Recomeçando escrita por Bia Snow


Capítulo 21
Capítulo 22


Notas iniciais do capítulo

Oi gente!
Aqui é Caele.E sim,não era minha vez agora.
Bom pessoal o lance é o seguinte:minha parceira pediu que eu postasse esse cap. porque ela tem que atualizar suas outras fics.
Então aqui estou eu,mas nada de pânico porque ela volta no próximo capitulo.
:)



Pov Katniss

 A chuva e as lágrimas turvam minha visão,e eu sei que meu amor é tudo que me prende aqui.A inconsciência seria tão mais bem vinda,descansar das dores que começam em algum ponto que não posso distinguir,do frio intenso.Mas não posso escolher descansar,ver é minha única opção.Como quando saímos da primeira arena e Peeta estava morrendo,eu fiquei lá no aerodeslizador,contra o vidro olhando.Foi ali que descobri que quando alguém que amamos sofre e está em perigo,ficamos.Por mais doloroso que seja assistir ,ficamos.Não há escolha.Nesse exato instante o monstro imenso avança,e meu marido ergue  a lança e atiça o animal movimentando-se como se fosse atacar,mas recuando alguns passos ,e percebo que ele tentando tirar a criatura de perto de onde estou.Mas não funciona,porque o urso se cansa disso,e impaciente desce para as quatro patas e ataca com patadas.

Meu marido se defende e fere uma das patas do animal,que se enfurece e consegue desarmar para logo depois abocanhar uma das pernas de meu marido ,na altura do joelho, e o sacode como um boneco de pano,o tempo fica lento e então ouço gritos e me surpreendo ao perceber que eles estão vindo de  mim.Peeta luta para alcançar a cabeça do urso,e deve haver algo em suas mãos,uma faca que ele crava do olho do animal,que o liberta e sacode a cabeça para os lados em agonia.

Então ele rola para longe do animal,e com muita dificuldade se põe de quatro e depois finalmente se levanta,procurando a lança.Meus olhos vasculham o chão,mas com a chuva mal posso enxergar,então reúno todas as minhas ultimas forças e grito para ele:

-Meu arco!Está aqui em baixo!-ele avança em direção a minha árvore arrastando a perna ferida e pega a aljava ,deixando o arco para trás.Ele não sabe atirar,mas tem força o suficiente para cravar as flechas no animal,mas elas não foram feitas para serem usadas dessa maneira,é muito arriscado porque são curtas e só poderiam ser usadas assim em uma luta corpo a corpo.

Ele para por um momento avaliando a situação,esperando para ver qual a reação do urso,o animal parece se sentir acuado,o que é ruim,muito ruim,porque em ocasiões assim qualquer animal ataca.Peeta parece ter finalmente visto a lança em algum lugar,uma pontada mais forte em mim me faz cerrar os dentes e fechar os olhos.Quando torno a abri-los vejo que ele esta tentando uma manobra para chegar a lança,e para isso ele usa pinhas que atira na besta.Ele mantêm uma de minhas flechas nas mãos,para se defender ,e mantém uma distancia ao se mover fazendo com que ambos descrevam novamente um círculo até que o animal avança alguns passos e eu mordo meus lábios com força.Peeta já deve ter alcançado a lança pela forma que olha para o chão,então num movimento brusco se lança no chão para alcança-la.Esse movimento funciona como um estranho sinal e o urso se precipita em direção a meu marido,que levanta a ponta da lança.Prendo a respiração e meu coração falha,e só volta a bater quando vejo a lança sendo cravada no animal,que cai produzindo estranhos sons enquanto agoniza.

Pov Peeta.

Quando o urso finalmente cai,sinto um alivio imenso.Minha perna dói terrivelmente,mas acho que não quebrou nem nada assim.Me levanto e olho para minha esposa no galho da árvore,ela esta terrivelmente pálida e sei que logo vai cair.Ando até ficar embaixo dela e digo:

-Acabou,amor .Vem ,eu seguro você.-digo abrindo os braços pra ela que simplesmente se deixa cair.

Eu a amparo e aperto junto ao peito ,reparo que ela esta tremendo violentamente.Sinto uma pontada de culpa no peito quando ela diz:

-Você ia me deixar....ia embora pra sempre..

-Não,amor-eu digo,suspirando. –Você não faz ideia do quanto estava difícil,acho que eu não durava nem mais uma semana ia voltar de joelhos e implorando perdão.-ela esconde o rosto em meu peito com um sorriso leve.

