Bad Angel escrita por Miller


Capítulo 10
'Cause ... oops, she can see me!


Notas iniciais do capítulo

Hola mis amores, como están?
Eu estou muito feliz, é.
Eu já disse que vocês são os MELHORES LEITORES DO MUNDO? Já? Porque se eu não disse: SIM, VOCÊS SÃO *--*
Nossa, fiquei muito feliz com todos os reviews que tenho recebido em Bad Angel, obrigada mesmo viram?
E, antes que perguntem novamente, sim EU SOU COMPLETAMENTE VICIADA EM SUPERNATURAL, É. U_U
O Dean é o meu marido, o Sam e o Castiel são nossos padrinhos de casamento ~le joga o cabelo~
E eu também amo E Se Fosse Verdade ♥
Eu tive a ideia dessa fic enquanto olhava o filme, por isso tem tantas coisas parecidas .-.
Well, vou parar de falar aqui e nos encontramos lá embaixo?
Enjoy!




James Potter

– Bom dia! – cumprimentei em ótimo humor quando abri meus olhos e deparei-me com ela sentada ao beiral de minha janela.

Lily encarou-me de forma penetrante em um olhar que dizia um muito grande “só se for para você” e voltou a olhar para fora.

Franzi o cenho para seu comportamento enquanto me levantava da cama.

Normalmente dormia apenas de cueca, mas imaginar Lily observando-me dormir – porque tinha descoberto ao acordar às três e meia da madrugada para ir ao banheiro e deparar-me com ela encarando-me (o que me fez dar um belo grito de horror e algumas explicações nenhum pouco eloquentes ao meu pai) que anjos não dormiam – deixava-me um tanto constrangido.

Lily não tinha falado comigo desde seu comentário mal humorado sobre a sessão da tarde angelical. É claro que eu sabia estar merecendo aquilo, embora me incomodasse bastante com o fato.

Era muitíssimo irônico que apenas uma semana atrás eu estivesse bastante ansioso para que ela parasse de falar e então quando finalmente conseguia aquilo, não estivesse gostando nenhum pouco.

Caminhei até o banheiro ainda meio zonzo pelo sono, lançando olhares de canto de olho para ver de Lily esboçava alguma emoção. Demorei alguns bons vinte minutos entre banho e me vesti e, quando voltei para o quarto, ela continuava no mesmo lugar.

Abri e fechei minha boca diversas vezes tentando imaginar se devia falar alguma coisa, mas nenhuma palavra parecia boa o suficiente então desisti e voltei-me para o cabide onde minha mochila estava pendurada de qualquer jeito e a atirei sobre o ombro, saindo do quarto pesadamente logo em seguida.

Descobri quão incomodo era ter de viajar em um carro com um anjo da guarda que está resignado a fingir que você não existe. Podia sentir as ondas de tensão e raiva emanando de onde Lily estava sentada e eu não fazia ideia de quanto tempo mais ela aguentaria sem acabar me fritando apenas com o olhar.

Lily somente foi esboçar alguma reação quando bufou ao ver Sirius e Remus caminhando em minha direção enquanto adentrava a escola. Talvez não estivesse tão indiferente assim.

– Hey Jay – Sirius cumprimentou-me de forma divertida enquanto colocava um braço sobre meus ombros e me piscava para uma garota qualquer que passava ao nosso lado. – Está com o humor melhor hoje cara?

Senti meu rosto esquentar.

– Espero sinceramente que sim, porque é realmente irritante ter um amigo na TPM – Remus acrescentou e eu bufei.

– Huh, não estava em uma fase muito boa – murmurei enquanto controlava-me para não olhar para Lily.

– Isto é óbvio – Sirius concluiu e então aumentou o sorriso. – Marlene chega hoje! O tio Sirius aqui vai pegar uma gata internacional – e então fez uma dancinha estranha (e nenhum pouco másculo), sobre a qual foi impossível não rir.

