New Legends - Cavaleiros do Zodíaco escrita por Phoenix Matt Marques W MWU 27


Capítulo 64
Aulas em Palaestra - parte 1


Notas iniciais do capítulo

Olá gente, mais um capítulo com clima de escola, vamos ver os cavaleiros sofrendo um pouco mais, rs
Agradeço pelos comentários do último capítulo e pelas visualizações! espero por muitos comentários de vocês. Das disciplinas apresentadas no ultimo capítulo, quais voces gostam mais? e quais voces menos gostam?? rs Vou logo perguntando para maneirar nas descrições das aulas nos capitulos seguintes, pra poupar voces, rsrsrs Até as notas finais!!


Os cavaleiros de Bronze dão início a sua rotina escolar em Palaestra, cada um tendo seus próprios resultados - alguns bons, outros nem tanto - nos estudos.
Depois, eles têm sua primeira reunião informal com seu conselheiro sênior, o cavaleiro Gomes de Altar, assistente do Grande Mestre.



Este capítulo também está disponível no +Fiction: plusfiction.com/book/264005/chapter/64

Primeiro, os novos alunos tiveram aulas na área de Ciências da Natureza, isto é, das disciplinas de Física, Química e Biologia, juntamente com as de Matemática. Os cavaleiros de Bronze foram colocados na mesma turma que Isabella, Marília e o grupo de Marcolino, juntamente com alguns outros cavaleiros novatos de Bronze e de Prata. Os Líderes de Aço e os demais cavaleiros de Aço que haviam participado da revolta ficaram em outra turma. Havia tantos cavaleiros novatos que várias turmas foram formadas para aquele período pré-exame de entrada no ensino superior. Eis como decorreram as aulas.

Física: o professor Hilton deu aula sobre os estados físicos da matéria e suas transformações. O professor Ewerton deu aula sobre as noções da mecânica e suas aplicações práticas. O professor Júnior deu aula sobre as noções da eletricidade.

Química: o professor Charlton deu aula sobre a tabela periódica. O professor Iran deu aula sobre Físico-Química e Eletroquímica. O professor Sales deu aula sobre ácidos, bases e sais.

Biologia: o professor Augusto abordou a Botânica. O professor Carlos Moura deu aula sobre Zoologia. O professor Hamilton deu aula sobre doenças.

Matemática: o professor Magno deu aula de Matemática Básica e noções de Matemática Financeira. O professor Fabio Denzel deu aula de Geometria Analítica. O professor José Arimatéia abordou a matéria de Conjuntos.

No decorrer das aulas, os alunos tiveram também que elaborar projetos científicos que relacionassem os conteúdos assimilados em cada uma das disciplinas trabalhadas. Os projetos seriam posteriormente apresentados na feira de ciências da Universidade de Atenas e, possivelmente, em outros locais do globo. Juntamente com os projetos, os alunos, divididos em grupos, tiveram que elaborar relatórios e planos de aula para apresentar os projetos à comunidade acadêmica e aos colegas do Santuário.

Veja como cada um dos principais cavaleiros de Bronze estava reagindo à nova rotina de estudantes.

Gustavo: ele não era 100% entusiasmado com as aulas, mas era genial nas disciplinas de Física e de Matemática, pela facilidade que tinha em solucionar problemas lógicos e fazer cálculos rapidamente. Em uma futura missão, tencionava ser engenheiro petrolífero para conhecer de perto o funcionamento das indústrias petroquímicas e produtoras de petróleo. Era voluntário nas aulas de Música, onde buscava se aperfeiçoar na prática do toque do violão.

Thiago: era talvez o aluno mais desleixado dentre os cavaleiros de Bronze, embora bastante reflexivo durante as aulas. Não se animava muito para estudar, contando quase sempre com a ajuda do irmão e dos amigos para revisar o conteúdo. Contudo, conseguia arrancar aplausos dos professores nas aulas de Filosofia, Redação, Geografia e Sociologia por seus comentários inspirados. Era um ótimo aluno observador, quando não estava reparando mais nas saias das colegas de sala do que no conteúdo apresentado pelos professores. Algumas amazonas novatas de Aço estavam começando a se sentir atraídas pelo charme de Thiago. Pelo gosto pela engenharia, havia se aproximado de Gustavo para estudar e tirar dúvidas de algumas matérias que ambos tinham gosto em comum, em especial Física e Matemática.

Rina: do grupo dos cinco, era possivelmente a mais empolgada com a perspectiva de entrar em um curso superior. A amazona de Andrômeda conseguia bons desempenhos em Biologia, em Química, em História, em Geografia, em Português, em Inglês, em Latim, em Literatura, em Espanhol e em Grego, além de ser aplicada também nas aulas opcionais de Teatro, onde era voluntária. Havia desenvolvido uma grande amizade com Marília, pelo gosto pelas disciplinas similares e por outros gostos em comum, após Isabella ter apresentado uma à outra. Alguns professores já a haviam convidado para ser monitora de algumas disciplinas. Dividida entre Psicologia e Medicina, devido ao desejo de se especializar em Psiquiatria, optou pela Psicologia nesse primeiro momento pelo contato maior que tinha com a área das humanidades.

