Consequências - Fred E Hermione escrita por penelope_bloom


Capítulo 31
Finalmente a Calmaria!


Notas iniciais do capítulo

*jurosolenementequenãovoufazernadadebom*

GENTE

Primeiro: É O PENULTIMO CAPÍTULOOOOO - CHORA LITROOOOOS...

Segundo: Eu demorei, eu sei, mas é que assim... Minha mãe foi hospitalizada, e eu tive que assumir algumas coisas, contas da casa, escola do meu irmão mais novo, conversas intermináveis com os advogados da minha mãe sobre uns processos que ela está envolvida e etc... ou seja, eu estava TOTALMENTE sem cabeça para fanfic. Mas aqui está o Capítulo, adiantado um dia - hehe na verdade eu terminei dia 12, mas programei pra postar hoje dia 14 para ter mais tempo de escrever o último capítulo. IUSHADUIASH

Bom, acho que não vai precisar de lenços... ASHIODSHIASU APROVEITEM!!!




TRINTA E UM:

O CASAMENTO:

E então eu estava ali. Vestida de branco, com meu ruivo ao meu lado. Tudo estava perfeito... Só que não. Harry estava com os cabelos chamuscados, Draco com a bochecha MUITO vermelha, uma Alpaca esperando no altar como se fosse um quarto noivo e isso para não comentar sobre a nossa Sacerdotisa de cerimônia que estava com o tom de pele meio esverdeado e algumas escamas pelo corpo, e o mais incrível era que em seu pescoço ela tinha enrolada uma cobra do deserto com enormes chifres. A noite fresca e a luz da lua destoavam um pouco da bizarrice daquele casamento. Se antes eu tinha ficado triste por não ter meu pai para me levar ao altar, agora eu mal me lembrava disso.

Não havia piano ou a música que tanto tínhamos demorado a escolher, ao invés disso uma violinista hippie e uma mulher tocando harpa, e a musica, pasmem, era o tema de Titanic. No fim quem agora fungava e fazia caretas para não chorar era Gina.

Ela amava esse filme, mas sempre chorava.

Lembro a primeira vez que mostrei esse filme a ela. Foi nas férias que eu passei na Toca, eu ainda não namorava o Fred, mas foi nesse final de semana que eu reparei o quão esplendido o cheiro do cabelo dele era.

Mas o que mais me chamava atenção e quebrava todo meu romantismo – que já é bem limitado – era aquela Alpaca. Deuses, Deusas, e todas as entidades religiosas, o que uma Alpaca fazia no meu casamento?! Nada tinha saído como o planejado, e só agora eu via como eu fora ingênua ao achar que meu casamento seria normal.

Gina não sabia se chorava com a música ou se perguntava ao pai sobre o que diabos aquela alpaca fazia ali. Tentava fazer os dois e tudo que saia de sua boca eram grunhidos manhosos.

Rony tomou meu braço e começou a me conduzir pela passarela de pétalas.

– Ronald Weasley, o que infernos está acontecendo – eu sussurrei com um sorriso forçado – E por que tem uma Alpaca mastigando as flores do chapéu de sua mãe?

Os convidados, abismados, provavelmente sabiam o que estava ocorrendo, saibam tanto quanto nós.

– Eu adoraria explicar, mas está na hora da dança.

Era de costume entre os bruxos, no casamento ter uma dança antes do ritual. Assim que Rony me entregou ao Fred eu e ele começamos a dançar, eu dei meu melhor sorriso falso e colei meus lábios a sua orelha.

– O que houve? – eu sussurrei.

– Longa, realmente longa história. – ele disse.

– Resuma. – eu ordenei dando um leve beliscão no seu braço.

– Eu transformei a sacerdotisa em um dragão e ela disse que só nos casaria se nós entrássemos desgrenhados como ela, e se déssemos uma cobra do deserto para ela e se ela pudesse fazer a cerimônia com a cobra dela.

– Certo. Antes que eu chutar suas partes, me responda: qual é a da Alpaca? – eu rodopiei em meu eixo.

– Não se dê ao trabalho, o nosso pianista já fez isso por você. Parece que para conseguir um desconto na cobra o vendedor pediu que levássemos a Alpaca junto e cuidássemos dela. – Fred dizia como se aquilo fosse apenas um mero detalhe.

– E por que a Alpaca está no altar?

– Por que a Penelope tem medo de ficar sozinha, e começa a chorar. Então tivemos que trazê-la, o plano era deixá-la com os convidados, mas ela nos seguiu até o altar...