Continuamos conversando qualquer coisa enquanto minha anja da guarda continuava mais parada que uma estátua ao meu lado. Tentei fazer o mesmo e não prestar atenção em Lily, mas não estava dando muito certo.

O sinal que indicava o início do primeiro período soou e nos vimos obrigados a seguira para a aula. Finalmente Lily voltou a se mover, afastando três pedras do meu caminho, uma lata de refrigerante e mais um pedaço de cheeseburguer do meu caminho – o que eu agradeci internamente levando em conta do fato de eu não parecer estar em uma das melhores sortes do mundo. Talvez eu estivesse morto e com cobertura de queijo Gouda se ela não estivesse ali.

Mas, ainda assim, Lily continuava sem falar comigo.

Minhas aulas, como sempre, foram um tédio. Passava a maior parte do tempo conversando com Sirius e Remus do que realmente prestando atenção.

Estava em uma dessas conversas sobre carros e seus derivados quando a professora de Biologia caminhou até onde eu estava sentado e me encarou de forma penetrante.

Estava mais do que óbvio o fato de que ela faria uma pergunta sobre a qual não saberia responder, apenas para me humilhar publicamente por não estar prestando atenção em sua aula.

– Sr. Potter, diga-me: qual é o nome da divisão celular que reduz o número de cromossomos pela metade? – perguntou de forma lenta e precisa.

Podia sentir os olhares de toda a turma sobre mim.

Grande merda.

– Meiose – se eu não estivesse tão acostumado com essa mania que Lily tinha de me assustar, eu teria dado um pulo e caído da cadeira. Mas consegui me controlar o suficiente para sorrir para a professora e responder:

– Meiose – repeti e a mulher franziu o cenho em desaprovação.

– Não, não senhor Potter! A resposta correta é... – então me encarou de forma desconcertada. – Você disse meiose?

Foi preciso muito controle para não gargalhar da cara da professora.

– Sim senhora, professora – respondi da forma mais educada que consegui em meio a um acesso contido de riso. A professora não ficou feliz.

Lançou-me mais um olhar penetrante daqueles “você não escapará da próxima vez” e então deu as costas para mim, voltando para a frente dos slides.

– Obrigado – sussurrei.

– Dane-se – Lily resmungou de volta e eu a encarei de olhos arregalados.

– Você está falando comigo! – exclamei!

– Huh, James, com quem você está falando? – Remus perguntou, esticando-se em sua classe e me encarando de forma confusa. Olhei ao redor e percebi que deveria estar parecendo um louco para a aula inteira ao falar com “ninguém” visível.

Devia ter ficado da cor de um tomate maduro por conta da vergonha que estava sentindo no momento e, ao meu lado, minha maldita anja da guarda soltava uma de suas risadas totalmente debochadas.

Idiota.

– Eu... Huh – tentei pensar em uma desculpa plausível em meio ao mar de confusão que parecia meus pensamentos. – Estava me lembrando de uma cena de Supernatural, sabe? A série dos irmãos e...

– Ah – Remus aceitou minha resposta, mas continuava encarando-me como se eu não estivesse batendo bem da cabeça.

Precisava começar a me acostumar com o fato de que era o único que podia ver Lily e parar de falar com ela em locais públicos.

– Cara, você me assusta às vezes – Sirius sussurrou e balançou a cabeça, fazendo-me rolar os olhos tentando demonstrar o desinteresse que não sentia.

O resto da aula foi completamente tedioso e a professora não voltou a me importunar, o que estava ótimo para mim.

Quando finalmente a última aula terminou – isto apenas após cinco aulas ainda mais tediosas do que a primeira e o último de educação física que aliviou um pouco a tensão -, eu, Sirius e Remus (e Lily) caminhamos de forma descansada pelos corredores, retomando a conversa sobre carros que havia sido interrompida ainda na primeira aula.

– Ainda prefiro um Mustang – disse de forma conclusiva enquanto cruzávamos os portões da escola.

