New Legends - Cavaleiros do Zodíaco escrita por Phoenix Matt Marques W MWU 27


Capítulo 46
O Leão ruge! Os dois Cavaleiros de Fênix


Notas iniciais do capítulo

Quem já foi rei, nunca perde a majestade. Quem ja foi a ave mais nobre dentre as constelações zodiacais, também nunca perde a nobreza. Muito menos a imponência e a força. Um duelo de fogo, literalmente, entre discípulo e professor. Após escapar da morte certa, o jovem cavaleiro de Fênix terá que provar ao mentor que tanto tempo de treinamento árduo não foi em vão. Como será o rumo do guardião da armadura de Fênix após o fim da Maldição imposta à armadura?




Após a batalha intensa contra Gildson, que o deixou no limite da vida e da morte, Matt se lança em um combate contra seu mentor e antecessor na armadura de Fênix; nessa luta, o jovem cavaleiro aprende o que é levar uma surra pela primeira vez na vida.



Este capítulo também está disponível no +Fiction: plusfiction.com/book/264005/chapter/46

E partiram da Casa de Câncer. Thiago imaginava aonde o velho amigo Gildson poderia estar nesse momento, e o que faria trajando a armadura de Câncer. Então, chegaram à Casa de Leão. O Relógio de Fogo havia passado de Câncer para Leão.

Mas, tão logo correram para dentro da escura casa, foram empurrados por uma força semelhante à encontrada na Casa de Touro.

Os quatro se levantaram lentamente. Havia um cavaleiro de Ouro diante deles, espreitando nas sombras, observando atentamente o grupo.

— Cavaleiros de Bronze... Parabéns por terem chegado até a Casa de Leão – disse ele. – Mas receio dizer que aqui é o fim da linha.

Então, de repente, ele mudou de semblante, e saiu das sombras, ficando visível. Era alto, moreno e de cabelo negro. Observava o grupo com curiosidade, como se achasse que havia algo de errado com eles.

— Só quatro? – indagou ele. – Disseram que havia cinco cavaleiros de Bronze subindo as Doze Casas.

Betinho ergueu as sobrancelhas.

— Nós éramos cinco, Cavaleiro de Leão – disse ele. – Mas nosso amigo Matt caiu na casa de Câncer. Sacrificou-se para que nós pudéssemos seguir em frente.

— Matt... Isso é impossível – declarou o cavaleiro de Leão. – Como ele não se levantou dos mortos ainda? E quem estaria na casa de Câncer para matá-lo?

— Espere – disse Gustavo. – Como sabe que o Matt pode voltar dos mortos? Você o conhece...? Afinal, quem é o senhor??

O cavaleiro de Ouro fez menção de falar, mas se deteve, encarando a entrada da Casa de Leão.

Os cavaleiros de Bronze seguiram a direção do olhar dele.

Matt de Fênix subia a passos firmes os degraus de entrada da Casa, indo ao encontro de seus amigos.

— Matt! – exclamou Gustavo. – Você está vivo!!

— Chegamos a pensar que você não poderia mais voltar! – admitiu Betinho.

Ele sorriu para seus amigos.

— Fênix sempre volta, não é? Com ou sem maldição...

Mas ele havia reparado na outra pessoa presente na casa... Reconhecia aquele cosmo, já o sentira antes; esperando ver uma armadura solitária, seu queixo caiu ao ver o Cavaleiro de Ouro de Leão.

Era Ikki.

— Mestre? – perguntou Matt, extremamente surpreso.

Mestre? – disse Thiago. – Esse é o seu mestre?

Ikki sorriu para Matt. Sua capa tremulava atrás da armadura de ouro.

— Bem-vindo, Matt – saudou o antigo Cavaleiro de Fênix. – Vejo que se superou mais uma vez, superando a morte como um digno cavaleiro de Fênix. Mas não pense que serei negligente para com você e seus amigos... Ainda tenho que proteger a Casa de Leão de invasores, e vocês não serão exceção.

— Mestre – começou Matt –, Mestre, por favor, façamos um acordo. Eu lutarei contra você, mas o senhor deixará meus amigos passarem.

Ikki lançou um olhar significativo ao jovem pupilo. Considerou a proposta e por fim disse:

— Está bem. Os outros podem passar. Mas Matt ficará e só passará se me derrotar, o que eu acho improvável.

Os cavaleiros de Bronze lançaram a Matt um último olhar cada um, então passaram por Ikki. O Leão e o Fênix encararam um ao outro. Por um tempo nenhum dos dois falou nada. Então...

— AVE FÊNIX!

Matt se assustou; não esperava que o mestre usasse um golpe tão básico para ele como o Ave Fênix, por isso, conteve facilmente o golpe.

— O que houve, Mestre? – perguntou Matt, confuso. – Por que usou esse golpe?

— Devo ter me precipitado – disse Ikki. – Creio que seja a primeira vez que luto com um cavaleiro de verdade desde que assumi de vez a Armadura de Leão.

— Primeira vez? – indagou Matt.

— Sim. Até agora só havia enfrentado os Cavaleiros Negros, junto com você, lá no Havaí. Por isso, só usava golpes básicos, que eram suficientes contra os Cavaleiros Negros.

— Quando o senhor me treinou já tinha a Armadura de Leão?

— Já. Porém, tive o cuidado de escondê-la de você, pois, algum dia, teríamos que nos enfrentar. Um cavaleiro só se torna forte de verdade quando supera o próprio mestre. Foi o que aconteceu comigo.

