Não É Uma Canção De Amor escrita por Suga Zalien


Capítulo 1
Perdido... E agora?





A brincadeira de Austin e Dez já estava irritando Ally. Sua bola de basquete estava espantando os clientes da Sonic Boom, e já não era a primeira vez que eles jogam algum tipo de esporte na loja.

Trish entrou com mais um novo look bizarro. Devia ter sido demitida da Loja “Queijo, Queijo Meu!”, e pelo jeito, foi trabalhar na Loja “Achados e Perdidos”.

– Adivinha quem conseguiu emprego na Loja de Achados e Perdidos?! – exclama Trish erguendo os braços, como se estivesse demonstrando algo.

Ally desvia da bola e torna a falar com Trish.

– Oi! O que aconteceu com seu emprego na Loja Queijo, Queijo Meu? Deixei-me adivinhar...

– Fui demitida! – Ally balançou a cabeça concordando.

BOOM! Cai uma fileira de trompetes no chão. Ally se vira assustada e olha com cara de desprezo para Austin e Dez.

– Bem... – diz Austin sem graça – Olha o lado bom! Fez BOOM na Sonic Boom! Né não?

Ally começou a caminhar até eles – Será que vocês dois não podem parar com isso?! Vocês sabem que é proibido jogar bola na loja!

– Não tem nenhuma placa dizendo isso. – diz Dez.

– Não deveria ter uma placa dizendo para não jogar bola.

Austin e Dez se entreolharam e deram de ombros. Se juntaram a Ally para catar os trompetes. Trish que não queria ajudar logo disse:

– Eu tenho que voltar ao trabalho – e se virou para pegar as coisas que havia deixado sobre a bancada, e saiu pela loja.

Assim que acabaram, Austin se virou pra Ally ansioso e finalmente perguntou:

– Acabou de escrever a música?!!

– Falta pouco. Só alguns versos e já está pronta! – Austin baixou a cabeça e bufou... Queria muito fazer um novo vídeo. Ficara decepcionado. – Eu vou ver se tenho algumas ideias no meu diário!

Austin quase pulou de felicidade!

Ally remexeu a bancada inteira a procura dele, mas não o viu. Procurou nas estantes abaixo dela, mas não encontrou nada.

Austin a olhou preocupado – Ta tudo bem, Ally?

Ela pasma, respondeu:

– Não! Eu perdi meu diário!

O mundo caiu para os dois. Ali estavam todas as músicas deles, as feitas e não feitas, as acabadas e não acabadas, as que geraram sucesso e as que ainda nem tiveram chances de serem mostradas.

Mas principalmente pra Ally... Ali continha, não apenas as músicas... Mas seus segredos...

– Gente! – Ally já estava berrando de desespero – Eu preciso muito do meu diário! Ali também tinha meus segredos!

– Calma Ally! Onde foi a última vez que você o viu? – disse Austin.

– E-eu não sei! A última vez que eu vi foi ontem à noite, quando eu estava escrevendo um s... Uma música!

Austin ficou desconfiado, mas foi interrompido por Dez.

– A Trish pode ter levado seu diário por engano quando pegou aquelas tralhas na bancada.

O rosto de Ally se iluminou.

– Dez! É verdade!

– Vai até ela e vê se ta lá! A gente vai ver aqui na loja – disse Austin

– Ai muito obrigado gente! Sabia que podia contar com vocês!

Austin corou e Ally se sentiu um pouco constrangida. Ela se virou e foi à procura de Trish, só ficando Dez e Austin.

Dez olhou pra Austin que continuava olhando por onde Ally saiu, perdido em seus pensamentos.

Cara... – finalmente Dez diz – Você deixa muito na cara!

Austin o olha incrédulo.

– O que eu fiz?

– Austin! Você gosta da Ally!

Austin, agora, estava vermelho como um tomate.

– Não é verdade...

– E você também mente muito mau. – Austin o olhou envergonhado – Qual é cara! Eu sou seu melhor amigo! Pode me contar qualquer coisa! – Austin continuou fitando-o. – Você... Está... Que nem... UM TOMATE!

Austin tomou um susto com a última parte. Ele não se importava se Dez soubesse, mas isso era um pouco constrangedor pra ele.

– Vamos... Vamos achar o diário dela. – respondeu Austin sem graça.

Dez olhou- o com desprezo e concordou de má vontade.




Notas finais do capítulo

Oi gente!! Essa é a minha primeira fic, espero que tenham gostado do primeiro cap.!! =) Deixem reviws!!!
Beijoos!! XD



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Não É Uma Canção De Amor" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.