Just In One Direction escrita por CostaSalazar


Capítulo 16
Capítulo 16


Notas iniciais do capítulo

Mais um *.* espero que gostem




Já era hora do almoço e apenas Gina tinha acordado. Como tiveram uma noite agitada, não sabia se deveria acordar as suas amigas ou não. Decidiu optar pela primeira. Apetecia-lhe almoçar fora.

Quando Lúcia e Sofia acordaram, Gina anunciou-lhes:

- Eu estive a ver na net e encontrei um restaurante com influências portuguesas.

- Qual? – Pergunta Lúcia.

- Nando’s.

- Ah! O Niall já me falou desse restaurante, ele adora-o. – Comenta Sofia.

Quando lá chegaram aquilo estava a abarrotar, mas ainda assim conseguiram uma mesa. Enquanto se dirigiam para lá tiveram uma grande surpresa quando viram Harry, Mónica e Débora.

- Hey! Por aqui? – Chama Débora a atenção delas.

- Bem, que surpresa! – Comenta Sofia.

- Olá Gina! – Cumprimenta-a Harry com um olhar derretido que despertou um sorriso de Mónica.

- Olá! – responde Gina dirigindo-se a todos na mesa.

- E se sentassem connosco? – Convida Mónica. – Há espaço para todos.

- O Harry é que vai ficar no paraíso: com cinco raparigas à sua volta. – Brinca Lúcia.

- Ai vocês também já se conhecem? Só eu é que o não conhecia… Já vi que és uma espécie de garanhão do pedaço. – Brinca a loira com ele.

Ele sorri e, sem responder, olha para Gina.

- Eu ainda não te vi lá na universidade. – Afirma Sofia a Débora. – À Mónica já tenho visto, com o Harry quase sempre, mas a ti ainda não te tinha posto a vista em cima.

- Sabes como é: sou uma rapariga muito ocupada.

Depois do almoço, todos foram para a casa das três portuguesas. Sofia gostava muito de Débora. Só tinha estado com ela naquele voo mas o jeito de ser daquela rapariga fazia-a ver ali uma amiga. Mónica também era bastante engraçada, mas um pouco mais introvertida. Por isso é eu Sofia sentiu necessidade de as convidar. Era uma forma de passarem a tarde todos juntos para se conhecerem melhor. E além do mais, também queria que Gina passasse mais tempo com Harry. Entendia-se a milhas de distância que existia um clima entre os dois.

Quando Débora e Mónica quiseram ir embora, Harry quis ainda falar com Gina, pedindo-lhe para, se possível, ficarem a sós. Lúcia e Sofia foram para o quarto e a sala ficou à disposição deles.

Gina manteve-se em silêncio. Ele sentou-se perto dela e começou:

- Acho-te uma rapariga muito especial.

Gina olhou para ele sem resposta, deixando-o embaraçado.

- Porque me estás a dizer isso, Harry? – Pergunta-lhe ela depois de um longo silêncio.

- Acho que estou a gostar de ti. – Responde-lhe ele com firmeza, olhando-a nos olhos.

Era tudo o que queria ouvir da boca dele, mas ela era orgulhosa e não cedia facilmente. Por isso, para evitar alguma tentativa mais arrojada dele, levantou-se, foi até à janela e olhando para o exterior, questionou-lhe:

- Como podes falar em sentimentos se me conheces há tão pouco tempo?

- Pode parecer pouco tempo… Mas eu vivi com a tua imagem na minha cabeça durante todo o tempo que estiveste em Portugal depois daquele dia lá na universidade. Para mim é como se te conhecesse desde esse dia. – Depois de uma pausa em que esperou resposta dela, mas sem sucesso, continuou. – Ok. Compreendo que não queiras nada. Mas deixa-me ao menos ser teu amigo. Deixa-me dar-te a conhecer quem eu sou. Peço-te ao menos isso, Gina. – Pede-lhe ele aproximando-se dela.

- Claro Harry. Amigos sim. Mais do que isso só o tempo o dirá.- Responde-lhe ela olhando-o nos olhos.

Aquela frase deu-lhe esperanças e ele esboçou um grande sorriso. Depois deu-lhe um beijo na bochecha muito suavemente e foi-se embora.

Sofia e Lúcia estavam a ouvir através da porta e assim que Harry sai, elas correm para saber o que tinha acontecido.

- Então, o que é que ele queria? - Pergunta Lúcia curiosa.

- Nada de mais... - Gina sorri para sossegar as amigas. - Foi uma conversa normal.

