Just In One Direction escrita por CostaSalazar


Capítulo 41
Capítulo 41


Notas iniciais do capítulo

Um dos meus capitulos preferidos ate agora... quem me conhece perceberá porque ;)
- by Sofia.




Depois de comer, a loira do grupo que tanto andava a insistir para Zayn a levar a casa como prometera, acabou por adormecer no pequeno espacinho que restava do sofá onde Harry estava a dormir, pedrado. Foi bom para Raquel. Ela não queria mesmo ir embora, queria ficar com Liam. Estes, vendo Débora a dormir e os outros todos na conversa, afastaram-se para “irem dar uma espreitadela ao Facebook” – como eles disseram. Liam bem pegou no seu portátil dirigindo-se para a cozinha, mas Raquel logo o puxou de novo para a varada, onde acabaram por adormecer juntinhos, cobertos por uma manta em que ela se enrolara na sala e não a largara mais, já a pensar na ida para a varanda.

Liam, antes de adormecer, pensava no que estava a fazer. Não tinha a certeza de que era a coisa certa, mas sentia-se bem com ela. O resto via-se depois. Só queria gozar o momento e esquecer o resto. As saudades que ele tinha de tocar corpo dela, de sentir o aroma da sua boca…

- Não é por nada, pessoal, mas eu já estou cheia de sono… - Diz Gina bocejando.

Niall ia já estendendo umas mantas no chão e Zayn trazia as almofadas do quarto, de onde saía em bichos-de-pé para não acordar a princesa de Louis.

- Porra! Estava a ver que o Louis me ia expulsar à batatada.

- Eles estão acordados? – Pergunta Sofia ainda bem desperta.

- Não. Ele é que acordou quando eu entrei no quarto a resmungar comigo em voz baixa para não lhe acordar a “Lú”.

Sofia e Niall riram-se. Gina estava com demasiado sono para reagir fosse ao que fosse.

A morena dos cabelos lisos deitou-se logo com uma manta sobre si, adormecendo pouco depois. Niall deitou-se de barriga para baixo, ao lado de Gina, ficando ainda à conversa com Sofia, sentada ao lado dos amigos, e com Zayn deitado ao contrário dos outros dois, encostado ao sofá, ficando de frente para Sofia, com quem ia trocando olhares que ela tentava disfarçar.

A conversa ia rareando e Niall começou a deixar-se envolver pelo sono. Zayn, tinha-o sob olho, mas Sofia só depois reparou que Niall estava já adormecido.

- Olha, parece que…

Zayn interrompeu-a:

- Shhh… Não os acordes.

Ela ficou a olhar para um e para outro e Zayn puxou-a pela mão até si, devagarinho, deixando-a ajoelhada ao seu lado, preparando-se de seguida para a beijar, mas a morena dos olhos castanhos escapou-se da boca dele.

- Zayn! – Sussurrou ela.

Ele paralisou olhando-a nos olhos, não percebendo a reação dela.

- Se alguém vê…

- Quem? Estes estão a dormir como pedras, o casalinho maravilha como rochas, e os outros dois sabe-se lá o que estão a fazer: mas cheira-me que ali há coisa.

Ambos soltaram um leve riso e ela, depois de o encarar nos olhos, passou suavemente os seus dedos por entre os cabelos escuros dele, fazendo-o fechar os olhos para sentir mais intensamente aquela sensação. Quando ele voltou a abrir os olhos viu um sorriso tentador na face dela.

- Anda. – Murmura-lhe ele levantando-se com cuidado, sempre com a mão dela agarrada pela sua.

Ela já sabia ao que ia. Só não sabia para onde… Mas não interessava. Naqueles momentos só o corpo falava mais alto; a razão, ou mesmo o coração não interferiam. Se alguém os visse… Iam pensar que eles gostavam um do outro, ou pior, ficar com uma imagem errada dela. Por muito que ela não pudesse negar que o seu comportamento com Zayn não era propriamente o mais santo… Mas ela sabia que não era nenhuma rameira e isso é que lhe importava. Por isso é que não queria que a vissem, por saber que era errado. Mas não conseguia controlar.

Zayn conduziu-a até à casa de banho, fazendo-a rir ao chegar à porta.

- Para a casa de banho!?

- Shh… - Mandava-a calar-se, rindo-se também. – Tens outra solução?

- As ceninhas que tu me pões a fazer…

O rapaz puxou-a fortemente para dentro, fechando de seguida a porta com cuidado. Ela aproveitou para se olhar ao espelho e ele, chegando-se por trás dela, afastou-lhe o cabelo para lhe beijar o pescoço. A partir daí não trocaram mais palavras. Os corpos dos dois ardiam de desejo e pediam mais e mais. Ele pegou nela e sentou-a, já semi-nua, no lavatório, beijando-lhe os seios com prazer, enquanto a louca morena lhe arranhava as costas sem piedade. Daí ao grande passo não demorou muito. Em pouco tempo, Zayn vibrava dentro dela numa excitação arrebatadora.

No fim, exaustos, os dois permaneciam, de corpos colados em pé com longos beijos. Tentando, não descolar dos lábios da rapariga, ele quis sentar-se na borda da banheira, mas a intenção saiu-lhe furada e ele acabou por se desequilibrar e quase cair dentro da mesma. Foi Sofia que o segurou, perdida de riso.

Ele, também a tentar controlar o riso, levantou-se e continuava a pedir-lhe silêncio para que ninguém acordasse. E dirigia-se novamente a ela para a beijar, mas ela não conseguia controlar-se e ria-se, ria-se e ria-se por entre pedidos de desculpas por se estar a rir.

Já o sol nascia e os dois continuavam fechados na casa de banho. Naquela noite tinham-se divertido muito… de diferentes formas.

Ao sair da casa de banho, pé ante pé, confirmando se deixavam tudo em ordem por lá, deram conta de uma casa adormecida, em que só mesmo eles estavam bem acordados.

- Dormir um bocadinho? – Pergunta-lhe ele com um último juntar de lábios.

Com os olhos quase fechados, ela respondeu-lhe:

- Depois de tanta… atividade, vai ser um bocadinho complicado relaxar…

Ele riu-se.

- Estás cheia de sono miúda!

- Não estou nada, a sério! – Continuava ela fazendo-se de forte.

- Está bem… - Sorri-lhe ele a acompanhá-la à beira dos outros, onde ambos se deitaram à beira um do outro, porém distantes… Quem olhava para eles ali a dormir via dois amigos, grandes amigos, mas nunca mais do que isso. E a imaginar o que se passara momentos antes…



Notas finais do capítulo

E que acharam? ;)



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Just In One Direction" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.