– Penelope? Quem coloca o nome de uma Alpaca de Penelope? Alías, quem tem uma alpaca como pet?

– Por favor, não se separe de mim. Desculpe estragar seu casamento.

De inicio eu devo admitir que fiquei meio frustrada e até pensei em trocar Fred pela Alpaca. Mas então eu apenas sorri. Quer dizer, quem mais pode dizer que teve uma Alpaca medrosa – mencionei que ela tinha fitas roxas nas orelhas? – chamada Penélope no seu casamento?

– Você ainda está aqui comigo, nada foi estragado. – eu disse encostando minha cabeça em seu peito.

– Eu disse para o Lino que os protetores genitais eram exagero. – Fred murmurou encostando a bochecha na minha testa.

A música diminuiu e Harry se curvou ao meu lado, com cara de dor e totalmente ofegante as mãos na virilha.

– É. Lino tinha razão. – Fred disse dando de ombro.

Gina estava vermelha de raiva.

– Isso é pela minha maquiagem arruinada por essa música Harry Potter. – ela sussurrou furiosa.

A própria ruiva ajudou o noivo a se levantar, e com muita elegância conduziu Harry até o altar. Eu, Fred, Draco e Luna fizemos o mesmo. Os convidados riram, sem mais saber o que fazer. Ingênuos. Harry iria apanhar mais, disso eu sabia.

A Sacerdotisa limpou a garganta e abriu os braços. A cobra com enormes chifres encarou diretamente Gina. Desde o nosso segundo ano, e o incidente com o Basilisco Gina tinha Horror de ofídios.

– Bruxos e Bruxas, Seres que aqui estão: Um só sangue e as estrelas como testemunha e nossa mãe a Lua. – A sacerdotisa iniciou.

– Um só sangue, glória às estrelas e nossa mãe a Lua. – todos levantaram-se e disseram.

O casamento bruxo era um tanto diferente. O nome oficial era Handfasting, e ao contrário do cristão casamento vendido no mundo trouxa era algo muito simbólico. O casamento era feito em duas partes. Na primeira o casal era amarrado por uma anciã e dizia seus votos e um ano e um dia depois, na segunda fase, o casal solidifica seus laços e os torna eternos, enquanto o amor durar. Sim. Nada católico que te amarre a uma pessoa pelo resto da vida sob ameaça de danação eterna e o ardor do inferno. Nada selado e lacrado pelo poder de deus e irreversível pelo poder do homem. Não era uma prisão, era uma oficialização diante dos deuses, um enlace de almas enquanto essas almas quisessem enlaçar-se. Algo totalmente enraizado e cultivado pelos bruxos, algo que fazia muito mais sentido que o casamento realizado pelos trouxas devo dizer.

– Que a Anciã suba ao altar.

Normalmente seria uma anciã por casal, mas nós concordamos que a Senhora Weasley seria a Anciã dos três casais.

Senhora Weasley, após lutar com Penélope pelo seu chapéu – e perder conformando-se em deixar seu belo chapéu com a Alpaca – subiu e posicionou-se ao lado da sacerdotisa, um sorriso lhe rasgando o rosto.

– Eu, Molly, Abençoo vocês. – ela mergulhou a mão esquerda no caldeirão e esfregou um pouco da poção na testa de cada um de nós deis. – Que a união de vocês tenha como pilares a honra e o amor.

A poção tinha um cheiro gostoso de ambrosia e era como uma poção da verdade dos sentimentos era algo que te acalmava de um jeito curioso, e uma paz te invadia. O altar estava lindamente enfeitado.

Sobre a mesa além do pequeno caldeirão havia seis velas brancas, um incenso que lançava uma engraçada fumaça em espiral, três recipientes de prata com sal e terra, um sino, dois cálices, um com água outro com óleo de rosa, três vassouras antigas de palha, três cristais e uma – senhora – espada. . Além dos três cálices de vinho e um lindo bolo, não esses de três andares, um bolo muito cheiroso cor de caramelo.

Brida abriu os braços e a água do cálice tornou-se revolta

A paz de um lago cristalino no fim de uma calma tarde de verão. Se esta for a vontade e o estado de suas almas, continuemos a cerimônia

Fred esticou os dedos até que ele pudesse acariciar minha pele. Todos assentiram.

