Bad Angel escrita por Miller


Capítulo 25
The best way to start a story - Epilogue.


Notas iniciais do capítulo

Dedicado à Mrs Ferreira e Sarah Magalhães pelas recomendações perfeitas. E também à Luna Weasley que colocou minha fanfic nos destaques do blog dela *-*
Espero que gostem do epílogo gente!
Nos vemos lá embaixo :3
Enjoy!




Três meses depois

Depois de Lily descer do avião, ela caminhou rapidamente por entre as pessoas. A chuva de Londres (grande novidade) estava um pouco mais forte do que lembrava e por isso estava se encharcando em poucos segundos.

Porque é claro, tudo o que ela queria era parecer um pinto molhado ao revê-lo.

Era muito estranho estar fazendo isso. Estar novamente em Londres, depois de tanto tempo. E agora não tinha nada de sobrenatural naquilo, apenas um possível final feliz. O que já deixava Lily feliz e ansiosa demais.

Ela respirou fundo e continuou caminhando, indo para a área de desembarque e procurando por sua mala.

Três meses haviam passado desde que tudo havia acontecido. Ela ainda tinha ficado duas semanas em Londres para concluir os exames e tratamento, mas precisou voltar para Nova York, afinal ela ainda precisava estudar e concluir seu ultimo ano.

Não era nem preciso dizer o quanto havia sido doloroso ficar longe de James, mas não houve jeito de convencer sua mãe a deixa-la ficar com Lene para estudar em Hogwarts.

Helena Evans era só a pessoa mais expert em fazer chantagem emocional no universo. Com alguns ‘você e sua irmã estão me abandonando’ e ‘eu pensei que você tivesse morrido e agora você quer ir?’ ela tinha conseguido convencer Lily.

Agora, depois de concluir com algum esforço o ultimo ano, longe de Lene, de James e dos outros amigos doidos, ela finalmente havia conseguido convencer a mãe a deixa-la estudar na Universidade de Hogwarts. Sua carta de aprovação havia chegado duas semanas atrás e levou muita chantagem e conversas ocasionais para que sua mãe finalmente deixasse.

Claro, Lily podia dizer que Hunter Potter teve alguma importância nessa decisão. Ele havia ligado dois dias atrás, convidando Helena para passar as férias na casa de verão dos Potter.

Muito suspeito.

De qualquer forma, sua mãe tinha ido para Londres dois dias antes de Lily ‘para preparar as coisas’, segundo ela. O que para Lily significava ‘dar uns pega no Sr. Potter’.

Lily fez uma careta com o pensamento.

– Hey – alguém a chamou e ela sentiu o sorriso formar-se em seu rosto antes mesmo de virar e encará-lo.

– Hey – ela cumprimentou James.

Era estranho, claro, estar ali de frente para o cara que havia sido seu protegido e do qual ela tinha salvado a vida pelo menos umas mil vezes em apenas um mês.

James ainda estava meio receoso do que poderia acontecer quando a encontrasse. Talvez pelo fato de que eles não se viam fazia mais de dois meses. Ou talvez porque tivesse medo de que ela não se sentisse como ele.

Depois da memória de Lily ter voltado, eles passaram duas semanas (as melhores da vida dele) juntos. Era realmente preciso de muito esforço para que ele lembrasse que ainda precisava ir à escola.

Quando Lily teve de voltar para Nova York para concluir os estudos, James ficou, no mínimo, muito desesperado.

Então, em sua nova relação com seu pai – que havia melhorado muito depois do sequestro – ele sugeriu inocentemente, convidar a senhora Evans a passar algum tempo na casa de verão dos Potter.

Claro, era estranho o fato de que seu pai pudesse estar com a mãe da sua ‘namorada’, mas ele realmente não se importava muito com isso. Contanto que ele estivesse bem, para James não tinha problemas.

Então ali estavam eles, os dois encarando-se sem saber o que fazer ou como agir.

E então Lily começou a rir, fazendo-o ficar ainda mais desconcertado.

– O que foi? – ele perguntou, confuso.

– É só que a gente parece dois idiotas sabe? – ela disse e riu mais um pouco. – Se encarando assim, sem saber o que fazer. Patético – ela concluiu e James riu também.

