Daisuki escrita por AC3


Capítulo 33
O Culpado é...


Notas iniciais do capítulo

E os segredos começam a ser revelados...




Todos ainda estavam olhando para Hatsune-san e Gakupo-kun. Ninguém disse uma palavra por um tempo que pareceu infinito. Virei-me para Rin para saber se ela tinha alguma noção do que estava acontecendo. Ela simplesmente deu de ombros...

Olhei para a cara de todo mundo - até para a do Shion-kun, bem rápido. A única que parecia estar entendendo tudo era a Hatsune-san mesmo...

Kamui-kun estava de cara amarrada. Será que realmente tinha um segredo por trás das palavras doidas da Hatsune? Mais cedo na praia ele parecia meio marrento, mas ele sempre é assim, até pareceu ter ficado envergonhado quando eu disse obrigado pela ajuda no Jogo do Rei - depois ele me contou que tinha me beijado pra eu não chorar na frente de todo mundo mesmo... - mas não imaginava que ele pudesse ter um segredo assim tão tenebroso, como a Hatsune-san pintava.

Pensando agora, a conversa de hoje deve ter sido a mais longa que já tivemos desde as aulas de matemática que ele me deu, mas, assim, só pedi desculpas e logo a Rin e o Shion-kun chegaram...

O Kamui-kun realmente era bem misterioso pra mim...

Era claro que todo mundo estava confuso. Só eu e a Megurine sabíamos que o namoro deles era de fachada até ontem... Pra falar a verdade, está tudo tão bagunçado que nem sei mais quem sabe o quê...

Megurine-san cochichou algo pro Kamui-kun que deixou todo mundo mais curioso ainda. Ou ele falava logo, ou a panela de pressão que estava aquela sala ia explodir.

— O que você quer dizer, Hatsune-san? - respondeu ele, amargurado.

— Vai me obrigar a falar, então?! - ela se mexia de um jeito bem espalhafatoso, do jeito que a maluca é deve estar imitando algum anime de mistério. Só faltava ela apontar pro Kamui-kun e gritar "OBJECTION"...

— Desembucha - ele disse.

O jeito seco dele claramente tirou a Miku do sério. A panela explodiu: estava cheia de aipos.

— Você está traindo a Megurine-san com o Kimura-kun!!! - exclamou ela, realmente apontado pra ele - Nem tente negar!!

Por um segundo, tudo ficou silencioso. Eu sabia que aquilo era impossível. Mesmo que a cena que eu vi ontem a noite fosse a prova de que Kamui-kun e o amigo da Meiko-san tinham um caso, isso não tinha nada a ver com traição, porque o namoro era de fachada. O que será que se passava na cabeça de todo mundo agora?!

Pimba! Como não me toquei antes?! Burra! Burra! Aquela era uma óbvia cena que um dos protagonistas saía do armário na frente dos outros personagens não importantes! Meus deus, como pude ficar tão soturna ao ponto de não perceber isso?! Idiota! Agora era a hora! Kamui-kun iria sair do armário e declarar pra todo mundo seu amor por...

OPA! CALMA LÀ! Se fosse acontecer isso mesmo, ele iria se declarar pro Len logo em seguida. Vai ver por isso que eles estavam conversando na praia... Ai, que romântico... Imagina: Gaken ou Lakupo? Muito melhor que o Inominável - me recuso a falar o nome dele enquanto o Len continuar triste.

Nesse meio tempo, Kamui-kun riu. Como todo mundo estava quieto, a risada dele ecoou por toda a sala, ficando cada vez mais presente na mente de todo mundo.

— Tá bom! Tá bom! Já vi que é difícil esconder alguma coisa de você, Hatsune-san! - ele fez carinho na cabeça dela. Nossa, ela não deve estar entendendo nada!! Contive o riso o máximo que pude ao ver a cara confusa dela... Se Miku descobrisse que escondi isso, ia ficar brigada comigo até o fim das férias...

Kamui-kun nem se levantou pra falar, ele só foi soltando tudo, num ar bem casual. Até demais:

— Na verdade, gente, eu sou gay. A Luka é minha melhor amiga, então fingiu ser minha namorada pra não ficarem no meu pé sobre mulheres...

