Just In One Direction escrita por CostaSalazar


Capítulo 140
Capítulo 140


Notas iniciais do capítulo

Tinhamos prometido para sábado, mas não aguentamos esperar tanto tempo. Aqui têm mais um capítulo. :)
Esperamos que gostem.




Sofia e Zayn, depois de horas no Hospital naquele ambiente terrível, foram para casa dela tentar descansar um bocadinho. Tinha sido uma noite complicada. Por muito que não tivessem ligação nenhuma à rapariga, era triste ver-se uma jovem morrer, deixando uma filha, uma vida pela frente. Mas nem tudo tinha sido mau. A menina era linda – a filha dele. Quando lhe foi permitido, ele foi vê-la juntamente com Sofia. Mas também isso tinha o seu lado triste. Ia crescer sem mãe. Zayn teria de tomar conta dela, como nunca imaginara, como não se sentia preparado para fazer.

As horas iam passando. Todos os amigos sabiam do acontecido. Zayn não foi às aulas, mas não deixou Sofia faltar às dela. Enquanto ela lá estava, ele voltou ao Hospital para ver a menina e saber o que havia a ser tratado.

-x-x-x-

No final da tarde, a namorada de Harry antes da aula de Anatomia animal foi buscar os livros ao cacifo. Quando o abriu viu um envelope de que não estava à espera. Antes de o abrir, ficou a olhá-lo. "Será que é do Harry?" pensou. Não demorou muito até o abrir. Porém não foi a melhor das surpresas. Aquilo tinha sido a pior coisa que lhe podiam ter feito.

"Por isso é que a Caroline nos deixou em paz. Já andava com ele!" - pensou ela.

Fechou o envelope com as fotos e foi de imediato à procura do "namorado fiel".

Harry estava com Liam quando Gina se dirigia a ele. O namorado de Danielle, estando atrasado, despediu-se apressadamente de Harry também para o deixar a sós com a portuguesa. 

- Hey! - Cumprimentou-a ele, vendo-a ao longe, abrindo os braços à espera de um abraço.

No entanto, a rapariga não fez o que ele esperava. Atirou-lhe com força, o envelope para as mãos e perguntou-lhe ironicamente:

- Porque é que não compras umas molduras e as penduras em tua casa? Ficaram perfeitas.

Ele não percebeu. Todos à sua volta aperciavam o que se estava a passar. Harry realmente não entendia, mas boa coisa não era de certeza. Ela virou-lhe costas sem o deixar dizer palavra e foi para casa. Então, o rapaz, ainda meio atordoado, abriu o envelope e ficou em choque.

-x-x-x-

Entretanto Liam já tinha acabado as aulas dele por aquele dia. Saiu da universidade direto para a casa de Danielle. Ela abriu-lhe a porta e logo ele lhe deu um grande beijo como se já a não visse há dias.

- Já tinha saudades tuas… - Lamentou-se ele.

Ela sorriu.

- Eu também, amor.

Josh, de passagem por ali, fingiu tossir para os interromper.

- Ah, desculpa… Olá Josh.

- Olá Liam.

Os três amigos foram para a sala conversar por um bocado. Mais tarde, Josh ia fazer o jantar. Liam também ia comer lá. Como não podia deixar de ser, veio à conversa Zayn, a filha e a morte de Sylvia. O amigo estava numa má fase.

No fim de jantar, Josh saiu. Tinha de ensaiar com a banda. Naturalmente, Liam ajudou a namorada a arrumar a cozinha e no final foram para o sofá.

- Espera! Tenho ali um chocolate. Eu vou buscar para nós os dois.

- Ynhami!

Ao voltar da cozinha, a rapariga parou a meio do caminho para ver qualquer coisa no telemóvel que estava a carregar a bateria. Quando ela olhou para ele, ele respondeu-lhe com o seu típico “1,2,3, flick” e ela riu-se.

- És tão trenguinho. – Disse-lhe ela carinhosamente sentando-se finalmente ao lado dele.

- Não. Eu sou é louquinho… por ti. – Declara-se aproximando-se dela para a beijar. – E agora o chocolate!