Matt: se esforçava bastante nas aulas de História e Geografia, nas quais demonstrava mais interesse e envolvimento pelo conteúdo. Nas aulas de Filosofia e Sociologia também se aplicava para acompanhar o conteúdo. Em Português era um dos melhores da turma, bem como em Inglês e em Literatura. Em Latim sempre estudava arduamente, mas em Grego sofria alguns bocados para aprender o conteúdo do idioma apresentado. Assim como Rina, também era voluntário em Teatro; em Redação e em Artes, apesar das claras dificuldades, sempre buscava se esclarecer com os professores e se empenhar para absorver adequadamente o conteúdo. Os conteúdos em que mais tinha dificuldades eram Biologia, Física, Química e Matemática. Na maioria das aulas, principalmente das matérias em que não se saía bem, Matt buscava formar dupla com Isabella sempre que possível, e a quase-ex-namorada era quem fazia o garoto esclarecer as dúvidas que surgiam nos conteúdos de Ciências Naturais e de Matemática. O cavaleiro de Fênix, além de buscar melhorar seu desempenho nas disciplinas referidas, tentava se reaproximar da amazona de Taça com essa abordagem. Vários professores elogiavam a aplicação e a dedicação de Matt, que só ficava em segundo lugar nas disciplinas em que tanto ele quanto Rina tinham ótimo desempenho (e que não eram poucas, no caso dela). História era sua disciplina preferida, tanto que desejava leciona-la no futuro, assim como Inglês e Literatura.

Betinho: o cavaleiro de Pégaso, que vinha de uma família humilde, se esforçava em várias disciplinas, apesar das claras dificuldades. Era um dos melhores em Matemática. Em Filosofia, em Ensino Religioso e em Sociologia, era um dos estudantes mais cheio de questionamentos e indagações, que enriqueciam os debates em sala de aula e alegravam os professores. Em Física, formava excelentes duplas com Gustavo para entregar trabalhos a tempo e com precisão. Em Português, em Artes, em Redação e em Literatura, sofreu alguns percalços no acompanhamento da disciplina, mas contou com o auxílio dos amigos para chegar ao top 5 de alunos com melhor caligrafia e produção de texto. Ficava inspirado nas aulas de Latim, mas sofria bastante nas de Grego, Inglês e Espanhol. Em História e Geografia, pegava muitas dicas com Rina e Matt para os trabalhos e deveres. Biologia e Química eram seu calcanhar de Aquiles, por serem as duas disciplinas com cujos conteúdos ele tinha menos intimidade. Escolheu estudar para Administração para poder se aprimorar como líder e como gestor.

O professor José Gomes Neto, conhecido como cavaleiro Gomes de Altar, era o professor de Filosofia, junto com os professores Dian, Hamilton e Josemi, e de Ensino Religioso. Como diretor de Palaestra, ele próprio inspecionava as turmas e fazia relatórios sobre os alunos e sobre os professores, por vezes assistindo a algumas aulas juntamente com os alunos, quando não estava lecionando. Por vezes precisava se ausentar para ter audiências com o mestre Shion e com a própria Atena.

Gomes era formado em Filosofia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, e em Teologia pela Faculdade Dom Heitor Sales. Possuía mestrado em Ciências da Religião pela Universidade de Turim, na Itália, e doutorado em História das Religiões pela Universidade de Frankfurt, na Alemanha. Nasceu e se criou em Natal-RN, mas já vivia em Atenas há muitos anos, desde que havia encerrado seu treinamento de cavaleiro e completado seus estudos.

Além de Gomes, outros dois professores também eram cavaleiros. Fabio Denzel, o professor de Matemática, era o cavaleiro de Prata da armadura de Triângulo. Israel, o professor de Geografia e Sociologia, era o cavaleiro de Bronze da constelação de Meseta.

Gomes era também muito próximo dos alunos, em especial dos cavaleiros de Bronze. Por vezes, quando os cinco se reuniam no pátio da escola para conversar, o professor se juntava a eles e entrava na conversa, quase sempre arrancando risadas dos garotos com suas observações. Apesar de apresentar uma postura séria ao desempenhar as funções de diretor e professor, ele mostrou aos cavaleiros de Bronze que possuía um lado jovial e bem-humorado, o que o fez cair nas graças dos garotos.

— Poxa, professor – ia dizendo Rina. – Queria tanto conhecer a Itália. Aí vem o senhor e diz que o povo de lá é mal-educado.

