Just In One Direction escrita por CostaSalazar


Capítulo 153
Capítulo 153





No dia seguinte, após uma manhã de piscina para Louis, Harry e as namoradas, enquanto os dorminhocos passaram toda a manhã a dormir, juntaram-se todos para almoçar. Foi nessa altura que Sofia se lembrou de uma importante informação que se esquecera de partilhar com todos.

- Ah, é verdade! Parece que daqui a uns tempos temos casamento.

- O quê? Tu e o Zayn vão-se casar? – Surpreende-se Lúcia.

Ela riu-se.                       

- Não! Não somos nós. É o Marcos.

- Que Marcos? – Questiona Gina.

- Olha que deves conhecer muitos… O que andou connosco na escola. Andou connosco da primária até ao 9º ano e seguiu Humanidades comigo no secundário.

- Sim, já percebi que Marcos é. Só que fiquei surpresa.

- E vai-se casar com a Joana? - Pergunta ainda Lúcia.

- Sim.

- Parece que afinal aquele mel todo que andava lá pela escola não era só para se comerem. – Aprecia Gina a situação. – Mas como soubeste?

- Encontrei-os em Barcelos no outro dia e ele, ao saber que íamos estar por Portugal durante todo o verão, disse logo que enviava-nos os convites.

- E nós, vossos namorados, também podemos ir ou vão só as meninas? – Questiona Harry.

- Claro que podem! São os nossos acompanhantes. – Responde Sofia.

- Parece-me bem. - Comenta Louis.

-x-x-x-

Durante a tarde, Sofia e Lúcia foram aproveitar a praia enquanto os namorados preferiram ir dar umas voltinhas de mota para conhecerem os arredores. Já o outro casal voltou à casa da família de Gina. Só que por coincidência, não estava lá ninguém. Desiludidos e já com ideias de regressar a Esposende, Gina viu algo que lhe deu saudades: bicicletas! Era a bicicleta dela e a do pai. Desde que fora para Londres não mais andara de bicicleta e o dia estava tão bonito… Abriu o portão e cada um pegou numa.

- Hoje vais conhecer a minha aldeia. – Avisa ela ao namorado.

E começaram a pedalar pelos caminhos de terra onde raramente passava alguém, por entre campos cheios de vida e cor, com aquele céu azul por cima das cabeças deles e um sol abrasador a que Harry não estava habituado. Gina ia à frente e tentava puxar por ele para ele tentar apanhá-la. Num impulso, tentando passar-lhe à frente, acaba por ter de se desviar de uma pedra relativamente grande que lhe aparecera à frente e assim, com dificuldades para controlar a bicicleta e não cair, entra por um campo de milho adentro acabando mesmo por cair.

- Harry! – Grita Gina.

Ele, no chão, não se mexia. Ela correu para ele.

- Harry! Estás bem?

- Estou ótimo. – Responde ele a rir-se da preocupação dela.

- Estúpido! Assustaste-me. – Reclama ela batendo-lhe no braço.

Ele respondeu puxando-a para ele com um grande beijo.

- Gosto tanto de te ver preocupadinha comigo.

- Eu não estava preocupada contigo. Fiquei preocupada por talvez… teres furado os pneus da bicicleta. – Tenta ela disfarçar.

- Sim… Sim… - Aceita ele deitando-a na terra, por baixo dele, beijando-a daquela forma que ele sabia que a fazia derreter.

Porém, ela não se ia deixar levar ali naquele sítio. Levantou-se, e ele começou a reclamar.

- Gina…

- Harry, por favor! Estás na rua. Não sejas tão tarado!

- Mas só uns beijinhos… Não está aqui ninguém!

- Não, não, não…

Ele levantou-se e começou a aproximar-se dela com aquele olhar de conquistador. Ela começou a gaguejar e a tentar controlar o riso. Antes que ele lhe pousasse aquelas enormes mãos na cintura como ele lentamente ia ameçando fazer, ela começou a fugir dele e ele sempre atrás dela. Ela começou a correr em direção a uma casa com aspeto abandonado, e ele fez o mesmo atrás dela, esquecendo-se de tudo o resto, como se fossem autênticas crianças. Finalmente ele alcançou-a já dentro da casa e as mãos dele alcançaram finalmente a fina cintura dela, viajando até ao seu peito, enquanto que as bocas deles já se encontravam explorando-se mutuamente. Ela começou a abrir-lhe, botão por botão, a camisa, e já ele procurava como abrir o caminho do prazer, ao desapertar-lhe os botões dos calções. Minutos depois Harry e Gina eram um só num climax de excitação.

