Stepfather HIATUS escrita por Purplee


Capítulo 2
You're So Stupid!


Notas iniciais do capítulo

Boa Leitura
(You're So Stupid! - Você é tão idiota!)



-Lola... – ouvi um sussurro, e logo depois um pigarro. Abri os olhos devagar e tentei enxergar quem havia me chamado, bufando quando enxerguei Justin sentado na ponta da minha cama.

-Já disse que para você é Mackenzie. – revirei os olhos e comecei a imaginar como tinha chegado á aquela situação. Eu estava perfeitamente deitada sobre a minha cama – e não toda revirada, como eu tinha certeza de que havia adormecido –, coberta pelo meu edredom preferido, sem os fones de ouvido e vestindo um... Pijama?

-Como você quiser... – ele suspirou. – Bem, só queria avisar que eu estou indo pra minha casa e... – o interrompi.

-Jura? Finalmente! – falei tentando ajeitar meu cabelo, que estava todo arrepiado. – Pensei que ia morar aqui com a gente. – comentei olhando o relógio no criado-mudo ao meu lado. Marcava exatamente 20h00min.

-E queria pedir para você dar uma passada no quarto da sua mãe. – continuou, como se eu não o tivesse interrompido. – Ela está realmente mal. Fiz um chá e preparei um banho, até dei alguns calmantes, mas ela não consegue parar de chorar. – disse suspirando. – E eu sei que você não quer deixar sua mãe tão mal assim, não é? – perguntou, tocando a minha barriga por cima do tecido que me cobria.

-Poderia tirar as suas mãos de mim, por favor? – perguntei cínica, e ele obedeceu no mesmo instante. – Muito obrigada. – revirei os olhos. – Agora cai fora do meu quarto, padrasto.

-Imediatamente. – ele disse se levantando e colocando os dois braços para cima, em sinal de rendição. – Mas... Você vai lá vê-la? – perguntou.

-Tá... Eu vou. – suspirei derrotada. – Anda! Sai daqui! – disse abanando a mão direita.

-O.k. – ele sorriu calmo, e finalmente se dirigiu até a porta, saindo logo depois.

Eu te odeio Justin Bieber!

Fitei o teto por alguns segundos, que na verdade pareceram minutos, e me levantei, indo em direção ao último andar – onde ficava apenas o quarto da minha mãe. Passei por um espelho durante o caminho e dei uma olhada no meu rosto. Eu estava horrível! Meu cabelo parecia uma palha, e minhas bochechas estavam todas marcadas pelo travesseiro. Tentei dar uma ajeitada com as mãos em meu cabelo, e continuei caminhando até as escadas.

-Hm... Se eu fosse você não iria até lá. – Cloe, uma das empregadas disse enquanto vinha na direção contrária, provavelmente voltando do quarto da mamãe Sarah.

-Por quê? – perguntei arqueando a sobrancelha.

-Sua mãe está muito chateada com você, e além disso, depois que o senhor Justin disse que ia embora, ela piorou. – ela disse soltando a bandeja que estava em suas mãos em um balcão ao lado.

-Espera... Ele DISSE que ia embora? – perguntei, pensando na cara-de-pau daquele menino para deixar minha mãe sozinha e desolada. Com certeza tinha ido á alguma festa com aqueles amigos idiotas dele.

-Na verdade... – ela foi interrompida por Glória, a governanta da casa, que a chamou para terminar de guardar a louça na cozinha. Cloe sorriu educada, pegou a bandeja e foi caminhando pelo corredor.

Respirei fundo algumas vezes e subi o mais rápido que pude, parando em frente á porta do seu quarto. Bati algumas vezes, e esperei. Bati novamente quando não houve resposta.

-Mãe? – perguntei baixinho, assim que abri a porta do quarto. Ela estava deitada sobre a cama enorme, e dormia profundamente. Sorri sozinha, suspirei e depois me dirigi á saída.

Os calmantes de Justin fizeram efeito.

Voltei ao meu quarto, deitei sobre a cama e adormeci alguns minutos depois.

[...]

Acordei sentindo todo o meu corpo mole. Abri os olhos sonolenta e encarei o ambiente á minha volta. Já era meio dia, e eu podia ver pelas frestas de luz que iluminavam o quarto que o sol já brilhava lá fora.

