Dilemas escrita por Paige Sullivan


Capítulo 24
Capitulo 24


Notas iniciais do capítulo

Enjoy it!



Capitulo 24

CONDOMINIO ANIMALE

Aline encarava as amigas apavorada. Não queria contar detalhe nenhum daquela viagem, mesmo no final dando tudo certo. Em todos os sentidos. Respirou fundo e pediu licença. As duas a acompanharam como se fossem cães farejadores e assim que ela colocou a mala na cama, se jogaram em frente a ela e a olharam com cara de criança pidona. Ela respirou fundo e percebeu que nem se fizesse voto de silencio, elas a fariam falar de alguma maneira. Pensou em mandá-las para a Al Quaeda. Elas iriam ganhar muito dinheiro à custa de tortura.

– Posso pelo menos tomar um banho quente? – comentou andando pra trás e elas assentiram.

CONDOMINIO MARTIN

Dennis sentou em uma poltrona perto do irmão e respirou fundo. Manoel, ainda sério, ordenou que ele informasse o que tinha acontecido naquela viagem, já que tiveram que ser contatados de lá para resolverem por fim a questão.

Ele começou relatando tudo calmamente, não entrou em muitos detalhes, mas não deixou de expor os fatos. Charles já olhava querendo fuzilá-lo e imaginou o que tinha dado na mente de Aline para se deixar levar por um simples prazer numa viagem que deveria ser de negócios.

Se bem que não poderia falar muita coisa, ele não era o melhor exemplo ali, mas os meninos não sabiam disso. Tiago, por outro lado, tinha uma fúria agoniada dentro de si. Não imaginou que o irmão avançaria tão rápido em cima dela, e que a mesma agiria como se nada tivesse acontecido entre ele e ela.

Manoel ora olhava para Dennis, ora observava as feições dos outros. Pareciam neutros, mas sabia que cada um tinha um pensamento controverso com relação a situação.

– Eu poderia te tirar desse projeto sabia disso? – Manoel parecia nervoso – Arriscar tudo por causa de uma mulher?

– Eu te contei da Aline, tio. – Charles o olhou – Também não é pra tanto.

– Vai defendê-lo? – Tiago apontou para o irmão – Ele quase pôs em risco a venda do hotel.

– Eu falei com o Stolt hoje de tarde. Ele disse que uma situação dessas aconteceu com ele quando era mais novo, mas nada que pudesse acabar com a carreira dele. – ele respondeu sóbrio.

– Tudo bem, mas não é certo. Eu entendo que ela seja uma mulher muito bonita e que atraia o olhar de qualquer homem, tanto que até Tiago já teve um interesse por ela... – Manoel olhou para o filho que agora já parecia desconfortável – Mas vocês não me ouvem, e muito menos ao primo de vocês.

– Na verdade os dois têm sorte de terem patrões bons demais. Por outra muito menor que essa já teriam sido mandados embora.

– Não exagera Charles. – Tiago olhou pro primo – Sabe que minha situação se diverge e muito da dele. Ele quis ficar com ela logo depois de mim e...

– E o que? – Dennis olhou pra ele já esperando um comentário impróprio – Vai dizer agora que ela se ela pudesse iria transar com nosso pai e com o Charles?

– Dennis! Olha o respeito! – Manoel o repreendeu.

– Desculpa.

– Eu não disse nada disso. – Tiago se alterou – Nem pensei nisso na verdade. Só estou falando que ela não teve nem a capacidade de esperar um tempo. Vocês mal se conhecem e ela já saiu comigo.

– Será que é porque você não teve capacidade mantê-la?

– Como é? – Tiago levantou – Ta achando o que?

– CHEGA! – Charles bateu na mesa e chamou a atenção de todos – Isso já está me irritando. Eu sabia que isso não ia dar certo, tio! – olhou para Manoel.

– Tiago, você não esta namorando a amiga dela?

– E muito bem obrigado! – sentou novamente e Dennis não olhou mais pra ele.

– E você não está com a Aline? – olhou pro outro filho.

– Ainda não. Estamos querendo ir com calma e nos conhecer.

