Bad Angel escrita por Miller


Capítulo 21
'Cause she's gone and left me


Notas iniciais do capítulo

~Contém muito drama, melação e vocês provavelmente vão querer me trucidar no final.
700 REVIEWS *--------*
Nos vemos lá embaixo :3
Enjoy!




Eu estava sonhando, claro. Tinha um número bem impressionante de medicamentos sedativos em meu sangue naquele momento.

Depois que eu cheguei no hospital completamente desmaiado, me levaram para a emergência, vistoriaram a quantidade de machucados que eu tinha e deram alguns pontos em meu ferimento no pescoço.

Meu pai chegou logo em seguida, de uma forma completamente diferente da qual eu estava acostumado. Ele parecia cansado e tinha profundas olheiras embaixo dos olhos, mas quando me viu sua expressão pareceu desanuviar e seu sorriso foi completamente paternal, como era antes de nossa relação decair.

Achei que talvez a gente melhorasse.

Ele ainda estava tentando entender como Sirius, Dorcas, Remus e Lene haviam conseguido me arrancar das mãos dos sequestradores, mas Sirius disse ‘você não gostaria de saber’ e assim meu pai, relutantemente, deixou para lá.

Eu estava salvo afinal.

Lily estava ao meu lado, eu ainda podia vê-la embora não pudesse tocá-la. Não havíamos conversado desde que ela tinha me salvado, mas ela estava lá, absorta enquanto os médicos faziam os tratamentos em mim.

Eu não sabia dizer o que passava em sua mente, mas seus olhos pareciam um mar de emoções.

Ela sorria para mim, mas eu podia ver tristeza por trás. E aquilo me deixava triste também.

Agora, depois de me levarem para o quarto e me encherem de sedativos, eu estava dormindo. Em meus sonhos estava sentado em um grande teatro enquanto observava um cara dar uma palestra no palco.

Parecia dejavú, mas pelo menos ali não tinha ninguém me sequestrando.

Suspirei.

– Então você sonha com palestras chatas de advogados? – eu me assustei e olhei para o banco ao meu lado.

Lily estava lá, seus olhos pareciam divertidos enquanto me encarava.

Mesmo no sonho senti meu coração descompassar ao vê-la. Eu nunca tinha prestado muita atenção em como ela se vestia, mas, agora, vendo-a com uma calça jeans e uma camiseta preta comum do AC/DC, ela estava completamente linda.

– Huh, normalmente não – eu consegui responder. – Como é que você está aqui? – eu perguntei.

Ela deu de ombros.

– Não faço a menor ideia, mas de repente eu estava dentro do seu sonho chato – ela disse e olhou para o palco. – Quem é aquele?

Eu precisei de algum esforço para desviar os olhos dela.

– Um amigo advogado do meu pai – resmunguei e ela assentiu.

– Muito romântico – ela comentou maldosamente e eu revirei os olhos.

– Incrível que até aqui você é completamente sarcástica – eu comentei e a encarei, observando-a enquanto ela olhava o longe.

– Acho que eu não consigo viver sem isso – ela disse com o tom um pouco mais sério. Me perguntei o que ela estava pensando. Estava prestes a proferir a pergunta em voz alta quando ela apontou para o palco novamente.

– Me diga que ele não está usando... – ela começou e eu percebi do que estava falando.

– Uma cueca de patinhos amarelos? – completei e ela fechou os olhos.

– Oh Deus, eu preciso morrer – ela resmungou e eu franzi a testa.

– Como é Deus? – perguntei de repente, a curiosidade afastando outros pensamentos da minha mente.

Lily me encarou indagativamente.

– Ãhn? – ela perguntou.

– Tipo, a aparência? Porque desde que eu olhei o filme Todo Poderoso, eu sempre imagino ele como o Morgan Freeman.

Lily ficou com a boca aberta, encarando-me como se eu fosse um retardado.

Mas que culpa eu tinha afinal? Eu realmente não conseguia deixar de imaginar Deus como aquele cara.

Então Lily começou a rir. Sua risada era tão verdadeira, como ela nunca tinha feito antes para mim, que eu precisei rir junto.

– Oh Senhor, eu não ouvi isso – ela murmurou e voltou a me encarar. – Eu não sei como ele é, nunca o vi – ela disse e deu de ombros. - Mas talvez ele pareça com o Morgan levando em consideração que um dos servos dele parece o Constantine.

Foi minha vez de rir.

Então ela suspirou e sua expressão ficou mais séria.

