Stepfather HIATUS escrita por Purplee


Capítulo 14
She Hurts Me & I Tease You


Notas iniciais do capítulo

Boa Leitura
(She Hurts Me & I Tease You - Ela Me Machuca & Eu Te Provoco)




P.D.V Lola:

Justin apertou minha coxa devagar, massageando-a, enquanto enfiava a sua língua ainda mais na minha boca. Eu percebia que ele estava se excitando com aquilo, e sabia que se não estivéssemos no meio de tanta gente, ele provavelmente já teria arrancado o meu vestido ali mesmo.

E foi de repente que a imagem da minha mãe surgiu como um lampejo em minha mente, e não sei de onde arrumei forças pra empurrar Justin pra longe de mim. Arregalei os olhos, colocando as mãos sobre a boca e tentando controlar minha respiração.

-O quê...? – ele ia perguntar, mas eu o interrompi.

-Minha mãe! – disse quase arrancando os cabelos enquanto procurava por ela no meio de tanta gente.

Uma palavra podia resumir minha situação: fodida.

É, eu estava completamente e irrevogavelmente fodida. Eu não estava vendo ela no meio daquela população, mas sabia que ela estava por ali, e que provavelmente tinha visto tudo.

Já estava me preparando para dar o chek-in no cemitério quando Justin começou a rir.

-Como você ri disso seu idiota? – arregalei os olhos.

-É esse o seu problema Lola. – ele sorriu daquele jeito sexy. – Você acha que eu sou um idiota. – riu, se aproximando.

-É Mackenzie. – velhos hábitos nunca mudam. Ele rolou os olhos.

-Que seja. – disse indiferente – Você acha mesmo que eu te agarraria desse jeito se a sua mãe estivesse aqui? – arqueou uma sobrancelha.

-N-não... – gaguejei. – Onde... Onde ela está?

-Ela está lá fora dando um telefonema. – ele deu de ombros. – Mas está voltando nesse exato momento. – ele apontou uma mulher loira e dos olhos azuis que entrava agitada pela porta da boate, segurando um celular e uma garrafa de bebida alcoólica nas mãos.

Puta. Merda.

Me afastei do Justin o mais rápido que consegui, ficando de costas para ele. De repente comecei a ouvir sua voz eufórica.

-Esse bando de incompetentes! – ela disse bufando. – Acredita que deu um problema no carregamento da nova coleção?

-Isso é ruim? – Justin perguntou.

-Isso é péssimo! – ela disse indignada. – Mas não quero falar sobre isso, amor, vamos curtir a festa... Ou... Podemos ir embora e curtir lá em casa. – ela deu uma risadinha pervertida e logo depois eles se enroscaram em um beijo de dar nojo.

Se eu achava que Justin me agarrava com força, o que ele fazia com a minha mãe não chegava nem perto... Só de ver eu já ficava sem ar!

Eles se separaram, e sem perceber eu havia me aproximado muito de Justin, roçando os nossos braços.

E minha mãe que é uma ciumenta assumida agarrou meu ombro, pronta para me xingar por estar encostando no “seu homem”.

Ou no caso dela, “seu GAROTO”.

-LOLA? – ela gritou, e de repente seus olhos tomaram aquela expressão de fúria.

-Ahn... Oi... Mãe... – murmurei, abaixando o olhar.

{...} – tempos depois

P.D.V Justin:

-Sarah... – implorei novamente para que ela parasse, mas ela parecia estar possuída pela raiva e não me escutava de jeito nenhum.

Acertou mais uma cintada com força nas pernas de Lola e eu a vi gritar enquanto uma marca vermelha se formava.

-PÁRA MÃE! – ela gritava enquanto chorava e tentava correr, mas Sarah a segurou pelo braço e começou a dar várias cintadas seguidas, sem deixar ela se defender.

-ISSO É PRA VOCÊ APRENDER! EU NÃO CRIEI FILHA PRA SE VESTIR COMO UMA VADIA! – ela gritou, dando um chute no joelho da Lola.

-DESCULPA MÃE! – berrou chorando enquanto as lágrimas caíam e rolavam sem controle nenhum. – PÁRA! TÁ MACHUCANDO!

-Sarah, você está exagerando! – disse, tentando segurar o braço dela, mas ela apenas me encarou com raiva.

