Just In One Direction escrita por CostaSalazar


Capítulo 67
Capítulo 67





Mónica tinha de falar com Gina. O problema é que tinha aulas o dia todo. Tinha mesmo de ir a casa dela no final da tarde.

-Olá Mónica! Por aqui? – Surpreende-se Sofia.

- Sei que não é costume e espero não estar a incomodar…

- Oh! Não sejas trenga! Claro que não.

- Eu queria falar com a Gina.

- Comigo? – Pergunta Gina que vinha a sair da cozinha.

- Pois… Podemos falar? - Pergunta Mónica.

- Eu deixo-vos a sós. – Diz-lhes Sofia.

- É sobre o Harry? - Remata logo Gina.

- Mais ou menos...

- Diz.

- Bem, eu só queria dizer que eu sou testemunha do que te andam para aí a dizer sobre o Harry é mentira.

- Foi ele que te pediu para me dizeres isso?

- Não, eu estou a dizer-te isto porque eu falei com a Caroline e ela admitiu-me tudo. Ou seja, que te mentiu este tempo todo. O Harry foi mulherengo sim, mas foi depois de ter acabado com a Caroline. Nunca andou com várias ao mesmo tempo. Podia ser uma por semana, mas nunca ao mesmo tempo... Andaste a ser enganada por uma gaja paranoica, estúpida, que nunca largou o Harry desde que tiveram de acabar.

- Mas... porque é que eles acabaram?

- Porque ela obrigou-o a apagar todos os números de gajas do telemóvel, não o deixou ter Twitter, e estava sempre a perguntar o que ele fazia e com quem estava. Era pior que um polícia!

A morena estava sem reação. Tinha sido tão cruel para o rapaz que quando viu pela primeira vez se derreteu de imediato. Um inglês perfeito de olhos verdes, com cabelos encaracolados e umas covinhas adoráveis. Porém, era demasiado orgulhosa, não ia pedir-lhe desculpas. A culpa não tinha sido dela. Caroline era a principal culpada! Ela é que devia pedir desculpas a Gina.

- Aquela cabra! Que não pense que se vai ficar a rir!

- O que é que vais fazer? - Interessa-se Mónica.

- Se ela se conseguiu fingir de minha amiga, eu também consigo!

Depois do jantar com Kelly, as amigas estavam a combinar ir visitar Niall, visto que Louis tinha dito a Lúcia que ia e que queria a companhia dela. Assim, as outras também quiseram ir, menos Sofia que estava muito cansada e já tinha ido visitar o amigo de tarde.

Enquanto isso na casa dos rapazes também se acabava de jantar, no qual o tema da conversa passara pela visita de Louis ao Niall com a companhia de Lúcia, Kelly e Gina.

- A Sofia não vai visitar o melhor amigo? – Estranha Liam.

- Ela já foi hoje de tarde comigo. – Informa Harry.

O nome “Sofia” fez Zayn relembrar a noite anterior. Passara aliás o dia todo a pensar naquilo. A vontade de estar com ela outra vez era enorme e além disso sabia que ela ia estar sozinha.

- Bem meninos, eu vou indo buscá-las se não ainda ficamos sem tempo para todos o visitarem. – Avisa Louis no fim de comer.

- Hoje livras-te de arrumar a cozinha mas amanhã fodes-te! – Grita-lhe Harry da mesa com Louis já à beira da porta para sair.

- Vocês vão-me desculpar mas eu tenho de me ir preparar porque também tenho uma saída daqui a bocado. Hoje fica por vossa conta. – Escapa-se também o muçulmano.

- Olha, outro… - Queixa-me Harry.

Zayn, no gozo, dá um beijo na cabeça de cada um dos amigos e retira-se para se aprontar.

- Zayn!

- Prepara-te que vais tomar café comigo.

- Mas…

- Eu não perguntei se querias. Eu disse que ias.

- Trenguinho.

- Estou a chegar aí. – Avisa Zayn desligando a chamada.

- Simples, mas eficaz… - Exclamou para si próprio com um grande sorriso depois de desligar o telemóvel.

- Que te deu hoje? – Pergunta-lhe Sofia a entrar no carro.

- Bem… Que maneira simpática de me cumprimentares… - Goza ele a fazer beicinho.

- Pronto… Queres um beijinho, é?

Sofia preparava-se para lhe dar um beijinho na bochecha, mas ele virou repentinamente a cara e roubou-lhe um daqueles beijos molhados tão habituais entre eles.

- Muito melhor! – Exclama ele com o rosto ainda próximo do dela, olhos nos olhos.

Ela riu-se:

- Pois bem. E onde vamos?

