Opostos escrita por Tina Granger


Capítulo 6
Capítulo 6


Notas iniciais do capítulo

o link que vou colocar, é para o trailer da fic... quem montou ele, foi a Eduarda Olsen, MUITO OBRIGADA GURIA!... eu gostaria que voces dessem uma olhadinha...
http://www.youtube.com/watch?v=qZUmVA8FMNM




Filho de uma vagabunda. Seu trestálio capado. Desgraçado. Cretino. Trasgo manco. Veado que não tem coragem de se assumir. Enrustido. Beatrice ia nomeando em silêncio, encarando os olhos azuis do diretor.

Dumbledore tossiu brevemente, as bochechas avermelhadas.

- Então, Beatrice? Qual a sua resposta mesmo?

- Maldição, diretor! Severus não lhe contou que eu tenho um filho? O senhor quer que eu praticamente abandone...

- Um filho? - Alvo arregalou os olhos. - Nunca ninguém mencionou... Aliás, acho que...

Beatrice levantou-se, irritada.

- A minha resposta continua sendo não. Eu não vou entrar no véu novamente, correndo o risco de deixar meu filho sem mãe? Eu sou a única pessoa que Dean tem na vida! O meu bebê...

- Dean Stalker... - o diretor franziu a testa, quase fechando os olhos. - Receio que seu filho não esteja na lista dos nossos alunos. Ele por acaso é um aborto?

- ABORTO? - Beatrice gritou, indignada. - Se fosse eu não teria tantos cabelos brancos por conta dele! Se Dean fosse um aborto, jamais teria colocado chifres de rena em uma colega no pré-escolar. Se Dean fosse um aborto, eu não teria me visto aos apuros, para consertar...

O tom de voz extremamente alto de Beatrice foi substituido por um bufar.

- Dean é um bruxo, que se não fosse meu filho, eu teria medo em enfrentar... Se bem que daqui uns anos, eu não duvido que o meu bebê...

- Quantos anos Dean tem, Beatrice?

A mulher abriu a boca para responder, fechando-a em seguida.

- Onde o senhor quer chegar?

- Beatrice, é muito simples. Eu lhe pedi um favor... E você negou. Você me pediu um favor. Eu consigo ajudar, porém...

- Diretor...

- Sirius passou doze anos preso injustamente. Depois que fugiu de Azkaban...

O pensamento de Beatrice perante a palavra, voltou ao encontro que tivera com o filho, dois dias antes. Dean estava sentado, enquanto ela reclamava do comportamento dele, quando uma frase gritada fizera Dean levantar-se.

- Mãe... Como assim o meu pai ESTAVA em Azkaban? Ele morreu? - ele tinha a expressão assustada, como se ela estivesse tirando todos os Natais futuros da sua vida.

Ela colocara a mão no rosto, horrorizada. Ela queria cortar a própria língua... Por meio instante, ela cogitou a possibilidade de fazer algo que jamais fizera com o filho, mentir para ele. Suspirando, ela negara com a cabeça.

- Seu pai não está mais em Azkaban. Houve uma fuga em massa de comensais a dois anos. Lembra-se de quando estávamos na Índia? Foi nessa época.

- E você não me contou nada? - ele pedira, revoltado.

- Depois que você veio para a escola e eu voltei para a Inglaterra, eu não encontrei com o seu padrinho... E nem nas cartas que trocamos,o seu padrinho Severus me contou que ele havia escapado.

- Onde o meu pai está agora? - a esperança brilhou no rosto dele. Beatrice sentira o coração apertar-se... Ela estava diante do filho, mas via o homem responsável por gera-lo. - o tio Sev, ele por acaso sabe onde o meu pai...

Beatrice foi obrigada a voltar ao presente, quando escutou Dumbledore a chamando.

- Você está bem, Beatrice?

Ela fechou os olhos, enquanto balançava a cabeça, espantando os pensamentos. Maldição, ela amava Dean mais que a própria vida... não hesitaria em pular de uma ponte de um rio seco se isso garantisse a segurança de seu filho...

onde está o meu pai agora? - a frase ecoou na cabeça de Beatrice. Nenhum homem estúpido, sem um mínimo de cérebro a faria. Nenhum homem impetuoso a faria entrar no que praticamente era a morte certa. Onde está o meu pai agora? Dean a olharia de maneira acusadora se ele imaginasse que ela podia conseguir encontrar o seu pai... E não o fizera.

Onde está o meu pai agora?

Beatrice grunhiu, antes de sacudir a cabeça, mais vigorosamente. Quando olhou dumbledore, havia um brilho determinado que fez o diretor piscar os olhos, surpreso.

- Depois do começo do ano novo. Depois que o que pedi para ser feito, já tiver sido feito. Então eu entro naquele maldito véu e procuro por Sirius... Mas não garanto que ele vai ser entregue com todos os órgãos internos e externos.

Beatrice afirmou, dando as costas para dumbledore. Pegou a capa de chuva que havia jogado em uma poltrona, um pouco afastada e com os pensamentos longe, saiu sem despedir-se.



Notas finais do capítulo

quem sentiu falta da fic, pode fazer uma coisa?
escreve um comentario, dizendo isso?
beijos



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Opostos" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.