Aquilo estava muito esquisito. Será que ele estava forçando para parecer que aquilo não era nada demais? Cadê as lágrimas?! Que raios de climax de yaoi era aquele?!

Se bem que... Bem... Ele e o Len ficaram tão abatidos por causa de tudo que aconteceu desde o Jogo do Rei... Será que ia fazer bem pro Len se ele se declarasse agora? Agora que ele parecia menos pra baixo...

— Eu era apaixonado pelo Kaito - e Kamui-kun continuava a lavar a roupa suja - e ele foi um idiota pros gays como vocês viram ontem...

Até isso ele estava contando... Gente! A primeira pessoa que virei o olhar, institivamente, foi pra Meiko-san. Ela parecia surpresa, mas ao mesmo tempo, parecia normal. Sei lá... Na real, olhando pra cara de todo mundo, a única que parecia realmente surpresa era a Miku...

— Mas agora eu tô meio que afim de outra pessoa, foi meio do nada mas...

Ai, Kamui-kun, não conta não! Deixa o Len se recuperar! Você mesmo não teve uma briga enorme com o Inomeável ontem?! Deixa as coisas baixarem... Coisas corridas e de impulso assim só duram em one-shots...

— O Kimura-kun realmente acabou me conquistando!

— Hã?! - acho que nunca vi todo mundo falar em tanta harmonia como naquele momento.

Nossa, que bom!! Quer dizer, não foi de todo inusitado considerando o beijo que eles se deram...

— Já que você aceitou, - disse Kimura-san, enquanto todo mundo ainda processava tudo que ele disse - é pra me chamar de Makoto.

Que emoção!!! Era yaoi!!! Lindo e puro yaoi, derramando arco-íris sob minha visão... Que lindeza, que lindeza!! Queria tanto gravar aquele momento pra posteridade. Ai que felicidade!

— Bem que você queria um casal yaoi pro fim do mês, né? - sussurrou Len, do meu lado. Fiquei momentaneamente preocupada com a reação dele da minha reação sobre tudo aquilo. Afinal, ele ainda estava triste por causa do Inomeável...

— É engraçado como a vida é esquisita... - ele completou e começou a rir. Um risinho fraco e espontâneo, mas ainda sim um riso.

Aquilo devia ser um bom sinal. Um sinal muito bom pro futuro romântico do meu irmão...

— NÃO CREIO!!! COMO EU SOU BURRA!!! Mil desculpas, Kamui-kun, eu não queria te forçar a nada, é que eu achei que... - começou a se desculpar Hatsune-san, quase se ajoelhando aos pés do Gakupo.

— Calma, calma, - respondia ele, sorrindo - tá tudo bem... Não tem problema não.

Percorro meu olhar por todos. O clima era tranquilo, mesmo depois de a verdade ser revelada... O Gakupo e a Luka deviam estar muito felizes! Yes! O plano deu certo! Há! Há! Há! Bom trabalho Kimura-kun!

Subitamente, espantando todo mundo, Kaito se levantou e correu para longe da sala. Ninguém fez a menor questão de se importar - até Hatsune-chan, que não sabia de nada até aquele momento, devia ter ficado com raiva de Kaito.

— Eu vou atrás dele gente! - anunciei, porque quis. Ninguém ia me reprimir porque ninguém era louco o suficiente pra isso.

Deixei a sala, pensando no quanto Kaito deveria estar arrependido para sair correndo daquele jeito.

Não tinha visto se ele tinha ido para os quartos ou para o quintal dos fundos, mas chutei o último, até porque ele não deveria querer encontrar ninguém e lá era o melhor lugar pra se isolar no momento...

Por sorte, o caminho que escolhi tomar passava pela cozinha, que guardava o tesouro de uma garrafa de saquê bebida pela metade. Peguei a garrafa com tudo, sem me importar com copos. Ele iria precisar daquilo. E muito.

Quanto cheguei lá, vi Kaito sentado no chão, encolhido, com a cabeça entre as pernas. Não era a cena que eu imaginava - pra mim ele estaria deitado na rede - por isso hesitei um pouco. Tinha de pensar muito bem no que falar. Não só para não magoar ainda mais o Kaito, mas também pra ver se finalmente ele aprendeu a lição dele.