Ikki ficou calado por uns instantes. Matt parecia estar absorvendo todas as informações recém-descobertas. Então Ikki quebrou o silêncio.

— Sendo assim, é a primeira vez que enfrento um cavaleiro de verdade... Meu aprendiz. Está com sorte, Matt, pois será o primeiro a receber meus golpes.

Ikki se preparou. Matt também, ficando atento aos movimentos do mestre.

— Prepare-se... – alertou Ikki. – PATA DO LEÃO!

O golpe era como o triplo de força do Ave Fênix; Matt foi erguido do chão e foi jogado para longe de Ikki. Fênix se levantou e encarou o mestre.

— Nada mal, mestre... – ofegou ele. – Mas é a minha vez! AVE FÊNIX!

Matt atacou sem pensar; por isso surpreendeu-se de Ikki ter bloqueado facilmente o golpe.

— Tsc, tsc, Matt – disse o Leão. – Você me repreendeu por usar o Ave Fênix, mas em seguida você mesmo usa-o contra mim... será que não lhe ensinei direito?

E, pela terceira vez desde que havia entrado nas 12 Casas, Matt foi jogado longe com a força de seu próprio golpe.

— Não... vou... desistir – ofegou ele.

— É tão teimoso quanto eu era – disse Ikki. – Você puxou um pouco a mim, Matt... Você já sentiu a Pata do Leão, então vou subir um pouco mais em força... CÁPSULA DO PODER!

Desta vez, o golpe foi o quíntuplo do Ave Fênix; Matt bateu no teto da casa, para depois cair com um baque enorme no chão.

— Ainda... não – gemeu ele.

— Matt, pare de sofrer – disse Ikki. – Vou lha dar uma chance. Me ataque!

Matt se levantou, encarou o mestre e disse:

— VOO DE FÊNIX!

Porém, mais uma vez, um decepcionado Ikki conteve o golpe.

— Que pena, Matt, que pena... acho que devia voltar ao treinamento – disse o Leão. – Se bem que... Eu ouvi falar do seu esplêndido desempenho contra Jango e seus Cavaleiros Negros, e, depois, contra os Cavaleiros de Aço. Parabéns por ter recuperado as armaduras de Libra e Aquário... mas, acho que ou os inimigos que você enfrentou eram fracos, ou eles simplesmente se renderam. Acho que foi a primeira opção, não foi?

Matt acenou positivamente com a cabeça. O elogio de Ikki de nada adiantou, pois foi seguido de uma repreensão.

— Vou lhe dar o golpe final... RELÂMPAGO DE PLASMA!

O golpe foi tão rápido que Matt não teve de berrar de dor; só pode fazer isso quando já estava novamente no chão. Porém, ele se levantou ofegando.

— Ainda não? – admirou-se Ikki. – Desta vez, Matt, você morrerá... adeus. RELÂMPAGO DE PLASMA!

Então Matt, numa fração de segundo, se lembrou: o Relâmpago de Plasma era similar ao golpe das Garras de Tigre de Fernanda, porém era mais forte, mais intenso e mais rápido...

Matt saltou e se esquivou de inúmeros e infinitos feixes de luz; continuou desviando até que Ikki ficou mais visível – o mestre estava próximo...

— AVE FÊNIX!

Matt concentrou o golpe no pé; o chute de chamas de Fênix acertou Ikki em cheio no rosto – o elmo da armadura de Leão saiu voando...

Que ironia, Matt se viu pensando. Seu sentimento por Isabella havia acabado de voltar com força total após a "visão" que havia tido na casa de Câncer, mas, agora, tinha que agradecer a seus duelos anteriores contra Fernanda pelo sucesso na luta contra Ikki. Mesmo sem pretender, a amazona de Aço do Fogo o havia preparado para aquele duelo contra seu mestre. A ironia ali contida era demasiado grande. E a dúvida estava começando a retornar no coração de Matt.

Ele saltou para trás de Ikki; o mestre congelara, olhando para o chão, incapaz de compreender o ocorrido. Enfim, ergueu os olhos para Matt.

— Magnífico, Matt – disse ele, sorrindo pela primeira vez desde que Matt entrara na casa. – Devia ter me precavido... Não posso ignorar o fato de que outros podem ter golpes similares ao meu...

— Sim, senhor – disse Matt, admirando o mestre.

— Você poderá passar, Matt – disse Ikki. – Contudo, ao deixá-lo passar, devo alertá-lo de que, para atravessar as 12 Casas, você deve alcançar o cosmo máximo – o Sétimo Sentido. Só assim, você passará pelos Cavaleiros de Ouro e chegará até Atena. Você teve sorte ao me enfrentar aqui – mas creio que isso talvez não se repita nas próximas casas. E lembre-se, Matt... O seu destino é se tornar um grande Cavaleiro de Ouro... Eu não estarei sempre aqui. Você poderá me suceder um dia. Boa sorte, Ave Fênix. – E fez sinal para Matt passar adiante.


Não quer ver anúncios?

Com uma contribuição de R$29,90 você deixa de ver anúncios no Nyah e em seu sucessor, o +Fiction, durante 1 ano!

Seu apoio é fundamental. Torne-se um herói!


Notas finais do capítulo

Próximo capítulo: A última lição de Shun




Revisão do capítulo concluída em 03.05.2020



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "New Legends - Cavaleiros do Zodíaco" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.