Stepfather HIATUS escrita por Purplee


Capítulo 9
Like Lost & First Kiss (Part. l)


Notas iniciais do capítulo

Boa Leitura
(Like Lost & First Kiss (Part. 1) - Como perdidos & Primeiro Beijo (Part. 1)




Lola P.D.V:

-Justin, tem certeza de que isso está certo? – perguntei bufando, enquanto encarava o mapa de três quilómetros de extensão na minha frente.

-Se você estiver indicando o caminho certo, sim está. – ele falou, enquanto diminuía a velocidade. – Pronto, já andei quatrocentos metros. E agora? – perguntou, virando o rosto para me encarar.

-Agora... – comprimi os lábios, tentando achar o lugar onde estávamos. – Agora você vira á esquerda. – falei sorrindo.

-Não dá. – ele disse, e eu rolei os olhos.

-É claro que dá. Pisa na porra do acelerador e vira o volante pra esquerda! – falei irritada.

-Não... Não dá porque não tem rua á esquerda. – ele disse e eu franzi a sobrancelha, virei meu rosto e percebi que ele tinha razão, realmente não havia estrada pra esquerda.

-Mas... Aqui diz que... – Justin desligou o carro e tomou o mapa da minha mão brutalmente.

E é tudo culpa desse idiota.

Por quê?

Bem, ele disse que conhecia Stratford, como a “palma da mão”. Podia até ser verdade, mas em alguma altura da estrada ele acabou virando em uma ruazinha de terra errada, e no fim fomos parar em uma cidade que eu nunca tinha ouvido falar.

Paramos em um posto – Justin disse que queria ir ao banheiro, mas tenho certeza de que tinha parado só pra se acalmar, já que por pouco não perdeu o controle e me deu um murro na cara quando comecei a xingá-lo de incompetente – e ele comprou um mapa

 -Justin, pelo amor de Deus, já são três e meia da tarde! – falei bufando, e colocando as duas mãos sobre o rosto.

-Lola, temos um problema. – ele disse tenso.

-Pela milésima vez, Bieber, pra você é Mackenzie. – corrigi. – E qual é o problema?

-Eu não tenho a menor ideia de onde estamos. – Justin disse, e eu arregalei os olhos no mesmo instante. – Você estava lendo o mapa de ponta cabeça. – falou, apontando o mapa.

-Ah, não! Pelo amor de Deus, me diz que é brincadeira. – pedi, afundando o rosto entre as mãos.

-Hm... – ficou em silêncio, pensativo. – Não, não é brincadeira. – ele disse e eu bufei. – Mas pra sua sorte eu tenho uma boa memória e me lembro do caminho que fizemos. – disse, jogando o mapa no banco de trás.

-E...? – arqueei uma sobrancelha.

-E que eu vou refazer o mesmo caminho de volta. – ele piscou rindo e girou a chave do carro na ignição. O motor roncou alto, emitindo um som falhado, e o carro deu um solavanco que me arremessou do banco do motorista, e eu enfiei a testa no vidro do para-brisa.

-Filho da puta. – sussurrei, passando as mãos pelo rosto.

-Oh meu Deus! – Justin murmurou.

-Essa bosta de carro... Você tem que levar pra revisão, não posso ficar batendo a cara no vidro cada vez que... – Justin me interrompeu.

-Eu não posso acreditar nisso! Por favor, vamos lá! Vamos! – ele pediu, girando a chave na ignição novamente. O carro deu outro solavanco, e dessa vez minha cabeça foi com tudo no teto do carro.

-PORRA, DÁ PRA PARAR COM ISSO? – gritei, sentindo o couro-cabeludo dolorido. Provavelmente um galo ia se formar ali. Justin pareceu nem ouvir o que eu tinha dito, e tentou novamente ligar o carro. Dessa vez a minha canela deu com força embaixo do porta-luvas. – Droga Justin! Se quer me arrebentar me joga pela janela!

-Caralho, Lola, cala essa boca! – disse nervoso.

-É MACKENZIE!- corrigi – E você me mandou calar a boca? – perguntei. – Ah, ótimo. Você esquece de levar o carro pra revisão, eu bato a cara no vidro, a cabeça no teto e a canela nesse troço, tudo por culpa sua, e depois você ainda vem me mandar calar a boca? – perguntei indignada. – Eu não calo a boca porra nenhu... – ele interrompeu de novo.

-Culpa minha? – franziu o cenho sarcástico. – Quem foi que leu o mapa errado?

-Dane-se. Se você não tivesse se perdido antes nós não precisaríamos de um mapa! – devolvi a acusação.

-E por que mesmo eu me perdi? Porque eu peguei um atalho! Por que eu peguei um atalho? Porque eu estava atrasado para um compromisso graças á senhorita Lola que ficou de detenção! – ironizou, aumentando o tom de voz.

