Can't Be So Wrong (Versão Original) escrita por B Mar, Irlandesa, B Mar


Capítulo 24
S2C1


Notas iniciais do capítulo

Matando vocês do coração. cá está o capítulo com uma cena muito... Aguardada. Não está completa, mas... Vamos ver




S2C1


George PDV:

– Crianças, acordem. – Ouvi os berros no corredor e me mexi na cama, sentindo Hermione deitada em meu peito. Sorri ao ver Fred dormindo de conchinha com nossa namorada. Lembrei de quando mamãe havia nos pego assim no começo desse ano, mas ela deixou de ligar depois de um tempo.

– Bruxinha. – Chamei em seu ouvido.

– Hum?

– Hora de alguém acordar.

– Já? – Deslizou a mão por meu abdome e senti um leve arrepio.

– Já – Avisei e ela me olhou com os olhos sonolentos. – Porque não acorda o Fred enquanto eu escovo os dentes?

Ela confirmou com a cabeça e me levantei, fazendo-a soltar um suspiro.

A noite havia sido bem quente (no sentido de temperatura climática) e eu e Fred havíamos decidido dormir somente com as calças do pijama. Lembro bem de Hermione dizendo o quão insone aquela imagem era, mas conseguimos fazê-la dormir depois de alguns... Pegas.

Nós três ainda não havíamos feito sexo, e parecia confuso. Quer dizer... Quem entraria primeiro e o que o outro faria durante a situação? Graças a essas duvidas deixamos a decisão pra depois.

– Bom dia. – Fred murmurou passando bom mim, já no banheiro da casa e grunhi, através da escova de dentes, uma tentativa de saudação. – Hermione está vindo aí.

Nem bem ele terminou de falar, nossa namorada se espremia na pia com nós dois. Seus cabelos estavam arrumados e levemente selvagens, dando-lhe um ar sexy de quem acabou de acordar.

– Você fica linda quando acorda. – Meu irmão falou e confirmei com a um grunhido.

Observei Hermione corar debaixo dos meus olhos, enquanto o barulho das escovas preenchia o ambiente. Terminamos e descemos para o café da manhã, despertando os olhares dos presentes.

– bom dia. – eles murmuraram enquanto nos sentávamos.

– Senta aqui. Mi. – Gina apontou ao seu lado.

– Não. – Fred falou pegando seus ombros e fiz o mesmo.

–Ela é nossa. – Completei e ela riu, se sentando no meio.

– Caramba, vocês estão no mesmo ano da escola, passam o dia juntos, almoçam juntos, jantam juntos, escovam os dentes juntos, dormem juntos, tomam café juntos... Todos os dias e não podem deixá-la por um segundo.

– Gina, você tem sua hora diária com ela. – Lembrei. – Que nem o Harry e o Rony.

– O que vocês não fazem juntos? – Harry nos olhou.

– tomam banho. – Ronald respondeu antes de nós, com a boca cheia de comida.

Segurei o “nem sempre” e dei ombros.

Continuamos tomando café até uma coruja romper o ar e pousar na mesa, seguida de mamãe pegando a correspondência.

– O material desse ano, crianças. – Ela avisou distribuindo as cartas e peguei a minha.

– quantos livros. – Estranhei vendo a lista na mão de Hermione. – Está em poções?

– Sim.

– Em quantas matérias você está? – Fred lhe olhou.

– Todas as possíveis. Menos adivinhação e aritimancia,

– Saímos dessas e de estudos dos trouxas. Temos você pra nos ensinar.

Ela riu e beijou minha bochecha.

– Ei. - Fred resmungou e ela repetiu o ato.

– ô trio maravilha. – Gui, que estava em casa chamou. – Não dá pra poupar um pouco do açúcar pra quando vocês estiveram sozinhos, não?

– Hermione. – Rony a chamou. – Se você é nascida trouxa, porque faz estudo dos trouxas?

– Porque gosto de saber a visão dos bruxos dobre os trouxas. – Explicou.

– Existe mulher mais dedicada. – Fred indagou. – Ela é perfeita.

Hermione corou e beijamos suas bochechas ao mesmo tempo.

– ô, vai começar a dar formiga, pô. – Gina resmungou.

– Desculpe se nós namoramos e você não, irmãzinha.

– Pelo menos, quando eu namoro, eu não preciso dividir uma garota. Nem Merlin sabe como vocês se revezam.

A mesa ficou em silêncio e Hermione abaixou a cabeça, respirando fundo.

– Com licença. – Hermione se levantou.

Encaramos Gina antes de irmos atrás de Hermione.

Segurei o braço de nossa namorada e a puxei para meu peito.

– shh. – Falei sentindo ela soluçar e Fred a abraçou por trás, beijando seus cabelos. – Ela não fez por querer. Foi só...

– Foi por querer, Fred. – Ela falou

– Vem cá. – A puxei levemente e seguimos para nosso quarto.

Sentei ela na cama e eu e Fred secamos suas lágrimas.

– Quer que a gente fale com ela? – Meu gêmeo sugeriu.

– Não. Olha, desde que nós começamos a sua irmã não... – Hermione começou, mas não conseguiu completou, caindo no choro depois. – Ela odeia isso, ela me odeia.

– Gina não te odeia, Hermione. – Falei.

– Ela me olha como se eu fosse uma vagabunda. – Nossa namorada se deitou na cama, de costas pra nós.

Mexi no cabelo de Hermione e Fred me olhou cúmplice, olhando nossa garota com o mínimo pijama de verão.

Minhas mãos escorregaram por suas costas e ela segurou uma respiração.

– Hum. – Fred falou subindo as mãos por suas pernas. – Alguém fez depilação.

Beijei seus ombros e ela suspirou.

– Fleur me ajudou. – murmurou e se juntou mais a mim quando Fred puxou seu short para baixo.

– Porque você nunca nos ajuda, bruxinha. – Grunhi em sem ouvido vendo a calcinha fio dental.

– George. – Meu irmão me chamou enquanto eu tirava sua camiseta.

– Sim Fred?

– Temos uma brasileirinha. – Falou beijando o tecido, fazendo nossa menina impulsionar o quadril para a frente.

Desci as mãos para a curva de seus belos montes, brincando com os mamilos rosados.

– Geor-ge – Ofegou.

– sim, querida?

– FRED. – Ela berrou quando meu irmão sondou sua parte mais íntima. – Oh, Fred.

Beijei sua boca para poupar o resto da casa de seus gemidos.

Fred deixou suas mãos ali e fez um feitiço silenciador, voltando à sua “brincadeirinha”.

Beijei seu pescoço roçando meu desperto amiguinho em seus quadris.

– Fred. – Ela falou e desci meus dedos para seu tesouro escondido, colocando os dedos em seu núcleo, enquanto Fred chupava seu clitóris. – GEORGE. OH GOD...

Hermione segurou os cabelos de meu irmão.

– Vamos lá, bruxinha, dê um pouco da sua magia pra nós. – Brinquei em seu ouvido enquanto estocava em seus quadris.

– AHHHH. – Ela se contorceu e relaxou.

Beijei seus lábios levemente e Fred fez o mesmo, fazendo-a sorri levemente.

– Beijo com gosto de Hermione.

Tirei meus dedos de dentro dela e levantei. Estavam brilhantes.

Chupei meus dedos debaixo de seus olhos.

– Deliciosa.

Ela ofegou e, quando ia me beijar, bateram na porta.

– Hermione, posso falar com você?


Continua...




Notas finais do capítulo

Gostaram?
Beijos