- Hum, pois... - Sofia olha para Lúcia com um olhar malandro, pois elas tinham ouvido a conversa toda.

Gina aproxima-se de Lúcia lançando-lhe um olha maroto e pergunta:

- E o que é que tu e o Louis fizeram ontem à noite, hum?

- Ahh, pois é. Quero saber tudo! - Exclama Sofia ansiosa por ouvir Lúcia.

- Primeiro, quando estávamos a ir para o carro dele, ele tropeçou duas vezes. - Ela solta uma gargalhada juntamente com as suas amigas. - Depois levou-me a uma pizzaria mesmo boa. E no fim fomos a um parque e andamos de canoa à luz do luar. Ele foi tão querido comigo...

- Oh, que lindos! E de que é que vocês falaram?

- Sabiam que ele já tinha reparado em mim quando viemos cá pela primeira vez? E depois também me viu no primeiro dia de aulas. E disse-me que estava muito nervoso por me convidar para sair... Oh, ele é mesmo lindo. Gosto tanto dele! - Lúcia solta um suspiro e lembra-se. - Eu não tenho o número dele e queria mandar-lhe uma mensagem...

- Que tal ires pedir à Danielle, ela deve ter. - Sugere Gina.

- Boa ideia! Volto já.

Nesse mesmo dia, Liam teve de ir falar com Danielle. Sentia-se na obrigação de o fazer depois do que tinha acontecido na noite anterior. Só não sabia como começar a conversa. Depois de muito pensar encontrou a melhor forma:

- A melhor cena de ontem foi dar-lhes a comer as pipocas! Se eles soubessem que elas tinham caído no chão…

- Matavam-nos! – Conclui Danielle a rir-se.

- Mesmo!

Fez-se algum silêncio.

- Danielle, eu preciso de falar contigo sobre… ontem. O que se pass…

Liam é interrompido pela campainha. Danielle vai abrir e era simplesmente Lúcia, que entrou, cumprimentou Liam um pouco envergonhada e pediu a Danielle para lhe dar 2 minutinhos a sós por ter um pedido a fazer-lhe. As duas foram até à cozinha. A Lúcia pediu-lhe o número e amiga, sem precisar de mais explicações, pois, como toda a gente à volta daqueles dois, sabia perfeitamente o clima que andava no ar, deu-lho. Ao sair da cozinha, reparou que tanto Danielle como Liam estavam um pouco nervosos. Era como se ela estivesse a interromper algo. Logo se despachou a ir embora, agradecendo à amiga.

Mais uma vez, o silêncio assolou a sala.

- Bem… - Ia começar Liam.

- Esquece isso, Liam. – Interrompe Danielle. - No fundo não se passou nada. É melhor esquecermos isso. Nós somos grandes amigos apenas, só que andamos um pouco mais fragilizados. Todo o ser humano tem momentos desses.

- Ainda bem que compreendes, Danielle. Eu, ainda por cima, estava um pouco embriagado.

- É, é melhor esquecermos. – Insiste Danielle desviando o olhar de Liam.

Ele, mais sossegado agora, por ter esclarecido toda aquela história com a sua grande amiga, sentiu-se mais leve e voltou a ser aquele Liam brincalhão que não resistia em dar um grande abraço a Danielle de todas as vezes que estava com ela, seguido de um fraternal beijo na testa.

Na noite anterior, Liam e Danielle tinham-se disponibilizado a ir fazer pipocas para o pessoal que estava na sala. Enquanto Danielle estava ao fogão, Liam mostrava-se muito brincalhão. Consequências de se beber vodka e Martini a mais. Ela ria-se com as peripécias que ele fazia. Quando as pipocas ficaram prontas, estava já ela pronta a dirigir-se à sala e Liam, querendo ajudá-la, tropeça, sobre as taças das pipocas que de imediato caem ao chão. Danielle segura-o e ambos ficam de olhos um no outro. Quase se beijaram. Lá da sala perguntaram o que se tinha passado para aquele estrondo. Ambos despertaram, riram-se e responderam que tinha sido Liam que tinha deixado cair uma bacia. Não sabiam o que fazer, mas acabaram por decidir que iriam pegar naquelas mesmas pipocas e levá-las para eles. Ainda bem que ninguém desconfiou do facto de eles não comerem. Pois, por muito que o facto de saberem tinham caído ao chão os impedisse de comer as pipocas, o que se tinha passado entre eles tinha-lhes tirado muito mais o apetite fosse para que manjar fosse.



Notas finais do capítulo

Comentem e voltem para ler o próximo ;)



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Just In One Direction" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.