-E por que eu fiquei na detenção? Porque eu estava conversando sobre “assuntos inapropriados” na sala! E por que eu estava conversando sobre “assuntos inapropriados”? Porque eu não consegui dormir a noite inteira com você e a minha mãe gemendo lá em cima! – Justin arregalou os olhos e suas bochechas coraram no mesmo instante.

Ele ficou paralisado, envergonhado e muito, muito, muito sem graça.

-Agora liga o carro, Jay. – gargalhei alto, e vi Justin ficar mais vermelho ainda. – Anda, Justin! – mandei, quando ele desviou o olhar da estrada para me encarar.

-Você ainda não percebeu? – ele perguntou, franzindo a sobrancelha.

-Não percebi o quê? – perguntei confusa.

-Acabou a gasolina. – ele disse, e eu continuei quieta, como se não tivesse entendido.

-O quê? – refiz a pergunta.

-Acabou a gasolina! – Justin apontou o ponteiro que marcava o nível de combustível no tanque.

-Mas está na reserva! – falei, mostrando o pininho.

-Sim, eu já vi. Mas mesmo assim, toda vez que eu tento ligar o carro não dá certo. – falou, tirando a chave do contato e jogando no console. – Vou tentar ligar pra alguém.

Justin pegou o celular no bolso e desceu do carro, provavelmente tentando buscar sinal.

Só que era meio difícil, considerando que estávamos em sei-lá-onde, no meio de uma estrada de terra deserta e dentro de um carro sem combustível.

Por que essas merdas sempre acontecem comigo?

-Não tem sinal. – ele disse frustrado, enquanto se apoiava na janela aberta do carro.

-Ah, jura? Qual foi sua primeira pista? – perguntei sarcástica e Justin rolou os olhos.

-Cadê o seu celular?

-Sem bateria. – respondi sem nem olhar. Eu tinha tentado mandar mensagens pra a Mica durante a detenção, mas não deu certo porque o celular estava sem carga.

-Ótimo. – sussurrou irônico, abrindo a porta e sentando no banco do motorista novamente.

Justin afundou a cabeça no volante enquanto sussurrava todos os xingamentos conhecidos pelo homem. Suspirei, cruzando os braços.

Os minutos se passavam e Bieber continuava irritado.

-Bem... O jeito é esperar um carro passar e pedir ajuda. – falei, tentando fazer com que ele se acalmasse, mas nada adiantava. Justin tremia ao meu lado, e apertava o volante cada vez com mais força. – Pára de ficar se martirizando! – disse, começando a me sentir incomodada com o modo como ele referia a si mesmo.

-Me deixa. – sussurrou, e eu dei de ombros.

Liguei o rádio e estava tocando Clap Back do Ja Rule. Sorri e comecei a cantar alto.

http://www.youtube.com/watch?v=Zb117j9KIcM

To the world famous Murda Inc. Show

They call me the Mighty Rule! how ya living?

This real shit we talking

I wanna ask all my gangsta niggaz a real question (holla back)

What do you do - when niggaz spit at you?!

Eu estava tão envolvida na batida da música, dançando e movendo a cabeça no ritmo e cantando que nem percebi os olhos de Justin me fitando intensamente.

Levantei as mãos pra cima e comecei a fazer gestos de “mano”, enquanto cantava alto o refrão. Fechei os olhos, sentindo a música entrar pelos meus ouvidos.

Cara, eu amo Rap!

Abri os olhos novamente, parando de dançar e desliguei o rádio, virando meu rosto para encarar Justin. Ele ainda me fitava, e mantinha um sorriso diferente nos lábios.

-O quê? – perguntei sorrindo.

-Nada... – respondeu balançando a cabeça, afastando os pensamentos, e assumindo uma expressão séria novamente.

-Hm... – murmurei desconfiada. – Tudo bem então.

Passamos mais alguns minutos em silêncio, e não sei por que, mas aquele momento me pareceu perfeito para esclarecer uma dúvida que me atormentava há muito tempo.

Não sabia como ele reagiria, mas acho que mesmo uma bronca seria melhor do que o silêncio impenetrável em que estávamos.

-Justin... – falei sem graça, encarando apenas a paisagem da minha janela. Percebia que ele estava me fitando, mas preferia não olhar seu rosto.

-Sim? – incentivou-me a falar.

-E-eu... – tentei ser firme, mas o meu tom de voz denunciava o quanto estava sendo difícil pra mim perguntar aquilo. – Se você não quiser responder eu vou entender... Mas... – respirei fundo, ajeitando-me sobre o banco. – Eu queria saber... Por que você namora a minha mãe?