Enquanto comiam o chocolate e conversavam, Danielle teve uma ideia.

- Queres ficar a dormir comigo hoje?

- Hum… Eu queria, mas…

- O que foi?

- Não tenho aqui a minha escova de dentes com luzinhas… Depois como lavo os dentes?

Ela riu-se.

- Já vi que não há solução… A escova de dentes com luzinhas é insubstituível. E mais importante que eu… Começo a ficar com ciúmes dela…

- Não, não é isso…

- Eu sei. Estou a brincar contigo. Mas seria engraçado ter uma escova de dentes igual à tua. Falas tão bem da tua… Deve ser espetacular…

- E é mesmo! Tu sabes o quanto eu a adoro.

- Eu sei, eu sei… - Ri-se ela.

- Mas e estou a brincar. Quero estar com o Zayn. Ele deve estar a precisar de algum apoio.

- Pois é. Coitado.

- E a falar nisso, é melhor despachar-me para ver se o apanho acordado.

- É, vai lá. Manda-lhe um beijinho meu.

- Só se tu me deres um beijinho a mim também.

- Hum… Deixa-me pensar…

Ele roubou-lhe um beijo durante o tempo que ela queria pensar e afastou-se em direção à porta.

- Até amanhã fofinha.

- Até amanhã.

-x-x-x-

Depois da tareia que Dylan apanhou, Mónica andava muito preocupada com ele. Aliás, ele próprio andava amedrontado. Aquela ameaça do chefe tinha-o afetado. Sabia que ele não prometia nada que não cumprisse. Mas que poderia ele fazer? Ele não tinha o dinheiro para lhe dar e tudo o que menos queria era continuar a vender. No meio de tudo isso, Mónica continuava a tentar ajudá-lo. Insistia para ele ir à polícia denunciar tudo, mas Dylan tinha medo de se prejudicar duplamente. Primeiro porque também ele poderia ir preso, segundo porque o gang não lhe iria deixar aquilo sair barato. Ela não sabia o que fazer. Sentia-o triste e aquilo não era vida para ninguém.

Para piorar a situação da rapariga, havia Josh. O rapaz tentava aproximar-se dela, mas desde aquele beijo que nunca mais ela foi a mesma para ele. Não podia. Por muito que gostasse muito do baterista, não queria dar-lhe falsas esperanças. Amava Dylan e não tinha a mínima dúvida disso. Então Josh andava um pouco tristonho. Sentia o afastamento de Mónica e isso era tudo o que ele não queria. Desistir dela estava fora de questão, mas ao mesmo tempo não a queria pressionar e muito menos ainda fazê-la infeliz. Claro que custava saber que para ela, naquele momento a felicidade estava ao lado de outro, porém tinha de respeitar. Algo lhe dizia para ter esperança, para não desistir e esperar.

-x-x-x-

Depois de abrir o envelope, Harry ficou mais que furioso. Apetecia-lhe matar Caroline! Com o sangue a ferver nas veias, o rapaz, com o envelope nas mãos, acelerou o passo para procurar a bruxa da ex-namorada. Não foi difícil de a encontrar. Logo ali perto, à saída da universidade, estava ela em conversa com umas amigas. Ele chegou lá, sem se importar com o que a rodeava e amarrou-lhe o braço com força, puxando-a para longe do grupo.

- Ai! – Reclamou ela.

-Olha lá, que merda andas tu a armar? Ainda não percebeste que eu não te quero mais? Desiste de uma vez por todas de me atrapalhares a mim e à Gina!

- Perdão? Não sei do que estás a falar. Já vos deixei em paz há muito tempo.

- Não te faças de cínica! Sabes perfeitamente do que estou a falar...

- Não, não sei...

- Toma. Abre isso. – Dá-lhe ele o envelope para as mãos, esperando que ela olhasse para as fotos. - E agora? Já te lembras de alguma coisa? Ou vais dizer que estás com amnesia?

- Ah, fiquei mesmo bem nestas fotos não achas? – Ironiza ela, tendo como resposta um olhar reprovador do ex. - Desculpa, decepcionar-te mas não fui eu que tirei estas fotos, como vês eu sou um dos "modelos".