– E vocês dois são irmãos. Se conhecem a vida toda! – levantou e começou a andar pelo escritório – Nunca vi disso. Entrando em atrito por causa de mulher. Nunca na minha vida pensei que ia ter que aturar isso de vocês dois. – continuou exaltado e virou para eles. Charles ponderava e olhava para eles também. O que tinha acontecido com os dois?

– Que coisa absurda rapazes! – ele apoiou os cotovelos no joelho e se pos mais a frente – Precisam mesmo disso?

– Não é isso Charles. – Dennis levantou e olhou pro pai – Eu não fiz nada de inicio. Muito pelo contrario, eu ate apoiei essa anta a ficar com ela. Só que ela é encantadora e quando ele não quis mais, e foi namorar a amiga dela... – Tiago só o olhava. Nunca tinha visto o irmão tão angustiado na vida – Eu gostei mesmo dela.

– Meu Deus! – Manoel exclamou – Dennis está apaixonado por ela. – olhou para Charles que apenas ria e concordava com a cabeça. – os irmãos preferiram ignorar aquela afirmação por hora.

– Eu sei que errei. Não devia ter perdido a cabeça em Fortaleza. Mas eu tinha o caminho livre pra tentar alguma coisa, fui com calma, educado e só consegui a amizade dela.

– O que já devia bastar devido a vocês dois estarem indo a negócios. – Manoel cruzou os braços.

– Ok. Errei de novo. Mas quando vi aquele imbecil do filho do Ramos indo em cima dela e tendo noiva, aquilo ferveu meu sangue!

– Também iria ferver o meu! – Tiago comentou e Charles o olhou – O que? Nunca me comprometi com mínguem. Só com a Leticia. E todas as outras sabiam o que teriam de mim, sempre deixei muito claro. Se eu tenho uma noiva, não vou dar em cima de outra mulher.

– Exato! – Dennis concordou com o irmão – Eu ainda tentei conversar com ele, mas a única resposta que eu tive foi uma risada na cara. – eles viam como Dennis estava tenso. Os braços pararam ao lado do corpo, as mãos fechadas como para dar um soco...

– Mesmo assim, deveria ter conversado com a gente antes. Teríamos tomado outro tipo de providencia, iríamos para lá e tudo se acertaria.

– Desculpa de novo. – sentou e encostou na cadeira já cansado – Se quiserem eu deixo tudo o que tenho para o Tiago e saio do projeto.

– Não! – o irmão se exaltou – Tudo bem, você errou, mas ele não precisa sair, nós precisamos dele não é? – todos olharam pra ele surpresos.

– Me perdi. – Charles comentou.

– A campanha, o cliente, a conta sempre vão ser mais importantes que isso aqui. – Dennis o olhou estranho – Eu digo no sentido de rixas idiotas. Temos que ser adultos e analisar os fatos. Eu também já comecei errando muita coisa aqui e Aline também e já acertamos que não íamos deixar isso afetar o profissional. E nós dois... – olhou para Dennis – Combinamos que iríamos nos comportar...

– Mas não foi isso que seu irmão fez. – Charles queria ver até onde ele ia chegar. Manoel entendeu e sentou ao lado do sobrinho.

– Eu sei. Acontece. Realmente a Aline deixa a gente meio confuso e perdido. – comentou rindo e Charles olhou pra ele – Sabe muito bem disso. Todos vocês aqui sabem como fiquei em São Paulo por causa dela. E to falando no sentido geral. Ela não faz por mal. É dela. É natural.

– Isso é verdade. – Charles comentou.

– Uma segunda Diana então? – Manoel olhou para ele que riu.

– Isso tio, quase uma segunda Diana. Só que de épocas diferentes. E uma cabeça um pouco diferente também.

– Falo da inerência da sensualidade como vocês dizem.

– Isso. – Dennis abriu a boca – Ela não tem culpa, mas causa isso nas pessoas. Tanto que conquistou todo mundo só chegando arrumada no jantar.

– Imagino! – Manoel riu – Olha, quero conhecê-la de verdade. Falo, fora do âmbito profissional.