Levantei cambaleando e procurei por uma roupa dentro do armário. Me vesti, lavei o rosto, escovei os dentes e penteei o cabelo. Logo depois saindo do quarto para descer as escadas.

http://www.polyvore.com/cgi/set?id=52313169&.locale=pt-br

Seria um dia completamente entediante. Primeiro porque não teria aula – já que eu havia sido suspensa – e meus amigos estavam na escola. Segundo porque minha mãe me mataria se eu simplesmente pensasse em sair de casa. E terceiro porque meu videogame quebrou semana passada.

Bufei me jogando sobre o sofá, liguei a TV e coloquei em um canal de esportes onde passava um campeonato de skate aqui em Stratford. 

-Lola? - Cloe perguntou adentrando a sala.

-Hãn? - perguntei sem desviar os olhos da televisão - Ah! Fala sério, até o meu 360° é melhor do que o desse cara! - falei apontando a última manobra de um dos rivais do meu skatista preferido.

-Tenho certeza que sim, mas agora a senhorita precisa ligar para a sua mãe. - ela disse me entregando o telefone.

-Por quê? - perguntei franzindo a sobrancelha.

-Porque... Ela me ligou mais cedo dizendo que depois da escola o senhor Justin vai passar a tarde aqui e... - a interrompi, me levantando e ficando em pé sobre o sofa.

-POR QUÊ? POR QUE MINHA MÃE INSISTE EM MANDAR ESSE PROJETO DE ADOLESCENTE REBELDE PRA MINHA CASA? - perguntei abanando as mãos e deixando a voz propositalmente esganiçada. Cloe riu.

-Poderia, por favor, sentar novamente? Fiquei até ás onze horas ontem aspirando esse sofá. - ela disse apontando onde eu havia deixado uma mancha preta. Revirei os olhos e me atirei novamente contra o estofado. - Tenho plena certeza de que a senhora Mackenzie está cheia de boas intenções... - a interrompi.

-Minha mãe não está em casa, não precisa falar toda engomadinha. - disse revirando os olhos. Cloe riu novamente.

-O.k. - entregou o telefone na minha mão. - Sua mãe pediu para que você ligasse pra ela assim que acordasse.

Assenti e disquei aqueles números tão conhecidos. Três toques depois, uma das secretárias atendeu.

-Ateliê Mackenzie, boa tarde. - disse a mulher com a voz enjoativa.

-Quero falar com a minha mãe. - disse enquanto pensava se ainda havia aquele sorvete de chocolate no freezer. - A Sarah. - completei quando percebi que a mulher provavelmente não sabia quem eu era.

-Só um momento. - ela disse, e logo depois começou a tocar aquela musiquinha irritante.

-Alô? - ouvi a voz da minha mãe no outro lado da linha.

-Mãe? - perguntei... Sacomé né... A gente tem que confirmar.

-Ahh, então agora eu sou a sua mãe? E não a "papa fetos" de ontem? - é. Com certeza era a minha mãe.

-Que seja. - bufei. - Quando vai me contar que mandou aquele pirralho passar a tarde aqui me torturando? - perguntei irritada.

-Justin não é um pirralho. - corrigiu automáticamente, na verdade, já estava virando rotina - E eu pedi que ele fosse até aí para garantir que você não saia esta tarde. Está de castigo.

-É, disso eu já sabia. - respondi me levantando e indo até a cozinha.

-E... Hoje ele vai ficar até a hora da mãe chegar em casa, o.k.? - bufei, pronta para entrar em uma discussão. Mas calei a boca quando encontrei o meu precioso sorvete no freezer.

-E por quê? - perguntei enquanto abria o pote e corria para pegar uma colher na pia.

-Porque eu vou viajar e vou deixá-lo tomando conta de você.

-O QUÊ? - perguntei, cuspindo tudo o que eu tinha na boca.

COMO ASSIM? JUSTIN E EU SOZINHOS EM UMA CASA????

Cabeças vão rolar soltas!!!



Notas finais do capítulo

Oie pessoas!! Tudo bem?
Na verdade quem está postando aqui hoje é a Purplee haha'
Já que a Thá não entra no pc faz uns dias, na verdade esse capítulo ela me mandou semana passada para eu betar, mas só tive tempo de fazer isso no fim de semana. Até mandei para ela por email, mas como ela tá sumida, fiquei com medo de deixar passar muito tempo e vocês nos abandonarem, por isso, aqui está mais um cap!
Bom, só percebi agora que...
A Thá escreve na velocidade da luz quando está sem energia!!! É muuuita lerdeza pra um ser humano!!!
Por isso, os caps vão demorar!!
Enfim... Esperamos reviews hein!
XoXoPurplee♥