-Não se meta nisso! – ela mandou furiosa, dando mais três cintadas nas costas da Lola. – SOBE AGORA PRO SEU QUARTO! NÃO QUERO VER MAIS ESSA SUA CARA HOJE!

Lola não precisou ser avisada duas vezes, e segundos depois já estava correndo pelas escadas acima. Me doeu  no peito ver aquelas pernas vermelhas e aquele rosto tão doce cheio de lágrimas, os olhos verdes inchados e a sua voz embargada.

Eu me senti mal por não poder protegê-la.

Não sabia exatamente porque, mas só de olhar pra Sarah eu já sentia meu estômago se revirar na barriga.

Era... Raiva??

Sim. Raiva por ela ter tocado na Lola e não ter deixado ela se defender. Foi covardia.

-Essa menina me tira do sério! – Sarah disse começando a chorar, jogando a cinta no chão.

Normalmente eu iria abraçá-la e consolá-la, dizendo como ela era uma boa mãe e o caralho á quatro que eu sempre fazia quando elas brigavam, mas naquele momento eu só conseguia sentir nojo da Sarah.

Ela não podia ter batido na minha menina.

-E-eu... Eu vou embora. – falei nervoso, pegando minhas chaves.

Sabia que se continuasse ali eu ia acabar metendo um soco na cara da minha namorada.

-Não amor! – ela pediu enxugando os olhos e correndo para se pendurar no meu pescoço. – Fica comigo, Jus!

-É sério... Eu tenho que ir mesmo... – Sarah me interrompeu.

-Não me deixa sozinha, bebê... – disse tentando me dar um selinho, mas eu me afastei. – Justin, não deixe que isso estrague os nossos planos! Hoje é o nosso aniversário de quatro meses de namoro, vamos comemorar!

-Sarah... – bufei...

No fundo eu não queria ter subido aquelas escadas, e tudo piorou quando eu passei pela porta do quarto dela e ouvi seus soluços enquanto ela chamava baixinho o nome do pai.

Só me destruiu ainda mais.

A merda realmente aconteceu quando Sarah me agarrou pela gola da camisa e começou a me beijar, e a única coisa que eu conseguia pensar era em como o beijo da Lola era melhor, e em como eu queria que ela estivesse ali.

Estou ficando paranoico...

P.D.V Lola:

Eu já estava chorando há horas enquanto sentia as minhas pernas doerem. E provavelmente a foto que eu tinha contrabandeado das caixas da minha mãe já estava toda destruída de tantas lágrimas que caíram sobre ela.

Era como se vendo a imagem dele a dor melhorasse um pouco. Eu me sentia protegida, cuidada... Como se ele realmente estivesse olhando por mim, onde quer que esteja.

Exatamente como ele disse que faria antes de morrer.

-Te amo pai. - sussurrei deixando uma última lágrima escorrer. Coloquei a foto no meu mural novamente e me deitei sobre a cama, tentando esquecer todas as merdas que haviam acontecido.

Eu deveria estar feliz por Justin ter dado mais uma daquelas crises de ciúme e por ter me agarrado, mas na verdade eu só conseguia sentir ódio e raiva de mim mesma.

Primeiro porque minhas pernas estavam ardendo demais, segundo porque eu estava de castigo, e terceiro porque mesmo depois de ter levado uma surra bonita eu ainda não conseguia me arrepender de ter ido àquela boate.

O gosto dele ainda está na minha boca, e posso sentir o seu perfume no meu cabelo.

ISSO É MUITO BOM!

Estou me sentindo uma pervertida agora.

Suspirei me enrolando nos meus cobertores, e depois de um tempo acabei dormindo.

{...}

Tá. Essa é a segunda vez que eles me acordam ás... (pausa para olhar o relógio), ás quatro da manhã fazendo sexo.

Tudo bem ter uma vida sexual ativa, mas acho que O CONDOMÍNIO não precisa saber disso.

“Awww Jaaay!”

“Mais rápido Jaaay, mais rápido!”

Meu deus, Lola, cavalga gostoso no seu Jay”

Espera...............................

Espera........ PAUSA

CINCO MINUTOS DE SILÊNCIO POR FAVOR!

EU OUVI ISSO DIREITO???????????????????????

Meu deus, Lola, cavalga gostoso no seu Jay”

Justin realmente disse Lola? E a minha mãe realmente não percebeu?

Só se ela estava muito bêbada, ou o sexo muito bom mesmo!

ELE DISSE O MEU NOME!

OH. MY. FUCK.

