Entre Ervas E Poções escrita por Potterhead Narniana


Capítulo 14
Capítulo 14 - Um dia com os Haleythorn


Notas iniciais do capítulo

Olá pessoal, tudo bem?
Aqui estou com mais um capítulo pra vcs
Boa leitura :)



Depois da memorável noite do baile os alunos se preparavam agora para voltar aos seus lares. Iriam para a casa uma semana antes do Natal e só voltariam depois do Ano Novo.

Harry, Rony e Hermione decidiram ficar na escola, confiando que agora, com a poção polissuco, arrancariam toda a verdade de Draco e descobririam o grande enigma da Câmara Secreta. Também alguns professores como Dumbledore e McGonagall ficariam na escola, enquanto outros preferiam voltar para a casa.

- Até a volta - disse Lara dando um abraço de despedida em Dumbledore. - Vai ser bom voltar para casa. Finalmente estar com a minha família.

- É - disse Dumbledore com um sorriso sábio e tranquilo - quando a saudade aperta... bom, mande um abraço aos seus pais e diga que estou com saudades.

- Pode deixar que mando sim. - disse Lara ajeitando suas malas e se virando para sair.

Se despedindo dos outros que ficariam, ela saiu e finalmente embarcou no Expresso de Hogwarts. Sim, aquelas férias seriam muito bem-vindas. Estava com muita saudade de sua família e agora poderia revê-la. Mas Snape não ficaria esquecido, eles mandariam cartas.

Entrando no vagão dos professores, escolheu um lugar perto da janela, encostando sua cabeça na mesma e observando a paisagem lá fora. Os pensamentos fluíam leves em sua mente, nada mais importava agora. A paisagem mudava agora de pedaços de terra vazios para grandes campos gramados. Sem perceber, Lara acabou pegando no sono. Não sabia quanto tempo havia se passado, só se deu conta quando uma bruxa idosa tocava em seu braço dizendo:

- Acorde, querida. Nós já chegamos.

- Ah, obrigada senhora. - disse Lara gentilmente pegando suas malas para descer. - Ah, me desculpe senhora, mas não viu um homem alto, pálido, de vestes negras por aqui?

- Vi sim. Ele estava um pouco mais à frente, mas acho que ele a espera ali fora.

- Ah, obrigada.

Lara desceu do trem olhando em volta, à procura de Snape.

- Ah, você está aí. - disse ela se aproximando.

- Eu me atrasei um pouco para entrar no trem e na hora de sair estava muito tumultuado.

Estava quase escurecendo. Lara ainda tinha uma pequena caminhada até chegar em casa.

- Vamos, eu te acompanhando até em casa. - disse Snape.

Durante o caminho, conversaram sobre várias coisas. Não demorou muito, chegaram.

- Boa noite. - disse Snape.

- Boa noite. - respondeu Lara.

Ao chegar em seu quarto, ela se jogou em sua cama. Tudo estava perfeito agora: ela finalmente conheceu ( e estava trabalhando ) em Hogwarts, poderia rever seus pais, tinha um homem maravilhoso que a amava... nada poderia estragar isso.

...

Alguns dias se passaram. Naquela manhã de domingo, Snape finalmente conheceria seus sogros.

O Sr. e a Sra. Haleythorn moravam em Londres, num bairro trouxa. Eram um casal muito simpático e estavam ansiosos com a carta de sua filha, onde ela dizia que em sua visita, traria seu namorado.

Eram mais ou menos umas 9 horas da manhã. Lara estava em seu quarto, acabando de se preparar quando ouviu uma batida na porta. Era uma bruxa idosa, que vinha lhe avisar que Snape a esperava lá em baixo.

- Pronta? - perguntou Snape.

- Sim. - respondeu Lara.

Os dois saíram da hospedaria. A casa dos Haleythorn não ficava tão longe dali, por isso podiam ir caminhando.

Não demorou muito a chegarem. O Sr. Tiago Haleythorn estava sentado do lado de fora da casa, lendo um jornal. Era um homem alto, meio gordo, tinha os cabelos grisalhos e olhos muito negros. Aparentava ter uns 50 anos de idade. Assim que ele viu que se aproximavam, gritou alegremente à mulher, que estava lá dentro:

- Venha Ciça, eles chegaram!

A Sra. Cecília vinha para fora, secando as mãos molhadas em um avental florido. Era uma mulher de cabelos negros e ondulados e olhos azuis muito vívidos. Aparentava ter uns 45 anos de idade e trazia no rosto um sorriso radiante.