– Eu trago ela aqui qualquer dia. – Tiago sentiu um pouco de inveja. Não ruim ao ponto de querer sair dali, mas porque ele estava namorando e o pai ainda não tinha tido o mesmo entusiasmo em conhecer Leticia. Mesmo assim respirou fundo, essa oportunidade não era mais dele. Procurou pensar em outra coisa e terminar o que estava falando.

– Posso terminar gente? – Tiago levantou o dedo e todos riram – Nós somos mais novos e cometemos muito mais erros que vocês. Infelizmente a gente tem que tomar um pouco na cara pra aprender. Mas acho que se vocês nos derem essa chance, podemos mostrar o nosso melhor. E não deixar mais as coisas interferirem dessa maneira.

– Será que vão cumprir dessa vez? – Manoel cruzou os dedos sobre a mesa – Podemos confiar em vocês?

– Podem. – Tiago cutucou Dennis que ainda estava meio surpreso com o irmão – Que foi?

– Cade meu irmão? – abriu a jaqueta de Tiago, a sua e procurou nos bolsos – Acho que ele ficou na sala.

– Muito engraçado, eu to tentando te ajudar e é assim que você retribui?

– Ok, desculpa. Obrigado! – riu para o irmão e olhou para o pai e para o primo – Podem confiar sim.

– Ok então. Estamos conversados. – Manoel apontou a porta – Podem ir agora, tenho que terminar uma conversa com Charles.

– Ok. – falaram ao mesmo tempo e levantaram.

– Agora... Só mais uma coisa... – olhou para Tiago – E sua namorada? Letícia não é?

– Isso. – sorriu para o pai.

– Que tal um jantar na minha casa? Podem levá-las. Sexta feira?

– Então pai... – Dennis começou e interrompeu Tiago – Eu ia ter um encontro com a Aline sabe? Já que não somos namorados... – todos riram, até Tiago, que ainda estava nervoso com aquilo tudo – Que tal no sábado? Assim eu a preparo emocionalmente e o senhor decora que ela ainda é uma amiga.

– Ele ta querendo ensinar a receita pra cozinheiro mesmo? – Manoel balançou a cabeça negativamente e Charles explodiu em gargalhada – Tá achando que eu to ficando caduco garoto?

– Se ferrou. – Tiago comentou rindo e Dennis o cutucou – Que foi?

– Não é isso pai.

– Já entendi. Sábado então. Tiago?

– Sim, sim, eu falo com a Leticia.

– Que lindo! – aplaudiu – Agora saiam daqui.

Assim que fecharam a porta, Manoel olhou para Charles e ele já sabia o que viria. Levantou e apontou o dedo negando qualquer coisa que ele viesse a pensar.

– Mas eu não disse nada.

– Já conheço o senhor muito bem. Não inventa!

– O que foi? Um jantar tão simples. Só convidar, coisa boba. – Charles riu de nervoso – Já considerou não é? – e revirou os olhos assim que viu o olhar safado do tio.

– Não tio, nada disso. Acha mesmo que ela vai aceitar?

– Você só vai saber se perguntar.

– E como sempre o senhor colocando lenha na fogueira.

– Mas antes de mais nada. – ele ficou sério – Precisamos resolver essa questão. Arruma duas passagens para o Ramos. Ele vai vir conversar conosco aqui no Rio. Espero conseguir isso para que eles venham no sábado também. Bom motivo para convidar a Diana.

– Mas já fizeram todas as apresentações. E isso vai acabar virando uma mini festa. – ele já ria pensando no que viria.

– Ele vai fechar negócio. – Manoel sorriu contente – Eu te disse que tudo ia dar certo.

– Se não desse eu jogava os três no poço do elevador.

– Que horror!

– O senhor entendeu.

– Então, precisamos assinar o contrato. – Manoel parecia pensativo – Vou pensar com ele se pode vir na sexta. Faremos uma reunião com ele, Stolt, Diana e Aline. Assinaremos um contrato de confidencialidade e tudo o que estiver relacionado a situação constrangedora dele ficará apenas entre nós.

– Deixa eu avisar a Aline então. Capaz de ter chegado em casa e as meninas quererem saber o que aconteceu.

– Acha que ela contaria? – ele desconfiou.

– Não. – Charles assegurou – Mas é bom termos um pouco de precaução.