Ele arregalou os olhos, surpreso, mas não disse nada. Eu ri, percebendo que ele estava tão sem graça quanto eu.

-Quero dizer... Por que uma mulher mais velha? Você pode ter todas as adolescentes que quiser... Eu sinceramente não entendo! – tentei explicar, tentei fazer aquilo ficar mais fácil para ele... Mas acho que não adiantou, porque Justin voltou a tremer.

-Não foi uma escolha, Lola... – eu o interrompi.

-Mackenzie. – corrigi habitualmente e Justin bufou.

-É... Mackenzie... – suspirou. – Eu apenas percebi que sentia algo mais forte por ela... E... Aconteceu! – ele disse, ainda estava tímido, e agora já não me fitava mais. Encarava fixamente o para-brisa, enquanto eu ainda olhava a minha janela.

-Mas... O que ela tem que as outras não tem? – insisti, e já estava querendo enfiar minha cabeça no chão de tanta vergonha.

-Ah... – moveu-se desconfortavelmente sobre o banco do motorista. – Bem... Ela é mais experiente, muito mais. É madura... E é muito mais fácil manter um relacionamento sério com alguém como ela... Quer dizer, ela é linda... É independente... E, acredite, uma leoa na cama... – ele falava sem perceber, e eu fiz uma careta de nojo ao ouvir aquela última frase. – Aprendi muito com ela, em todos os sentidos. Sua mãe também me ensinou como penetrá-la, tocá-la, como fazê-la gozar e...

-Tá, tá, já entendi! – falei, rolando os olhos. Justin riu.

-Mais alguma dúvida? – ele perguntou sorrindo.

-Sim... – suspirei. – Mas não é sobre a minha mãe, o.k.? – perguntei, e ele riu assentindo. – Eu... Quero saber se... Justin... Você me acha bonita?

Levantei meu rosto para poder olhar sua expressão. Ele congelou por um segundo e o sorriso em seus lábios se desmanchou. Justin encarou-me nos olhos por um instante, e durante alguns segundos eu me perdi completamente em seu olhar.

-Você é linda. – ele disse baixinho, ainda encarando meus olhos. – Não só por fora...

-Você não me acha... “Masculina”? – perguntei desajeitada, sentindo minhas bochechas queimarem pelo modo intenso como ele me olhava.

-Masculina? – ele riu. – Não tem nada de masculino em você... Acredite. – ele falou, desviando brevemente os olhos para os meus seios, e eu corei mais ainda.

Eu podia ouvir sua respiração acelerada, e sentir seu hálito quente contra o meu rosto. Não tinha percebido até aquele momento como estávamos próximos um do outro, e a cada segundo ele parecia chegar mais perto.

Eu afastava meu corpo, inclinando-me para trás, mas Justin fazia questão de encurtar ainda mais o espaço entre nós. Senti suas mãos em minhas costas, e ele puxou-me para mais perto.

Desviou os olhos para a minha boca, e umedeceu os lábios lentamente.

Senti meu coração dar um salto no peito. Eu queria afastá-lo e impedir aquilo, mas não tinha forças o bastante, porque no fundo eu também queria. Queria muito.

Um choque percorreu meu corpo quando aqueles lábios doces e macios tocaram os meus. Justin acariciou minhas costas delicadamente, enquanto com a outra mão alisou meu cabelo, causando-me arrepios.

-Jus... – sussurrei, tentando me afastar, mas ele me puxou novamente. Sua língua pediu passagem, e eu cedi.

De repente o barulho ensurdecedor de uma buzina ecoou, e nós nos afastamos imediatamente.

-PRECISAM DE AJUDA, AMIGOS? – gritou um homem, batendo no vidro do carro. Justin engoliu em seco e tentou falar alguma coisa, mas não conseguiu emitir nenhum som.

-Sim! – falei, e ainda me pergunto de onde arrumei voz. Abaixei o a janela e tentei acalmar a respiração ofegante.

-Acabou a nossa gasolina. – Justin disse sem desviar os olhos de mim.



Notas finais do capítulo

AHH MINHAS LINDAS!
É a Tatá aqui de novo meus amores *-*
Own, estava com saudades de vocês! KK'
A Purplee já deve ter explicado que eu perdi os capítulos, e eu realmente sinto muito por isso, não vou mais deixar acontecer!
E cadê as minhas leitoras hein?? Não vi todo mundo lá nos reviews não u_u
A Purplee não responde, mas eu vou responder todos eles agora mesmo!!!
E aí, o que acharam do capítulo??? KKKK'
TO CURIOSA! (a Purplee mandou eu pedir desculpas se houver algum erro porque ela betou correndo e não teve tempo de reler)
By: Thá♥