Justin Drew Bieber disse o meu nome enquanto Sarah Mackenzie (minha mãe) cavalgava em seu... Jay.

COMO ASSIM?

Eu não sabia direito se chorava ou se sorria, e acho que eu só parei de pensar nisso quando começou um novo round no andar de cima. Algo me diz que o Justin incorpora o Mike Tyson na cama, porque o jeito como a madeira arranhava o piso, o colchão balançava e minha mãe gritava... Deusdocéu!

Acabei dormindo depois. Ou melhor, tentei dormir.

Se você nunca passou por isso, pelo menos tente se colocar na minha situação.

Como você se sentiria se ouvisse a sua MÃE, a mulher que te gerou na barriga por nove (ou no meu caso oito) meses, que trocou suas fraldas e te ensinou a falar, que viu seus primeiros passos e seus primeiros dentinhos, gemendo no andar de cima.

Mas não gemendo como uma pessoa comum. GEMENDO MESMO!

Ela grita. Ela berra. Ela xinga. Ela SE xinga.

É perturbador!

{...}

Acordei sentindo uma mão quente e macia alisando levemente as minhas pernas, exatamente no lugar onde eu havia levado as cintadas. Abri os olhos devagar, e quase tomei um susto quando vi Justin ali em pé, acariciando a minha coxa, sem camisa.

SEM CAMISA.

SEM CAMISA.

SEM CAMISA.

-Mas que porra você tá fazendo? - perguntei sentindo meu coração quase pular pra fora do peito. Já disse que ele estava sem camisa?

-E-eu... - ele gaguejou, tirando suas mãos de mim no mesmo instante. - É que...

-Veio me avisar que está indo embora? - arqueei uma sobrancelha. - Ou veio aqui jogar na minha cara que acabou de sair de um sexo selvagem com a minha mãe?

-Como você sabe...? - eu o interrompi.

-Da próxima, enfia um travesseiro na goela dela, pra ver se ela geme mais baixinho. - disse cínica e vi Justin corar violentamente. - Posso perguntar o que você quer aqui?

-Ahn... - ele estralou um dedo encarando o chão. - Eu... Eu vim ver como você estava. - desviou os olhos para as minhas pernas cortadas pela cinta.

-Se foi por isso, muito obrigada, eu estou ótima. Pode voltar a comer minha mãe agora.

-Dá pra parar de ser estúpida? - Justin perguntou, e algo me dizia que estava começando a ficar irritado.

-Me obriga. - dei de ombros.

-Lola... - o interrompi.

-Mackenzie. - corrigi. - Sabe... Fico aqui pensando, por que você gosta de comer a minha mãe? - não sei de onde tirei coragem pra perguntar isso. - Quer dizer, ela não deve ser muito apertadinha né?

-Do que você está falando...?

-Não acha que seria muito melhor meter em uma virgem? - perguntei, olhando sugestivamente para a minha cintura. - Não seria gostoso ensiná-la tudo o que você sabe? Mostrar a ela como te chupar... Como... - ele me interrompeu.

-Pára de falar essas merdas. - disse nervoso, prendendo o próprio punho. Não pude deixar de rir.

Percebi que estava deixando ele excitado só de falar aquilo.

-Você não concorda comigo, Jay? - arqueei uma sobrancelha, mordiscando meu lábio inferior. - Hein? Gostaria de experimentar uma bucetinha apertada?

Sorri pervertida, ajeitando-me mais sobre a cama, e não sei de onde arrumei coragem pra fazer aquilo, mas abri as pernas, e passei a ponta dos dedos levemente sobre a minha intimidade, e vi Justin acompanhar meu movimento com os olhos, lambendo os lábios.

De repente pareceu voltar a si, e segurou meu pulso com força, impedindo que eu me tocasse. Franzi o cenho e o olhei como se eu fosse uma criança e Justin tivesse acabado de tirar meu pirulito.

-Não provoca. - disse arfando. - E nem me olha desse jeito pervertida, a não ser que queira ser arregaçada nessa cama.

-E quem disse que eu não quero? - insisti com a minha provocação. Ele se surpreendeu, sorrindo safado logo depois.

-Bem... Se tem certeza... Acho que posso fazer isso por você. - Justin pegou meu queixo com a ponta dos dedos, segurando firmemente, e aproximou seu rosto do meu. Podia sentir seu hálito delicioso batendo contra a minha boca. E quando ele estava a ponto de enfiar a língua na minha boca, eu me afastei.

