Just In One Direction escrita por CostaSalazar


Capítulo 90
Capítulo 90





Depois de algumas carícias de felicidade, Zayn queria apresentar ao pessoal a sua namorada, oficialmente. Desceram até ao seu andar e quando chegaram à porta sorriram um para o outro. Na sala estavam Harry, Gina, Niall e Liam.

- Onde é que vocês estiveram? - Pergunta Gina, à espera de Sofia para ir para casa.

- No terraço. - Responde-lhe a amiga agora cheia de sorrisinhos para Zayn.

- Eu... Quer dizer, nós temos uma coisa para dizer. - Anuncia Zayn.

- Uii... O que vem daí? - Questiona Niall.

Zayn e Sofia riem-se, e ele toma a iniciativa. Niall e Gina já imaginavam o que vinha dali e já olhavam um para o outro.

- Eu e a Sofia namoramos. – Anuncia ele abraçando-a.

Liam riu-se bastante alto enquanto que os outros se olhavam com sorrisos malandros.

- Tu? Aquele que tem uma lista infinita de gajas? - Goza Liam continuando a rir-se.

Zayn respondeu-lhe com um ar reprovador ao que ele estava a dizer e Sofia riu-se.

- Bem me parecia que havia mais alguma coisa para além de... vocês sabem. - Diz Harry.

O casal riu-se.

- Pois... – Concorda timidamente ela olhando para o namorado.

- Mas finalmente que decidiram assumir! - Clama Niall.

- Agora vai ser festa todos os dias. - Brinca a namorada de Harry.

Depois da noite anterior, Liam arrependeu-se do que tinha feito. Tinha reagido de cabeça quente. Usar Raquel para fugir aos sentimentos por Danielle não tinha sido o mais correto. Ele gostava de Raquel e não lhe queria fazer mal, só que em situações daquelas ele não pensava. Ver ali um dos seus melhores amigos com a miúda que ele amava tinha sido um golpe duro. Ainda por cima porque ele estava a procurá-la para lhe contar isso mesmo! Pelo menos tinha agora a certeza de que o que vira não era nada. Zayn estava a namorar e parecia realmente apaixonado por Sofia. Por muito que com Zayn se tivesse de desconfiar… E Danielle não devia gostar dele também porque senão ela tinha-lhe contado. Assim passou Liam a noite. Sempre com a cabeça cheia. O maior medo era sempre ter de magoar alguém.

Dois dias depois estavam já no primeiro dia de aulas do ano. Foi um dia exatamente como os outros. Nada de especial aconteceu a não ser um olhar ou outro para os novos casalinhos, não fosse Harry um dos mais desejados pelas universitárias e Zayn um dos mais populares. Os olhares para Zayn e Sofia deviam-se principalmente às redes sociais. Porque o estranho não era vê-lo na universidade agarrado e aos beijos a uma rapariga, mas sim alterar o seu estado civil de “solteiro” para “numa relação”. Muitos comentários tinham ali chovido! E claro que Danny foi um deles. Perdera-se o mais bonito dos mulherengos da University College. De Portugal vinham também comentários aos estados de Sofia e Gina. No entanto, Harry e Gina eram um casal mais contido. Zayn e Sofia gostavam de mostrar a toda a gente que estavam juntos. Adoravam provocar os olhares invejosos de umas e outros. Os outros dois faziam-no apenas relativamente a Caroline. Gina prezava a discrição mas não dispensava o gostinho de espetar na cara da ex de Harry que ela tinha perdido.

Perto da hora de jantar, Kelly recebeu uma chamada.

- Quem era? – Interessou-se Danielle ao ver uma expressão diferente na cara da amiga.

- O produtor musical...

- E então? Já sabes quando é que vais?

- Próxima segunda-feira... - Responde-lhe Kelly, alegre porque ia seguir o seu sonho, mas triste por deixar os seus amigos e família.

- Oh Kelly, vou ter tantas saudades tuas!

- Eu também vou ter. Muitas, muitas, muitas!

- Tu vens-me visitar certo? - Pergunta-lhe Danielle, com lágrimas nos olhos.

- Claro! Mas até te veres livre de mim, temos que aproveitar ao máximo estes dias!

- É que eu nem estava à espera de outra coisa!

Mónica estava em casa quando recebeu uma chamada do namorado a dizer que a iria levar à universidade. Normalmente, ela reconhece o barulho do carro dele, mas desta vez não.

