Entre Ervas E Poções escrita por Potterhead Narniana


Capítulo 16
Capítulo 16 - De volta a Hogwarts


Notas iniciais do capítulo

Olá pessoal, tudo certo com vcs?
Queria agradecer pelos comentários, são eles que me dão inspiração pra continuar escrevendo
Bom, aki estou com mais um capítulo
Espero que gostem :)



Com o retorno de todos à escola, havia agora muito trabalho a ser feito. O plano do trio de ouro para descobrir a verdade sobre a Câmara Secreta havia falhado. Harry e Rony quase foram descobertos e Hermione acabou na ala hospitalar com a cara cheia de pêlos. Mas pelo menos conseguiram descobrir algo útil: Draco não era o herdeiro de Slytherin e não era responsável pelos ataques ocorridos até então. Com os crescentes ataques, novas medidas de segurança foram tomadas. Precisavam agir rápido ou metade da escola seria petrificada.

Harry agora não ouvia mais vozes, mas permanecia atento a qualquer movimento suspeito. Não fazia tanto tempo assim que a mensagem com sangue fora escrita na parede:

Harry, Rony e Hermione andavam em direção ao salão principal, para aproveitarem o resto da festa do Dia das Bruxas. Estavam vindo da festa de aniversário de morte de Nick Quase-sem- cabeça, quando Harry ouviu novamente aquela voz em sua cabeça: " Sangue. Sinto cheiro de sangue.Deixe eu rasgar você, deixe eu matar você. Matar... matar... matar..."

- Vocês ouviram? - perguntou Harry.

- Ouvimos o quê? - perguntou Rony confuso.

- Essa voz.

- Voz? Que voz? - disse Hermione.

- Eu ouvi primeiro na sala do Lockhart e ouvi de novo agora. - e ao dizer isso Harry ouviu novamente a voz ecoando em sua mente " Chegou a hora..." - Está se afastando, acho que vai matar alguém. - e dizendo isso saiu correndo na direção em que a voz se afastava. Hermione e Rony, mesmo sem entender o acompanharam.

Chegaram a um corredor que estava todo molhado. Provavelmente a Murta-que-geme havia inundado o banheiro outra vez. Examinando com atenção o ambiente, na esperança de encontrar alguma pista ou vestígio, viram algo refletido em uma poça d' àgua. E ao levantar o olhar para ver o que realmente era, se depararam com uma visão horrorosa. Na parede se encontrava uma mensagem, que pelo o que parecia, fora escrita com sangue: " A Câmara Secreta foi aberta. Inimigos do herdeiro... cuidado." E ao olhar melhor encontraram outra coisa: pedunrada pela cauda estava Madame Nor-r-ra petrificada. Harry tentou se aproximar para examiná-la, mas nesse momento os alunos da Sonserina e da Grifinória saíam do salão principal. Pelo o que viam, a festa tinha acabado. Ao chegar ao corredor, se depararam com aquela visão e Harry ali parado. Ao verem a mensagem na parede, muitos levaram a mão à boca, horrorizados.

- O que está acontecendo aqui? - dizia Filtch em sua voz esganiçada, se aproximando da grande aglomeração. Já estava se preparando para dar uma bronca em Harry, quando viu Madame Nor-r-a. - A minha gata... você assassinou a minha gata. Eu te mato... eu te mato!!! - dizia ele agarrando Harry pelo colarinho da camisa.

Os professores ainda estavam no Salão Principal, quando ouviram os gritos de Filtch saíram correndo para ver do que se tratava. Ao chegarem ao local ficaram um tanto impressionados com a situação. Lara abafou um grito com a mão ao ver a escrita na parede.

- Argo! - chamou Dumbledore - Quero que todos vão ao seus dormitórios agora. Todos... menos os três. - disse ele apontando para Harry, Rony e Hermione. E se virando para Filtch, disse em tom suave - Ela não está morta, Argo. Está apenas petrificada.

- Ah, é uma pena. Conheço um contra-feitiço que a teria salvado. - dizia Lockhart todo pomposo. Lara revirou os olhos diante de tanta vanglória.

Harry tentava se explicar ao diretor dizendo que não tinha culpa pelo ocorrido, até que Snape resolveu intervir:

- Diretor, se me permite, talvez eles só estivessem no lugar errado na hora errada. Contudo, as circunstâncias são suspeitas. Eu pelo menos, não me lembro de ter visto Potter no jantar.

- Receio que por minha causa, Severo. Harry estava me ajudando com as cartas dos fãs. - disse Lockhart.