– Isso definitivamente não é como um reencontro normal é? – ele perguntou e ela arqueou a sobrancelha. – Sabe, não é como se tivesse muitas pessoas por ai reencontrando a sua ex-anjo da guarda e possível futura namorada, huh? – ele falou com malicia na voz fazendo com que Lily estreitasse os olhos.

Lily estendeu a mão para a sua mala que finalmente havia aparecido.

– Anjos não podem namorar – ela disse encarando-o divertidamente.

– Ainda bem que você não é mais um – James comentou e seu sorriso aumentou.

– Tem razão – ela disse e o beijou.

Todos os medos que Lily estava alimentando há algum tempo sumiram. Ela estava com James, em Londres e eles ainda teriam muitos anos pela frente.

Ela nunca tinha estado tão feliz.

Então eles se separaram e James sorriu.

Ele pegou a mala de sua mão, e estendeu o braço para ela.

– Vamos?

Lily assentiu e ambos saíram do aeroporto. Nem mesmo a chuva conseguiria atrapalhar o humor dela naquele momento.

– James – ela o chamou de repente, fazendo com que ele a encarasse com a sobrancelha erguida. – Só tente não sofrer nenhum acidente ou qualquer coisa do tipo. Eu não sei se vou conseguir te salvar – ela riu e ele revirou os olhos.

– Vou ver o que posso fazer – ele disse e ambos entraram no carro.

Lily não sabia quanto aquilo poderia durar ou o que o futuro poderia reservar para os dois. A única certeza que ela tinha era que estar com James ali, naquele momento, era melhor do que qualquer outra coisa.

Eles estavam indo para a casa de James quando ela pensou ter visto Castiel parado perto de uma loja. Quando ela olhou novamente ele não estava lá.

Mas ela podia jurar que ele estava sorrindo.

E os meteorólogos não entendiam o porquê de estar chovendo tanto.

Lily sorriu também. Ela estava gostando cada vez mais do destino.




Notas finais do capítulo

~Não faço a menor ideia do porque ter colocado o nome dos capítulos começando com 'Cause'. Sou meia retardada, é.~
Eu nunca sei o que falar nos agradecimentos, porque é tanta coisa que eu quero dizer e as palavras parecem fugir...
Bem, acho que posso começar dizendo obrigada.
Obrigada por acompanharem a fanfic. Obrigada por comentarem. Obrigada pelo apoio. Obrigada pelo carinho. Obrigada pelos puxões de orelha. Obrigada por terem a coragem de ler algo que a maluca aqui escreveu.
Obrigada pelas recomendações perfeitas. Obrigada por me fazerem sorrir feito uma doida em cada review lindo que vocês mandaram.
Obrigada por tudo.
Essa fic não teria sentido sem vocês.
Quando eu comecei a escrevê-la, nunca pensei que fosse ter tantos leitores e comentários. Era apenas mais uma ideia louca para a minha coleção. Mas teve leitores. Teve pessoas que gostaram.
E eu fiquei extremamente feliz.
Muitas pessoas acham que só porque a gente tem uma fanfic com muitos reviews ou qualquer coisa assim, nós nem nos importamos mais. Mas para mim não é assim.
Eu sorrio cada vez que vejo um 'continua' ou 'vou te matar se não postar o próximo'.
Cada vez que eu entro na minha conta e vejo vocês por aqui, gostando do que eu faço, não tem preço. É o melhor presente que pode haver.
Tudo o que eu sou aqui nesse mundo de fanfics hoje, eu devo à vocês.
Então, muito, muito, muito obrigada.
Espero que tenham gostado dessa fanfic, desse epílogo e que eu não tenha deixado nada a desejar.
Eu dei o meu melhor em todos os momentos, tentei fazer o máximo para que vocês pudessem apreciar essa estória tanto quanto eu apreciei escrevê-la.
É isso.
Se vocês ainda não estiverem enjoados dessa autora que vos fala e ainda tiverem coragem para aturar minhas maluquices, peço que leiam minhas outras fanfics *-*
Eu estou voltando com algumas que estavam paradas e fazendo a mesma coisa que em Bad Angel. Vai ser muito bom ter vocês lá.
Tudo de bom para vocês. Que Constantine proteja vocês de todo o mal kkk'
Beijos seus lindos! Vou parar aqui antes que eu comece a chorar... de novo.