Daisuki escrita por AC3


Capítulo 18
Entre Namorados


Notas iniciais do capítulo

Agora que tudo se explica!!!




Estava sentada em meu sofá favorito – se bem que só tinha um único sofá no meu apartamento. – lendo a última edição de uma revista qualquer que achara no metrô.

Era um dia comum e entediante. As aulas na faculdade haviam acabado e eu não tinha o que fazer durante meu novo tempo livre, quase fiquei encarando o ventilador por uns trinta minutos naquela manhã...

A campainha ressoou pelo apartamento vazio. Alguém a porta. Olhei no relógio, três da tarde. Muitas pessoas poderiam me visitar aquele horário. Levantei-me e abri a porta, já tendo certeza de quem estaria do outro lado.

– Oi, Gakupo. – disse, antes mesmo de vê-lo.

– Oi, Luka. – respondeu ele meio sem jeito.

Convidei-o para entrar. Ambos nos sentamos no sofá, sem dizer absolutamente nada. Perguntei se ele queria comer ou beber alguma coisa, só que ele recusou.

– Luka, eu vim aqui para conversar algo muito importante com você. – disse ele, em tom estritamente sério e confidencial.

– Eu sei, querido. – respondi, cruzando as pernas e apoiando meu cotovelo esquerdo na borda do móvel. – A Rin me contou tudo e já está suspeitando de você.

– Como assim?!

– Ela o viu seguindo Kagamine-kun e Shion-kun no último encontro deles, já suspeita de sua atração pelo último e está preocupada comigo, pois, tecnicamente, fui traída.

– Como consegue parecer que suas falas são decoradas? – perguntou ele, irritado.

– Eu fiz um texto há duas horas e fiquei ensaiando até agora pouco.

– Sério?

– Não. – ri pouco pela minha piada. Gakupo estava um pouco carrancudo e bravo aquele dia, não entendi o porquê.

– Luka, sério, precisamos conversar sobre isso.

– Ah, deixa de estresse! – bati “levemente” na cabeça dele. – Coma algumas berinjelas e se anime!

– Não é simples assim. – disse, já suavizando a expressão, provavelmente por causa do meu tapa.

– Por quê? Você gosta do Shion-kun e está com ciúmes porque o Kagamine-kun está saindo com ele, não é? O que tem de complicado? – realmente, parecia bem simples e comum.

Ele respirou fundo.

– É que eu estou confuso. – ele disse como se descarregasse de um grande fardo.

– Por quê? Por causa desse lance de casal? – estranho eu falar “lance”...

– Não, não é nada disso.

– Então o que é “enrrolão”?

– Eu acho que estou me apaixonando pelo Kagamine-kun...

Minha boca desceu até onde podia, permaneci quieta e boquiaberta por alguns segundos.

– Luka-san?

– Como você me esconde isso, senhor Gakupo Kamui?! Eu sou sua melhor amiga, sua suposta namorada, e você me esconde algo tão importante assim?! – estava pronta para pular em cima dele.

– Calma! Calma! – ele gritava, me segurando para não ser nocauteado. – Eu descobri há pouco tempo, essa é a primeira oportunidade que tive para te contar.

– Ah, bom! – exclamei, sentando-me novamente. – Mas, como isso aconteceu? Você não idolatrava o Shion-kun?

– Não é bem assim... Enfim, lembra que eu fiquei de professor dele por uma semana?

– Ah, não! Não me diga que você vai protagonizar um daqueles yaois que a Kagamine-san fala! Sensei e aluno?! Sorte que eu não sou a Rin-san, senão...

– Posso continuar?! – ele já estava voltando a ficar estressado.

– Pode, pode...

– Eu o achei muito fofo e esforçado. E quando olho para aqueles olhos azuis, eu...

– Você se derrete todo. Como és meigo, Gakupo...

– Dá para você parar?! – ele levantou do sofá e já gritava mais que o usual.

– Acalme-se, Gakupo-kun. – disse, me levantando. – Eu brinco, mas estou preocupada com você. Afinal, acho estranho esse interesse súbito pelo Kagamine.

– Não sei se é súbito...

Ele fizera a famosa carinha de cachorro abandonado que apenas eu conhecia. Sentei-me e indiquei para ele deitar-me em meu colo. Comecei a acariciar aqueles sedosos e volumosos fios roxos de cabelo comprido.

– Mas, no que isso nos afeta? – perguntei, com voz mansa. – Você apenas vai ficar na dúvida entre o loiro e o azulado, ainda estarei aqui se tudo estiver errado.

– Não é que...

– Gakupo, lembra-se o que disse quando começamos a “namorar”? – fiz uma pequena pausa, ele não lembrava. – Eu disse que iria permanecer ao seu lado como sua namorada falsa até você se decidir sobre contar ou não para seus pais e seus velhos amigos que é gay. Concordei com a fachada, não concordei? Permanecerei assim até você decidir revelar para o Shion e para o mundo. Não precisa se preocupar comigo. Não fico triste pelas suas desventuras amorosas.

Ele se aquietou um pouco, parecia pensar bem antes de falar algo, ou talvez pudesse estar “digerindo” meu discurso.

– Mesmo assim, Luka-san. Eu ainda me importo com você, sei que você ainda se sente da mesma forma desde o tempo que se declarou para mim. Eu quero que você também ache alguém, alguém que seja recíproco aos seus sentimentos.

Senti lágrimas virem aos meus olhos.

– Gakupo-kun, se esse é mais um sermão para eu arranjar um namorado... Só porque você já tem dois...

Ambos rimos tristemente à piada. Depois, ficamos apenas quietos olhando para o vazio, deixando-nos sozinhos até de nós mesmos naquele momento. Permanecemos por vários minutos dessa forma, até Gakupo falar:

– O que eu faço?

Ele chorava. Chorava no meu colo. Completamente confuso como a criança que era. Por mais que fosse velho e universitário, guardava muitas de suas dúvidas juvenis consigo.

– Espere. – respondi. – Aja com os dois como se fossem simplesmente amigos, então veja qual deles mais lhe atrai, com quem você prefere passar seu tempo.

Não sabia se era um bom conselho. Fazia tempo que não namorava de verdade. Ficara atrelada à Gakupo por bastante tempo, antes mesmo de me declarar. Acho que até era igual a ele, completamente temerosa de como seria a reação perante minha declaração.

– Obrigado, Luka.

Ele se levantou e aproximou sua cabeça da minha. Nossos lábios foram selados em um momento mágico, onde fogos de artifício brilhavam ao fundo. Permanecemos assim por certo tempo.

– O que foi isso?! – disse, depois de separarmos nossos rostos.

– Você merece um beijo de verdade, depois de tudo que está fazendo. – respondeu ele, sorrindo belamente, como nos meus mais lindos sonhos.

Pena que logo eu iria acordar...



Notas finais do capítulo

E pela primeira vez a Luka narra! Sinto um pouco de pena dela, afinal, seu amor não lhe corresponde... Enfim, finalmente as férias chegaram para esses vocaloids (pena que acabaram para nós... @.@') e, graças a isso, demorarei mais tempo para postar os caps de TODAS as minhas fics...
Até a próxima!!! :)
(PS: dedico esse capítulo à minha amiga, Kohai, uma grande fã da Luka)



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Daisuki" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.