis. Uma onda de fúria começou a tomar conta de seu corpo quando viu o rapaz dar um forte abraço em Lara. Na mesma hora começou a apalpar sua capa, procurando a varinha, pois iria fazer chover o sangue daquele infeliz. Seus olhos flamejavam de ódio e indignação, até que Lara o viu e resolveu apresentá-lo.

– Venha Jake, quero te apresentar uma pessoa.

O garoto observava receoso a expressão de Snape, que observava a cena de longe.

– Olha Larinha, eu acho que não é uma boa ideia...

Snape estremeceu de fúria ao ouvir o rapaz chamar Lara daquela forma. Como ele se atrevia a se referir a ela intimamente?

– Claro que é Jake, vem! - dizia ela risonha, pegando o rapaz pela mão e trazendo-o até a presença de Snape, que não tinha uma expressão nada agradável no rosto.

– Bom, este é Severo Snape, meu namorado.

– Olá... - disse o garoto timidamente, estendendo a mão para cumprimentar Snape.

Severo permaneceu imóvel.

– Severo, este é Jacob Haleythorn, meu irmão mais novo.

E imediatamente o rosto de Snape passou do rubro de ódio para o rubro de vergonha. Ele fitou os dois. Então ele ficara com ciúmes do irmão dela? Como não percebera a semelhança dos rostos?

– Seu irmão? - perguntou ele com um tom de supresa e constrangimento na voz.

– Sim. Lembra-se de que meu pai disse que ele estava na Romênia?

– Ah, sim... - disse ele, finalmente cumprimentando o rapaz que ainda mantinha a mão estendida.

– Bom, na verdade eu vim te trazer um presente... - disse Jacob à Lara - Lembra-se daquele livro que você tanto queria? - disse ele tirando um embrulho das vestes e o entregando à Lara. Ela o desembrulhou rapidamente. Era um livro grosso, de capa dura, onde se achava inscrito em floreios dourados "Ervas exóticas e como encontrá-las".

– Nossa, eu nem sei o que dizer... muito obrigada!!

– Feliz aniversário! Bom, agora eu tenho que ir...

– Não gostaria de dar uma olhada no castelo?

O garoto olhou receoso na direção de Snape, que ainda se encontrava ali.

– Acho que não, fica para uma próxima. Até mais, mana. - disse ele dando um abraço em Lara - Foi um prazer conhecê-lo. Bem vindo à família, cara! - disse ele apertando a mão de Severo, que não disse nada, apenas respondeu com um aceno de cabeça.

O garoto se retirou do corredor, apanhando sua vassoura para ir embora.

Lara apanhou todos os livros que haviam caído no chão, e os levou para o seu quarto. Em seguida, ela e Severo rumaram em direção aos jardins.

– Então seu irmão mora na Romênia? - perguntou Severo.

– Sim, ele trabalha com o trato de dragões. Recebi uma carta dele hoje de manhã, me avisando que viria...

– Isso me lembra que eu tenho uma coisa para você. - disse Severo. Eles caminharam mais um pouco e finalmente pararam à sombra de uma árvore. - Não vale olhar...

– Está bem - disse ela tapando os olhos com as mãos.

Snape certificou-se de que ela não estava vendo nada e finalmente retirou um embrulho pardo das vestes.

– Pronto - disse ele passando o presente à ela.

Lara o desembrulhou e encontrou dentro dele uma coisa que a deixou encantada: uma bela capa azul anil, longa, composta por um capuz e uma fita de cetim da mesma cor.

– Que linda! Ela é...

– Azul, sua cor favorita. - completou Snape com um sorriso leve.

– Onde você conseguiu?

– Comprei no Beco Diagonal. Achei que ia combinar bem com a sua personalidade... bom, mas agora vamos ver como fica em você. Permita-me...

Snape colocou a capa em Lara amarrando-a na frente com um belo laço. Ele a observou por completo, em comum olhar de aprovação.

– Muito obrigada, não tenho palavras para agradecer.

– Não precisa agradecer. Não todo dia que se faz 25 anos...

Ela lhe deu um abraço e ficaram ali durante mais algum tempo, aproveitando o clima de primavera.

 

 

 



Notas finais do capítulo

Bom, gente esse foi o penúltimo capítulo da fic. Espero que tenham gostado.

Desculpe os erros, pois não tive tempo de revisar

Comenetem bjss