-Você ainda vai ter que implorar pra eu te aceitar de volta-diz ela com a voz fraca.

-Eu sei disso.Mas pretendo te subornar com tudo que você  adora comer.Agora vamos sair dessa chuva.-digo andando em direção ao distrito 12.-Eu ainda tenho que avisar o Gale pra ele vir aqui.

-Gale?Eu sou assim tão pesada?-diz ela tentando fazer graça,mas sua voz vacila.

-Esta amor,você é um saco sem fundo pesado.-tento entrar no jogo mas minha própria voz esta embargada.E não é pela dor em minha perna,essa eu mal percebo,ou pelo esforço,é por conta da angustia em meu coração.

-Ta me devendo cupcake.-ela diz.

E por um segundo me permito pensar que vai ficar tudo bem.Que vamos chamar Gale e logo estaremos em casa.Mas isso não dura mais que um instante porque então ela leva as mãos ao ventre e tenta esconder um gemido.Eu a fito preocupado, e pergunto:

-Katniss?O que você está sentindo?

-Eu não sei..nunca senti isso.Mas dói.-diz ela,com as mãos sobre nossa pequena.

-Calma,e vou levar vocês duas pra casa.Vou chamar ajuda,porque não sou assim tão rápido-ainda mais com uma perna ferida e outra mecânica.-Vou tirar as duas dessa a final fui eu quem as enfiou nisso.

-Eu ajudei –diz Katniss e então ela cerra os dentes com força,e apertando os braços ao redor de meu pescoço,isso me faz tentar acelerar o passo,tarefa difícil nessas condições.

-Katniss?-chamo e ela me olha-Você consegue apertar um botão aqui na minha orelha?É um comunicador- digo inclinando a cabeça para o lado.

Ela ergue um pouco a mão e aperta o pequeno objeto.E então um chiado terrível invade minha cabeça,tento chamar por Gale mas o chiado me impede,deve estar fora de alcance.Eu sei que mais cedo ou mais tarde o sinal deve voltar.Continuo minha marcha até que minha esposa pede:

-Para,a gente tem que parar.-ela esta arfando.

-Não podemos ficar aqui.-digo preocupado,mas paro mesmo assim.

-Peeta por favor.A caminhada esta piorando tudo-diz ela cravando as unhas em mim,enquanto fecha os olhos.Eu nunca estive tão assustado antes,e digo:

-Tudo bem,mas precisamos de um abrigo minha caverna fica pero daqui.Aguenta até lá?-pergunto e ela simplesmente assente.

Sigo para lá e quando chego entro com o máximo de cuidado.A acomodo junto a uma das paredes e vou para o fundo da caverna onde sei que existem algumas peças de roupas,e tolhas para Katniss.A tempestade diminui ,mas minha atenção esta toda em secar e aquecer minha esposa que treme de frio e dor.Assim que consigo mudar suas roupas,ela dá um pequeno grito e eu me aproximo preocupado:

-Amor...-digo com lágrimas escorrendo livremente pelo rosto.-eu sempre estive ao seu lado e te amei em cada segundo,e esse amor só crescia a cada batida de meu coração.Mesmo quando eu estive telessequestrado mesmo ali,eu era seu.Eu abriria mão de minha própria alma por você sem hesitar,mas eu não sou perfeito minha vida.E eu errei,um erro enorme ...e estou lutando pra consertar mas eu...eu...-estou chorando incontrolavelmente.

Ela estende a mão para meus cabelos e quando olho para ela vejo que ela apenas sorri,um sorriso doce e diz :

-Eu também já errei muito com você,e você continuou junto de mim.E eu estou aqui para você agora.Não quero que você seja perfeito só que esteja comigo.

 Eu sorrio levemente,e faço um carinho no rosto dela que segura minha mão para em seguida a apertar com força,os olhos nublando de dor e depois voltando ao normal.Uma ideia me passa pela cabeça e eu pergunto a ela:

-Katniss...amor você acha que está na hora?

Ela franze a testa em dúvida,e depois de um momento seus olhos brilham em um misto de dor e expectativa.E eu quase perco os sentidos quando ela assente,enterro a cabeça entre as mãos tentando me lembrar de como se respira .



Notas finais do capítulo

Esse capitulo eu não preparei antes então peguem leve viu gente?