Snape lançou um olhar de dúvida ao diretor que lhe disse:

- Inocente até que se prove o contrário, Severo. - e se virando para Filtch - Nós vamos conseguir curá-la, Argo. A professora Haleythorn tem uma ótima safra de mandrágoras. Quando crescerem faremos uma poção que ressucitará a Madame Nor-r-a.

Lara assentiu, lançando um olhar muito doce a Filtch, na esperança de consolá-lo.

Harry não gostava de se lembrar disso. Foi uma sensação muito ruim quando todos desconfiaram que ele fosse o herdeiro de Slytherin. Até Hermione pareceu considerar a possibilidade.

Por questão de segurança os alunos agora eram acompanhados às suas aulas por professores, tinham de se recolher aos seus aposentos até as 6:00 da tarde e à noite os professores faziam rondas pela escola, caso encontrassem algo suspeito.

Essa semana estava sendo muito corrida. Com o término das férias, agora os professores faziam de tudo para adiantar a matéria, e assim, preparar os alunos para os exames. Lara e Snape não tiveram tempo para se encontrar, por causa de todos os trabalhos.

Em uma certa manhã, 9 de janeiro para ser mais exata, Snape entrava em sua sala, quando encontrou um grande embrulho e um bilhete sobre sua mesa. Ficou imaginando o que seria aquilo. Caminhou até ela e abriu um pequeno envelope que dizia:

" Olá, feliz aniversário!! Desculpe não poder entregar pessoalmente, mas eu tive muitas provas a corrigir, enfim... você entende, né? Espero que goste do presente. É simples, mas é de coração. " L.H.

Snape olhou para o grande pacote pardo que estava em sua mesa. Resolveu abrir ali mesmo, encontrando dentro dele uma caixa preta. Ao abrir a caixa os olhos de Snape brilharam e em sua boca desenhou-se um sorriso sincero. Dentro da caixa havia um kit para poções com diferentes tipos de frascos, ingredientes, enfim... vários utensílios. Havia também um livro grosso intitulado "Poções Inovadoras" no qual havia vários tipos de poções ainda não conhecidas, recentes. Severo ficou um bom tempo contemplando seu presente, que pareceu até se esquecer que dentro de alguns minutos os alunos chegariam para as aulas. Embrulhou tudo de novo e guardou numa gaveta sob a mesa.

Em sua sala, Lara continuava normalmente sua aula. Estava em uma aula dupla com Grifinória e Sonserina. Ao chegar o final da aula, ela foi até Neville.

- Sr. Longbottom, sabe o que aconteceu com a Srta. Granger? Ultimamente ela não tem comparecido às aulas, nem aos nossos estudos semanais. Aconteceu alguma coisa?

- Acho que ela está doente. Pelo que me disseram, está assim desde as férias de Natal.

- Ah, sim. - disse Lara, e se virando para o resto da turma - Façam uma fila, vou levá-los à aula de feitiços.

Chegando à sala do professor Flitwick, os alunos foram entrando e se acomodando em suas carteiras. Lara já ia se virar para sair, quando o professor a chamou.

- Professora? Professora Haleythorn?

- Sim?

- Dumbledore mandou um aviso. - e fez sinal para que Lara se abaixasse para ele cochichar a informação seguinte. Lara teve que se ajoelhar no chão para que o professor alcançasse seu ouvido. - Ele pediu aos professores para fazerem uma ronda ao castelo hoje à noite. Para tentarmos descobrir algo sobre a Câmara Secreta.

Lara assentiu e se retirou dali. Os professores preferiam que os alunos não ficassem tão por dentro dos assuntos que envolviam a Câmara, pois eles poderiam querer se meter em confusão. Sendo assim, tudo que envolvesse esse assunto, era dito aos sussuros para não despertar-lhes a atenção.

Ao final de todas as aulas, Harry e Rony seguiam para a ala hospitalar para levar os deveres de casa à Hermione. Depois de muita relutância, Madame Pomfrey permitiu que eles entrassem.

- E então Mione? Alguma melhora? - perguntou Rony.

- Bom, os pêlos estão diminuindo mas ainda tenho esses olhos de gato. Trouxeram os deveres?

- Sim, mas... - começou Harry quando foi interrompido pela garota.

- Então o que estão esperando? Me passem todos, eu preciso estudar para os N.O.M.s!

Os garotos entregaram os deveres e logo saíram da sala.



Notas finais do capítulo

E então ficou bom
bjss comentem
:)



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Entre Ervas E Poções" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.