– Droga! – exclamou Sirius, estacando enquanto remexia em sua mochila.

Remus e eu trocamos olhares de confusão antes de voltarmos para ele.

– Sirius precisa pegar um desodorante francês da mãe dele que ele esqueceu no vestiário – a voz de Lily surgiu em meus ouvidos de algum ponto atrás de mim e eu precisei morder minha língua para não gritar. – Sabia que ele usa desodorante feminino? – ela indagou. – Acho que esse é o tipo de informação que melhores amigos devem compartilhar sabe... – minha risada saiu em uma respiração enquanto apertava meus dentes para não parecer ainda mais louco em frente aos meus amigos.

– O que houve Sirius? – Remus perguntou.

– Eu esqueci o... MEU desodorante - Sirius disse e voltou rapidamente para a escola.

Depois de mais uma troca de olhar hesitante, Remus e eu o seguimos, enquanto continuava a ter sérios problemas para controlar meu riso.

Desodorante francês. Sempre tinha achado o perfume de Sirius um pouco doce demais.

Meu Deus, em que mundo estávamos? Anjos da guarda, desodorantes...

O que mais faltava acontecer?

Quando finalmente alcançamos Sirius – que tinha praticamente corrido até o vestiário masculino do ginásio –, o garoto já estava fechando a mochila.

Bufei.

– Quê? – Sirius perguntou enquanto me encarava com uma sobrancelha arqueada.

Estava prestes a responder quando a porta do vestiário foi aberta de forma violenta e todos nós pulamos de susto.

– O QUE VOCÊS PENSAM QUE ESTÃO FAZENDO? SEUS PERVERTIDOS! – eu precisei de alguns segundos para entender a cena toda.

Dorcas Meadowes – uma das alunas mais aplicadas da minha turma – estava parada na entrada do vestiário. Seus cabelos loiros estavam bagunçados e sua respiração ofegante – o que significava que ela deveria ter corrido um bom pedaço de caminho até chegar ali -, enquanto lançava olhares assassinos em nossa direção.

– Do que você está falando? – Remus, que estava estranhamente corado, perguntou.

Os olhos da garota faiscaram na sua direção e então ela voltou a me encarar. Ou eu achei que sim.

– O que você está fazendo com esses imbecis num vestiário, sozinhos? – Dorcas disse cada uma das palavras com tanto desprezo que demorei algum tempo para perceber que ela não falava com nenhum de nós.

A garota não me encarava – percebi então -, mas sim um ponto fixo logo atrás de onde eu estava parado, onde, se não estava enganado, Lily encontrava-se parada.

De forma automática, Sirius, Remus e eu viramos para olhar na direção em que a garota encarava e eu senti meu sangue gelar ao perceber que era mesmo Lily para quem ela estava olhando.

O anjo parecia completamente estupefato. Seus grandes olhos verdes estavam totalmente arregalados e sua expressão teria me feito rir se aquele momento não fosse tão absolutamente assustador.

– Com... Com quem você está falando? – Sirius perguntou e o tom de deboche era bastante visível em sua voz.

Tive vontade de bater no garoto, afinal de contas aquele não era, de forma alguma, um momento para brincadeirinhas.

– Não estou falando com você – Dorcas retrucou cortante, sem se importar com o tom de voz do garoto. – Você não tem respeito nem por você mesma? – estava furiosa.

– Você só pode estar louca! – Sirius exclamou e olhou mais uma vez para lugar onde estava Lily e que ele provavelmente não via nada. – Não tem ninguém ali – acrescentou atraindo, finalmente, a atenção de Dorcas, fazendo-a encará-lo como se ele fosse o louco e não ela.

– Pare de ser idiota Black! É óbvio que tem alguém ali, ou você é um machista idiota que se acha tão superior ao ponto de dizer que garotas não são nada? – Podia ouvir o ego de Sirius desinflando enquanto Dorcas o encarava com aquela expressão de asco.

