O Chefe dos Aurores escrita por Matt Wagner 27


Capítulo 4
Capítulo 4


Notas iniciais do capítulo

Boa noite!!

Aqui mais um capítulo contando os primeiros passos de Bill e Matt em Hogwarts!!



Londres, Inglaterra, setembro de 1981.

Os alunos novos foram conduzidos para o castelo por Hagrid após atravessarem o Lago. Ao subirem a escadaria do saguão, que dava acesso ao interior da escola, Matt, que vinha um pouco à frente dos alunos com Bill, esbarrou de leve na barra do enorme casado de Hagrid e quase tropeçou. O guarda-caça se virou e disse:

– Oho! Calma lá, rapaz. Mal chegou na escola e já ia cair no chão? Cuidado onde pisa...

Os olhos de Hagrid eram negros como besouros, mas muito calorosos. O nervoso Matt Stick podia sentir hospitalidade e cordialidade naquele olhar. Hagrid pareceu perceber que o menino estava um pouco mais nervoso do que os demais.

– Ei, amigo, não se preocupe – disse o meio-gigante, dando uma palmadinha de leve no menino, enquanto os demais alunos se posicionavam defronte às portas do salão principal, como Hagrid havia orientado um pouco antes. – Está no lugar certo, vai se sair muito bem em Hogwarts, com certeza.

– Obrigado, senhor – disse Matt de forma rápida demais.

– Senhor, não, é Hagrid. Qual o seu nome?

– Sou... Matt Stick.

– Bem-vindo a Hogwarts, Matt. Já espera a casa em que vai ficar?

Matt não entendeu muito bem a pergunta de Hagrid, e balançou a cabeça.

– Como assim, “casa”?

– Bom, é feita uma cerimônia de seleção para os alunos novos, onde é decidido para qual das quatro casas de Hogwarts vocês entrarão. Bom, eu deveria deixar a professora McGonagall lhes dizer isso, mas não há mal nenhum em contar a você e ao seu amigo aqui – ele indicou Bill com a cabeça. – Como você se chama?

– Sou Bill Weasley.

– Hm. E você, Bill, espera ficar em qual casa?

– Não sei, senhor... digo, Hagrid, mas meus pais foram ambos da Grifinória.

– Oh! – exclamou Hagrid. – Não contem a ninguém, mas eu fui da Grifinória. Acho uma ótima casa, talvez a melhor, mas sou suspeito pra falar. Sempre fico torcendo pra que todos os novatos fiquem na Grifinória, mas é claro que isso é impossível, são vinte alunos novos para cada casa todo ano... Mas, no fundo – acrescentou ele, baixando a voz – vou ficar torcendo para que os dois entrem nela.

Ele sorriu efusivamente para ambos. Bill e Matt retribuíram o sorriso, e Hagrid voltou para frente dos alunos. Bateu de leve na porta do salão, como se esperasse uma resposta do outro lado.

A professora Minerva McGonagall surgiu no saguão, e instruiu os alunos novos acerca da cerimônia de seleção. Em seguida os conduziu para o salão principal, onde os alunos veteranos já estavam sentados nas quatro grandes mesas que representavam as casas. Na ponta de cada uma delas, próximo da mesa dos professores, havia espaços vazios, certamente reservados para os alunos novos que seriam selecionados em breve.

Num banquinho posto à frente da mesa dos professores, o Chapéu Seletor esperava pelos novatos para poder selecioná-los cada um para uma das casas. Quando os alunos enfim ficaram postados entre o Chapéu e as mesas, o diretor Alvo Dumbledore se levantou de sua cadeira no centro da mesa dos professores e proferiu seu discurso de boas vindas para os alunos novos e veteranos, e em seguida decretou que a cerimônia de seleção tivesse início.

A professora McGonagall chamava os alunos por ordem alfabética de sobrenomes a partir de uma lista contida num rolo grosso de pergaminho. Dentre os primeiros dez alunos chamados, mais da metade foi para a Lufa-Lufa, com outros dois deles indo para a Corvinal, um para a Grifinória e nenhum para a Sonserina.

Então a profª McGonagall chamou mais um aluno. Ou melhor, aluna.

– Fadden, Thaila!

Uma menina passou por Matt e Bill. Era magra, mas muito bonita. Olhos negros e cabelo castanho longo destacavam-se em seu rosto. Quando Matt a viu, ficou rapidamente boquiaberto.

– Ei, Matt! – sussurrou Bill. – Tudo bem, amigo?

Matt pareceu despertar de um transe, e fechou a boca.

– Tá, tudo bem... – e ficou contemplando Thaila Fadden subir no banquinho e experimentar o Chapéu Seletor, que não tardou a dizer:

– GRIFINÓRIA!

Thaila tirou o Chapéu e foi juntar-se à mesa da Grifinória, que a aplaudiu. A seleção continuou. Alguns nomes depois...

– Stick, Matthew!

Matt saiu andando trêmulo para o Chapéu. Quando se sentou, o garoto não parou de cruzar os dedos. De vez em quando arriscava um olhar na direção de Thaila Fadden na mesa da Grifinória. A professora pôs o Chapéu em Matt. A aba do chapéu se abriu e disse:

– GRIFINÓRIA!

Matt tirou o Chapéu e saiu correndo para a mesa da Grifinória, sentando-se do lado oposto ao de Thaila, que desviou o olhar o ver que Matt estava procurando-a pela mesa.

A seleção continuou. Faltavam poucos alunos quando a professora chamou:

– Weasley, William!

Bill marchou para o banquinho, e o Chapéu, imediatamente após tocar sua cabeça, anunciou:

– GRIFINÓRIA!

A professora tirou-lhe o Chapéu, e Bill correu para se juntar ao amigo Matt.

Os dois trocaram um rápido abraço. Uma rápida olhadela na direção da mesa dos professores fez com que ambos vissem Hagrid fazer discretamente um sinal de positivo com os polegares para eles.

Depois da cerimônia, veio o banquete de abertura do ano letivo. Depois o professor Dumbledore disse mais algumas palavras e, por fim, dispensou os alunos. Mas Matt não prestou atenção em muito, mesmo quando Bill lhe cutucava; estava ocupado reparando em uma de suas novas colegas.

Hogwarts, Reino Unido, setembro de 1981.



Notas finais do capítulo

Espero que gostem!!

Deixem recados/ reviews!!

Obrigado pela atenção, feliz Natal e ótimo Ano Novo para todos!!!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "O Chefe dos Aurores" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.