- Sair do carro.

- Ah?

- Vamos sair do carro porque vamos a pé.

- Onde queres ir?

- Tomar café.

- Onde?

- Não sei.

Ela riu-se.

- Estás numa de andar sem destino, à noite, a nevar…

- E então? – Questiona com o olhar sempre fixo nela como na noite anterior. Ela estava a estranhar muito aquele olhar. Ao mesmo tempo que a assustava, era bom e ela gostava. – Estás com medo de andar por aí comigo?

- Medo? Não! Vamos lá então.

Ambos saíram do carro e Zayn aproximou-se dela, reparando na forma como ela se vestira.

- Estás bonita hoje.

- Obrigada. E tu estás simpático.

- Eu sou simpático. Não se nota? Soube que ias ficar sozinha e convidei-te para tomar café.

- Uh… Que amigo mais fofo que eu tenho! – Brinca ela apertando-lhe as bochechas.

- Ui… Não faças isso que me dá vontade de te beijar assim à maluco à frente de toda a gente.

- Ai é? Então e porque não fazes? – Desafia ela.

Zayn ia a aproximar-se e ela fugiu-lhe com a cara a rir-se.

- Bem me parecia que tu não ias querer.

- Vamos lá mas é! – Apressa-o ela puxando-o pela mão.

Começaram a andar e pôs o braço dele à volta do seu pescoço.

Não tiveram de andar muito. Encontraram um café que parecia ter bom ambiente.

- Eu posso parecer chato, mas eu gostei mesmo da nossa noite de ontem. – Diz-lhe ele depois de se sentarem.

- Já perdi a conta a quantas vezes disseste isso! – Ri-se ela.

Ele mordeu o lábio inferior como fazia quando estava nervoso.

- Olha, tu não faças isso!

- Isso o quê? - Pergunta ele.

- Morder o lábio. Já te disse milhares de vezes que isso me…

- Deixa louquinha! – Completa ele.

- Isso. Vês como sabes?

- Mas eu não me apercebo de que o faço. Desculpa. – Ironiza ele o pedido de desculpas.

Ela finge um estalo bem fofinho na cara dele e ambos se riem. De seguida ele olha-a com o mesmo olhar intenso que a deixava sem jeito.

- Oh Zayn… Esse teu olhar…

- Fogo! Hoje tudo te deixa louquinha? Tratamos já do problema!

Ela riu-se novamente.

- Agora a falar a sério. Desde ontem que estás diferente. Que se passa contigo?

- Não sei. É impressão tua.

- Hum, está bem.

- Fogo! Não vem cá ninguém atender-nos? Eu vou lá. Que queres?

- O que trouxeres para ti.

- Hum… Eu venho já.

Sofia aproveitou para ver as horas. Pegou no telemóvel e deixou-o em cima da mesa.

- Voltei.

- Já tinha notado. – Goza ela.

- Sempre tão simpática. – Respondeu-lhe enquanto acendia o cigarro.

- Sempre.

O telemóvel dela vibrou e ele pegou nele.

- Zayn! – Ralhou ela.

- Shiu! – Mandou-a calar-se. – Vem aí a servente.

A rapariga serviu-os e foi embora.

- Zayn, dá-me o telemóvel!

Ele abanou a cabeça com o cigarro na boca.

- É uma mensagem e eu vou ler.

- Oh! Lê lá então. Não tenho nada a esconder.

- Txiiie!

- Que foi? – Assustou-se ela.

- Português. Traduz aí.

- Deve ser a Gina ou a Lúcia, Zayn! Ou então a minha mãe. Mas eu traduzo. Dá cá.

Sofia começou a traduzir para inglês sem antes ter visto o remetente:

- “O dia está próximo. Mal posso esperar para te voltar a ver.”. Foda-se! Quem é?

- E eu é que sei?

- Vitor. – Exclamou ela num tom de voz mais baixo.

- Alguém importante que deixaste lá em Portugal? – Pergunta ele num tom de voz diferente, mais grave.

- Não. Foi importante. Não é mais.

- E mexe desta forma contigo ainda? – Questiona ainda demostrando um pouco de nervosismo.

- Não mexe comigo Zayn. – Responde ela um pouco alterada.

- Porque estás então a falar dessa forma?

- Porque… porque ele não tem nada de me mandar mensagens. Ainda por cima a dar a entender que me vai ver brevemente. Não gosto disto.

Zayn apercebeu-se de que ela estava a ser sincera:

- Se quiseres tens-me a mim para te defender.

Sofia deixou escapar um sorriso.

- Que fofinho! Adoro-te Zayn.

- E eu a ti.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Just In One Direction" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.