Just In One Direction escrita por CostaSalazar


Capítulo 7
Capítulo 7





Era o primeiro dia de aulas para Louis, o Dj Tommo. Como nos outros anos, o rapaz, agora estudante do quarto ano de Artes Cénicas, ia chegar atrasado à primeira aula. Os amigos com quem ele vivia bem o tinham alertado das horas, mas Louis era sempre o mesmo “deixa andar”. Muito aflito, ele chega à faculdade a correr para a sala mas vê algo de que não estava à espera. Seria mesmo? Podia ser só uma ilusão… Mas não, ele nunca confundiria aquele sorriso, aquela maneira de ser que tanto o cativara. Era ela, ele tinha a certeza de que era ela. Nem sequer o seu nome sabia. A única vez que a vira fora há mais de um mês na discoteca, naquela noite que o seu amigo Zayn fora, como diziam Louis e os outros amigos com quem dividiam a casa, “usado” por aquela portuguesa. Louis parou por momentos para a observar enquanto todos estes pensamentos lhe surgiam, mas um colega de turma que passou por si logo o levou para a sala enquanto conversava sobre algo que ele nem prestou atenção.

Sofia também tinha aulas nessa manhã. Chegou à faculdade e quis logo tratar do seu cacifo pelo que teve de se desenrascar para o encontrar. O mal de se ser preguiçosa para se levantar da cama fez com que acabasse por ter de ir sozinha para a faculdade, visto que Gina e Lúcia tinham tido aulas mais cedo e, por isso tinham ido com Danielle e Kelly que eram madrugadoras.

O problema é que Sofia não conseguia encontrar os cacifos. Aquilo era enorme e fazia-lhe imensa confusão. Ainda por cima parecia que toda a gente olhava para ela, por muito que assim não fosse, mas era a sensação que ela tinha. No entanto, conseguiu finalmente encontrar o seu cacifo e, tendo as suas coisas lá guardadas, fechou-o e ia-se embora. Só que, um rapaz que ela não conhecia de lado nenhum, nem feio, nem bonito, mas armado em machão, veio ter com ela:

- Então boneca? – Cumprimenta-a ele agarrando-a pelo braço.

Ela olhou para ele, fez-lhe um sorriso amarelo e respondeu-lhe:

- Olá! Desculpa, estou com pressa. Tenho mesmo de ir… - Tentando seguir o seu caminho.

Ele agarrou-a mais fortemente pelo braço e insistia:

- Deixa-me conhecer-te, vá lá… Como te chamas? Diz ao papá…

Sentindo-se pressionada e já com algum receio do que ele pudesse fazer, ela tratou-o com desprezo:

- Ainda não percebeste que não te quero conhecer e que não quero que me conheças? Baza, meu!

Ele agarra-lhe no outro braço ficando frente a frente com ela e, depois de uns olhares intimidadores que lhe lançou, largou-lhe um dos braços para lhe acariciar o rosto:

- És bonita bebé…

- Larga-me! Deixa-me ir!

Felizmente para ela, um simpático e loiro rapaz, com uns lindíssimos olhos azuis, que por ali passava viu toda a cena e interferiu muito calmamente, parecendo conhecer o brutamontes:

- Larga lá a rapariga… Se ela não te quer conhecer não insistas. Com tantas raparigas por aí e estás a arranjar confusão, a arriscar seres expulso de vez, por causa de alguém que não te quer conhecer? Controla-te, meu!

O grosseirão olha novamente para Sofia, larga-a e diz-lhe:

- Ai não queres conhecer… Pois tu é que perdes!

Muito se esforçou ela para conter o riso. Mas ao menos a besta tinha ido embora e o próprio rapazinho que lhe valera se ficou a rir daquela despropositada frase que dissera por último.

- Obrigada por me livrares dele! – Agradece-lhe Sofia.

 - Ora essa! Não foi nada de mais. Toda a gente cá da universidade sabe como ele é. Tu é que és nova aqui, não és?

- Sou – Responde-lhe sorrindo.

- Pois… Eu sou o Niall Horan, muito prazer! – Apresenta-se ele esticando a mão.

- Sofia Costa. – Informa-lhe ela, correspondendo ao cumprimento de mão e continuando a sorrir.