- Oh, meu Deus! Olha só como está a nossa menina! - dizia ela alegremente enquanto abraçava Lara.

- Oi, mãe. Senti sua falta. - dizia Lara. Em seguida deu um grande abraço em seu pai.

- Como está, pai?

- Oh, minha filha! Quanto tempo! - dizia o Sr. Tiago.

Eles desfizeram o abraço.

- Mãe, pai, esse é o meu namorado.

- Como é seu nome, rapaz? - perguntava o Sr. Tiago cumprimentando Snape com um aperto de mão.

- Severo Snape, senhor.

- Bem vindo à família, querido! - dizia Cecília dando um abraço terno em Snape.

- Obrigado, senhora.

- Venham, vamos entrar. - dizia Tiago.

A casa dos Haleythorn era simples, porém muito organizada. Da cozinha, vinha um aroma muito bom, onde um almoço delicioso estava sendo preparado por Cecília. Entrando na sala de estar, Tiago indicou-lhes o sofá:

- Sentem- se, fiquem à vontade.

- Estou preparando a comida, hoje vocês almoçam conosco. - dizia Cecília alegremente.

- Estou muito feliz que estejam aqui. - dizia Tiago, e se virando para Lara - Ah, querida, é uma pena que o seu irmão ainda esteja na Romênia. Ele nos enviou uma carta, não vai poder passar o Natal conosco esse ano.

- Realmente, é uma pena. - concordou Lara. - Quer ajuda com o almoço, mãe?

- Você é quem sabe, querida. - respondeu Cecília gentilmente.

Lara e Cecília foram em direção à cozinha, deixando Snape e Tiago na sala.

- Então rapaz, como conheceu minha filha?

- Eu sou professor de Poções em Hogwarts. Quando sua filha entrou para lecionar Herbologia, acabei por conhecê-la.

- Ah, sim. Hogwarts é uma grande escola. Já estudei lá quando era jovem. Eu queria que a Lara estudasse lá também, mas a Ciça insistiu que eu a colocasse na Beauxbatons, é que foi a escola dela também quando era jovem. Enfim, sabe como são as mulheres,né?

- Ah, sim... - disse Severo sem saber se devia concordar ou não.

- Bom, e os seus pais, meu jovem?

- Bem, meu pai era trouxa, Tobias Snape. Ele morreu já faz algum tempo. Minha mãe é Eileen Prince, ela é sangue puro e também foi uma aluna de Hogwarts.

- Entendo. E suas intenções com a minha filha são sérias?

- As mais honradas possíveis, senhor.

- Muito bem, rapaz. Você parece ser um homem maduro e decidido. Fico feliz que minha filha tenha feito a escolha certa. Bem- vindo à família.

- Obrigado, senhor.

Algum tempo depois as mulheres voltavam da cozinha.

- Está pronto.

Ao chegar na cozinha encontrava- se uma mesa farta, com todos os tipos de alimentos possíveis.

Depois do almoço ( que Cecília insistiu várias vezes para que Severo repetisse) estavam todos conversando sobre Hogwarts.

- Estamos com problemas ultimamente. - disse Lara num tom preocupado.

- Há indícios de que a Câmara Secreta foi aberta. - disse Snape.

- Câmara Secreta? - perguntou Cecília confusa.

- Sim. - Tiago contou à esposa toda a história da Câmara, incluindo Salazar Slytherin - E pelo o que a Lara e o Severo estão contando agora, ela pode ter sido reaberta.

- Sim - continuou Lara. - Até agora dois alunos, um fantasma e uma gata foram petrificados.

- Sem falar nas palavras escritas com sangue na parede. Achamos que há alguém por trás disso, mas até agora não há como saber quem é. - disse Severo.

- Que horror! Meu Deus, mas se continuar nesse ritmo, a escola terá que ser fechada! - disse Cecília, horrorizada.

- É isso que tememos. - disse Lara.

- Bom, mas chega de falar de coisas ruins. Com quem vai passar o Natal este ano, querido? - perguntou Cecília gentilmente a Snape.

- Com a minha mãe.

- Bom, você e sua mãe poderiam vir passar o Natal conosco. - disse Cecília animada.

- Uma ótima ideia - concordou Tiago - Uma confraternização é sempre bem- vinda.

- Obrigado pelo convite.

Aquele dia na casa dos Haleythorn tinha sido muito agradável. E em breve, seria a vez de Lara conhecer a mãe de Snape.



Notas finais do capítulo

Esse capitulo ficou meio chatinho, mas é a falta de isnpiração, me desculpem.
Comentem por favor
bjss :)