- De quem é este carrão? - Pergunta-lhe Mónica espantada.

- É meu. Comprei-o hoje de manhã. O que achas?

- É fantástico! Mas como é que arranjaste dinheiro para o comprar?

- Andei a poupar.

- Há quantos anos é que andas a poupar? Tu não ganhas para isto.

- Mónica, podes parar de ser desconfiada e entrar? Não queres ver como é por dentro?

- Tem calma que ainda estou a apreciar de fora.

- A sério? – Ri-se ele.

- Pronto! Já estou a entrar. Má onda...

Ele riu-se novamente.

Mónica estava feliz pelo namorado mas estava a estranhar. Era mais uma para juntar à lista… Nos últimos tempos Dylan estava muito diferente. Convenhamos que passar de um Wolkswagen antigo, herança do avô, para um Mercedes SLK descapotável não é para a carteira de um fotógrafo de 22 anos.

Naquele dia quem fazia o jantar era Sofia. Um jantar especial visto que Harry, Niall e Zayn iam lá. O ambiente seria perfeito se Lúcia não andasse ainda tristinha com a separação de Louis. Era muito mau ver duas pessoas que se amavam separadas por um mal-entendido, por causa de um puto de 15 anos armado em bom.

No fim do jantar, todos se reuniram na sala de cerveja em punho. Harry e Lúcia contra Zayn e Niall. Gina e Sofia tiveram de arrumar a cozinha e só depois puderam juntar-se aos amigos. Niall, ao vê-las chegar interrompeu o jogo.

- Zayn, importas-te que fale com a tua namorada por um bocadinho em privado?

- Naw, naw! Achas? Tu queres é comê-la…

- Como? Deixa de ser ciumento Zayn Malik! Ele é o meu MADU (melhor amigo do universo)!

- Hum… Mas tens de me dar um beijinho antes.

Todos começam com o típico “Ooooh” enquanto Sofia se baixava para beijar o namorado que estava sentado no chão a jogar.

- A Gina substitui-me. – Informa Niall a Zayn.

- Hum… Vê lá o que fazes… - Continua Zayn no gozo para o irlandês.

Entretanto, na casa de Mónica, ela e as outras tinham também já acabado de jantar. Raquel, cansada, foi logo para a cama enquanto as outras duas aproveitaram para pôr a conversa em dia. Mónica andava muito preocupada com a prima. Ela amava Niall mas recusava-se a aceitar isso e muito menos a dizê-lo ao estudante de engenharia civil.

- Ó loira, ele tem sido tão fofinho contigo… E de cada vez que me lembro de ti naquele hospital… A sério que não te entendo.

- Isto não é de entender. Eu não vou cair nas conversinhas de um qualquer assim nem mais nem menos.

- Ele não é um qualquer, Débora, ‘tá bem? Ele é o rapaz de quem tu gostas.

- Pff…

- Débora… Não vamos voltar ao mesmo, pois não? Tu já me admitiste que gostavas dele.

- Mas… Eu... Mudei de ideias.

- Pois sim… E não queres ver se estou ali na esquina?

- A sério Mónica!

- Tu devias era ter-te atirado a ele no elevador! O rapaz ama-te! Tão burrinha!

- Menos Mónica, menos!

- Admite que gostas dele!

- Porra! Gosto, mas se ele me quer tem de sofrer por mim. Mostrar-me que gosta de mim. Fazer por me merecer.

- Não sei o que queres que ele te faça mais... Se ele faz tu reclamas, se ele não faz reclamas também.

- Temos pena! Se está mal que se mude.

Mónica abanava a cabeça protestando contra a prima.

- Vocês os dois, no elevador, em pleno ano novo… Bem! Que cena de filme!

- Só a Débora é que pronto.

- Se bem te conheço, ó irlandês, a tua vontade era aproveitar esse elevador muito bem aproveitado…

- Tarada pá!

- Olha quem fala…

- E estou muito feliz por ti e pelo Zayn.

- E eu! Vais ver que daqui a uns tempos a Débora vai facilitar.

- É. Quando eu estiver a morrer. Só quando eu estive em coma é que ela se aproximou de mim. Depois disso afastou-se outra vez.

- O que é que queres? É casmurra!

- Eu queria tê-la ao meu lado. Não sabes o quanto eu me revolvo por dentro por tê-la longe. Eu amo-a, Sofia.

- Eu sei fofinho. Dá cá um abraço. Ó meu Deus…