CONDOMINIO ANIMALE

Aline estava terminando de se arrumar quando Dominique bateu a sua porta. Ela já estava querendo matar um e ainda por cima aquelas batidas insistentes estavam deixando-a ainda mais irritada.

– Que é? – abriu a porta com o solavanco e ela a olhou assustada – Que foi?

– Não já terminou de tomar banho, pra que o chilique? Charles Roich ao telefone. – falou formal, porque pelo visto já tinha atendido a ligação.

– Oi Charles. – assim que olhou pra cama, Leticia e Dominique seguravam dois papeis escrito "ferrada', gigante.

– Desculpa ligar pra você a essa hora... – ela olhou e viu que ainda eram nove e meia.

– Não. Que isso. Ainda tá cedo. – ela sorriu e soube que ele também tinha sorrido do outro lado da linha – Pode falar. To demitida?

– Olha, Diana bem pensou nessa possibilidade. – Aline engoliu em seco – Brincadeira. Na verdade é pra saber se você contou o que aconteceu para alguém. – Aline entrou no banheiro e trancou a porta. Dominique e Leticia correram para ouvir a conversa e chiaram quando ouviram o barulho do chuveiro.

– O que é isso? – ele estranhou e ela gargalhou.

– Assim abafa o som. Mas não contei nada ainda não.

– Posso te pedir um favor? Aquela parte constrangedora... Pode ficar apenas para nós?

– Até a parte do Matias? – ela se contorceu e olhou para o espelho – Não tenho como esconder isso, sinceramente. Elas são minhas amigas. – falou sincera, porque com ele, ela não tinha porque ter muito dedo.

– A parte da investigação, do problema que teve devido a essa descoberta... Até contar que ele é um safado e deu em cima de você... – pensou – Mesmo achando que não é certo.

– Tiago não vai contar nada a Leticia não né? Porque ai sim que vai ficar difícil.

– Eu falo com ele. Se elas perguntarem, porque sei que vão, diz apenas que o Dennis conversou e tudo se acertou, ele pediu desculpas e o negocio foi fechado. Ele vai falar a mesma coisa e tudo se acerta.

– Tudo bem. – ela sorriu – Já vai ficar difícil esconder essas coisas. Mas pode deixar que eu me acerto com elas. Só pede pra eles não fugirem do enredo, senão vai dar tudo errado.

– Pode deixar. Eu me acerto com eles. Boa noite.

– Boa noite.

Assim que desligou o telefone e desligou o chuveiro, já que ela não era sócia da Cedae, olhou para o espelho e enrijeceu o corpo todo. Sem saber, ela descobriu que Tiago já sabia de tudo. Será que Dennis tinha contado tudo? Tudo mesmo?

Saiu do banheiro e as duas a olhavam enfezadas. O que ela tinha feito agora?

– O que foi?

– Que tanto segredo é esse? – Leticia começou – Precisava se esconder?

– Vai me dizer que vocês duas não estavam com os ouvidos colados na porta? – elas ficaram mudas – Foi o que pensei.

– Ok, então não podemos saber, mas precisava ser assim tão rude?

– Olha gente... – ela sentou na cama e depois se jogou – Aconteceu tanta coisa...

– Conta!

Aline começou pelo óbvio. O negócio. Contou do hotel, de Fortaleza e de como ela era linda, mostrou algumas fotos no laptop para elas verem e disse que tiveram um dia de folga praticamente para curtir o lugar. Contou do jantar e de como conheceu todo mundo, do Matias e que ele tinha dado em cima dela, mas que depois descobriram que era o filho do dono do hotel. E parou ali. Apenas fez o que Charles pediu. Contou que Dennis tinha conversado com ele e que tudo tinha dado certo. O negócio seria fechado e que amanha o dia seria longo para a quantidade de reuniões que teria com todos eles.

– E o Dennis? – Dominique não se conteve – Vai me dizer que não rolou nada?

– Então... – coçou a cabeça nervosa. Letícia também esperava por uma resposta.

Contou. Não teria como esconder nada se pretendia continuar com aquilo não é mesmo? Dominique estava felicíssima pela amiga, porque finalmente ela tinha arrumado alguém que prestasse e Leticia, mesmo não querendo, sentia-se aliviada. Agora não teria empecilho nenhum para investir pesado em seu relacionamento com Tiago, porque era o que ela queria não é?