A água do cálice imediatamente tornou-se inerte, como um espelho d’água. A sacerdotisa apanhou a espada e passou logo a cima de nossas cabeças, apontando um circulo ao redor de todos ali presentes. Um círculo que ficou traçado ao redor da nossa tenda num fraco fogo azul que logo se extinguiu. Ela fez uma rápida evocação dos ventos do norte, do sul, do leste e do oeste, e Molly derramou a água na frente de cada noivo e invocou os olhos e as bênçãos dos deuses. Eu me voltei para Fred e o recipiente de prata flutuou até meu lado direito, o mesmo aconteceu com os outros. Descansei minha mão direita sobre o sal e a terra. Todos fizeram o mesmo e nós dissemos em uníssono:

– Neste sagrado círculo de luz, reunimo-nos em perfeito amor e perfeita verdade.

– Deusa do amor divino, eu te peço que abençoes este casal... Hm... Estes casais, nas suas vidas e nos seus casamentos pelo tempo em que viverem juntos no amor. Possa cada um desfrutar de uma vida saudável, cheia de alegria, amor, estabilidade e fertilidade. Abençoados sejam pelo antigo e místico elemento terra. Que a deusa do amor em toda sua glória abençoe-os com amor, ternura, felicidade e compaixão pelo tempo que viverem ambos.

Molly acenou a varinha e os recipientes com terra e sal voltaram para o altar. E com mais um aceno a fumaça do incenso graciosamente deslizou até nós, como um fio de água morno, agarrou o pequeno sino antigo e o tocou algumas vezes. A sacerdotisa riu de Luna que discretamente tentava afastar a Penelope, da fumaça dançante e continuou:

Abençoados sejam pela fumaça e pelo sino símbolos do antigo e místico elemento ar.

Molly acenou a varinha e a fumaça esquisita tornou-se apenas uma rala fumaça normal, e logo em seguida um vela flutuou sobre cada um de nós. A esta altura eu começava a achar que quem fazia todo o trabalho era, na verdade, a pobre Molly. Essa sacerdotisa começava a me parecer um pouco preguiçosa.

“Sério, Hermione? Dia do seu casamento, depois de tudo que você passou, e você divaga sobre isso?! Pelo amor de deus, antes fosse a Alpaca mastigando o vestido da Luna!”

“Consciência amada, fico feliz que veio!!! Não era você que costumava dizer que eu não era nada para o Fred? Que eu era uma rata de biblioteca? Bom, olhe quem está no altar divagando sobre coisas inúteis. Não é a Angelina-seios-fartos, sou eu!”

“Que seja...” consciência revirou os olhos.

Abençoados sejam pela chama, símbolo do antigo e místico do elemento fogo . Que a deusa do amor em toda sua glória abençoe-os com harmonia, vitalidade , criatividade e paixão pelo tempo que viverem ambos.

As velas voltaram ao altar e a água que fora derramada sobre nossos pés elevou-se em pequenas gotículas ao nosso redor, sem nos tocar.

Abençoados sejam pelo antigo e místico elemento água. Que a deusa do amor em toda a sua glória abençoe-os com a amizade, a intuição, o carinho e a compreensão pelo tempo que viverem ambos.

A água voltou a derramar-se e a sacerdotisa acenou seus dedos e o óleo de rosas então fez um círculo ao nosso redor.

Que a deusa do amor em toda sua glória abençoe-os com a união, honestidade e crescimento espiritual pelo tempo que viverem ambos. E que a magia do seu amor continue a crescer pelo tempo que permanecerem juntos no amor, pois o seu casamento é uma união sagrada. Pelo sal e pela água eu purifico e limpo estes belos símbolos do amor. Que todas as vibrações negativas, impurezas e obstáculos sejam afastados daqui! E que penetre tudo o que é positivo, terno e bom.

Depois deste rápido blá-blá-blá eu e Fred estendemos a mão esquerda e demos as mãos, como se estivéssemos fechando um negócio. Eu sorria muito e não sabia exatamente por que. A sacerdotisa acenou as mãos e fitas azuis entrelaçaram-se ao redor da minha mão e de Fred. O ruivo arqueou a sobrancelha e me deu uma piscadela.

– Literalmente amarrados, hun? Tarde demais para fugir Granger.

Que os noivos digam seus votos. – A sacerdotisa fez cara feia para o ruivo.

– Eu, Luna Lovegood, tomo você, Draco Malfoy, como meu. Vamos juntos construir nosso mundo azul, eu vou sempre te apoiar quando você precisar de mim, vou te amar e te honrar, vou te proteger de todos os Yullons que queiram te fazer mal, e sempre trazer ao teu lado todas as Fadas e Goldas. Eu serei a luz azulada do seu final de tarde.

Sim, eu não tinha entendido metade dos seus votos, mas eu estava quase chorando.