-Não vai rolar, Bieber. - disse rindo, empurrando seu peito para longe de mim.

-O quê? A virgenzinha ficou com medo? - desafiou-me, e eu bufei.

-Não. É só que... Sabe como é, não quero beijar você sabendo que há poucos minutos você enfiou essa língua na vagina da minha mãe.

Justin ficou sem palavras, e se não o conhecesse, diria que ficou sem graça pelo meu comentário. Eu me levantei da cama, pronta para mais uma ceninha de provocação.

Assim que eu fiquei de pé percebi que meu vestido tinha subido, deixando minha calcinha e a minha bunda á mostra. Abaixei-o sensualmente, deslizando as unhas pelas minhas coxas.

Caminhei até o armário como se Justin não estivesse ali e me agachei de pernas abertas, deixando novamente minha calcinha á mostra. Procurei nas últimas gavetas o pijama mais sexy que tinha (que não fosse do Barney ou dos Ursinhos Carinhosos), logo depois me levantando e o jogando sobre a cama.

-Vai ficar aí parado? Não tá vendo que eu quero me trocar? - perguntei estúpida, e vi Justin rir.

-Estava me convidando pra meter em você alguns minutos atrás, e agora vem me dizer que não quer que eu veja seu corpo?

-Vai pro inferno. - murmurei bufando.

Fui até o banheiro, só para fazer um charminho... Sabe como é, manter a pose de “menina pura”, e me troquei ali dentro. É claro que deixei a porta aberta, fazendo com que a minha imagem se refletisse pelo espelho.

E é claro que Justin estava olhando, pensando que eu não tinha notado e que a porta aberta tinha sido um “deslize” meu.

-Espelho, eu te amo! - ouvi Justin murmurar de dentro do quarto e tive que me segurar para não cair na risada.

Depois inclinei-me na pia, deixando o bumbum completamente empinado, enquanto tirava a minha maquiagem toda borrada.

Justin entrou no banheiro, segurando minha cintura com as duas mãos e roçando seu membro muito mais do que duro na minha bunda.

-Não quer sentir ele dentro de você? - sussurrou provocante em meu ouvido.

-Ah... Acho que a minha mãe já te cansou o suficiente, mas muito obrigada, Justin. - sorri inocentemente (aham, claro) e voltei ao quarto, deitando-me novamente na cama.

Ele caminhou lentamente até a porta, sem tirar os olhos de mim. E só falou comigo antes de sair pela porta.

-Aqui você pode fugir de mim, mas quando estivermos sozinhos no meu apartamento, só eu e você... Juro que vai me pagar por isso. - ele disse apertando seu membro, volumoso por causa da ereção, por cima da calça. - Vou te fazer gritar o alfabeto de trás pra frente enquanto te arregaço todinha.

E dizendo isso, saiu pelo corredor, batendo a porta com toda força.



Notas finais do capítulo

Oiiiii amorinhas doces *-*
Então, só pelo "amorinhas" vocês já devem saber que é a Purplee aqui de novo. To brotando aqui com tanta frequência que acho que vou roubar essa fic só pra mim u_u
E vou roubar vocês também. Posso? nhac :p
Esse capítulo aqui foi bem meio a meio, A Thá escreveu uma parte, eu escrevi uma parte, ela escreveu, eu escrevi de novo... Levou uns cinco dias pra terminar nisso que vocês leram.
DESCULPEM PELA DEMORA. :(
Mas eu e elas estamos com os rabinhos atolados de trabalhos, ela na faculdade e eu com a minha escola.
Esse capítulo vai especialmente pelas divas lindas gostosas e maravilhosas:
-> Maggie
-> Anyele Sousa
-> Daniie
OBRIGADA DO FUNDO DO NOSSO BIEBERHEART PELAS RECOMENDAÇÕES.
Parabéns, vocês são leitoras lindas e amorinhas da titia Purplee *-*
Espero os reviews divônicos de sempre, e desculpem se ultimamente não estamos respondendo, mas é porque eu nunca respondo e a Thá que era encarregada dessa tarefa não tem tempo... Prometemos que vamos voltar a responder sim, só não sabemos quando aoioais
Isso já deve ter virado uma bíblia enorme, né?
QUERO SABER O QUE ACHARAM DA LOLA FAFADINHA!
KKKKKKKKK'
XoXoPurplee♥