– Mas calma ai, não rolou mais nada? – Leticia se assustou – Um gato daquele e você não aproveitou e foi até o fim? Qual o seu problema?

– Ela não sai transando logo na primeira vez Leticia.

– Eu também não. – se ofendeu – Da maneira que fala, parece que eu sou uma vadia.

– Não é isso. – Aline estalou os dedos na frente do rosto das duas – Eu não quero apressar as coisas, só isso. Quero ir com calma.

– Mais calma que ele já teve? – Leticia comentou de novo.

– Ela tem razão. Mas a vida é sua... – Dominique comentou e olhou Leticia de soslaio – E você decide o que é melhor pra você.

Ouviram um barulho de celular tocando. Olharam para Leticia que percebeu que era o dela. Sorriu envergonhada e correu para atender. Aline olhou para a amiga e sorriu. Ela entendeu o olhar dela.

– Você ainda não esqueceu o Tiago.

– Eu sou uma idiota.

– Eu concordo. – ela riu e Aline a olhou de cara feia – Contou isso pro Dennis pelo menos?

– Contei. Ele não gostou muito...

– Nenhum gostaria. – ela a olhou de cara feia de novo – Parei.

– Mas disse que me entendia e que ia esperar. Ia me dar espaço pra respirar. – Aline se jogou na cama de novo – E ele é tão bom.

– Em todos os sentidos? – gargalharam cúmplices e Leticia entrou no quarto.

– O que é tão divertido?

– Aline está contando que Dennis é tudo de bom!

– Nique! – todas gargalharam e Leticia sentou na cama.

– Falei algo errado?

– Não. – Aline olhava para o teto – Ele vale a pena mesmo!

– Claro que vale... – Dominique percebeu que Aline não estava aguentando mais – Vamos deixá-la dormir Lê. Amanha é um dia longo e ela precisa descansar.

– Boa noite gente. – ela já se virava e empurrava a mala da cama.

Ana Carolina – Simplesmente Aconteceu

Esticou o corpo e puxou o cobertor. Abraçou o travesseiro e pensou em Dennis. Ele era tudo o que ela precisava de fato. Um homem viril, inteligente, determinado. Demonstrava que gostava dela e abriu mão de praticamente tudo pra que ela tivesse certeza disso. Os beijos, as carícias, não podia negar que correspondia a cada detalhe dele. Cada olhar, cada pedido silencioso...

Chorou. Um pouco silencioso para não chamar a atenção naquele apartamento que já parecia silencioso para uma hora tão cedo, mas chorou. Queria muito poder se entregar a alguém como ele, porque ele sim merecia todo o seu comprometimento. Ele valia a pena.

Mas as lembranças de uma noite em São Paulo e outra no Rio não saíam de sua cabeça. E ela ficava ainda mais angustiada com isso.

CONDOMINIO MARTIN

Dennis olhava pela janela e suspirava. Mesmo para um inverno, o céu estava limpo e ele podia ver a lua muito bem. Ficou pensando em tudo o que tinha acontecido e em como tinha mudado tão rápido por uma pessoa que ele mal conhecia. Olhou para as fotos que tirou em Fortaleza e uma em especial que tinha tirado enquanto Aline estava distraída vendo algumas bugigangas. Ela era linda de fato e encantadora.

Não podia negar, estava apaixonado por ela. E do jeito que as coisas iam, ele estava disposto a passar a vida inteira conhecendo-a mais.

Em outro quarto, Tiago olhava para o teto deitado em sua cama. Tentava absorver toda aquela conversa mais cedo e de tudo que soube que aconteceu. Logo quando saíram do escritório, ele e o irmão foram para a cozinha comer alguma coisa e de quebra se desculparam pelo que estava acontecendo entre eles. Dennis contou que ficou orgulhoso dele e agradeceu por tê-lo defendido diante de tudo e ele viu que estava começando a entender o que eles quiseram dizer com amadurecimento.