— As pessoas do sul da Itália geralmente são – corrigiu Gomes. – Os sulistas são da etnia latina e são mais abertos aos estrangeiros, apesar de serem muito liberais em seus costumes. O pessoal do norte da Itália é mais germânico... São muito parecidos com os austríacos e os alemães em sua postura. São mais fechados, mas também são, em geral, mais cultos do que seus irmãos do sul. Mas não pense que quero desmotiva-la a conhecer a Itália, minha jovem... É um belo país. A cultura greco-romana, que nosso Santuário respira, ainda influencia em muito a cultura daquele país. Vale muito a pena conhecer aquela terra.

— E a Alemanha, Gomes? – quis saber Gustavo.

— São como os italianos do norte, só que são mais abertos aos estrangeiros. Eles apreciam muito os imigrantes, por que são a força de trabalho do país, e eles são bastante gratos a eles por fazerem a economia do país crescer. Também gostam de agradar os turistas, mostrar a cultura e as belezas do país. Outro lugar para o qual vale a pena viajar. Na verdade, a Europa inteira é ótima para conhecer. Para quem veio de Natal, como nós, o mundo inteiro é cheio de possibilidades. E pelo visto vocês são jovens ávidos por turismo e cultura. Isso é bom. Confirma o que escutei sobre o desempenho de vocês nas missões que tiveram antes de chegar aqui.

— Foram duras – confirmou Thiago. – Mas, com todo o respeito, professor, acho que eu preferiria encarar 12 Gildsons a ter que passar meus dias no Santuário estudando.

Gomes riu.

— É claro que vocês não irão morrer de amores pelos nossos métodos. Vocês são jovens, cheios de disposição, e tem muitos desejos. Nós respeitamos isso e até incentivamos. O que é importante saber, Thiago, é que a função de Palaestra não é apenas educar vocês. É disciplina-los adequadamente como cavaleiros de Atena e protetores do Olimpo. Com isso, nós conseguimos fazer os cavaleiros jovens trilharem desde cedo o caminho apropriado como guerreiros da justiça, da paz e da esperança. Com isso, queremos evitar outras situações lamentáveis, como aquela em que os seus colegas Cavaleiros de Aço estavam há algumas semanas, e como aquela em que o amigo de vocês – ele indicou Betinho e Thiago – se encontra no presente momento.

Os cinco sabiam que ele se referia a Gildson. Gustavo perguntou:

— Quanto tempo mais ele ficará preso, Gomes?

— Não sei dizer – respondeu o diretor. – É algo que foi combinado apenas entre Shion, Atena e o cavaleiro Berto. Mas, provavelmente, a pena dele será menos branda do que a dos seus colegas de Aço.

— É, estamos começando a gostar daqui – afirmou Betinho. Os outros concordaram, acenando a cabeça. – Mesmo com tantos deveres, tarefas, trabalhos e tal. Obrigado por nos dar essa chance, Gomes.

— Eu que agradeço por vocês terem aceitado de bom grado.

— Ah, a educação é sem dúvida de vital importância – disse Rina. – Achei ótima a iniciativa do senhor e do Grande Mestre de quererem nos instruir no nível superior. Imaginem, nós, daqui a alguns anos, estaremos viajando pelo mundo a serviço do Santuário, como agentes infiltrados...

— Incrível – falou Matt. – Seremos praticamente espiões, agentes secretos, os olhos e ouvidos do Santuário ao redor do mundo.

Ele olhou para Rina, e os dois deram um soquinho um na mão fechada do outro, concordando com a ideia.

Gomes abriu um sorriso.

— A animação de vocês é louvável. Há tempos não se via uma geração com esta no Santuário. – Ele olhou para o relógio. – Filhos, preciso ir. Tenho que preparar a próxima aula para a turma dos novos Cavaleiros de Prata. Obrigado pela conversa.

— De nada! Volte sempre! – disse Gustavo.

— Tchau Gomes! – os cinco disseram juntos quando o professor ia saindo em direção ao prédio. Ele retribuiu erguendo o polegar para eles.

— Bons jovens... serão ótimos cavaleiros, com a benção do Olimpo – comentou Gomes consigo mesmo enquanto caminhava rumo à própria sala.


Não quer ver anúncios?

Com uma contribuição de R$29,90 você deixa de ver anúncios no Nyah e em seu sucessor, o +Fiction, durante 1 ano!

Seu apoio é fundamental. Torne-se um herói!


Notas finais do capítulo

Para Archer Shiro caso ele leia isso:
E ai cara conseguiu identificar quem era o personagem que eu ja tinha mostrado na outra fanfic? ele apareceu de novo nesse capítulo, rs
E ai genteeeee! o que acharam do capitulo?? sugestões e críticas são bem - vindas. Nao se preocupem, eles nao ficar estudando para sempre! logo logo eles ganham folga, não para descansar, mas para combater!! é isso aí!! espero ver muitos comentários de voces... recomendações também são bem vindas!! abraços!!

Revisão do capítulo concluída em 10.06.2020



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "New Legends - Cavaleiros do Zodíaco" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.