- Tu estás a gozar comigo? Caroline, eu não estou a dizer que tu tiraste as fotos! Eu estou a dizer que tu armaste para cima de mim! A Gina recebeu esse envelope com essas malditas fotos em que tu apareces a, supostamente, beijar-me. O problema é que esse, não sou eu!

- Pois, eu sei que não és. Esse é o... o... Raphael, o meu novo namorado. Eu não sei quem tirou essas fotos nem quem as mandou para a Gina.

- Sim... Tu queres convencer-me que o facto de teres um namorado "igual" a mim é simples coincidência...

- Se não te deixo em paz a ti e à Gina sou a má da fita, se arranjo um namorado "igual" a ti continuo a má da fita. Decide-te homem!

Harry ficou estupefacto pelo que ela estava a dizer. Parecia que só havia duas opções: ou ele ou um outro gajo qualquer igual a ele.

- Tu... Tu és doente!

- Já pensaste que quem tirou essas fotos pode ter sido alguém interessado na Gina?

- O que queres dizer com isso?

- Não sei... Assim alguém que, para além de mim, não vos queira juntos... Alguém como o Derek...

- O Derek?

- Sim, o Derek. És burro ou fazes-te? Não foi ele que foi com ela ao baile de S. Valentim?

- E porque é que ele haveria de fazer isso?

- E se lhe fosses perguntar a ele? Ou então contares à Gina a verdade... Acho que ela ia amar saber, não? – Pergunta ela em tom de conclusão, estendendo-lhe a mão com o envelope das fotos.

Ele começou a raciocinar. O Derek nunca lhe inspirara confiança. Era possível que ele a tivesse visto com o tal rapazinho e também pensasse que era ele e tivesse tirado as fotos para retirar algum proveito disso. Tinha de ir falar com a Gina. Pegou no envelope e virou-lhe as costas depois de um olhar enfurecido.

Minutos depois estava à porta de casa dela à espera que lhe abrissem a porta. Ela, sem saber de quem se tratava, abriu, mas quando o viu, arrependeu-se de a ter aberto e tentou fechá-la na cara dele.

- Espera Gina! Deixa-me falar. – Pediu ele, tentando impedir que ela fechasse a porta.

Concretizando que não tinha mais força que ele, desistiu e afastou-se da porta para que ele entrasse.

- Precisamos de falar.

- Não quero falar contigo.

- Gina, não sejas assim. Eu não tenho culpa de nada disto.

- Tenho eu...

- Tu não estás a entender... Este que tu vês nestas fotos, não sou eu.

- Eu posso usar óculos mas com eles vejo bem, 'tá?

- A sério... Eu fui falar com a Caroline... Ela pode-te confirmar que não sou eu.

- Não eras tu que dizias para não acreditar no que ela dizia? E claro que foste falar com ela... Assim poderias continuar com as duas relações. Que bonito.

- Porque não acreditas em mim? Tu sabes que eu te amo Gina! Eu era incapaz de te trair com aquela maluca! Ou fosse lá com quem fosse. És tu quem eu amo, só tu!

- É difícil acreditar em ti com provas, não achas?

- Mas estas provas não são nada! A doente da Caroline é que, não me conseguindo ter, arranjou um igual a mim e alguém os deve ter visto na rua e fotografou-os. Isto foi a teoria dela e até faz sentido. Quase que aposto que é o Derek que está metido nisto.

- Agora vens culpar o Derek...

- Faz sentido. Ele gosta de ti e tu sabes disso...

- Mas ele não faria uma coisa dessas. E para além do mais ele sabe que eu gosto de ti e não ia tentar nada.

- Pois, tu é que estás a defendê-lo... Mas deixa estar. Tu não acreditas em mim, mas eu vou levar estas fotos e vou analisar cada traço delas. Eu vou provar-te que este não sou eu. – Irra-se ele, saindo de casa dela depois de bater a porta com força.

- Força nisso! – Grita ela depois de ele sair.



Notas finais do capítulo

Deixem-nos as vossas impressões.
O próximo capítulo talvez seja postado na quarta-feira :)



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Just In One Direction" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.