Just In One Direction escrita por CostaSalazar


Capítulo 54
Capítulo 54


Notas iniciais do capítulo

Rita3011 Parece que neste capítulo tem mesmo alguma coisa entre a Sofia e Zayn :) Algo muito soft... Espero que gostes :p




- Hey! Meninas! Danielle! – Chama Liam a sair do bar em passo de corrida.

Danielle conseguiu agarrar o braço da amiga e impedi-la de avançar mais, abraçando-a sem dizer palavra. Desprezou no entanto o chamamento de Liam que pouco depois as alcançou. Ao chegar à beira das raparigas não teve coragem de dizer nada. Ficou apenas a olhá-las, ouvindo o choro soluçado da pequena loirinha. Entendeu que o melhor que tinha a fazer era não perguntar nada e tentar levá-las para casa.

Liam conduziu o carro da Danielle, enquanto esta ia com a amiga no banco traseiro, na tentativa de a consolar, dando-lhe um ombro amigo para descarregar a sua tristeza.

Ao chegar ao prédio, Liam teve a oportunidade de abraçar Kelly e dizer-lhe nos olhos:

- Seja lá o que tenha acontecido, tens aqui um amigo para o que precisares.

Ela sorriu e abraçou-o de novo. Depois subiram ao apartamento e Kelly retirou-se para o seu quarto pedindo a Danielle, que se preparava para lhe fazer companhia, para a deixar só. A morena respeitou a vontade dela e aproveitou estar na companhia do seu melhor amigo para um abraço como já há muito não lhe dava. Sentia-se triste pela amiga. Compreendia-a perfeitamente. Passava por um sofrimento parecido desde que Raquel reaparecera na vida de Liam. Se ele soubesse que ela o amava… Mas tinha medo de estragar aquela amizade.

- Cuidado aí, Zayn! Olha a pé dele! – Avisava Sofia enquanto o moreno tentava, literalmente, enfiar Niall no carro.

- Olha, e se em vez de estares aí a falar, ajudasses? É que ele não para quieto!

Sofia ria-se das figuras de Niall e da dificuldade de Zayn em controlar o amigo.

- Déb… ora! – Soluçava o loiro. – Amo-te! Por ti era capaz de ir à lua… A pé!

- Pronto! – Exclama o rapaz exausto, fechando a porta do carro num sentimento de vitória, soltando por fim um suspiro.

- Muito bem sr. Malik. E agora? Vais embora sozinho ou precisas de companhia? – Pergunta-lhe Sofia do outro lado do carro.

- Isso é uma proposta? – Questiona Zayn no mesmo tom insinuante dela.

Ela encolheu os ombros com um sorriso malandro.

- Hum… - Assentiu ele. – De qualquer forma vou precisar da tua ajuda para o tirar do carro e para o levar para a cama. Por isso, penso que seria bom que viesses.

- Então vamos lá. – Diz ela entrando já no carro.

A viagem foi a maior tortura para os dois amigos do embriagado. Berrava ao som das músicas e fê-los parar duas vezes para vomitar.

- Com que então o menino Niall está de quatro pela Débora… Essa é-me completamente nova. – Admite Zayn.

- Eu já sabia. O que eu não sabia é que ele aprontava destas! Olha para a figurinha dele! – Ria-se Sofia ao vê-lo mandar beijos para o tejadilho do carro.

Outra complicação foi tirar o rapaz do carro e leva-lo para dentro. O pobre coitado do Zayn é que ficou estafado depois de tal desgaste! Já no quarto, Sofia preparou o amigo para dormir, tirando-lhe as sapatilhas e cobrindo-o.

- Pronto! Este já está preparado para amanhã acordar com uma bruta dor de cabeça!

- Qual quê? Ele já está habituado. Sangue irlandês! Amanhã acorda um pouco baralhado mas logo tudo passa.

- Ainda bem para ele! – Afirma a rapariga deixando-se cair no sofá. – Mas grande cena aquela, ah?

- Mesmo! – Concorda Zayn sentando-se ao lado dela. - A Débora deve ter ficado…

- Fula! – Completa-o ela. - Mas coitadinho do Niall. Ele gosta mesmo muito dela.

- Mas com aquela ali não tem muitas hipóteses! Ela é fodida! A ela, ninguém tem hipóteses para a tramar.

- Gostava que se entendessem…

Fez-se um breve silêncio.

- Pronto. Já te ajudei. Tens de me levar a casa, se não te importares.

- Mas…

- Eu amanhã tenho aulas. Já é uma hora…

- Eu também, mas…

- Zayn, Zayn…

Ele puxou-a para si e beijou-a.

- Isso é jogo sujo. Assim é difícil dizer que não.

- Ah! Eu sou mesmo irresistível…

- Convencido!

- Foste tu que disseste!

- Anda lá, mas é! – Puxa-o ela para a porta, pegando já na chave do carro.

- Ok chefe!

Entraram no carro e preparavam-se para arrancar, mas… o carro não pegava.

- E agora?

- Agora ficamos aqui um bocadinho juntos e esperamos que o primeiro marmanjo chegue aí a casa para te levar.

- A sério…

- Enquanto isso… - Zayn aproveitou para se fazer a Sofia. Depois de um bom flirt e de uns beijos muy calientes, ouvem por fim um carro a aproximar-se: era Harry. Então, Zayn pôs mão à ignição e facilmente o carro pegou.

- Boa! Parece que já deu!

Zayn riu-se, como uma criança marota, da ingenuidade da rapariga.

- Eu não acredito: fizeste de propósito! O carro esteve de perfeita saúde este tempo todo! Ai que estúpido! – Resigna-se a rapariga dando-lhe sapatadas no braço, não conseguindo, contudo, controlar o riso de si própria.

- Shiu! Tem calma! Olha o Harry. – Desculpa-se Zayn para que ela parasse.

Ela fica a olhar para ele enquanto ele avançava a condução.

- Vais dizer que não valeu a pena?

Harry chegava a casa depois de ter estado com Gina. Os seus pensamentos estavam virados para ela e já nem se lembrava de toda a cena que se passara no bar. Algo que ela lhe disse quando ele a deixou em casa, deixou-o esperançoso. Que quereria dizer ela com aquela frase? Ciúmes?

Quando eles entraram no carro, Gina pôs o cinto e decidiu não começar a implicar, até porque já tinham conversado e estava tudo resolvido. Eram amigos, e como tal quis dar-lhe a oportunidade de mostrar quem realmente era.

- Não vais dizer nada? - Pergunta Harry.

- O que é que queres que diga?

- Alguma coisa servia.

- Apetece-me um gelado...

- No Inverno? A esta hora?

- Ok, esquece.

O silêncio voltou. Nenhum disse uma palavra até estarem quase a chegar à casa dela.

- Gostaste de me ouvir cantar?

- Sim. Cantas mesmo bem!

- Cantei para ti... - Sussurra ele com um sorriso amoroso.

- Para mim?

- Sim... Eu não parei de olhar para ti, não percebeste?

- Ah, peço desculpa! Pensei que estavas a cantar para as tuas conquistas da noite!

- Lá estás tu outra vez!

Eles tinham chegado e ela ia abrir a porta para sair, mas ele segurou-a pelo braço.

- Porque é que és assim comigo?

- Eu sou assim contigo porque... porque... olha, porque simplesmente não gosto de te ver com outras gajas! Ok?

E assim, ela soltou-se da mão dele e entrou disparada no prédio.



Notas finais do capítulo

Nova personagem no próximo capítulo! Não deixem de acompanhar! :D