Por algum tempo a sala ficou em Silencio. Sirius franziu a boca, como se recusasse responde-la.

Remus deu um passo à frente, um pouco tímido – ou apenas com medo de levar um grande sermão de Dorcas também.

– Me desculpe Dorcas, mas com quem é que você está falando?

Dorcas bufou, colocou as mãos na cintura e olhou para Lily novamente, como se esperasse alguma resposta. Como não houve, voltou seus olhos para Remus, depois para Sirius e logo até a mim, voltando-os à Lily e fazendo o percurso todo novamente.

Seu rosto ficou pálido.

– Vocês não estão vendo?

– Vendo o quê garota? – Sirius soou ríspido, mas mais uma vez ela não se importou.

Parecia prestes a desmaiar.

– A menina ruiva – apontou então para Lily enquanto eu sentia meu queixo cair.

– Você consegue me ver? – a voz de Lily era completamente estupefata.

Senti o ar fugir de meus pulmões.

– É claro que eu posso te ver! – Dorcas disse fracamente, encarando-nos de forma indignada. – Porque é que vocês estão fazendo isso comigo?- perguntou então, o desespero tingindo sua voz. – Ela está ali, não está?

– Não tem ninguém ali – Sirius e Remus responderam ao mesmo tempo, seus rostos finalmente expressando o assombro que aquela cena merecia.

Todos olharam para mim quando eu não respondi.

Senti a cor esvair de meu rosto também.

– Eu... Ah... – Lily começou a rir, o que me deixou milhões de vezes mais sem saber o que dizer. – PARE DE RIR! – finalmente não aguentei mais aguentar aquilo.

Todos ficaram em silêncio, incluindo Lily.

– James... – Sirius começou de forma lenta. – Não tem ninguém rindo aqui – deu ênfase na palavra “ninguém”.

Remus olhou de mim para os lados, como se procurasse alguma coisa.

– Tem sim! – Dorcas exclamou com seus olhos brilhando enquanto me encarava. – A menina ruiva! Você também vê! Eu sabia que não estava ficando louca!

Remus me encarou de olhos arregalados.

– Você... Você também vê essa... Essa garota ruiva?

Abri a boca umas dez vezes sem saber o que falar, afinal de contas, o que eu ia dizer? “Ah sim, ela é meu anjo da guarda, por isso vocês não conseguem vê-la”, ou então “claro, eu vejo gente morta o tempo todo”.

– James, você tá brincando não é? – Sirius falou então em um tom de como se tivesse pensando na possibilidade de me levar para o hospício mais próximo.

– É meu anjo da guarda – as palavras escaparam da minha boca antes que eu conseguisse me controlar.

– Perfeito – eu ouvi Lily resmungar de forma irônica.

É o quê? – os três perguntaram enquanto me encaravam como se eu fosse um louco.

Era realmente o final de dia de aula mais perfeito da minha vida. Só que não.



Notas finais do capítulo

Eu acho que 80% dos reviews no capítulo anterior continha a seguinte frase 'suas fics são muito imprevisíveis'.
Fiquei me sentindo um E.T., é.
KKKKKKKKKKK'
Sério que vocês acham isso? Eu fico feliz então, porque é legal surpreender os outros. Com coisas boas claro. Huh, eu surpreendo vocês com coisas boas? O.o
Tipo, desde o começo eu queria fazer a Dorcas como o carinha do filme E Se Fosse Verdade que consegue sentir a Elizabeth, mas como a Dorcas é please Bitch, I'm fabulous u_u, ela pode ver a Lily o/
Espero que vocês tenham gostado do capítulo gente *--*
Okay, vou parar de falar baboseiras e deixar vocês escreverem um comentáriozinho bem lindinho ali embaixo #pisca #ficaadica #indiretadireta uahauhauha
Beijos da tia Mills :*



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Bad Angel" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.