Good Day Sunshine escrita por Nowhere Unnie


Capítulo 18
Capítulo 18 - Ain't She Sweet?


Notas iniciais do capítulo

Eu não tinha prometido nada por falta de tempo, mas acabou que sobrou um tempinho e consegui fazer esse capítulo especial em homenagem ao aniversário de casamento dos meus sogros lindões que também é hoje ♥ Esse é o POV do John e ainda está no mesmo tempo da fanfic e tal...(Ou não, porque cada lugar diz um ano diferente pra isso e.e) Mas o tempo não importa tanto assim, esqueçam os números, apenas mudou o cenário kkkkk Espero que gostem *-* Se alguém teve a paciência de ler até aqui, na letra da música tem um link, é só clicar lá pra escutar a "trilha sonora da cabeça do John" rsrs



John:

Eu caminhava em passos preguiçosos, enquanto observava a arquitetura do prédio, sem dar a menor atenção àquelas pessoas que iam chegando por ali, alvoroçadas com seu primeiro dia de aula naquela faculdade.

Parei a um passo da entrada e ergui os braços, anunciando:

— Atenção, Liverpool College of Art, a partir de hoje vocês têm a honra de receber o grande John Lennon!

— Sai da frente, palhaço! — Algum idiota me empurrou e eu iria lhe mostrar quem era palhaço se não tivesse o perdido de vista quando ele se misturou ao resto da multidão que também entrava no prédio.

— Você é louco, oh, grande John Lennon! — Um rapaz disse em tom de zoação, enquanto parava ao meu lado e olhava em todas as direções, procurando por alguém. — Mas quem aqui não é? Só os loucos entram para a faculdade de arte... — Completou rindo e eu sabia que ele tinha mesmo razão.

— Aqui, Stu! — Alguém gritou e o rapaz que estava ao meu lado acenou para o grupo, me fazendo um convite em seguida.

— Se quiser, pode se juntar a nós. É seu primeiro ano?

— Não, não... É que eu gosto de anunciar minha chegada todo ano, sabe? — Respondi sarcasticamente, diante daquela pergunta óbvia. Mas ele nem se importou, ao contrário do que boa parte das pessoas que conheço teria feito.

— O nosso também, estudei com aqueles caras na escola e viemos todos parar aqui nesse hospício... — Ele comentou com bom humor.

— Só os melhores vêm para o hospício, meu caro Stu!

Acabei por me juntar ao grupo, já que não tinha nada melhor para fazer enquanto esperava o horário de início das aulas. Os rapazes eram gente boa, mas não me interessei muito pelos assuntos que eles conversavam, até que todos pararam de falar só para prestar atenção em alguma coisa e também olhei naquela direção, estreitando os olhos para tentar enxergar melhor aquele grupinho de garotas que acabava de adentrar o local, a uma boa distância de nós.

Deveriam ser realmente bonitas, porque não só o nosso grupo, mas todos os garotos desacompanhados olhavam naquela direção, então eu quis apreciar cada detalhe também. Imediatamente procurei por meus óculos, que estavam guardados em algum bolso, como sempre. Quando já estava enxergando devidamente, corri os olhos por cada uma, mas não consegui olhar para mais nenhuma outra quando a vi.

Como se fosse uma cena de cinema, uma trilha sonora começou a tocar na minha cabeça. Na verdade, isso aconteceu porque eu tinha escutado aquela música no rádio da Mimi enquanto tomava o café da manhã mas, agora que a conhecia, parecia ter sido inspirada exatamente nela.

Oh ain't she sweet?

(Oh ela não é encantadora?)

well see her walking down that street.

(Bem, veja-a descendo aquela rua)

Yes I ask you very confidentially:

(sim, eu te pergunto muito confidencialmente:)

ain't she sweet?

(ela não é encantadora?)

Oh ain't she nice,

(Oh, ela não é bonita?)

well look her over once or twice.

(Bem, dê uma boa olhada nela, uma ou duas vezes)

Yes I ask you very confidentially:

(sim, eu te pergunto muito confidencialmente:)

ain't she nice?

(ela não é bonita?)

Just cast an eye in her direction

(Dê só uma olhada na direção dela)

Oh me oh my

(Oh minha nossa)

ain't that perfection?

(não é uma perfeição?)

Ela olhava admirada para tudo à sua volta como eu tinha feito antes mas, ao contrário de mim, também olhava para as pessoas e logo sorriu ao reconhecer alguém do nosso grupo, acenando para ele. O garoto retribuiu o aceno e eu esperei ansiosamente que ela também se juntasse a nós, mas não se separou de suas amigas e continuou andando.

— Você conhece aquela garota? — Perguntei, com uma expectativa incomum.

— A Cynthia? Sim, ela mora em Hoylake...

— Ah tá. — Eu respondi e voltei a olhar para ela, ignorando as próximas palavras dele, que falava qualquer besteira sobre como eles haviam se conhecido. — Minha nossa, não é uma perfeição? — Me me surpreendi ao repetir uma frase daquela música. Eu precisava cantar isso para ela algum dia.

— Bem, se você der sorte, ela pode ser tão cega quanto você e se interessar, Lennon! — Stuart brincou. Ele nunca perdia a chance de ser gozador, o que de certa forma lembrava minha maneira de ser, talvez tenha sido por isso nos demos bem assim tão rápido.

— Ninguém gosta de engraçadinhos! — Disse dando uns socos de brincadeira no braço dele e voltei a acompanhar os passos dela com o olhar, até que ela desapareceu de vista e eu disse para mim mesmo:

— Você ainda vai ser minha, Miss Hoylake!



Notas finais do capítulo

OBS: John cantou de verdade aquela música pra ela *-* E também a chamava de Miss Hoylake, até que... ok, talvez eu escreva outro POV do John, se alguém quiser saber maiores detalhes :P
Não importa que tenha acabado, eu ainda comemoro os 50 anos de aniversário dos meus sogros, problem? u-u E aqui no mundo mágico da minha fanfic, ainda está começando ♥-♥ Espero que tenha ficado bom, porque que tentei o máximo que podia pra conseguir postar ainda hoje...