– O que foi? – eu perguntei e ela deu de ombros.

– Hoje é Terça – ela falou e eu não entendi. – Nós ainda temos quatro dias – completou e eu senti como se algo gelado estivesse descendo por minha garganta.

Eu queria protestar, gritar e implorar para que ela não se fosse, mas eu sabia que apenas iria dificultar as coisas.

– Então suponho que precisamos aproveitá-los? – eu disse por fim.

– Eu acho – ela disse. – Contanto que você não tente nada suicida e tudo o mais – me encarou com uma sobrancelha erguida, como se eu fosse realmente capaz de fazer aquilo.

– Por mim tudo bem. Acho que já chega de experiências de quase morte para mim – eu comentei e ela sorriu.

– Concordo – disse e olhou para os lados. – Não tem como você mudar esse cenário? – franzi a testa e ela revirou os olhos. – Sabe, o sonho é seu então você pode fazer o que quiser nele.

Foi quando eu prendi minha respiração.

Eu podia fazer o que eu quisesse, ela tinha razão.

E o que eu mais queria naquele momento...

Estendi minha mão até ela, e, com um choque, minha pele encostou em sua mão.

Ela olhava para mim com os olhos verdes parecendo confusos, mas tinha um brilho lá também, algo que me atraia mais do que qualquer outra coisa.

– Obrigada – eu disse e ela franziu a testa. – Por me salvar – eu completei.

– Era minha obrigação – ela disse e eu suspirei. Ela deve ter percebido que tinha me magoado, porque completou: - Mas eu fico feliz por ter te salvado. Eu não me perdoaria sabe... Se algo acontecesse.

Ela afastou os olhos de mim, mas continuou com a mão na minha, o que para mim estava ótimo.

Eu lembrei da nossa conversa enquanto eu estava no ‘cativeiro’. Ela tinha de ficar apenas um mês comigo para poder voltar... Para Deus sabe lá onde.

Talvez eu tivesse sido injusto ao ficar bravo... Ela provavelmente tinha uma vida, uma família que a amava e... Um namorado, talvez.

O pensamento me irritou, por isso afastei-o de minha mente.

– Lily – eu a chamei e ela voltou a me olhar. – Eu... Eu entendo o que você tem que fazer – disse por fim. Ela continuou me encarando, esperando que eu continuasse. – Eu tenho sido injusto com você, agindo feito uma criança e tudo o mais, mas isso é por que... – respirei fundo. – Eu gosto de você bem mais do que eu deveria.

Ela fechou os olhos, como se estivesse processando minhas palavras, então os abriu novamente e uma lágrima deslizou pelo seu rosto.

Estiquei minha mão até seu rosto, como ela havia feito comigo uma vez, e limpei a lágrima solitária.

Então ela fez algo que me surpreendeu tanto que demorei um tempo para entender.

Ela me beijou.

E eu correspondi.

Era só a coisa mais incrível do mundo. Eu não me importava mais com nada, só com Lily e seus lábios nos meus.

Não fazia a menor ideia de quanto tempo aquilo estava durando, mas me pareciam como vários dias de primavera. Minhas mãos foram até seus cabelos que eram extremamente macios e as dela fizeram o mesmo.

Eu não estava nem mesmo respirando, mas quem precisava daquilo, afinal?

Então, depois do que me pareceu muito tempo, ela se afastou e grudou sua testa na minha.

Eu provavelmente tinha um sorriso estúpido no rosto.

– Eu vou sentir sua falta – falei, não conseguindo me conter.

– Infelizmente eu também – ela disse com seu tom sarcástico, mas eu podia ver que ela sorria também. – James – ela começou e suspirou. – Eu...

Mas então algo a impediu de continuar e a afastou de mim.

Lily me olhou mais uma vez e então uma luz branca celestial tomou todo o lugar.

Eu acordei em minha cama de hospital.

E soube que ela não estava mais ali.





Notas finais do capítulo

Nhac, quem quer matar a Miller levanta a mão kkkkkk'
Gente, não me matem, o próximo vem rápido =D
And, queria agradecer MUITO por todos os reviews, recomendações e todo o apoio que vocês tem me dado. Vocês são os melhores leitores do mundo, sério *--*
Espero que tenham gostado do capítulo, faltam apenas 3 para o final, maaaaaaaas como sou uma pessoa boa, vou fazer um epílogo também, o que significa que faltam 4 =D
Comentem! Não sejam leitores fantasmas e me digam o que estão achando!
Beijos seus lindos :*