Just In One Direction escrita por CostaSalazar


Capítulo 17
Capítulo 17


Notas iniciais do capítulo

Para quem quer gosta da história da Gina e do Harry:
(não me chamem má ;) )




E duas semanas se tinham passado e o grupo de amigos estava cada vez mais próximo. Sofia ia também de vez em quando se encontrando com Débora, o que as estava a tornar muito próximas. O facto de terem o horário muito parecido ajudava a que tal acontecesse. Lúcia e Louis saíam muitas vezes, Harry ia sofrendo por Gina, não desistindo nunca de lutar por ela. Para Kelly era cada vez mais difícil esconder os seus sentimentos por Niall, mas não sabia o que fazer.

Harry necessitava de desabafar com alguém e por isso decidiu ligar a Mónica. Só ela o conhecia como ninguém e por isso iria compreendê-lo. Ela disse-lhe que estava na biblioteca com Dylan e que esperava lá por ele.

Dylan era o namorado de Mónica. Um loiro de olhos verdes que matava qualquer uma de inveja de Mónica. Tinha 21 anos e já não estudava. Era fotógrafo, mas considerava que a sua profissão era amar Mónica. Dizia que era para isso que tinha nascido e isso deixava-a derretida. A única coisa de que ele não gostava, por ter ciúmes, era da amizade entre Mónica e Harry. Mas confiava nela, por muito que não desse muita confiança a Harry.

- Já vi que o teu amigo vai nos estragar a tarde. – Lamenta-se Dylan.

- Não sejas assim. Ele só quer falar comigo e é para esses momentos que os amigos servem. – Explica-lhe Mónica. – E além disso, escolheste um dia para me vir visitar… Tenho um monte de trabalhos para fazer.

- Ai queres que eu me vá embora? – Pergunta-lhe ele fingindo-se indignado.

- Não é isso trengo! – Corrige-se Mónica, puxando-o para si colando os seus lábios aos dele. – Mas tu sabes que eu gosto mais de estar contigo quando…

Incomodo? – Interrompe Harry.

- Não, só um bocadinho. – Goza Dylan.

Mónica olha para o namorado de uma forma repreendedora e pergunta a Harry:

- Então que se passa?

- Bem… Eu vou embora. Depois liga-me, amor. – Despede-se Dylan de Mónica com um beijo apaixonado, virando-se de seguida para Harry. – Adeus!

Harry sentou-se em frente a Mónica e pediu-lhe desculpa por lhe ter estragado a tarde com Dylan.

- São estas coisas que o fazem não gostar de mim. Entende-se. – Lamenta-se o rapaz.

- Esquece lá isso. – Sossega-o Mónica com um grande sorriso. – Eu estou aqui para te ouvir.

Harry contou-lhe tudo o que lhe atormentava o coração. Desde que se declarara a Gina, noite em que correu à casa de Mónica para lhe do seu fulminante ato de coragem, nunca mais se lamentara a ela. Mas agora estava a explodir. Necessitava estar com ela, Gina, mas não só como amiga. O seu maior desejo era beijar-lhe os lábios, tocar-lhe a morena pele.

Quando menos esperam, os dois amigos são interrompidos:

- Então? Por aqui?

Harry não podia estar confundir aquela voz. Virou-se e era ela, Gina.

- Olá! Pois é, fazer uns trabalhinhos, sabes como é. – Explica Mónica.

- Pois. E contigo Harry, está tudo bem? – Pergunta Gina.

Com um grande sorriso Harry responde-lhe:

- Está pois. E agora que chegaste muito melhor. – Rindo-se no final. – Brincadeirinha Gina. Senta-te aí.

- Desculpem lá mas tenho de ir. Ainda tenho de ligar ao Dylan se não… namorados! Xauzinho meninos. – Desculpa-se Mónica somente para os deixar a sós, piscando de seguida o olho a Harry.

Os dois conversaram algum tempo, mas Harry teve de se ir embora porque tinha aula. O rapaz muito teve de se controlar porque sabia que Gina não ia gostar se ele avançasse demais. Ela sabia que o estava a fazer sofrer, até porque ela sentia o mesmo que ele. Mas era cedo de mais.

Pouco depois de Harry se ter ido embora, chega Caroline. Gina e ela tinham combinado fazer o trabalho para Ecologia o mais depressa possível antes que começassem os exames. Só tinham de entregar o trabalho no final do período, mas quanto mais cedo estivesse tudo pronto, melhor. Por isso combinaram encontrar-se naquele dia, lá na biblioteca.

- Desculpa o atraso. - Desculpa-se Caroline - Estás aqui há muito tempo?

- Há algum. Mas descansa, o Harry esteve aqui comigo algum tempo e eu também já fui pesquisando algumas coisas. - Justifica-se Gina.

- O Harry? Harry Styles?

- Sim, conhece-lo?

Caroline nem queria acreditar no que estava a ouvir. Porque é que ela tinha de ser ter atrasado? Mas por um lado este ia ser o momento para ela começar a afastar Gina do Harry.

- Se não conheço... Eu namorei com ele no liceu... Eu gostava mesmo dele, mas para ele eu não lhe chegava.

- O que é que se passou? - Pergunta Gina preocupada.

- Ele várias vezes não saia comigo porque ou tinha de sair com a mãe, ou ia ao médico, ou porque simplesmente queria ficar em casa. Mas era tudo mentira. Num dia ele disse-me que queria cancelar a nossa saída porque estava doente. Eu, feita parva, acreditei claro. Até que recebo uma mensagem de uma amiga minha a dizer "Acabei de ver o Harry no cinema. Estás atrasada, moça!". Nesse momento o meu coração parou. Ele disse-me que estava doente e na realidade estava no cinema! Passaram-se milhões de ideias pela cabeça e por fim decidi ir até ao cinema para o encarar. Mas cheguei lá e ele já não estava, e por isso decidi ir à casa dele... - Caroline para de falar e correm-lhe lágrimas de crocodilo pela face.

- Ei... Calma... Não precisas de contar o resto eu já percebi...

- Mas isto não acabou por aqui. - Continua Caroline. - Eu acabei por perdoá-lo porque gostava mesmo muito dele, mas mais tarde ele acaba comigo com a desculpa de que eu era muito controladora e que já não me suportava mais. Fiquei de rastos... E nos dias seguintes fiquei ainda pior. Todas as semanas ele andava com uma rapariga diferente. Mas, felizmente, eu ultrapassei essa fase e agora não quero pensar mais nisso!

Depois de contar a história falsa sobre o seu relacionamento com Harry, Caroline limpa as lágrimas que lhe caíram dos olhos e alerta Gina:

- Eu ainda não te conheço muito bem mas não acho que és rapariga de namoros de uma semana. Se te estás a apaixonar pelo rapaz que pensas que ele é, acho que é melhor afastares-te. Ele é muito mulherengo, pode ter namorada mas continua a atirar-se às outras...

Gina nem queria acreditar no que estava a ouvir. Desde a primeira vez que viu Harry achou que ele era um rapaz simpático, mas afinal aquela simpatia era apenas para conquistar qualquer rabo de saia que lhe aparecesse à frente. E, pensando bem, via-o sempre rodeado de raparigas.

- Bem, vamos começar a fazer o trabalho? - Pergunta Gina com um aperto no coração.

- Sim. - Responde Caroline tentando não parecer triunfante com o que transmitiu àquela portuguesa.



Notas finais do capítulo

;)



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Just In One Direction" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.