Ainda sentia uma angustia e uma dor por achar que era o mais vitimado da historia com Aline. Olhava para o celular por dois motivos: há poucos minutos tinha conversado com sua namorada e a chamado para almoçarem juntos, já que provavelmente eles apareceriam pela MP para conversar e ter uma reunião. E olhava para o tempo. O relógio que continuava girando. Quando analisou as datas, percebeu que tanta coisa tinha acontecido em tão pouco tempo.

Pensou em sua namorada, linda, inteligente e louca. Tão parecida com ele, mas ao mesmo tempo tão diferente. E lembrou-se da morena de olhos azuis penetrantes e cheiro adocicado, que deitou em cima dele cansada e sorridente. Feliz. Balançou a cabeça e sentou na cama atordoado.

Por um minuto na sua vida quis acabar com tudo aquilo e fugir com ela. Sim, fugir. Fingir que nada tinha acontecido e colocar uma pedra no passado tão estranho dos dois. Mas ele tinha tomado uma decisão que não pensou que fosse pesar tanto agora. Na verdade, percebeu que suas decisões tinham um peso tão grande que não poderia medir. Estava ferrado.

Dennis parecia outro quando falava nela. E era esse o impacto que ela causava. Ela mudava as pessoas. Ela o mudou. Levantou e começou a andar pelo quarto agoniado demais. Não queria admitir que no fundo também estava apaixonado por ela e que tinha jogado a oportunidade no lixo por ser egoísta e imaturo, mas assim que olhou para os relatórios largados em cima de sua cama, lembrou da discussão dos dois em Botafogo e dela desistindo de tudo só para não ter que ficar perto dele.

Ele era um idiota. E sabia que se ela estava dando a oportunidade para o irmão dele, é porque queria seguir em frente. Resistiu a tentação de ligar para ela e pedir desculpas. Ela estava dormindo e mesmo que atendesse, não ia querer ouvi-lo. Pensou novamente em Leticia e viu que não poderia continuar com aquilo. Não iria dar certo.

De qualquer forma, ele precisava mudar. Mesmo que não ficasse com ela, mesmo que ela não ligasse pra ele... Precisava crescer e ser maduro o suficiente para encontrar alguém a altura dela. Mas como faria aquilo?

Foi para o banheiro e jogou uma água no rosto. Olhou para o espelho confuso com tudo que se passava em sua mente ao mesmo tempo.... Será que era isso mesmo que ele queria?

TERÇA FEIRA

MONTENEGRO PUBLICIDADE

Letícia tinha chegado primeiro que as duas. Sabia da reunião que teria na empresa porque Diana enviou um e-mail pedindo para que ela chegasse mais cedo e preparasse tudo. A chefe chegou na empresa linda como sempre, mas séria. Provavelmente era relacionado ao que tinha acontecido no dia anterior, mas ela não era adivinha para saber se era isso mesmo.

– Bom dia, Diana. – ela sorriu e ela acabou sorrindo também.

– Bom dia. Aline já chegou?

– Ela disse que passaria com Dominique na Starbucks para comprar algumas coisas pra reunião e logo chegaria.

– Bom. Quando ela chegar, pede pra ir direto pra minha sala.

– Peço sim. – ela virou o olhar e Diana entrou rapidamente em sua sala. Boa coisa não vinha dali.

Danilo chegou na ala delas e estava conversando com Leticia quando Aline e Dominique chegaram. Pediram a servente para levar as coisas e arrumar na sala de reunião, quando Leticia levantou e foi ate ela.

– Diana não esta com a cara boa. – Aline tremeu – E pediu que assim que você chegasse, fosse pra sala dela.

– Lascou! – Dominique comentou e Aline ficou ainda mais nervosa – Eu tenho que ir pra minha ala, mas assim que sair de lá me avisa. – viu Danilo parado perto da mesa de Leticia e o chamou. Letícia correu para ajudar a servente.

Aline foi em direção a sala da chefe. Primeiro deixou suas coisas em cima de sua mesa e bateu na porta uma vez. Ouviu um "pode entrar" baixo e assim que adentrou a porta, Diana tirou seus óculos e os colocou na mesa.

– Queria falar comigo? – já estava dentro da sala e com a porta fechada. Diana estava séria mesmo como Leticia tinha dito.

– Precisamos conversar.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Dilemas" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.