– Eu, Draco Malfoy, tomo você, Luna Lovegood, como minha. Vamos construir nosso mundo azul juntos, eu vou sempre te apoiar e ir ao seu resgate, você vai ser a minha fortaleza e minha fonte de força. Minha Loony, Eu era uma pessoa horrível e magra antes de te conhecer, mas com você eu sou melhor, e seis quilos mais gordo. Quero passar o resto dos meus dias com você, aprendendo a ser bom, apreciando sua doçura, o seu amor, e as sua comida deliciosa. De todas as criaturas mágicas que existem, mesmo entre fadas e Goldas, você é a mais bela de todas. Eu serei a luz azulada do seu final de tarde.

Pelos nós desta corda, seja o seu Amor unido. – Brida disse sorrindo e com um gesto a fita ao redor de suas mãos unidas entrelaçou-se e logo depois dissolveu-se, como se fosse absorvida pela pele deles.

Draco e Luna se beijaram, eu estava fazendo horrendas caretas para não chorar.

– Amor, pare de tentar me seduzir.

– Cala a Boca. – chutei-lhe a canela.

– Eu, Ginevra Weasley, tomo você, Harry Potter como meu. Bom, eu tinha escrito e memorizado lindos votos, mas como nada saiu de acordo com o planejado, não é isso que vai sair. – Ginny disse limpando a garganta, a voz ainda manhosa. – Eu te amo Harry. Vai por mim, se não te amasse eu teria feito muito mais do que dar um mero chute das suas partes. Você não é o noivo ideal, não é o mais forte, nem o mais bonito, certamente não é o mais esperto nem o mais organizado. Você conseguiu destruir o casamento que eu planejei por meses, e me faz sofrer por você desde o meu primeiro ano. É. Você está longe de ser o noivo ideal, mas é o noivo perfeito para mim. Mesmo com todas as suas falhas, que são muitas, eu sei como você faz tudo por mim. Afinal, quantas garotas podem dizer que o namorado matou um Basilisco por você? Sim Harry, eu quero passar o resto dos meus dias com você, me estressando por você ser tão avoado, e aguentando seus desatinos. Eu te amo, eu sempre te amei, e sempre vou te amar, seu grande desastrado.

– Eu, Harry Potter, tomo você, Ginevra Weasley como minha. Tomo com certo alívio, devo admitir. – ele deu uma risada nervosa – Bom, eu sei que sou desastrado, e que, assim como meu cabelo, eu não tenho jeito, mas você, Ginny, é a minha estrela polar, é o norte da minha bússola, o meu porto seguro. Eu vou estar sempre ao seu lado e vou fazer de tudo para te fazer feliz, e se o preço para isso for matar um Basilisco por dia... Bom, que venham.

Pelos nós desta corda, seja o seu Amor unido.

Os dois se beijaram, um pouco empolgados demais, e a corda dos dois se dissolveu.

– Agora o terrorista que me transformou em dragão. – Brida cochichou e limpou a garganta. – Os votos.

Eu sorri, nervosa, para o meu ruivo. A coitada da Senhora Weasley soluçava.

Eu, Hermione Granger, tomo você, Fred Weasley como meu. No momento mais difícil da minha vida, você me disse que eu era como uma fênix, que eu ressurgia do pó. Fiquei pensando nisso por dias, sabe. Achei-as pássaros burros a principio. Por que vida eterna? Por que voltar para o mesmo fim? Saber que vai se queimar de novo dentro de algum tempo... Por quê? Ocorreu-me então que talvez fossem aves amaldiçoadas, condenadas a sempre voltar para esse mundo e sofrer durante séculos até queimar novamente. Mas então me ocorreu que se eu realmente ressurgia das cinzas, isso não era uma maldição. Se as fênix continuavam voltando para vida é por que algo as prendia aqui. E você é o meu algo, Fred Weasley. Não importa o que aconteça você vai me ajudar a me consertar e eu vou voltar pra você. Assim como o sol sempre nasce, a chuva sempre cai, os corpos se atraem, enquanto você estiver aqui, eu vou voltar. Eu sou a sua fênix. Para sempre... O que me faz lembrar aquele papo de que ‘Para Sempre’ era muito tempo... Bom, para nós, ainda não é o suficiente.

Fred sorriu, os olhos lacrimosos, mordendo o lábio. Ele se inclinou para mime beijou minha testa rapidamente, limpou a garganta piscou as lágrimas para longe.

– Uau. Até me perdi depois dessa – todos riram com ele – onde eu estava?

– Tomando a Sabe-Tudo como sua! – Jorge gritou.