-x-x-x-

Gina e Harry jantaram na casa dos pais dela novamente. Já os outros dois casais arranjaram-se por casa. Depois de comerem, as meninas arrumaram a cozinha enquanto Louis lhes chateava a cabeça e Zayn tinha ido para fora atender uma chamada à mãe. Mas, com tudo já arrumado e Louis e Lúcia em clima de namoro, Zayn não tinha ainda entrado e Sofia decidiu ir ter com ele. À beira da piscina não havia sinais dele, do outro lado também não. Viria a encontrá-lo sentado no areal, sob a luz da lua e a olhar para o mar. Chegou à beira dele, abraçou-o e deu-lhe um beijo na bochecha, fazendo-o sorrir de imediato.

- Que se passa fofinho?

- Estava a pensar.

- Hum… - Acentiu ela sentando-se à beira dele. – E pode-se saber em quê?

- Estava a pensar no que aconteceu neste ano. O quanto que a minha vida mudou do verão passado para este.

- E foi assim tão mau? – Pergunta ela fingindo-se indignada.

Ele riu-se.

- Claro que não tontinha. Muito do que se passou, aliás, quase tudo, foi ótimo. E tu, sim, és parte disso. Mas o que me deixa mais desanimado é ainda a história toda da Jane. Nunca mais soube nada da bebé e, mesmo não sendo minha filha…

- Shh… - Pede-lhe ela, pondo-se sentada à frente dele. – Eu sei. E acho fofinha essa tua preocupação com a bebé, mas tenho a certeza que ela está bem. Tens de tentar superar isso. Tu sabes que no fundo foi melhor assim.

Fez-se um silêncio em que ela esperou por uma resposta dele, mas não a obteve.

- E eu sei que ninguém é substituível e que a Jane é a Jane mas… nós depois também vamos ter os nossos próprios filhos.

Ele sorriu-lhe e ela aproximou-se mais dele, abraçando-o pelo pescoço.

- Já te imaginaste com dois pestinhas a chatear-te a cabeça o dia todo, a chorar, a partir tudo em casa? Hum… Interessante não?

- E porquê dois?

- Porque eu gostava de ter dois. Um menino e uma menina.

- Hum, agrada-me.

- É não é? A mim também.

- E se… não sei…

- Não Zayn, para já não! Temos a universidade para acabar, uma vida a começar e mais umas série de coisas…

Ele interrompeu-a com o seu riso.

- Não te rias que é verdade!

- Não é nada disso totinha! Eu só ia sugerir que começássemos a treinar para, e não que os fizéssemos… - Explica-lhe ele, apertando-a mais contra si e com uma carícia no rosto.

- Hum… Isso pensava eu que nós já fazíamos. Não te chega, não?

- Ahm… - Confirma ele abanando a cabeça negativamente, com uma expressão engraçada.

- Logo tratamos disso.

- Disso o quê?

- Do que tu disseste.

- Ah! Disto? – E com esta pergunta, Zayn deita a namorada na areia e beija-a carinhosamente com intenções de ser um pouco mais atrevido, mas ela começou a dar-lhe sapatadas no peito para que ele parasse.

- Temos muito tempo logo à noite para isso. Agora a Lú e o Lou estão na sala à nossa espera.

- Quase que aposto contigo que o Harry e Gina já estão com eles, ou que então eles já foram “dormir” também. De certeza que não dão pela nossa falta.

- Mesmo assim…

- Mesmo assim, podíamos mudar os ares. Sair da rotina.

- A falar nisso, aquele jacuzzi à beira da piscina anda a dar-me ideias para “fugir da rotina”. É só uma pequena fantasia de há muito…

- Hum… Parece-me bem. Um dia destes mandámo-los dar uma volta e ficamos com a casa só para… nós. Mas e relativamente a…

- Vamos para casa que tu já estás a delirar. – Levantan-se ela puxando-o pelo braço, conseguindo finalmente pô-lo a andar em direção a casa com o braço pelo pescoço dela.

-x-x-x-

Dois dias depois, Louis e Lúcia voltam para Londres. Zayn, desistindo de seguir os estudos de artes da representação, não viu necessidade de fazer mais exames, ficando por isso em Portugal.

Mesmo faltando ainda uma semana para o exame de Lúcia, o casal decidiu antecipar-se na ida para Londres para ela poder estudar e para ele começar a enviar uns currículos para algumas escolas. Agora que tinha acabado os estudos, tinha de tratar do futuro profissional. Estava certo de que queria lecionar, mas também gostava de vir a participar em algumas peças. 



Notas finais do capítulo

Vão visitando o blog: http://justinonedirectionfic.wordpress.com/
De resto, desejamos um feliz Natal para todas as nossas leitoras. Esperamos que tenham as prendinhas que pediram ao Pai Natal e que comam muitos doces ;)
E nós, se não for pedir muito, gostavamos de ter os vossos comentários. Seriam uma excelente prenda. :)
Vamos tentar publicar um novo capítulo segunda feira. Mas nada fica prometido.
Beijinhos.



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Just In One Direction" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.