— Kaito...? - comecei, me aproximando - Tá tudo bem?

Ele levantou a cabeça e se assustou ao ver que era eu. Talvez esperasse outra pessoa ou não acreditava que alguém realmente iria atrás dele naquele momento. De toda forma, continuei:

— Trouxe uma garrafa de saquê pra gente.

Ele continuou em silêncio.

— Ah, deixa de frescura! - disse, me aproximando o suficiente para sentar ao lado dele - Vem, bebe comigo!

De perto dava pra ver como os olhos dele estavam vermelhos. Ainda saiam algumas lágrimas, mas provavelmente não tanto quanto antes.

— Por que eu só faço besteira, Meiko-san? - soltou ele, junto com mais uma boa dose de lágrimas.

— Porque você é humano - respondi, sorrindo, ainda oferecendo um gole da garrafa.

Fitando-me como se eu tivesse lhe contado o segredo da vida, ele finalmente cedeu e pegou a garrafa. Deu dois longos goles e depois me ofereceu de volta.

— Não, - respondi - hoje o saquê é seu.

— Por que eu sou um bosta né? Pode falar! Eu sou tão besta que tô aqui chorando as pitangas pelo que eu mesmo fiz...

— Não é verdade... - disse, sorrindo - o fato de você estar chorando, já mostra que você não é um bosta...

— Hã?! - ele estava nitidamente confuso. Provavelmente por causa do abalo emocional, ele não tinha percebido algo que era óbvio.

Nesse meio tempo ele deu mais um gole na garrafa de saquê.

— É isso mesmo, Kaito. O fato de você ter feito o Kagamine-kun e o Gakupo de bobos, ainda mais com atitudes claramente homofóbicas, foi horrível e você não deve se orgulhar disso. Mas muita gente não está nem aí, sabe? - agora era a hora do meu discurso construtivo - Muita gente simplesmente não admitiria que estava errado e continuaria petulante fazendo o que bem entende sem nem tentar respeitar os outros... Por isso você não é um bosta. Até agora você foi um, é verdade, mas depende de você mudar isso.

Ele demorou alguns instantes para absorver minhas palavras. Talvez fosse o jeito que eu falei, ou a forma como o saquê caiu no estômago dele, mas ele deu um sorriso. Parecia mais um sorriso de bêbado, mas não tinha como o saquê ter tido efeito tão rápido. Aquela devia ser a resposta para o que eu disse, ou seja, significava que ele tinha finalmente compreendido tudo aquilo. Tinha de significar...

Tudo ficou muito quieto mesmo depois disso. Fiquei pensando quanto tempo iria demorar até ele falar de novo. Estava imaginando algo muito mais expressivo do que uma meia dúzia de palavras, confesso. Pode parecer meio presunçoso, mas fiquei um pouco desapontada...

— Eu gosto de você.

Eu só podia estar ouvindo coisas. Virei-me para ele. O olhar ainda estava bem vermelho, dando vários indícios de que ele poderia voltar a chorar a qualquer momento.



Notas finais do capítulo

Oi, gente!!!!

Primeiramente, muito obrigado por lerem :) Estamos cada vez mais próximos do final da fic (siim, triste T-T), mas estou ficando extremamente feliz com o resultado XD

O que acharam deste capítulo?? Finalmente Gakupo saiu do armário!!! Quem diria que seria justo Miku que o ajudaria com isso, hein?? E a Meiko?? Parece que ainda há muito por baixo dos planos dessa mulher!! Será que no próximo capítulo revelará mais alguma coisa?? Aguardem... :3

Sobre Kaito e Meiko... É complicado... Tive várias ideias em relação aos dois e demorou muito até eu chegar a uma conclusão, que vocês puderam ver um pouquinho nesse capítulo, espero que gostem ^^

Acabei percebendo que desde o beijo o Len está deixando o protagonismo para Gakupo kkkk Não foi algo planejado, juro!!! Naturalmente as consequências do beijo (lááá no capítulo 26) acabaram fazendo mais sentido afetar mais o Gakupo (um pouco também por conta da Meiko e do Kimura, mas não darei spoilers kk) do que o Len depois do término... Acho engraçado como os personagens acabam tomando conta da fic né?? kkk

Enfim, até a próxima o/



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Daisuki" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.