Opostos escrita por Tina Granger


Capítulo 2
Capítulo 2


Notas iniciais do capítulo

dai povo?? tudo bem? bem, eu vou fazer como eu sempre faço nas fics.

vou usar algumas coisas dos livros, modificar totalmente o que atrapalha as motivaçoes para escrever... aumentei um potinho o capitulo, antes que o povo suma de vez de ler.

se deixarem comentarios, dizendo o que ta muito ruim, eu juro que fico contente!

dedo não cai... divirtam-se!




Beatrice ria alto, quando subitamente estacou.

– Você está falando sério.

Ela falou, como se não acreditasse naquela possibilidade.

– E por que não estaria, Beatrice?

– Diretor... Eu sou...

– A melhor bruxa que...

– Eu não sou melhor que ninguém! - ela retrucou irritada. - Francamente, essa conversa é totalmente...

– Beatrice, eu não consigo pensar noutra pessoa mais adequada para ensinar defesa esse ano. Afinal de contas...

– Eu não sou uma professora, eu nunca fui auror e eu...

– você é uma das maiores pesquisadoras de artes das trevas que eu conheço

– Existem muitos melhores que eu.

– Olhando para você... Vejo ainda a jovem que não hesitou em jogar dentro do...

– Como o senhor disse, era jovem. Não vejo mais sentido em voltar a … - Beatrice interrompeu Dumbledore, sendo interrompida em seguida por ele.

= Beatrice Stalker, você durante a ultima guerra, esteve mais envolvida na luta que muitos de nós. A diferença básica é que você esteve na surdina, ao contrario de nós.

– Diretor...

– Escute Beatrice. Você é uma das poucas pessoas que eu confio não apenas as mentes inocentes de inúmeros estudantes, assim como uma missão, que talvez seja quase impossível de ser executada.

Missão quase impossível? Diretor, o senhor começou a ver filmes trouxas? - ela pediu, a sobrancelha se erguendo de modo incrédulo.

Dumbledore riu

– não. Beatrice, a questão é que... existe uma pessoa que acredito que você, também tenha interesse em ajudar a …

– Não. - Beatrice o encarou. - eu não quero nem mesmo escutar o resto dessa frase.

– A filha de Joan está estudando em Hogwarts. - Dumbledore falou como quem não queria nada. - E o filho de Lilian Potter.

– Não me interessa. - ela falou, após uma ligeira hesitação. - E se a filha de Joan Lovegood está em Hogwarts... não é da minha conta.

– Ambas formaram uma excelente parceria enquanto Joan esteve viva. - Alvo olhou Beatrice, sabendo que a mulher havia começado a ceder, inconscientemente - Luna Lovegood é uma jovem bastante corajosa, que ano retrasado, esteve novamente na sala, que Joan e você...

– Grifinória? - Beatrice questionou, falando com desdém. - ou Lufa-lufa como Joan?

– A senhorita Lovegood pertence a casa da Cornival. - Alvo falou com tranquilidade. Beatrice apertou os lábios.

– Severus parece muito mais capacitado que eu para o cargo. - Beatrice falou, olhando para o diretor com destreza. Se ele pensava que ela agiria como um cordeirinho..

– Tem razão. Mas Severus não sabe... Não tem noção de como conseguir entrar e sair de um certo véu que está na sala do Ministério... E é essa a outra parte do pedido que estou lhe fazendo.

Beatrice abriu a boca para negar, quando então suspirar.

– Você quer dizer que me quer para professora de Defesa Contra as Artes das Trevas apenas porque em uma experiencia que fiz juntamente com Joan Lovegood, entrei e consegui sair daquele... - Beatrice perguntou, como se já soubesse a resposta.

Sim. - Dumbledore falou calmamente. - por isso mesmo.

Beatrice desviou o olhar do diretor, que naquela noite estava usando um terno azul fúcsia Beatrice olhou para o diretor, estreitando os olhos.

Muito bem. Eu não consegui resgatar Joan naquela vez. Por que acha que eu teria chances de fazer isso agora?

– Infelizmente, se você conseguir resgatar Joan, será uma benção, porém, não é nela que pensei, quando cogitou-se o plano para resgatar...

– Nem mesmo se a professora Minerva fizer um Strip tease no salão principal eu concordo em ir buscar Sirius Black.

– Então você soube de Sirius, além do que foi dito nos jornais.

– Meu amigo me contou o que aconteceu. Então, como eu tenho tanta vontade de ver Sirius Black como o Severus, pode esquecer que eu vou arriscar minha vida para tirá-lo de algum lugar. E também..

– Tem certeza disso Beatrice?

– Como acha que eu posso querer ver alguém que matou seus melhores amigos, que não teve lealdade para com eles? E também... - Beatrice puxou o folego. - Maldição, ele deixou órfão o próprio afilhado! - Falou mais exasperada.

– Sirius não traiu Lilian e Tiago, Beatrice.

– Claro. E eu fiquei na grifinória. - Beatrice sorriu, enquanto pegava o copo com o suco que havia pedido. Tomou um gole, depois que colocou o copo na mesa, percebeu que o ancião a olhava de maneira interrogativa. - algum problema, diretor?

– Pelo visto você levou para a sua vida a rixa escolar... mas enfim, quero lhe contar algumas coisas, que espero mudem a sua opinião...


 

Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro.”

Clarice Lispector


 


 


 


 


 






Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Opostos" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.