De seguida ela olha para o relógio e explica-lhe:

- Eu continuava a conversar contigo, até porque gostava de conhecer melhor o rapaz que me salvou das garras daquele besta… O problema é que tenho aula agora.

- Eu também tenho aula agora. Para que lado vais?

Ela indica-lhe o caminho e ele acaba por decidir segui-lo com ela visto que iam para o mesmo lado. Parecia que se estavam a dar bem. Ao longo do percurso apenas deu para conversarem sobre o curso que cada um estava a seguir e sobre o facto de Sofia ser portuguesa. Niall estudava engenharia mecânica e estava já no segundo ano. Sofia contou-lhe que estava no primeiro ano de Direito e que desejava ser juíza.

- Uh! Eu tenho um amigo que vai ser da tua turma, então. – Comenta o loiro.

- A sério? Como se chama? – Interessou-se ela.

- Harry.

Naquele momento aquele nome suou-lhe familiar, lembrou-se do Harry de que Gina lhe falara e ficou curiosa para conhecer o rapaz.

Entretanto chegaram à sala onde ela teria aula e ele, deixando-a, dirigiu-se à sua.

Gina, Lúcia, Danielle e Kelly tinham chegado bem cedo à universidade. Quando Gina e Lúcia foram cada uma para a sua aula, as outras duas ficaram a conversar, conversa essa que viria a ser interrompida por Liam que tinham andado no secundário com elas, porém em turmas diferentes. Ainda assim, Liam e Danielle eram os melhores amigos. Sabiam tudo um do outro. Então, vendo ali as amigas não pode deixar de as cumprimentar, até porque há muito que não via Kelly. Notava-se que ele dava grande valor à amizade, só pela forma como as cumprimentou. Aquele abraço de Liam era a coisa mais confortante do mundo e aquele beijo na testa era reservado apenas à sua melhor amiga Danielle.

- Logo almoçamos juntos? – Pergunta Liam a Danielle depois do beijo na testa, olhando-a nos olhos.

- Sim, claro! Já tinha saudades tuas! Tens andado desaparecido…

- Sabes como é… Sou um rapaz muito ocupado. – Ironiza Liam. – E também quero que vás almoçar connosco, ouviste Kelly?

- Claro! Mesmo que não me convidassem, eu convidava-me. – Brinca a loirinha.

Estava então Sofia na sua aula, ainda intrigada por aquele Harry. Olhava discretamente para todos os lados, tentando perceber se havia lá alguém com uma descrição idêntica à que Gina lhe fizera. Quando o professor começou a aula, ela acabou por esquecer aquilo. Já lá para o final, o divertido professor começou a fazer algumas perguntas. Logo na primeira, um rapaz levantou o braço para responder. O professor perguntou-lhe o nome e Sofia foi alertada ao ouvir uma bela voz masculina a pronunciar “Harry Styles”. Tinha de ver o seu rosto. Ficou realmente intrigada com aquele Harry. Se fosse ele tinha de ir a correr contar à Gina.

No fim da aula, muito atenta, sempre com o olhar em cima daquele rapaz cuja face ainda não tinha conseguido ver, Sofia arrumou as suas coisas muito devagar para controlar a saída do rapaz. Ele levantou-se, arrumou as suas coias e foi nessa altura que ela o conseguiu ver. Era exatamente aquilo que a Gina lhe tinha descrito. Se não era ele, então era o Harry da Gina era alguém muito parecido com ele. Decidiu meter conversa com ele. Quem sabe se ficavam amigos e assim conseguia ajudar a amiga? No entanto, quando se estava a aproximar, uma rapariga chegou à porta da sala de aula e, vendo de lá o Harry, perguntou-lhe se podia entrar. Já pouca gente estava lá dentro. Mas, quando Sofia presta uma maior atenção à rapariga, logo a conheceu: era Mónica, a prima de Débora. Pareciam ser muito amigos pela forma como estavam a falar. Quando Mónica viu Sofia cumprimentou-a de longe e esta fez o mesmo. Agora já não se sentia à vontade de ir falar com o rapaz. Tinha de ficar para outro dia. Mas tinha de contar à Gina. Saiu da sala de aula e correu ao bar na esperança de lá a encontrar, só que parecia que tudo estava contra si. Não a encontrou. Estava a rebentar de ansiedade para contar aquilo à Gina!





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Just In One Direction" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.