– Ah, verdade. Valeu mano... Eu, Fred Weasley tomo você, Hermione Granger, como minha. Não que ela já não seja minha, só estamos aqui formalizando. – todos riram. Menos Brida. Ela não ia perdoar Fred tão cedo. - Bom, para quem acha que eu escolhi essa garota terrivelmente irritante para amar, se engana. Eu não escolhi. Foi mais forte que eu. Não foi algo gradual, como cair no sono... Não Hazel, não foi assim. Eu despenquei, como se uma bigorna caísse na minha cabeça, como aqueles caldos vergonhosos que você leva quando você tem seis anos e teima em entrar no mar quando sua mãe não está olhando, foi assim! E de repente, ela se tornou o ovo da minha marmita, a lua da minha noite, o chantilly do meu morango, a nutella do meu café da manhã, a pipoca do meu cinema. – ele ria como os demais, mas então aos poucos seu riso transformou-se num mero sorriso, e seu tom ficou mais sério – O meu mundo é melhor por causa dela. Um dia, quando tudo estava dando muito errado, eu prometi a ela as estrelas. Então cumpro minha palavra e presenteio a Lua da minha noite com as mais belas estrelas. – Fred, com sua mão livre buscou no bolso interno do paletó um pequeno frasco de vidro que brilhava muito e o abriu. E por todo o local espalhou-se aquela luz, concentrada em pequenos pontos e não estávamos mais na terra. Ao nosso redor era como se pequeninas estrelas brilhassem e a mais bela galáxia nos rodeasse. – Eu te amo Hermione Granger. Eu sei que Para Sempre é pouco, mas vamos começar com isso.

Eu estava boquiaberta, e os murmúrios apenas aumentaram pela tenda. Mas antes que eu pudesse dizer qualquer coisa ele me beijou. Como se fosse o nosso primeiro beijo. Ali ele colocou todo o amor dele, e eu achei que ia explodir de tanta felicidade.

Pelos nós desta corda, seja o seu Amor unido. – a voz da sacerdotisa me trouxe de volta a terra. Ou quase isso. – com grande honra eu declaro a união desses três casais e abençoo-os com a minha proteção e o meu amor. Que seja longo e duradouro intenso e verdadeiro. Como é hoje.

O laço dissolveu-se e entrou em minha pele, morno e agradável, e eu então soube. O laço que agora fazia parte de mim imortalizaria o que eu sentia naquele exato momento. Não importa quão feias sejam as futuras brigas, quão difícil a situação fique, eu nunca esqueceria o que eu verdadeiramente sentia por Fred. Aquilo sempre faria parte de mim, e isso me deixava feliz.

A sacerdotisa acenou e três vassouras voaram pela tenda atravessando as lindas estrelas de Fred até aterrissarem cada qual na frente de um casal.

– Sério? Até no dia do meu casamento? – eu murmurei.

Fred agarrou minha mão, não tinha me escutado.

Pulem as vassouras, e com este ato simbólico atravessem essa linha na vida de vocês, o casal, unido como um daqui para frente. Abençoados sejam! – Brida abriu os braços.

– Abençoados sejam – os convidados bradaram, colocando-se em pé.

Nós pulamos a vassoura.

Finalmente, depois de tudo o que passamos, desde o convite para o baile no sexto ano, às aulas de esportes, os fins de semana nos Weasley, minhas decepções, minhas duvidas, a caça às Horcrux, à guerra de Hogwarts, a Perda de Fred, a perda da minha memória, a perda dos meus pais, a perda do meu filho, uma segunda guerra... Depois de tudo, eu estava ali com ele, com lindas estrelas ao meu redor, a lua plena acima de nós, meus amigos me rodeando, uma linda alpaca de fitas rosas babando em Rony, um lindo violino envolvente, a fresca brisa abraçando e o calor do meu lindo ruivo chegando até mim. Eu me sentia feliz e plena como nunca me sentira, depois de toda a tempestade dos últimos anos, aquela era a tão esperada calmaria.

Fred e eu estávamos casados!



Notas finais do capítulo

Bommmmm... Me digam, o que acharam????

Reparemque enquanto Stan Lee e Quentin Tarantino, se colocam em suas histórias como personagens que fazem participações especiais, eu mecoloco na história como uma linda lhama de fitas roxas que mastiga o chapéu da senhora Weasley. #CHUPASOCIEDADE
IUSADODSHUAISDHIA

PS: Eu fiz o casamento desse jeito, por que eu realmente fui num Handfesting e achei lindo!!! Daí pesquisei no google um pouco mais e TCHAAAANS, eis o resultado!

Vejo vocês em breve, e até lá...

*Malfeitofeito*