Não É Uma Canção De Amor escrita por Suga Zalien


Capítulo 4
Auslly


Notas iniciais do capítulo

Revelações. O Final.




– Austin! Dez! – berra Ally ao entrar na Sonic Boom.

– Achamos! – berra de volta Austin erguendo o diário ao descer as escadas. Ele é recebido com um grande abraço de Ally, que pula em seus braços desajeitadamente.

– Eu te amo, eu te amo, eu te amo! – diz Ally rapidamente. Austin olha pra Dez e ele da um enorme sorriso.

Austin larga ela e fala:

– Sério?!

– Claro! – diz ela – Você é meu amigo! – Trish a olha com cara de “Por que você disse isso?!” e ela cora de vergonha. Já Austin, se decepciona mais uma vez.

Austin e Ally ficam se encarando por alguns minutos, um sorrindo para o outro, olhando fixamente nos olhos. Mas são cortados por Trish.

– Bom, gente, eu vou indo. – e mostra o celular – Mensagem do trabalho. Parece que "estar lá" faz parte do emprego! – Os dois riem e Dez acompanha a saída de Trish dizendo “Boa sorte na música!”.

“Enfim sós.” Foi exatamente o que Austin e Ally pensaram.

Passou-se mais um tempo com eles se encarando, até que os dois disseram juntos:

– Austin...

– Ally...

Os dois riram.

– Eu tenho uma coisa pra te falar. – disseram os dois juntos novamente.

Riram abafadamente mais uma vez.

– Ally...

Austin é interrompido por uma voz vinda de longe:

– Ally! Quando você disser pro Austin que gosta dele, eu quero... – Trish aparece na porta da Sonic Boom mexendo no celular, mas para quando percebe que esqueceu completamente que Austin estava com ela.

Os dois a olham incrédulos. Ally se vira e encara Austin, quase chorando. Ele a olha tristemente pelo choque que ela tinha acabado de levar.

– Ally... – mas não dá tempo dele dizer nada, ela simplesmente sai correndo derramando um rio de lágrimas.

Austin corre atrás dela, passando por Trish e dizendo “Obrigado, se não fosse por você eu não saberia a verdade.”. Trish o olha, confusa, e simplesmente volta pra junto de Dez.

Ally para e senta no primeiro banco que vê. Enterra o rosto nas mãos e começa a chorar incontrolavelmente.

Austin vira o corredor e a vê. Anda devagar até ela, com medo dela gesticular ao algo do tipo.

Delicadamente ele senta ao lado dela, de uma forma que nem foi percebido. Ele bota a mão nas costas dela e diz:

– Ally... – são as únicas palavras que dão tempo de sair de sua boca antes que Ally tenha um susto tamanho, que, ela mesma, chegou a pular do banco.

Ela o olha com o rosto vermelho, cheio de lágrimas e volta a enterrá-lo nas mãos.

Austin percebe que naquele momento não iria conseguir dizer nada, só agir. Não esperou nem mais um minuto, pegou seu pequeno rosto e o levou-o até a sua boca. Os dois tiveram um choque, os corações aceleraram e a felicidade surgiu diante o caloroso beijo.

Ally não acreditou que Austin sentia a mesma coisa por ela! Uma garota invisível, totalmente o oposto dele! Era o momento mais feliz de sua vida!

Os dois afastaram os rostos um do outro e ficaram se olhando, rindo. Eles não iam resistir, Ally foi lá e pulou no pescoço de Austin dando outro beijo nele. Ele a levantou do banco e a girou no ar.

Trish e Dez apareceram conversando e tomando sorvete, mas quando viram os dois, se entreolharam felizes pelo novo casal não os terem reparado. Deram três paços para trás e saíram correndo, deixando Austin e Ally a sós.

Término do beijo. Austin finalmente disse:

– Vamos terminar aquela música. – Ally soltou o seu pescoço e concordou.

Os dois voltaram para a Sonic Boom de mãos dadas, felizes pelo o que acabara de acontecer.

Chegaram lá e Trish e Dez os aguardavam ansiosamente.

– Aí vem o casal! – diz Dez

Os dois sorriem um pro outro e olham para as suas mãos dadas. Novamente se olham e finalmente soltam as mãos.

Ally corre para o seu diário, o abraça, como se fosse uma criança e o abre. Ela repara que as folhas estão amassadas e comenta.

Austin e Dez se olham apavorados e Trish logo percebe.

– Foram vocês dois, não foram?

Austin dá um risinho sem graça e diz:

– E-ele abr-ri-u sem quer-r-er. Cai-i-u no chão!

Ally o olha querendo explicações.

– Está bem... Eu estava tão perdidamente apaixonado por você, que precisava saber se você sentia o mesmo por mim, mas acabei achando que, no diário, você falara do Dallas.

– Dallas?! Ele é passado Austin! Eu te disse isso outro dia! E... “perdidamente apaixonado”?! – Austin a olha com medo - Você é um fofo! – ela pula em seus braços e ele fica aliviado. – Mas mesmo assim. – Austin a olha confuso – Se voltar a ler meu diário, acabou.

– Ok. – os dois se olham sérios e logo caem na risada.

Austin a segura pela cintura e dá outro beijo nela.

Trish e Dez, sem graças do jeito que eles são, logo interromperam.

– Quero saber quando essa música vai ficar pronta! – berra Dez, com sua voz bizarra, de novo.

– É! – concorda Trish – Esses dois pombinhos tem muito trabalho a fazer!

Austin e Ally se largam e os olham sem graças.

– E você Trish – Ally tenta implicar – Não vai voltar ao trabalho?

– Fui demitida. - Ally a olha envergonhada.

– Vamos! – fala Austin – Vamos terminar essa música!

E depois de horas de trabalho, eles finalmente acabam com o título da música “Não É Uma Canção de Amor”. Irônico não?





Notas finais do capítulo

É isso... Espero que vocês tenham gostado!! Deixem reviws!! Eu preciso escrever outras fics!! ;) Beijooos!! XD



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Não É Uma Canção De Amor" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.