Daisuki escrita por AC3


Capítulo 11
Barraco!


Notas iniciais do capítulo

Preparem-se! É briga por todo o lado!




- Então, Gakupo, posso saber quem é a garota de cabelos verdes?! – tive de perguntar novamente, ele ficara estático depois que percebera minha presença.

A raiva veio ao meu amigo que, logo, aos berros, respondeu:

- E isso te interessa?

- Claro que sim! – retruquei, no mesmo tom. – Somos amigos, não?

- Então posso saber quem é o garoto loiro, Kaito Shion?!

- Sabe muito bem que é diferente!

- Como?! – perguntou ele, me intimando.

- Você já conhece o Kagamine-kun! Mas eu nunca ouvi falar nessa aí...

Mal terminei a frase, senti um soco em meu rosto.

- Nunca chame Gumi-san de “essa aí”! – gritou ele, mexendo no punho que usara para me bater.

Por pouco não caíra no chão. Meu nariz doía! Não conseguia parar de esfregá-lo. Parecia não estar sangrando... Era bom que não estivesse!

 ♥

- O que vão querer? – perguntou a estranha garçonete de cabelos verdes que, na minha opinião, havia brotado do chão.

Megurine-san fitava indecisa o cardápio, Miku pedira uma porção de aipo – Argh! Quem vendia algo assim? – eu decidira por um suco de laranja e pedira, para meu irmão, uma vitamina de banana. – não que ele sempre comesse algo com banana, é que, na situação de crise em que o coitado se encontrava, pensei que ele precisaria comer algo que realmente gostasse...

Tá bom! Eu só achei que ele precisava de uma banana para se distrair. – nos dois sentidos... se é que vocês me entenderam...

- Vou querer o mesmo da Kagamine-san. – disse, finalmente, Luka.

- Então são dois sucos de laranja, uma porção de aipo e uma vitamina de banana?

- Sim.

- Já trarei seus pedidos. – disse a garçonete, se retirando logo depois.

- Como demoraram! – reclamou Miku-san.

- Devem estar com algum problema para contratar funcionários, pelo que percebi, ela deve ser a única garçonete aqui.

- O nível caiu, hein?

- Hatsune-san! – gritamos Luka e eu.

- Enfim, – falei mexendo em meu cabelo. – alguma novidade?

- Eu soube que a Akita-san tá afim de alguém.

- Sério? – disse, no meu bom instinto curioso. – Mas ela já ficou com o cara?

- Pelo que eu sei, ainda não, mas tá pretendendo.

- Então vai ter um novo casal na escola de vocês? – perguntou Megurine-san, perdida de certa forma.

- Provavelmente.

Neru Akita é uma prima da Miku, só que as duas mal se falam. Tanto que a Hatsune-san soube por um boato a situação dela.

- Mas... – fui interrompida pelo meu irmão, que se levantou da mesa, dizendo:

- Vou no banheiro.

Eu me levantei da mesa encarando o olhar de minha irmã. Era como se ela me dissesse: “Senta aqui e espera!”. Não me importei. Queria ver o que estava acontecendo entre os dois. – sim, eu ainda estava triste, mas, não aguentava mais esperar! Se o Shion-kun me deixasse, queria que fosse rápido. Sabia que ia doer, mas... eu tinha que saber!

Segui pelo corredor até a área do balcão, no caminho, já escutava pessoas gritando:

- Para, nii-chan! Deixa ele em paz!

Ao chegar na área do caixa, vi Shion-kun e Kamui-kun transferindo socos e tapas entre si. A garçonete segurava o de cabelos roxos pelos braços, ela era quem pedia para ele parar.

Naquele momento eu desejei ter ficado na mesa. Afinal, eu fizera Kaito brigar com o melhor amigo. Eu estava estragando uma grande amizade dele. A culpa era minha!

- Me solta Gumi-san! Ele tem que provar mais socos!

Pelo que eu via, os dois estavam com os rostos marcados pelos golpes. Mas, por que Shion-kun estava me defendendo? Por qual razão ele batia no melhor amigo por minha causa?

- Shion-kun! – gritei, entrando no meio. – Para!

Eu o segurei pela barriga, tentando, de todo o jeito, contê-lo.

- Por que vocês estão brigando? – perguntei. – O que aconteceu?

Kamui-kun parou de se aproximar, levando um soco potente de Kaito. Ele tropeçou para trás, quase derrubando a garçonete. O de cabelos azuis parou, olhou para o chão, pude sentir que inspirou fundo, virou-se para mim, encarou meu rosto tristonho, sorriu, bagunçou meu cabelo e disse:

- Por que você tá com essa cara, Kagamine-kun?

- Você acabou de bater no Kamui-kun, por minha causa.

- Relaxe, eu bati nele porque quis, não tem nada haver com você.

Eu saí correndo de lá, segurando as lágrimas. Não conseguia olhar aquele sorriso que ele fez e aquele olhar, dizendo que estava tudo bem sem pronunciar uma única palavra. Queria ajuda da Rin. O que deveria fazer agora? Não sabia. Na verdade, também por isso eu corria.

Cheguei à mesa, sem me importar com a presença das duas. Abracei minha irmã fortemente e chorei sobre seu ombro. Ela, por sua vez, entendeu imediatamente o que me afligia, pois me abraçou de volta, sussurrando em meu ouvido:

- Tudo vai ficar bem, Len. Tudo vai ficar bem...

Assim que vi Kagamine-kun chorando sob a irmã, levantei-me preocupada e perguntei:

- O que aconteceu, Kagamine-kun? – logo que terminei a pergunta, lembrei-me da briga entre Gakupo e Shion-kun. Fui em direção ao caixa.

- Onde vai Megurine-san? – perguntou Miku, não sei por qual motivo.

- Ver o que está acontecendo.

Não ouvi mais perguntas ou protestos, então, segui. Quanto mais próxima a meu destino eu ficava, mais evidentes eram os berros dos universitários já, por mim, conhecidos. Assim que os vi discutindo, com ambos os rostos machucados, gritei... não, berrei:

- O QUE VOCÊS DOIS ESTÃO FAZENDO?! – eles se viraram, provavelmente já reconhecendo minha voz. Pela expressão que fizeram, estavam perdidos.

- É só um acerto de contas, Luka. – disse o de cabelos roxos, o único com coragem suficiente para tentar me rebater.

- ACERTO DE CONTAS O CARAMBA!!! É PARA OS DOIS PARAREM JÁ! – quando eu me calei, não só eles, mas todos que ouviram ficaram estáticos, me encarando. – Venham comigo agora. – completei, aos dentes semicerrados.

Nós três seguimos para fora do estabelecimento. Joguei os dois na parede lateral e, sem me importar com transeuntes, comecei a intimá-los:

- Onde vocês pensam que estão?! – não berrava como dentro do restaurante, estávamos em local público... – Começam do nada a brigar feito duas crianças no meio do restaurante?! E ainda envolveram a coitada da garçonete na história. Podem ir falando o que aconteceu!



Notas finais do capítulo

Fiz o máximo que pude... Ficou engraçado?
Ah, desculpem pela demora em postar, na vdd, agora que eu to escrevendo mais de uma fic ao mesmo tempo vai ficar um capítulo por semana mais ou menos... ok?



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Daisuki" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.